segunda-feira, dezembro 6, 2021

Saab RBS 70NG

Análise: E se o Brasil passar a só exportar matérias-primas?

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

País exporta cada vez menos bens industrializados. Por um lado, é bom para a balança comercial. Por outro, a desindustrialização crescente causa profundas mudanças negativas na sociedade, como menos empregos e pesquisa

Quando, no início de 2021, a montadora Ford anunciou que sairia do Brasil, o governador da Bahia, Rui Costa – em cujo estado se perderam 5 mil vagas de trabalho desde então – reclamou: “O Brasil está virando uma grande fazenda.”

Ele tem razão, mas o fenômeno não é novo. A ênfase exagerada da economia nacional na produção de matérias-primas é uma tendência de longa data, como fica claramente demonstrado no mais recente Indicador de Comércio Exterior (Icomex), compilado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre) e publicado previamente pelo jornal Valor Econômico.

Segundo o índice, as matérias-primas constituíram quase 70% das exportações brasileiras entre janeiro e setembro. Vinte anos atrás, o quadro ainda era bem outro: em 2001 elas só eram responsáveis por 37% da balança de exportações, e produtos industriais, como automóveis, máquinas e aviões da Embraer eram bem mais importantes.

Desindustrialização transforma o Brasil

Portanto, hoje, a maioria dos produtos exportados pelo Brasil vem de fazendas, minas e do fundo do mar, sendo mais da metade (44%) composta por soja, minério de ferro e petróleo. Milho, celulose, aves, carne bovina e café também são relevantes, mas a tendência crescente é o país exportar matérias-primas não processadas, sem qualquer valor agregado.

Ou seja, em vez de vender aço, carne de porco ou etanol, os exportadores brasileiros cada vez mais enviam minério de ferro, soja ou cana-de-açúcar para o exterior. Antes da pandemia de covid-19, o principal bem de exportação industrializado eram plataformas petroleiras.

Essa tendência à desindustrialização se faz notar em todo o mundo. Contudo, no Brasil ainda há pouca percepção das profundas transformações que esse processo significa para a economia e a sociedade.

Brasil na contramão de uma sociedade de classe média

É positivo que o Brasil – ao contrário de muitas nações não industriais – seja capaz de gerar um fluxo de capital constante com suas matérias-primas, o qual estabiliza a economia nacional através, por exemplo, de uma balança comercial positiva e de grandes reservas de divisas.

Além disso, a cadeia de agregação de valor dentro da agricultura, mineração e setor energético emite impulsos importantes para a economia nacional, como um todo: de fertilizantes a caminhões, de escavadeiras a tratores, setores inteiros vivem de fornecer para a indústria de matérias-primas.

Por outro lado, a dependência de matérias-primas é negativa devido às transformações estruturais que acarreta. Muito dependente de capital, ela cria relativamente poucos empregos. Ao mesmo tempo, exige menos pesquisa e tecnologia – as quais, além do mais, não precisam necessariamente se realizar no país: também nos Estados Unidos ou na Ásia podem-se desenvolver novas tecnologias de transporte para minas, ou variedades de soja resistentes à seca.

Desse modo, a economia brasileira disponibilizará vagas de trabalho cada vez menos exigentes, que tampouco dependem necessariamente de pesquisa e desenvolvimento em universidades e institutos especializados.

Do ponto de vista histórico, também a Europa, os EUA e, por último, a Ásia foram sociedades que começaram como produtoras de matérias-primas, mas se tornaram sociedades de classe média graças à própria industrialização. No Brasil, no momento a impressão é que o processo transcorre exatamente na direção inversa.

Crise na indústria brasileira
Crise na indústria brasileira

FONTE: Deutsche Welle

- Advertisement -

211 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
211 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Camillo
Camillo
1 mês atrás

Ásia, Europa e América do Norte com indústrias e alta-tecnologia, América Latina e Africa fornecendo matérias-primas, sempre foi assim, e após essa pandemia estas regiões (América Latina e Africa) que sempre foram as mais pobres do planeta estão ficando mais pobres ainda.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Camillo
1 mês atrás

É mais uma faceta do neocolonialismo. E acrescento o controlo destes países através dos esquemas de financiamento, da dívida, etc…
Mas a solução não é o isolamento.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Faceta de neocolonialismo conversa fiada.
Um país preguiçoso e corrupto. Só isso!

Hcosta
Hcosta
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Estava a falar de um modo geral dos países mais pobres do mundo e não necessariamente do Brasil.
Do meu ponto de vista o problema do Brasil e de muitos países da AL é a instabilidade. Politica, social, económica, etc…

Agressor's
Agressor's
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Muitos brasileiros não sabem mas o nosso país é o mas rico do mundo em tudo. As riquezas que se encontram em nosso território tem valor incalculável, entre as reservas de minerais estratégicos mais cobiçadas estão o nióbio, tório, tantalita, manganês, titânio e urânio usados para desenvolvimento tecnológico e nuclear. Em 2010 o Wikileaks divulgou um documento do departamento de estado dos EUA que colocava as reservas brasileiras de nióbio como de importância estratégica para os EUA. As potências estrangeiras são dependentes das nossas riquezas naturais, pois temos as maiores reservas de água doce e de minérios estratégicos como o… Read more »

José Carlos David
José Carlos David
Reply to  Agressor's
1 mês atrás

Seremos o eterno celeiro do mundo. Como somos fracos militarmente, se negarmos o estrangeiro vem e toma. Quando tinha 15 anos achava que o Brasil era o país do futuro…o futuro chegou….estou com 70 anos e continuamos a reboque. Antes eram os americanos e agora os chineses….eterna colônia!!!!!

Agressor's
Agressor's
Reply to  José Carlos David
1 mês atrás

Agora é todo mundo mesmo, até a Bolívia… Esse lugar hoje se encontra mais rodado que saia de macumbeira…

Last edited 1 mês atrás by Agressor's
Otto Lima
Reply to  Agressor's
1 mês atrás

Muito mais importante do que deter essas reservas é desenvolver tecnologias para utilizá-las, mas o Brasil vai na contramão e está destruindo o que ainda há de ciência e tecnologia por aqui.

Agressor's
Agressor's
Reply to  Otto Lima
1 mês atrás

Exatamente, plenamente…

Bruno
Bruno
Reply to  Camillo
1 mês atrás

No caso do Brasil, o problema da economia não está sendo a pandemia, e sim o dólar alto que está corroendo o poder de compra da população empobrecendo-a e ainda gerando inflação. E isto está sendo mantido de propósito pelo governo que assumiu compromisso de companha com a bancada agrícola através dos grandes latifundiários que precisam do real desvalorizado para exportar cada vez mais. E por favor não me confundam com esquerdista não pois sou de direita.

Henrique
Henrique
Reply to  Bruno
1 mês atrás

A desvalorização do Real acontece por várias razões, não é simplesmente um complô maquiavélico. A verdade é que desde os anos 80 nossa produtividade não cresce e a média do crescimento do PIB de lá pra hoje é menor do que a média dos países em desenvolvimento. Nós estamos passando por um processo de decadência muito longo e vai precisar de muita coisa pra reverter isto.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Bruno
1 mês atrás

Qual medida você tomaria? Lembro que o mercado cambial é regulado, como tosos os outros mercados, pela demanda x oferta.

Leonardo
Leonardo
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Vamos lembrar que aqui é Brasil, e por exemplo no mercado automobilístico não funciona assim. Ou outro setor que não funciona assim é com nossa maior produtora de proteína animal, que, detendo o monopólio do mercado, dita quando a carne baixa, e, mais precisamente hoje, mesmo com mais recusa de países como a China e UE, prefere vendar a carne a charques à baixar o preço do produto no país.

