segunda-feira, novembro 28, 2022

Saab RBS 70NG

RESSURREIÇÃO – Ode sobre um Tanque a Queimar: Terras Santas, outubro de 1973

Destaques

Alexandre Galante
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Sou uma voz:
a voz de sangue derramado
clamando desde a terra.

A vida está no sangue
e durante anos a minha vida fluiu nas veias de um jovem.
Minha voz foi ouvida através da voz dele,
e a minha vida era a vida dele.

Então o nosso vulcão entrou em erupção
e durante vários dias de entorpecimento
todas as vozes humanas foram silenciadas
por entre o rugir dos canhões pesados,
o clangor metálico de esteiras de tanques,
os estampidos que fazem tremer os ossos,
como gladiadores com espadas de um milhão de dólares
a se matarem uns aos outros nas alturas do céu.

Depois, repentinamente — repentinamente
veio o zumbido de um lançador de foguetes —
um clarão amarelo sujo —
todo o inferno rugiu.
O clangor das grandes esteiras cessou.
O meu jovem saiu cambaleando e gritando do seu inferno;
o seu corpo contraiu-se bruscamente e caiu pesadamente na areia.

E eu fui jogado por terra —
a santa terra
da Terra Santa.

A batalha continuou.
Os veículos feridos continuavam queimando,
ressecaram-se e esfriaram.
Os “vagões de carne” levaram os corpos embora, enquanto
o frio da noite do deserto
abateu-se sobre colinas e dunas.
E eu, endurecido e escurecido na areia.

E então — e então
Ao voltar o silêncio imemorial
do agora cicatrizado deserto,
ali — ali congelado na terra,
na terra de profeta, sacerdote e rei —
Eu ouvi uma voz —
uma voz das profundezas da terra,
uma voz de uma era imemorial,
uma voz de outro sangue
outrora derramado violentamente na terra.

A voz me contou esta antiga história;
sangue precioso entoou este antigo conto.

“Certo homem tinha dois filhos.
Um era rico e o outro era pobre.
O filho rico não tinha filhos
enquanto que o filho pobre fora abençoado com muitos filhos e muitas filhas.

Com o passar do tempo o pai caiu enfermo.
Ele estava certo de que não viveria mais uma semana
e por isto no sábado ele chamou os filhos para o seu lado
e deu a cada um deles metade da terra da sua herança.
E depois morreu.

Antes do pôr do sol os filhos sepultaram seu pai com respeito
como o costume requer.

Naquela noite o filho rico não conseguiu dormir.
Ele disse para si mesmo:
‘O que o meu pai fez não foi justo.
Eu sou rico, e meu irmão é pobre.
Eu tenho pão suficiente e de sobra,
enquanto que os filhos de meu irmão comem um dia
e confiam que Deus os alimentará no seguinte.
Preciso mudar o marco que nosso pai colocou no meio das terras
de forma que o meu irmão tenha um quinhão maior.
Ah — mas ele não pode me ver.
Se ele me vir, focará envergonhado.
Preciso me levantar de madrugada, antes do sol nascer, e mudar o marco!’

Com isto ele adormeceu
e o seu sono foi seguro e pacífico.

Nesse ínterim, o irmão pobre não conseguiu dormir.
Enquanto estava deitado inquieto na cama, disse para si próprio:
‘O que meu pai fez não foi justo.
Aqui estou eu rodeado de alegria de muitos filhos e muitas filhas,
enquanto que meu irmão diariamente enfrenta vergonha
de não ter filhos que ostentem seu nome
nem filhas para consolá-lo na velhice.
Ele devia possuir a terra dos nossos pais.
Talvez isto em parte lhe compensasse
pela sua indescritível pobreza.
Ah — mas se eu lhe der ele ficará envergonhado.
Preciso levantar-me de madrugada, antes do sol nascer
e mudar o marco que nosso pai colocou!’
Com isto ele adormeceu
e o seu sono foi seguro e pacífico.

No primeiro dia da semana —
bem de madrugada,
muito antes de o dia romper,
os dois irmãos se encontraram no lugar do velho marco.
Caíram em lágrimas nos braços um do outro.
E naquele lugar foi construída a cidade de Jerusalém.”

— Por Kenneth E. Bailey

FONTE: As parábolas de Lucas: a poesia e o camponês – Editora Vida Nova, 1995

- Advertisement -

32 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

32 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Heinz Guderian
Heinz Guderian
11 meses atrás

O blindado da foto me parece um M-60, talvez Israelense, procede?