Tomcat4,2
Reply to  Leonardo
1 mês atrás

Exatamente Leonardo ,outro ponto, a Petrobas tem capacidade de refinar a quantidade necessária para consumo interno mas não o faz e trabalha com 30% de ociosidade e nisso exporta petróleo cru e compra os derivados refinados no dólar ou euro pra repassar pra nós, estatal feita pra nos ajudar e só nos ferra e engorda acionistas.

Caerthal
Caerthal
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Bobagem. Estude mais para evitar passar vergonha.

Acacor
Acacor
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

E tem uns que ainda querem privatizar. Se tornará irreversível p prejuízo.

Nilson
Nilson
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Não sei que medida tomaria, lógico que não tenho a expertise necessária. Mas que o Real tem desvalorizado muito mais do que as outras moedas, isso é verdade, algum erro grave foi cometido. Nos juros? Na falta de incentivo (garantia) para que os dólares das vendas das matérias primas entrem no país? Risco político? Baixa intervenção no mercado de câmbio pelo governo? Muito estranho o dólar subindo em época de valorização de matérias primas, sempre ocorreu o oposto, o normal é um equilíbrio pela lei da oferta e demanda, se exportamos mais o dólar deveria ficar estável ou cair…

Manuel Souza
Manuel Souza
Reply to  Nilson
1 mês atrás

Vc n entendeu ou n quer entender. A cúpula do governo que controla a economia lucra com o dólar alto.

pedroctba
pedroctba
Reply to  Manuel Souza
1 mês atrás

Centrao tambem. Lembre que aqueles protegem os interesses de grandes latifundiarios e bancos, onde esses tiveram altos lucros com o Real defasado.

Slow
Slow
Reply to  Bruno
1 mês atrás

Aqui a partir do momento que você critica o governo você vira comunista ..

Tomcat4,2
Reply to  Bruno
1 mês atrás

Tem uma entrevista, muito boa a qual mudou radicalmente minha visão sobre o entrevistado, do sr Ciro Gomes que pleiteará a presidência, de novo, ano que vem no canal “Inteligência Ltda” onde ele explica muito bem de onde vem o problema Real//Dólar, desde a criação do real e se mantém. o Real que na época, segundo ele, era pra ficar no máximo 6 meses mais valorizado que o dólar pelos motivos que ele explica e tal aí os governos de lá pra cá simplesmente tentaram manter a coisa(o que era sabido ser impossível) e hoje estamos como estamos. O interessante… Read more »

Caerthal
Caerthal
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Chino Gomes parece bem contente com o papel que o Brasil faz na relação com país amarelo.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Caerthal
1 mês atrás

E você gostaria que o Brasil e seus presidentes fizessem oque meu caro?! Descartassem a China como parceiro comercial?! Gostem ou não, os chineses são o maior parceiro comercial do Brasil… Sejam comunistas, neo-comunistas ou capitalistas de mercado, os chineses tem sua importância, agora deixar comercializar com eles por încompatibilidade de ideologia política, tem que ser muito estúpido mesmo. Indiferente deles serem democracia ou ditadura, abrir mão de laços comerciais com os chineses é um suicídio econômico, quem iria substituí-los?! os europeus protecionistas?! Nosso irmão de Washington iria comprar mais produtos nossos?! Podem ser ditadura, podem ser repressivos, podem ser… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Adriano Madureira
pedroctba
pedroctba
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Estranho que na decada de 2000 o Brasil descartou a Europa, EUA, Japão e Coreia do Sul, onde “sobrou” como parceiro a nos justamente, a China! Seria a hora de recuperar os outros mercados e nao ficar dependente de apenas um como estamos hoje.

José Carlos David
José Carlos David
Reply to  Bruno
1 mês atrás

O Brasil é rico mas não tem domínio sobre suas riquezas. Recebemos o que é estipulado pelas grandes potências e nossa moeda sempre foi um fiasco.

francisco
francisco
Reply to  Camillo
1 mês atrás

20 anos no poder e só se preocuparam com as tais políticas de inclusivas das minorias.
Tai o resultado. O atual governo pois mais que esteja fazendo só verá os resultados daqui a 30 anos ou mais.

Bruno
Bruno
Reply to  francisco
1 mês atrás

O atual governo não existe, é uma bagunça total desde a posse. O MEC foi destruído, o IBAMA destruído, corrupção até em compra de vacina, gestão da pandemia horrorosa que foi responsável SIM por mortes e problemas econômicos. Reformas que só prejudicaram os pobres e a classe média. Me fala camarada, no que esse governo mequetrefe foi bom, ou melhor, no que a vida melhorou nos últimos 3 anos????

Matheus S
Matheus S
1 mês atrás

Qual seria a solução?

Luciano
Luciano
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Bom dia, Matheus. Entre outras coisas, passa com certeza por ensino e pesquisa de qualidade! Mas com corte de 90% do orçamento destinado para pesquisa e o fechamento da única fábrica de semicondutores da AL, por exemplo, o atual governo indica bem que quer um Brasil dependente tecnologicamente (e isso atinge também o setor de defesa!)!

Matheus S
Matheus S
Reply to  Luciano
1 mês atrás

Prioridades de um governo acima de um projeto de Estado.

Nascimento
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Durante a época da hiperinflação no Brasil, praticamente nenhuma indústria fazia planejamento de longo prazo, pois era impossível saber exatamente quais eram os custos reais e quais eram os lucros genuínos. Após a estabilização da economia, a redução da inflação e a abertura dos mercados — o que permitiu a importação de maquinário de boa qualidade —, a indústria nacional ganhou algum vigor. Entre 1999 e 2010, a inflação acumulada em qualquer período de quatro anos sempre foi menor do que a inflação acumulada no período de quatro anos imediatamente anterior. (Por exemplo, a inflação acumulada entre 2007 e 2010… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Nascimento
Matheus S
Matheus S
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Penso da mesma maneira.

Tomcat4,2
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Comentário top ,só não faz sentido falar que nos últimos 3 anos a exportação diminuiu sendo que a desvalorização do real propicia o aumento das exportações as quais são feitas com base no dólar. Nas pesquisas atuais o Brasil está com mais exportações que importações com diferença de bilhões de saldo positivo.

Nascimento
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Sim você tem razão, caramba que mancada. Na verdade me referia aos tres anos depois de 2011. Infelizmente errei no comentário. Obrigado pela correção Tomcat. Me equivoquei completamente no texto. Era tanta coisa pra escrever que errei logo nesse ponto. Pena que não da pra editar. Abraços.

Tomcat4,2
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Tranquilo meu caro, depois procure no youtube no canal “inteligencia Ltda” na parte “cortes”, onde eles separam pontos específicos da entrevista a parte sobre o real/dólar da entrevista do Ciro, muito esclarecedor.

Fernando Gouveia
Fernando Gouveia
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

A solução é simples, mais industrialização.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Esperar o quê? No Brasil não há livre comércio nem entre os próprios estados, tem que pagar altas taxas de ICMS que é um imposto que nem deveria existir.

Também é consequência de ter a China como o maior parceiro comercial, a única coisa que eles compram é matéria prima. A indústria nacional nem sonha em vender para a China porque é impossível competirem com uma indústria que paga muito menos impostos e a infraestrutura, segurança, etc são muito melhores lá na China.

Matheus S
Matheus S
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 mês atrás

Me lembrou do caso do Agnelli presidente da Vale que recusou o pedido do Lula para construir siderúrgicas, preferindo vender minério para os chineses, a encrenca causou até uma certa instabilidade política nacional em torno disso.

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Estabilidade política e econômica, investimento em educação, P&D e infraestrutura e o fortalecimento das instituições já seriam passos extremamente úteis para reverter essa situação. Porém, no Brasil, até o arroz com feijão é difícil de ser feito.

Adriano Luchiari
Adriano Luchiari
1 mês atrás

Bom domingo a todos! O negócio é o seguinte: temos que exportar o que os outros países têm que comprar. O importante é ter saldo positivo na balança comercial e reservas em moeda forte. Já a análise de que a economia brasileira disponibilizará vagas de trabalho cada vez menos exigentes ou que dependam de desenvolvimento em pesquisa é falaciosa: temos um grande mercado interno, são mais de 200 mi de habitantes que a indústria nacional e o setor de serviços têm que suprir.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Adriano Luchiari
1 mês atrás

Nosso mercado interno está sendo suprido por importações.

Adriano Luchiari
Adriano Luchiari
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

O mercado interno não vive só de bens de consumo ou da agropecuária. O principal setor na composição do PIB é serviços, que demanda mão de obra, especializada ou não, que não é importada.

Rodrigues
Rodrigues
Reply to  Adriano Luchiari
1 mês atrás

Sugiro que voltes imediatamente as aulas básicas de geografia econômica.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Adriano Luchiari
1 mês atrás

Olha o índice de nacionalização dos produtos “made in Brazil” de alto valor agregado: não passa de 50% na maioria deles, inclusive no Sul onde tivemos uma colonização mais alemã e holandesa(países industrialmente fortes e criadores de tecnologia).

Flanker
Flanker
Reply to  Vinicius Momesso
1 mês atrás

Holandesa? Até tem descendentes de holandeses aqui no sul, mas a esmagadora maioria é de italianos e alemães. Depois, bem distantes, temos descendentes de poloneses, russos, japoneses, etc…

Jorge Knoll
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Descendentes de holandeses, os neerlandeses vieram em 3 e 4 levas, a primeira já referida 1630-1654, a segunda de 1822 a 1940, e tiveram outras após, e a última em 11072-1992, e se encontram espalhados nos três Estados da Região Sul, Espírito Santo, São Paulo Vale do Rio Paraíba a cidade de Holambra, a cidade mais holandesa do Brasil localizada à 45 km de Campinas e a 135 km da capital do Estado, mas temos espalhados também no Amazonas, Matogrosso do Sul. Pena que expulsamos os holandeses, poderíamos n ser mais avançados tecnologicamente, e menos burocratas, uma marca da colonização… Read more »

Miguel Brandão
Miguel Brandão
Reply to  Vinicius Momesso
1 mês atrás

Os descendentes de holandeses estão no Nordeste. Foram largados aqui desde de 1654.

Wellington Kramer
Wellington Kramer
Reply to  Vinicius Momesso
1 mês atrás

Holandesa?

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Adriano Luchiari
1 mês atrás

Rússia se f*** por causa de não ter uma industria propria de componentes eletrônicos. Após as sanções Americanas, tiveram que correr atrás dos indianos para o suprimento interno. Pelo menos eles perceberam(mesmo que tardiamente) isso e a carência interna está começando a diminuir.
O Governo Lula percebeu isso, e houve um plano via PAC de desenvolver uma indústria cem por cento nacional no setor, mas a robalheira não deixou, como sempre acontece por aqui. Triste!

Last edited 1 mês atrás by Vinicius Momesso
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Vinicius Momesso
1 mês atrás

Acabei de ler notícia de que a Rússia recebeu os primeiros chips ARM de design próprio chamados Baikal.
Tudo bem que foram produzidos (litografados) em Taiwan, mas já é um começo na indústria de chips de consumo.

techspot.com/news/91785-tmsc-delivers-first-batch-russian-designed-arm-chips.html

Agora, o que é bem mais importante é que os russos estão desenvolvendo e logo lançarão o primeiro laptop baseado na arquitetura RISC-V que é livre e não pode ser embargado por nenhuma empresa ou país.

.extremetech.com/computing/324735-russia-to-build-8-core-risc-v-cpus-for-laptops-government-systems

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Desculpe mas já é desespero. Qualquer país faz isso.
E qualquer produto pode ser embargado.
O que diz o artigo é que pode funcionar com a “internet” Russa ou Chinesa e não me parece que seja um bom exemplo…

Camillo
Camillo
Reply to  Vinicius Momesso
1 mês atrás

Não tem como comparar a Rússia com o Brasil, a Rússia ja era desde a URSS uma superpotência científica e tecnológica, estavam um pouco atrás na área eletrônica mas com algum esforço recuperaram. O Brasil sempre foi um país pobre, sem base científica e tecnológica, o que o Lula fez foi só propaganda, nenhum projeto sério, tanto que não teve nenhum resultado.

GFC_RJ
Reply to  Adriano Luchiari
1 mês atrás

“temos um grande mercado interno, são mais de 200 mi de habitantes que a indústria nacional e o setor de serviços têm que suprir”. Está vivendo ainda dos clichês do século XX e isso eu acho que é o que mais atrapalha um debate minimamente empírico sobre política industrial. Não temos um grande mercado interno. Isso é uma falácia. Outro clichê que dizem por aí: “Somos um país rico, mas desigual”… NÃO! Somos um país de renda média para baixo E somos desiguais. Isto é, o pior dos mundos. Nossa RPC está lá pra 80o do mundo e ainda tem… Read more »

Carlos
Carlos
Reply to  Adriano Luchiari
1 mês atrás

200 mi sem poder de compra. Sabemos do resto…

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
1 mês atrás

“Assembled in Brazil”. Esse é o retrato de noventa e nove por cento da Industria de bens de alto valor do país.
O Brasil nunca se importou em “absorver conhecimento” das industrias extrangeiras que se instalavam no país, para a partir disso, criar as suas próprias como a China fez.
Não acreditem nesses comerciais baratos no qual é dito: “orgulhosamento feito no Brasil”.

Last edited 1 mês atrás by Vinicius Momesso
Marcos10
Marcos10
1 mês atrás

O Brasil é o quinto país em extensão, o sexto em população, de 8º ao 12º em PIB a depender do critério, mas o 28º em exportações. O ambiente político, jurídico e econômico não são favoráveis. O país simplesmente está polarizando entre um desnorteado e um outro que recentemente esteve preso por corrupção, com boa parte da população gritando palavras de ordem, querendo um golpe, e ninguém questiona o que aconteceria no dia seguinte a um eventual golpe. Boa parte do Congresso são formadas por pessoas que são contra porque são contra. Função de supremas cortes é dar um Norte… Read more »

Nascimento
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Resta aos lobbistas da FIESP entenderem que a derrocada da indústria brasileira possui outras raízes, as quais não poderão ser solucionadas com políticas paliativas e pacotes do governo. Pode observar: em toda a sua história, a indústria nacional só não esteve ameaçada naqueles momentos em que o governo praticamente proibiu as importações e impôs uma reserva de mercado. Portanto, fica a pergunta: quais os principais fatores que afetam o desempenho industrial? Um sei: a inflação monetária. Antes de ir às explicações, duas outras perguntas complementares à resposta acima: por que é difícil encontrar países com histórico de inflação alta que… Read more »

Zeus
1 mês atrás

É um estigma. A mentalidade de colonia enraizou-se de tal forma no Brasil e A.Latina, e se estabeleceu no poder com tal longevidade que apesar dos árduos esforços de alguns para alavancar a industrialização, as forças da estagnação, do atraso, da burrice, acabam por prevalecer. E seguindo o gráfico ladeira abaixo, o atual desgoverno, além de sabotar a indústria e o desenvolvimento tecnológico como jamais aconteceu antes, chegando à barbaridade de cortar quase 90% da verba para a área de tecnologia e liquidar empresas de áreas estratégicas, impulsiona abertamente o desmatamento e grilagem da amazônia para plantar soja e criar… Read more »

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Zeus
1 mês atrás

O Brasil é o país do “vamos investir por que da dinheiro”. Uma exemplo é na cidade onde eu moro, no qual um número assustador de farmácias e postos de gasolina são estão sendo abertos por que gera lucro rápido. Ninguém aqui pensa no longo prazo e desejo de inovação, são “surfistas de ondas curtas”.
O reflexo disso, baixa industrialização e o moradores indo gastar seu dinheirinho suado na cidade vizinha. Alguma semelhança com o retrato do país não é “mera coincidência”.

Nascimento
Reply to  Vinicius Momesso
1 mês atrás

O setor de serviços é o que mais emprega e gera impostos. Se não fosse por nós vocês da indústria provavelmente não teriam subsídio nenhum dado pelo BNDS para manter suas indústrias ineficientes e inúteis. O agro ao menos concorre ao redor do globo, nossa indústria exporta pra quem e pra onde? E só vendem pra nós pois o povo nunca teve escolha de comprar de fora. O que diabos o predomínio do setor de serviços tem haver com IDH? Austrália, Nova Zelandia e Chile tem maior parte do PIB advindo do setor de serviços e do setor primário, eles… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Nascimento
Tomcat4,2
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Que bom que agora vemos um ministro da infraestrutura ralando e melhorando aeroportos, portos e estradas(algumas a mais de 30 anos esperando asfalto) e lançando o programa de expansão/ampliação das ferrovias , interligando este que é o maior e melhor dos modais terrestres o qual foi boicotado por tantas décadas no Brasil.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Vinicius Momesso
1 mês atrás

Desconheço alguém que invista para dar prejuízo.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Zeus
1 mês atrás

Prezado Zeus.

E já foi postado aqui a revolução que se aproxima sobre a produção de ‘carne artificial’.
Só esse ano foram investidos cerca de US$ 2,7 bilhões em pesquisa e desenvolvimento nessa área.

noticias.yahoo.com/carne-de-laboratorio-ja-recebe-mais-de-r-27-bilhoes-em-investimento-143955327.html

Não será difícil imaginar que, quando lançado esse produto, as exportações de carne do Brasil, bem como soja para ração animal devem despencar.

Mas, tecnologia se aplica até na produção de alimentos e o Brasil vai ficar para trás nesse setor também.

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

De novo essa papagaiada de carne de laboratório? E mesmo que isso, num futuro distante, substitua os rebanhos tradicionais, vão fazer arroz, milho, feijão, trigo, legumes, leite e derivados, etc, etc, tudo em laboratório também? O Brasil tem problemas na concentração de renda gerada pela indústria agropecuária……os produtores ganham muito e investem pouco desse ganho em suas comunidades….mas, por outro lado , o agro é uma expertise brasileira….uma capacidade que envolve muita tecnologia. Não é motivo de vergonha o Brasil ser bom nisso. Deveríamos investir no beneficiamento e transformação dessas materias-primas para aumentar o valor agregado, mas a produção e… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Sempre mal informado, né?

exame.com/inovacao/startup-promete-leite-produzido-em-laboratorio-identico-ao-verdadeiro/

O primeiro produto, que será uma espécie de queijo, será lançado na Califórnia já em 2024.

Agora, com relação a batata, arroz e etc, devo lembrar que a China a maior produtora mundial de alimentos, com cerca de 500 milhões de toneladas produzidas.

embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1083564/china-nova-potencia-tambem-no-agronegocio

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Que mané mal informado, o que……o dia que esse leite e essa carne estiverem em produção industrial massiva e ao alcance da população, principalmente aqueles de baixa renda, nós conversamos…..
Quanto aos outros alimentos, o que interessa que a China produza essa quantidade de produtos agrícolas??? Por acaso são o único país do mundo para quem se pode vender?? Ora…..pega esses 500 milhões de toneladas e enfia no r@bo do xi……

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Vc está preocupado é porque essa roça que vc vive aí vai pro espaço, né?

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Hehehehehehe…tu acha que me ofende??? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk….e escrevendo isso, tu mostra que acusou o golpe…mostra também que não sabe nada sobre a minha cidade……..mas, o dia que tu for comer uma simples porção de arroz, pede para um laboratório produzir pra ti…..huehuehuehue….patético!!
Tu tem que melhorar muito ainda, xings!!!! Tá muito fraquinho…..

Carlos
Carlos
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Concordo contigo Flanker, mas pode apostar que nações que investem em educação/tecnologia já almejam menos dependência de países exportadores de comida. Lógico que há muito a se fazer.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Gosto muito quando o assunto discutido/contestado aqui é assunto de manchete, ao mesmo tempo, em outros jornais.

Valor Econômico – 17/10/21

valor.globo.com/agronegocios/noticia/2021/10/17/cientistas-japoneses-desenvolvem-carne-wagyu-em-laboratorio.ghtml

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Pode ser manchete até no Diário de Marte…..mas, digo de novo……o dia que produzirem em escala industrial e com preço acessível às populações de todas as classes, nós conversamos…..em laboratório, se produz praticamente qualquer coisa…..

Last edited 1 mês atrás by Flanker
Renato B.
Renato B.
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Se o Brasil esperar estar em escala industrial para se mexer vai continuar sendo rebocado pelo resto do mundo.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Renato B.
1 mês atrás

Prezado Renato B.

Por incrível que pareça, a BRF anunciou que venderá esse produto no Brasil até 2024.

oglobo.globo.com/economia/dona-de-sadia-perdigao-vai-produzir-bife-de-laboratorio-no-brasil-em-parceria-com-foodtech-israelense-24908128

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Podem produzir ate um boi sintético inteiro em uma impressora 3D, se quiserem….mas, tu só come proteina?
Que papagaiada…..mas, vindo de ti, só se espera isso mesmo…..

Last edited 1 mês atrás by Flanker
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Vc é difícil de entender, hein?!?!?
Os principais produtos de exportação agropecuários brasileiros para a China são carnes e soja, essa basicamente para ração animal.
Querendo vc e seu amigos pecuaristas ou não, a China é o maior produtor de alimentos do Mundo.

g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2021/06/01/brasil-e-o-4o-maior-produtor-de-graos-atras-da-china-eua-e-india-diz-estudo.ghtml

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

E vc é mais doutrinado do que um norte-corenano padrão!! Barbaridade!! A china vai produzir carne de laboratório para as 1,5 bi de bocas?? A china é o único país do mundo para o qual o Brasil pode vender??? Pra ti, o único país que existe, no mundo todo, é china, china, china……coisa mais patética!!! A china e o maior produtor mundial de alimentos? Que novidade!!! Kkkkkkkkkkkkkk….mas, o que esperar de um país com a maior população do mundo?? Eles precisam ser o maior produtor de alimentos!!! Ah…não tenho nenhum amigo pecuarista e nem produtor rural……mas, como churrasco todos os… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Renato B.
1 mês atrás

Em nengum momento Eu falei que não se deve investir nessa tecnologia. Mas, o que o xings fala como se essa tecnologia já fosse comum.
Tu é um cara que pensa muito diferente de mim, mas com quem se pode debater numa boa….já o kings acha que é dona da verdade, da razão da palavra e tudo mais.. ..

Tomcat4,2
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Exatamente, nosso agro é absurdamente tecnológico e se moderniza ano após ano, basta ver os lançamentos de novas máquinas para atender as demandas do setor a cada expoAgro.