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Zé Mané
11 meses atrás

De novo essa história kkkk, a esquerda não tem o que falar e inventa mais uma.

leandro
leandro
Reply to  Diego Tarses Cardoso
10 meses atrás

é serio mesmo?prefere fechar os olhos a cobrar o governo que foi posto lá dizendo que seria diferente dos outros?

carcara_br
carcara_br
11 meses atrás

Bem, acho que os irmãos vão precisar conversar novamente.
https://twitter.com/i/status/1474326302731780127

carcara_br
carcara_br
Reply to  carcara_br
11 meses atrás
gordo
gordo
Reply to  carcara_br
11 meses atrás

Tenho para mim que Israel vai ter problemas com coisas bem mais simples, algo como uma duzia de foguetes carregados com material radioativo. Em Goiânia a quantia de césio 137 cabia num dedal e fez o estrago.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  gordo
11 meses atrás

Israel já está tendo problemas mais sérios. Aqui nos States tenho muitos amigos judeus que não querem nem de brincadeira falar em imigrar a Israel e virar israelense. A maioria detestam o regime de lá, e o modo de vida. O Sionismo aqui, o ponto central de suporte de Israel, já perdeu e continua a perder terreno para movimentos como Jewish Voices For Peace e K Street, por exemplo.
Com exceção dos mais dedicados ortodoxos a coisa está mudando, e muito.

Salim
Salim
Reply to  Joao Moita Jr
11 meses atrás

Acho que vc está bem enganado, o fluxo de imigração continua. Se governo fosse problemas EUA esvaziaria, últimas décadas EUA só diminue poder interno e externo pelos governos fracos. O Mundo esta se redesenhando, precoce qualquer exercicio qto a futuro.

Salim
Salim
Reply to  Joao Moita Jr
11 meses atrás

Rapaz, se atualiza, matéria de 2017 contra Netaniahu. Daqui uma semana e 2022. Começo governo trump. Difícil assim ne.

Salim
Salim
Reply to  Salim
11 meses atrás

Não vou nem falar sobre este obscuro meio de mídia que vc colocou como fonte. Só de ler headlines atuais da pra ver que é meio tendenciosa.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Salim
11 meses atrás

Bom, informação tem que se procurar de todas as fontes, e então comparar e constatar o que é de fato realidade. Para entender o Oriente Médio é preciso viver um pouco lá, o que já fiz. Também atravéz da minha vida aqui dos States, e observando esse assunto no concernente a Israel, rodeado de amigos e colegas de origem Hebraica desde 1989, vejo que sim, o ânimo deles no que concerne o experimento Sionista está mais frio que morno. Judeus, muçulmanos, cristãos e seja lá que outra etnia ou religião, tanto lá como aqui, só querem uma boa vida e… Read more »

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Salim
11 meses atrás

Aqui está um artigo mais recente, que talvez te possa fazer entender um pouco mais o assunto da reticência do judeu americano em emigrar a Israel.

The New York Times, 25 de Outubro, 2021…

https://www.nytimes.com/2021/10/25/world/middleeast/israel-jews-palestinians-journey.html

Salim
Salim
Reply to  Joao Moita Jr
10 meses atrás

https://www.cbs.gov.il/en/Pages/search/searchResultsIsraelnFigures.aspx
Tenta este que e oficial e náo uma matéria tendenciosa do NYT. A Midiã dominou a mente de alguns, VC leu o texto….da pra discutir aquilo……
Real , media imigração 30 k ano, 2019 38k 2020 25k com pandemia e tudo mais.o pessoal que migra para Israel procura uma pátria, quem migra EUA procura dinheiro.
Daqui a pouco VC traz matéria da jovem pan, folha…….

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  carcara_br
11 meses atrás

De fato, Israel teria problemas com esses mísseis do Irã.
A questão seria quantos passariam pelas defesas Israelenses.
Outro fator importante, seria o contra-ataque israelense, creio eu que não seria nada “leve”.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Heinz Guderian
11 meses atrás

Alguns pontos: Pelo alvo selecionado nos exercícios se trataria de um contra-ataque iraniano pós ataques a instalações nucleares. Quem estaria na ofensiva é Israel Foi um exercício e utilizaram 16 mísseis contra um único alvo, dá pra especular a quantidade real de mísseis disponível. O irã é capaz de produzir estes mísseis balísticos, um ataque israelense precisaria eliminar toda capacidade iraniana permanentemente. Dado a precisão das ogivas se especula que os iranianos conseguiram deixá-las manobráveis. também é provável que tenham desenvolvido iscas e contramedidas eletrônicas. um ataque a instalações nucleares, daria direito ao Irã de colocar parte da contaminação radioativa… Read more »

Last edited 11 meses atrás by carcara_br
Emmanuel
Emmanuel
Reply to  carcara_br
11 meses atrás

Se o Irã ousar fazer um ataque com material radioativo em Israel no outro dia não haverá Irã.
Israel não pensaria duas vezes em usar suas bombas nucleares se fosse preciso.
E ninguém no Oriente Médio daria um piu sobre isso por medo de retaliação.
Muitos se enganam com a “passividade ” israelense frente aos seus inimigos.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Emmanuel
11 meses atrás

Nenhum comentário a respeito do perigo de se atacar instalações nucleares e gerar contaminação em solo iraniano?
Bem, acho que o cálculo está sendo feito
de maneira diferente, estou achando muito improvável que Israel consiga um ataque fulminante e mais difícil ainda que não receba um contragolpe do mesmo nível.
No último vídeo que eu postei dá pra ver a ogiva reentrando ainda incandescente, claro pode ser edição de vídeo, mas estava rápido pra caramba.

carcara_br
carcara_br
Reply to  carcara_br
11 meses atrás
Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  carcara_br
11 meses atrás

“Nenhum comentário a respeito do perigo de se atacar instalações nucleares e gerar contaminação em solo iraniano?
Bem, acho que o cálculo está sendo feito”..