Faver
Faver
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Não desdenhe do Ak Flanker. Este tema é relevante para o futuro do Brasil. Vi um pessoal da StartSE apresentando dados sobre a produção de alimentos e carne que vai ser muito afetada. Imagine uma empresa produzindo sua própria carne a partir da cultura de células? Não precisa pagar por manejo, sanidade, ambiente, logística, tratar com variabilidade genética do campo, rastreabilidade… Qualquer empresa deseja isto para reduzir os custos. Os produtores vão reduzir muito em 20 anos. Amigos meus produtores não acreditam, mas os seus filhos e netos vão ser impactados neste setor. Penso que até a produção de comodities… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Faver
1 mês atrás

Tu disse tudo….daqui a 20….30 anos……e eu acho que o Brasil deve investir nisso….mas, o xings se considera o dono da verdade……

Zeus
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Exatamente.
Como é tradição, em todas as áreas o Brasil está sempre meio século atrás, lutando para implantar coisas que o 1º mundo já está a abandonar.
O Brasil é o país do passado!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Zeus
1 mês atrás

Como disse a impoluta ‘Ministra’ Damares.
‘A religião deixou durante muito tempo a ciência nas mãos dos …..cientistas’.
Acredite.
Chegamos a esse ponto.
Como querer desenvolver algo assim?

Tomcat4,2
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Na matéria do G1 não contém estas palavras da forma que vc formou a frase não viu meu caro, tirou de contexto e deturpou uma fala. que feio kings.
“A igreja evangélica perdeu espaço na história. Nós perdemos o espaço na ciência quando nós deixamos a teoria da evolução entrar nas escolas, quando nós não questionamos. Quando nós não fomos ocupar a ciência. A igreja evangélica deixou a ciência para lá e ‘vamos deixar a ciência sozinha, caminhando sozinha’. E aí cientistas tomaram conta dessa área”, diz a ministra no vídeo.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

E daí? Você acha que ela estava falando sobre desenvolvimento da ciência ou desejo por controle para garantir que cientistas não façam perguntas “desagradáveis”. Quem caminha sob cabresto é gado.

Tomcat4,2
Reply to  Renato B.
1 mês atrás

Bacana ver a educação desprendida em um debate por parte de quem discorda(no caso até concordou comigo né) de algo. Rotular os outros é feio cara, faz isso não e pior é apoiar o uso de artifício duvidoso e antiético para se obter um fim , no caso tirar de contexto e colocar palavras em uma fala de X ou Y pessoa para lacrar , que feio.rs

Renato B.
Renato B.
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

O que ela quer é colocar a ciência sob cabresto e sua “contextualização” só reforçou isso. Entre ad hominem e mostrar como um argumento é ruim existe uma boa distância.

Nilson
Nilson
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Ué, Tom, o que ela disse é o que o Kings disse que ela disse, ele só resumiu. Mas a síntese é a mesma, pretensão indevida da religião interferir na ciência…Imagine, verbalizar que a teoria da evolução devesse ser questionada e não ensinada nas escolas…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nilson
1 mês atrás

Síntese perfeita.

Wellington Kramer
Wellington Kramer
Reply to  Nilson
1 mês atrás

Só um brasileiro acha que a teoria da evolução não pode ser questionada. No mundo todo se questiona!

Nilson
Nilson
Reply to  Wellington Kramer
1 mês atrás

Prezado, a teoria da evolução pode ser questionada, assim como qualquer outra teoria científica. O problema é querer questioná-la com base em argumentos religiosos, que se fundam na fé e não em argumentos científicos. Religião é religião, ciência é ciência. E por ora a melhor teoria científica que temos sobre o tema é a da evolução, então é a que deve ser ensinada nas escolas, com as devidas ressalvas das críticas que recebe, assim como qualquer outra teoria.

Manuel Souza
Manuel Souza
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Vc só piorou. UAHAUHAUHAUAHUAHAU. Meu Deus. Que desgoverno! Uma mulher como essa e é ministra.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Zeus
1 mês atrás

Segue interessante tabela sobre o rebanho bovino no Mundo entre 2010 e 2020.
Perceba que quase todos os países incluindo EUA, Canadá e Austrália e até a Índia tiverem redução no rebanho.
No Brasil, ao contrário, o rebanho disparou.
A dependência do agronegócio aumentou muito nos últimos anos.
E certamente com efeitos danosos sobre a economia (concentração em produtos primários), política (vide Bancada do boi), ecologia (desmatamento desenfreado) e etc.
comment image

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Aqui, o rebanho disparou mais ainda com o número de bovinos seguidores cegos dos dois contendores dos extremos políticos do país……kkkkkkkkkkkkk

Last edited 1 mês atrás by Flanker
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Principalmente depois de 2018.
Aliás, o que tem de ex-bois por aí não é brincadeira.
Alguns apenas disfarçando, pois vão mugir em frente da urna novamente.
Não me enganam.

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Olha…eu votei no atual presidente apenas para evitar a volta dos de antes…..no primeiro turno do ano que vem não vou votar nele nem a pau…mas, se ele for para O segundo turno com o líder do teu rebanho, para o qual tu muge, eu voto nele de novo….eu voto até no macaco simão ou no jumento celestino…mas, no teu ídolo, não voto nem morto…..

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Papo furado.
Vc só está esperando a motociata passar pela sua cidade para pular na garupa de uma moto.
Conhecemos bem gente como vc.

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Que conhece, o que!!! Tu não sabe nem onde fica o teu r@bo!! Se Deus quiser, uma terceira via vai botar a correr esses 2 líderes de rebanho……e quem seriam o “conhecemos”? Tu e teus colegas de rebanho? Kkkkkkkkkkkk

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Pessoal do ‘relho’.
Tipo de gente já manjada na rede.
Vai pitar cuia de chimarrão e deixa o resto para quem entende do assunto.

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Uiii…ficou brabinha??? Que pessoal do relho?? Quem são vcs?? Quem são aqueles que tu citou para escrever “conhecemos”???? Ora, tome vergonha nessa cara, sujeitinho!!! O dia em que um amontoado de bost@ como tu disser o que eu faço ou deixo de fazer, eu mudo de nome!! Vê se te enxerga!!!
E “pitar cuia de chimarrão”…..O que é isso??? A gente fuma chimarrão, por acaso?? Cara, vai dormir …..tu só sabe copiar e colar…..e nem isso faz direito…..hehehehehehe

Tomcat4,2
Reply to  Flanker
1 mês atrás

E isso é uma triste realidade caro Flanker !!!

Miguel Brandão
Miguel Brandão
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

A tabela realmente é interessante. Mas o rebanho da Índia segue ao longo do tempo em baixa variabilidade. Considerando que lá o abate é mínimo devido a religião e criam para leite, acho que o rebanho não vai aumentar muito. O que me impressionou foi que, somente há um único país africano no rol (Egito). Concordo que somos um grande “Fazendão”, mas com tanta área agriculturável e de pastagens, o que fazer? Reflorestar tudo? Se o mundo não quiser mais carne de boi criado em pasto, restará o mercado interno.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Miguel Brandão
1 mês atrás

Vc tem razão.
A Índia não teria como considerar produção para comércio..

Flanker
Flanker
Reply to  Miguel Brandão
1 mês atrás

https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://investexportbrasil.dpr.gov.br/arquivos/PesquisasMercado/PMRIndiaCarnes2017.pdf&ved=2ahUKEwi6jNbtwdnzAhVYqpUCHY2PBegQFnoECDYQAQ&usg=AOvVaw1E6VEAJOsdhnJ1WOSkv9Yc

Esse artigo é de 2017, mas deve ajudar à ilustrar. Se vc considerar apenas o rebanho de gado bovino, a produção é proporcionalmente pequena, mas já a produção de carne de gado bubalino, para exportação, é gigantesca. O mercado dos EUA considera a carne bubalina como se também bovina fosse.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Abate de bovinos de 2010 a 2020.
comment image

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Produção de carnes.
comment image

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Consumo doméstico. (em 1.000 toneladas)

EUA – 12.389
Brasil – 7.850
Índia – 2.750
comment image

Vai pesquisando que vc está melhorando.
Em tempo.
Estamos falando de carne bovina.
Ok?

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

É obvio que os indianos nao comem quase nada de carne, seja do animal que for. . A grande maioria da população é vegetariana. Mas, eles exportam muita carne e, carne bovina, para comércio exterior, engloba carne de búfalo….se tu não sabe isso, não pode fazer nada. E tu tá falando em carne de gado bovino (vaca e boi)…..ok. O que isso muda o fato do rebanho de gado (bovino/bubalino,) ser gigantesco e o bubalino estar aumentando? E não discute comigo….discute com quem fez o estudo que eu coloquei. E eu tô me lixando para o que tu acha do… Read more »

horatio nelson
horatio nelson
1 mês atrás

e as farc ?

Mangano
Mangano
1 mês atrás

Acho que já é passada a hora de desmistificar essa questão da industrialização… Países como Chile e principalmente Austrália são totalmente dependentes da exportação de commodities e estão em situação consideravelmente melhor nos índices de desenvolvimento…. Não estou defendendo que o Brasil seja exclusivamente exportador de commodities, mesmo porque se há insumo disponível e alguma estrutura industrial (mesmo que ociosa e desatualizada) seria besteira não aproveitar para desenvolver as indústrias em áreas específicas. A grande questão é que é caro produzir no Brasil…. O custo é muito alto seja por ineficiência logística ou pelos custos trabalhistas…. Acho que a participação… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Mangano
1 mês atrás

Chile – 19 milhões de habitantes.
Austrália – 25 milhões
Brasil – 212 milhões.

Não há como sustentar um País com mais de 200 milhões de habitantes apenas com exportação de insumos básicos.

Mangano
Mangano
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Aparentemente é o que já está ocorrendo não?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Mangano
1 mês atrás

Depende do ponto de vista.
O Brasil não está conseguindo sustentar sua população só com agronegócio, visto que a miséria e a fome estão disparando.

FSP – 17/10/2021

folha.uol.com.br/mercado/2021/10/total-de-favelas-dobra-no-brasil-em-dez-anos-e-20-milhoes-estao-passando-fome.shtml

Nascimento
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

A União Soviética também não conseguia nos anos 90 mesmo tendo indústria…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

A União Soviética tinha uma gigantesca base industrial, principalmente de indústria pesada.
Só que não era voltada para bens de consumo e sim para atividades militares que não traziam muitos benefícios para a população.
Paralelo a isso, a URSS nunca teve mercado no exterior para colocar eventuais produtos de consumo, mercado esse que sempre esteve à disposição dos países ocidentais.
Só que agora, a situação se alterou com a China avançando no mercado internacional, sendo o maior parceiro comercial da maioria dos países e ‘roubando’ o mercado antes cativo do Ocidente.
Fato já publicado aqui

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Tinha mercado para os seus produtos mas normalmente eram mercados fechados. Cuba e outros países semelhantes. E os mercados da URSS que eram algumas centenas de milhões.
Um dos problemas era a falta de concorrência/corrupção que levou à estagnação e declínio tecnológico.

João Vitor
João Vitor
Reply to  Mangano
1 mês atrás

Tá sustentando? Com 20 milhões passando fome?

Nascimento
Reply to  João Vitor
1 mês atrás

E a indústria, sustentou na URSS dos anos 90?

João Vitor
João Vitor
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Puts…URSS e Brasil, modelos econômicos nada diferentes né meu caro?

Nascimento
Reply to  João Vitor
1 mês atrás

O Brasil de JK e Getúlio sofreu carestia e altíssima inflação de preços nos supermercados nos anos 50 após a industrialização. Até a Índia é mais industrializada do que nós.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Mangano
1 mês atrás

Considere o fato de termos voltado para o mapa da fome e vai ver que não estamos sustentando não.

Tomcat4,2
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Interessante que é justamente o que tem ocorrido e bem mais perceptível nestes tempos de pandemia e da politicagem sabotadora do “fica em casa que a economia a gente vê depois”. Não fosse o agro e afins estaríamos f#didos.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
1 mês atrás

Só li bobagem neste artigo. Indústria é coisa do século XVIII, cadê a poderosa indústria australiana? E a Neozelandesa? Não existe, o que manda lá é o setor de serviços e exportação de matérias primas. E os australianos e neozelandeses tem riqueza e qualidade de vida superior até que muitos países europeus. Então o Brasil não tem que entrar em paranóia de indústria, temos que fazer reformas importantes para que o povo tenha mais liberdade de empreender e alocar seu capital em projetos rentáveis, não em vôos de galinha patrocinados pelo governo. Se eu largasse este buraco aqui teria 3… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Inimigo do Estado
Marcos10
Marcos10
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Só esqueceu que temos uma população de mais de 200 milhões.

Nascimento
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Você realmente não sabe nada do que fala, acha mesmo que quantidade de população é fator importante para indústrias? Então por que a Holanda é mais industrializada do que nós? O setor de serviços emprega muito mais do que a indústria, o correto seria haver maior incentivo pra esse setor, sob argumento do tamanho da população. Ao redor do mundo, as nações industrializadas terceirizaram sua base manufatureira de duas maneiras: ou transferiram suas indústrias pesadas para países estrangeiros extremamente pobres ou adotaram programas computacionais que não reclamam de fazer trabalho pesado (e o fazem com extrema eficiência). Os trabalhos passaram a… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Nascimento
GFC_RJ
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Não vou negar nada do que está escrito sobre a transição tecnológica na indústria. Basicamente é isso… Só tem duas questões que jogo no ar… 1 – Os bens de capital, conforme você mesmo disse, estão cada vez mais desenvolvidos e aumentando a produtividade da indústria, ao mesmo tempo que diminui a intensidade de mão-de-obra. Ok. Mas os bens de capitais também são produtos industriais e não surgem por máquinas, mas pelo projeto e desenvolvimento de engenheiros. Portanto, a indústria ainda está lá e ainda demanda mão-de-obra, inclusive, como historicamente aconteceu ao longo da história, mão-de-obra mais bem remunerada e… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Mas não é só número de pessoas que trabalham no setor, é também o mercado interno, pessoas a comprarem esses produtos. A escala de uma indústria para o mercado interno Australiano é muito menor para uma Brasileira.
E sem falar na questão geográfica, densidade populacional, etc…

Nascimento
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

O argumento do mercado interno já foi refutado acima.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Mas não é a mesma coisa ter um PIB de 1500 numa população de 25 no caso da Austrália e um PIB de 1300 a dividir por 210 no Brasil.

Nascimento
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Então pronto, não temos mercado interno suficiente na prática. Não interpretou o comentário do GFC_RJ? Abre aspas: ” Está vivendo ainda dos clichês do século XX e isso eu acho que é o que mais atrapalha um debate minimamente empírico sobre política industrial. Não temos um grande mercado interno. Isso é uma falácia. Outro clichê que dizem por aí: “Somos um país rico, mas desigual”… NÃO! Somos um país de renda média para baixo E somos desiguais. Isto é, o pior dos mundos. Nossa RPC está lá pra 80o do mundo e ainda tem a questão da desigualdade. Portanto, que… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Não é essa a minha interpretação. A questão é comparar países que são muito diferentes. Mas fica mais fácil para a Austrália crescer quando tem um PIB PC, uma real distribuição de riqueza, muito maior do que o Brasileiro. Mas ter um grande mercado interno pode ser uma vantagem para o crescimento das empresas e assim ter uma base que permita a sua exportação e competir com as grandes empresas mundiais. A questão é que nem sempre estão preparadas para competir num mercado regional ou mundial e isto pode acontecer por diversos fatores. Ter um mercado fechado/protegido não incentiva a… Read more »

Nascimento
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Você interpreta os fatos como quiser, não tenho poder sobre ti. Austrália sobrevive primordialmente do setor de serviços do setor primário, ninguém aqui está dizendo que não tem de existir indústria no Brasil, pode até existir, mas ela tem que ser lógica e racional. Tentar manipular o câmbio e proibir brasileiros de comprar produtos estrangeiros e de maior qualidade com o intuito de exibir estatísticas positivas para a balança comercial servirá apenas para inflar as contas bancárias dos barões da FIESP. Não podemos ser obrigados—por causa da incompetência do governo—a comprar porcarias fabricadas em solo nacional em detrimento de produtos de… Read more »

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Concordo com cada palavra escrita aqui. Apertar parafuso hoje é insanidade.

Welington S.
Welington S.
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Lapada.

Nascimento
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Amigo, não percebeu que este artigo provavelmente foi financiado pelos lobbistas da FIESP? Austrália, Chile, Nova Zelandia riem da nossa cara, Qatar, Kuwait, EAU e Bahrein então, nem se fala… Ainda estamos com uma mentalidade do século passado. Getúlio e JK colocaram diversas indústrias aqui e continuamos sendo um shithoole, a Índia é mais industrializada que a Austrália e é uma vergonha em termos de IDH. Demos incentivos fiscais artificiais, os incentivos acabaram e as indústrias estão saindo, nada mais lógico, se o Brasil quer indústrias que crie um ambiente de negócios propenso pra isso, não existe mágica.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Nascimento
1 mês atrás

Provavelmente estão atrás de mais subsídios do governo com esta paranoia de industrialização.

Nascimento
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Aqueles incompetentes tentaram isso umas 4 vezes, Getúlio, JK, Geisel e com o PAC do governo Lula-Dilma, até agora não conseguiram, quem sabe na 18º tentativa consigam algo! Rs

Caio
Caio
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Paranóia de industrialização??? Sério isso??? Não entendeu nosso da indústria no desenvolvimento tecnológico? Os tigres asiático e até o próprio Brasil deixaram a roça graça a indústria. Pelo amor de Deus.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Eu sempre achei rídiculo ver esses industriais que mamam subsídio reclamando de Bolsa Família e política de cotas.

A6MZero
A6MZero
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Essa tese de que a Austrália não tem indústria é uma das grandes enganos alardeados por ai, a Austrália é o 21º maior exportador e tem a 23º maior parque industrial do mundo números bem equilibrados. E sim apesar de investir pesadamente em exportação de minérios de alto valor muito do minero vendido pela Austrália é processada lá em vez da simples exportação de minério bruto, o que agrega valor, um exemplo é a Bauxita que precisa de um pesado parque industrial e energético para ser transformada em alumínio e a Austrália é o 6º maior produtor do mundo. E… Read more »

Nascimento
Reply to  A6MZero
1 mês atrás

E o Brasil é o 10º maior parque industrial do mundo e a Índia o 9º, gênio. O investimento em PeD é direcionado ao setor de serviços e ao primário, não ao industrial. Nós só temos algo similar como a EMBRAPA aqui, a diferença é que temos um agronegócio capaz de concorrer com os estrangeiros, nossa indústria nunca foi capaz disso. E muitas industrias manufatureiras australianas foram para a China, só restaram as de elevado nível de automação. Amigo a Austrália nunca se ”industrializou” pesadamente como o Brasil, China e EUA, a única indústria que tiveram foi a manufatureira, igual… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Nascimento
Nascimento
Reply to  A6MZero
1 mês atrás

Se for assim até o Senegal tem indústria e nem por isso é desenvolvido. Acho que ele quis dizer que não é um país industrializado, e de fato não é e nem nunca foi.

João Vitor
João Vitor
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Meu Deus, desculpa meu amigo mas isso que vc escreveu foi uma das coisas mais burras que li nesse ano, “paranóia de industria” foi espetacular, parabéns. Pelo que entendi do meu esforço hercúleo de ler o que vc escreveu, sua idéia é o povo se sustentar com MEI, seria isso? Uber? Foodtruck? Bolo de pote? Porque essa já é a realidade, é o que sobra do desemprego meu filho.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  João Vitor
1 mês atrás

Olhe para a composição do PIB australiano e veja se tem algum Uber e confeiteiro lá.

GFC_RJ
1 mês atrás

Esse papo eu já ouço há mais de 20 anos. Desde muito tempo se bate na cabeça desse modelo de política industrial esgotado há mais de 50 anos. “Industria emergente”, “Substituição de importações”… Meu Deus!!! Quanta coisa mofada! E dale murro em ponta de faca. A industria brasileira cresceu lá atrás com mercado fechado, crédito subsidiado, incentivos fiscais… Bem, com certeza alguém pagou por isso tudo… O mercado usual era sempre o interno. Se desse tempo, sobrasse uma coisinha aqui e outra ali, se exportava alguma coisa… De preferência com média/baixa tecnologia e para países muito atrasados. Bem… Os asiáticos… Read more »

GFC_RJ
1 mês atrás

Continuando… Qual nossa maior exportadora industrial? Embraer?  Pois é… Qual é o grande mercado dela? É o interno, o brasileiro? Acho que não… O grande mercado dela é o EUA. A Embraer é a Embraer porque vende para os americanos. Da mesma forma que a WEG… a Taurus! Se a Embraer tivesse “cláusula de conteúdo nacional”, ela já teria quebrado lá nos anos 90… Não teria E-Jets, nem aviação executiva, nem KC-390. Os motores são GE, P&W, RR… O que for mais adequado ao projeto. Os aviônicos normalmente são da Collins… Ela pega o que tem de melhor do mundo… Read more »

GFC_RJ
1 mês atrás

Mas o que fazer para ter industria competitiva??? 1 – Mudar a visão de mercado, buscando o mercado mundial e não somente o interno. Se ficar com foco no interno ou morre, ou vai depender de benesses do governo. A segunda está sempre ganhando, afinal, é mais fácil. 2 – EDUCAÇÃO!!! A Educação no Brasil é HORROROSA! E não só na pública, a privada também, no geral, é ruim. E não tem “eu acho”, é só ver as notas do PISA em TODOS os níveis (Básica, média…) e disciplinas. Outro dia vi um rapaz da Kryptus com mais de 25… Read more »

PauloR
PauloR
1 mês atrás

A solução é um estado forte para fortalecer e proteger a industria do país. Mas enquanto a direita continuar dando ao agronegócio todo o montante de investimento do país, a industria continuará a mingua

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  PauloR
1 mês atrás

Olha direito o gráfico para ver em qual governo a indústria mais perdeu participação!

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  PauloR
1 mês atrás

Já fizemos isto, varias vezes, e não funcionou!

sub urbano
sub urbano
1 mês atrás

Bolsonaro fez um acordo para dimiuir as exportaçoes de etanol para os EUA e aumentar as exportaçoes de milho. O objetivo foi claramente aumentar as importaçoes do etanol americano.

Guacamole
Guacamole
1 mês atrás

Esperar do que de um país que toma bomba no PISA todos os anos por pelo menos 10 anos seguidos? Dos quais os alunos saem do primeiro grau sem saber o que é raiz quadrada, e do segundo grau sem saber interpretação de texto? Esses vão ser nossos pesquisadores no futuro? Sejam sinceros. Alguém aqui realmente confiaria em um avião ou carro projetado por uma geração dessa? E até mesmo na parte cultural. O próprio Mourão disse uma vez que o “Destino Manifesto” do Brasil é ser o celeiro do mundo. Poxa, se um cara que em teoria deveria ter… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

Comprar terra… Legal. É um excelente investimento. O melhor, na minha opinião. Mas lembre-se: quem produz o trator? Quem vende? E os implementos? O caminhão? A colheitadeira? Quem mantém isso? Quem constrói os galpões? De onde são os empregados que tocam o teu negócio? Onde eles compram moto, carro, comida, roupas, serviços? Onde eles pegam empréstimos? Ondem quem quer montar negócio pra vender pros teus empregados pega empréstimo pra abrir mercadinho? Quem constrói? O pedreiro que gasta a grana com umas cachaças no bar local? Se tu quer produzir: Quem constrói o frigorífico? Quem constrói o engenho, os silos, a… Read more »

Guacamole
Guacamole
Reply to  Bardini
1 mês atrás

A sua pergunta acima quem produz o caminhão, a colheitadeira, etc, a resposta é clara como cristal: qualquer um menos o Brasil.

Caterpillar, Still, Volvo, a lista não para.

Tomcat4,2
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Rapaz, nessa vc mitou, excelente comentário Bardini !!!

Teropode
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

O Morão disse uma verdade , besteira diz quem fala o contrário , vejo todos os dias a multiplicação de idiotas e se depender da redução pluviométrica o Brasil em 30 anos terá que importar 40% da energia que consumirá , este ano só não entramos em colapso por causa da crescente redução de fábricas …..

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Teropode
1 mês atrás

E ainda vêm uns palermas falar em energia eólica e solar. Ora se o clima está mudando, por quê depender de fontes altamente dependentes do clima? Energia do futuro é e continua sendo a nuclear, fusão ou fissão.

Adler
Adler
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

De quem,chinês, japonês, americano esquece a maioria das grandes terras produtivas estão nas mãos de estrangeiros.

Pedro Fullback
Pedro Fullback
1 mês atrás

Precisamos tocar no ponto que ninguém toca! Temos três problemas graves: Primeiro problema: O excesso do Estado burocrático atrapalha a economia! Estamos na posição 153 no índice de liberdade econômica, sabe quem fica em 154? O Afeganistão… Olha o nosso nível de liberdade econômica que temos. Não estou pregando o fim do Estado, mas é fato que o Estado precisa ser mínimo e necessário em setores chave, mas, não gigantesco. Segundo problema: Educação do nosso país é pífia! Somos sempre os últimos no ranking do PISA. Investimos bilhões na educação e não estamos vendo resultados. Método Paulo Freire é um… Read more »

Bardini
Bardini
1 mês atrás

Primeiro de tudo: não existe problema NENHUM em ser bom naquilo que é vocação natural. Problema existiria em não ser… E existe muita tecnologia envolvida na produção de “matérias-prima”, principalmente no agro. Isso é o que sustenta o Brasil de pé, gerando retorno financeiro, pesquisas relevantes e milhões de empregos. E é justamente isso que sustenta boa parte da indústria local. . Um fator que impacta no gráfico da matéria, além da questão óbvia da China, é a própria expansão da participação das “matérias-primas” no PIB. Se tu produz mais em um outro setor, tu reduz a participação da indústria.… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Os EUA têm mais indústria que a China. A diferença está na produtividade que é muito maior nos EUA e tem como consequência um menor número de trabalhadores.
É o que se discute há décadas, a substituição de trabalhadores por máquinas.

Até se pode ter uma economia baseada no agro negócio mas mais importante é ter uma economia diversificada. E tem várias questões negativas como diz o artigo e o inverso daquilo que refere. O valor associado é muito reduzido.

Bardini
Bardini
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Os EUA também foram desindustrializados, junto com outros países desenvolvidos. Isso tu encontra em trocentos estudos, que remontam desde a década de 70 e o surgimento dos “tigres asiáticos”. Não é caso isolado ou uma jabuticaba. . Produzir “matéria-prima” não é um problema. É isso aí o que consolida a base econômica do Brasil. Sem essa base, não tem como ter o resto. Não adianta querer tapar o Sol com uma peneira gigantesca e querer negar, como se isso fosse motivo de vergonha. Agora, como aproveitamos isso? Como vamos ter uma indústria de alto valor agregado, que entregue um produto… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Desindustrializados pode ter várias interpretações. Mas a produtividade nos EUA é muito maior do que na China.
Não encontro os números mas penso que em termos absolutos o valor monetário não é muito diferente da China apesar desta ter uma maior quota de produção.

Goriloide Nero
Goriloide Nero
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Meu caro, a produtividade americana no setor de manufatura chega a ser 2.7x com relação a da China segundos os dados do Worldbank, ou seja, não é necessariamente muito maior, ainda mais quando se considera que a produtividade americana ante a da China em 2010 era 5.4x maior. https://data.worldbank.org/indicator/NV.IND.MANF.CD?most_recent_value_desc=true&locations=CN-US https://data.worldbank.org/indicator/NV.IND.MANF.ZS?locations=CN-US&most_recent_value_desc=true Vale ser constatado que o valor bruto da manufatura chinesa cresceu 2x em uma década, tendo superado o americano em 2009. Em proporção, os EUA se desindustrializaram significativamente, por conta principalmente da migração da indústria para países mais densos ou baratos. Ocorreu uma primeira onda durante a década de 60-70,… Read more »

Tomcat4,2
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Foi na mosca, mudar legislação de vários setores, principalmente político e de impostos, jurídico tbm e investir na educação que é a base de tudo e começar desde o maternal, o pré primário , é com educação de qualidade que se constrói uma grande nação em todos os sentidos.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Você estava indo bem, até chegar em “trabalho análogo a escravidão”. Será que os suíços são escravos também? Eles trabalham 52 horas semanais.

Bardini
Bardini
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Até onde eu sei, a Suíça tem uma das menores jornadas de trabalho…

Zé Butina
Zé Butina
1 mês atrás

Mas a este país continental chamado terra Brasilis foi definido, planejado e determinado que teria como destino manifesto nada mais do que somente ser apenas um grande exportador de produtos primários, e só. E esse destino foi definido já lá na época do descobrimento. Só isso! Nos governos do PT o Brasil rápidamente se transformou e começou uma rápida industrialização. Mas isso significava que os eua e alguns países europeus teriam que enfrentar um grande competidor no digamos….ocidente ( Eua/Europa não consideram os brasileiros como ocidentais). Daí em 2016, naquele fatídico e triste dia daquela maledita e criminosa “votação” realizada… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Zé Butina
1 mês atrás

Lendo esse comentário, fica claro que se trata de um pirralho que nunca trabalhou na tal da “indústria”. Até parece que aquela aberração não foi CHUTADA pra fora por ser uma completa incompetente… . Desde 2008, o Brasil vinha cambaleado forte, e a coisa só agravou. Em 2012, eu presenciei o maior “facão” que já vi na vida, até em empresa que era competitiva. Em 2014, eu vi mais gente indo pra rua a rodo. Em 2016, a mesma porcaria. Uma década horrível em todo o setor metal-mecânico. Em 2019, eu vejo empresa rodando com carteira cheia e contratando. Aí… Read more »

Chico Tripa
Chico Tripa
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Primeiro: Não sou nenhum Zé ruela como o senhor me julgou. O senhor errou! Segundo: O PT está de volta sim! Terceiro: Aceita que doerá bem menos. E não vou mais perder meu tempo respondendo ao senhor! Ah! E antes que eu esqueça! Aprenda a respeitar o contraditório. Em nenhum momento, no meu comentário eu ofendi alguém pessoalmente, principalmente quem escreve aqui nos comentários. Apenas dei minha opinião como qualquer cidadão opina. Não acusei absolutamente ninguém, não mencionei nem especifiquei exatamente nomes nem pessoas em particular. Portanto não ofendi ninguém em particular. E quanto a fumar maconha, como o senhor… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Chico Tripa
1 mês atrás

Tá voltando? O barbudo? Veremos, meu caro, veremos!!! E antes que pense que estou no outro extremo, já te aviso que não….
Pra terminar, uma dúvida: tu é o Chico Tripa ou o Zé Butina???

Last edited 1 mês atrás by Flanker
Zé butina
Zé butina
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Aceita que doerá menos!