Claro que não Carcará, seria hediondo somente caso os iranianos atingissem a terra sagrada do povo escolhido por deus e contaminassem a área de Neguev, que corresponde somente a 60% do território de Israel.
comment image

Aí seria considerado quase um novo holocausto !

Agora, destruir as usinas nucleares iranianas seria apenas um ato em defesa da paz e estabilidade.
comment image

Last edited 11 meses atrás by Adriano Madureira
carcara_br
carcara_br
Reply to  Adriano Madureira
11 meses atrás

pois é, nunca vou entender esse pessoal.

carcara_br
carcara_br
Reply to  carcara_br
11 meses atrás

Não tinha visto até hoje o impacto direto destas ogivas, é bem interessante de qualquer forma:
https://twitter.com/i/status/1474826033543233540

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  carcara_br
11 meses atrás

De acordo com as alegações de Netanyahu,o objetivo do projeto iraniano é “desenvolver, produzir e testar cinco ogivas nucleares cada uma com 10 quilotons de TNT para sua integração em um míssil”.

Ele alega que a potência do armamento do Irã é comparável a cinco bombas de Hiroshima.

Sem título.jpgvvv.jpg
carcara_br
carcara_br
Reply to  Adriano Madureira
11 meses atrás

Torce que não tenham a brilhante ideia de atacar, a precisão das ogivas demonstrada nos exercícios é mais que suficiente pra um contra-ataque convencional bem sucedido, se o componente nuclear for colocado em jogo vão acabar se destruindo.

Flanker
Flanker
11 meses atrás

Belo texto!!! Muito bom!!

yqilen
yqilen
11 meses atrás

Somos humanos….. a espécie “evoluida”. Será?

Adriano Madureira
Adriano Madureira
11 meses atrás

Off-Topic: “Israel aprova plano para dobrar número de habitantes nas Colinas de Golã” Israel aprovou um plano neste domingo para dobrar o número de habitantes nos assentamentos judeus nas Colinas de Golã, parte de um projeto de mais de 300 milhões de dólares, 40 anos após a anexação do território sírio. O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, que celebrou a reunião de domingo do gabinete na comunidade de Mevo Hama, em Golã, afirmou que é o momento de reforçar a presença de judeus israelenses no território. “Nosso objetivo é dobrar a população de Golã”, declarou o chefe de Governo de direita… Read more »

Last edited 11 meses atrás by Adriano Madureira
Flanker
Flanker
Reply to  Adriano Madureira
10 meses atrás

Eu fico admirado como um tópico que publicou um texto bonito e reflexivo, descamba para um amontoado de comentários críticos e ácidos, acusando, criticando e adjetivando pejorativamente os israelenses, iranianos e outros. Barbaridade!!!

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Flanker
10 meses atrás

Alguém que se apodera de um território de outro país é oquê Flanker?! Nomes não faltam: Usurpador, conquistador, ladrão, posseiro, invasor… Sei que o texto não era sobre isso, mas como o texto falava sobre a terra santa,postei a notícia off-topic. Mas o problema não é esse : Se os israelenses realmente respeitassem as leis, tal território não deveria nem ser tocado, já que a anexação de 1981 não foi reconhecida internacionalmente, e resoluções do Conselho de Segurança da ONU determinaram que a soberania israelense sobre a área fosse tornada sem efeito legal. Israel não poderia nem criar assentamentos, empreendimentos… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Adriano Madureira
10 meses atrás

E o que nós, brasileiros, temos a ver com o que Israel faz? Não é uma potência econômica em que suas ações influenciem o Brasil. Não é uma potência nuclear com as capacidades de EUA e Rússia. Logo, o que Israel faz, ou deixa de fazer, deixo para que a ONU decida. Mas, para por aqui, pois seus comentários fizeram com que eu tb desviasse do assunto do tópico.

Salim
Salim
Reply to  Adriano Madureira
10 meses atrás

Historia, vários paises tem suas fronteiras fixadas em guerras, No caso das olinas golan , só se Israel fosse bem burro pra deixar poder sírio. E só ver geografia local. O Irã ta na síria. Fazer acordo de paz com que governo???!!!!
Faca analise seria do pto vista israelense, ai VC vê que eles estão certos e honestos com seu povo. JordaniA, Egito e vários outros já fizeram acordo de paz e reconhecem Israel. O povo $irio que tem que criar governo serio para negociar acordo paz e reconhecer Israel. O resto e sem nocao e sem logicA.

Últimas Notícias

Imagens de uma guerra: míssil anticarro erra o alvo por pouco

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um ATGM russo passando sobre um carro de combate ucraniano. A...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -