sábado, junho 25, 2022

Saab RBS 70NG

‘As forças armadas ucranianas já foram derrotadas’, diz veterano da CIA

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

“A escala e o alcance do ataque russo é notável. Eles capturaram em três semanas um território que é maior do que a massa terrestre do Reino Unido”, avaliou Larry C Johnson. “Os russos estão consolidando o controle de Mariupol e asseguraram todos os acessos no Mar Negro”, acrescentou o analista dos EUA

Publicamos a seguir uma entrevista sobre a situação da guerra na Ucrânia com o especialista americano Larry C Johnson, veterano da CIA e do Escritório de Combate ao Terrorismo do Departamento de Estado. A entrevista foi feita pelo repórter australiano Mike Witney e publicada no portal Unz Review, na segunda-feira, 21 de março.

 

Larry Johnson

Larry Johnson, que treinou a comunidade de Operações Especiais das Forças Armadas dos EUA por 24 anos, avalia que as Forças Armadas da Ucrânia já foram abatidas. E a derrota final é só uma questão de tempo. “Nas primeiras 24 horas da operação militar russa na Ucrânia, toda a capacidade de Intercepção de Radar Terrestre Ucraniano foi dizimada”, disse ele.

Mike Witney: Você pode explicar porque acha que a Rússia está vencendo a guerra na Ucrânia?

Larry C. Johnson: Nas primeiras 24 horas da operação militar russa na Ucrânia, toda a capacidades de Intercepção de Radar Terrestre Ucraniano foi dizimada. Sem esses radares, a Força Aérea Ucraniana perdeu a sua capacidade de intercepção ar-ar. Nas três semanas seguintes, a Rússia estabeleceu de fato uma zona de exclusão aérea (No Fly Zone) sobre a Ucrânia. Embora ainda vulnerável a mísseis portáteis terra-ar fornecidos aos ucranianos pelos EUA e pela OTAN, não há provas de que a Rússia tenha precisado reduzir as Operações Aéreas de Combate.

A chegada da Rússia a Kiev no prazo de três dias após o início da operação também chamou a minha atenção. Recordei que os nazis na Operação Barbarossa levaram sete semanas para chegar a Kiev e precisaram mais sete semanas para subjugar a cidade. Os nazis tinham a vantagem de não se incomodarem em evitar vítimas civis e estavam ansiosos por destruir infraestruturas críticas.

“A chegada da Rússia a Kiev no prazo de três dias após o início da operação também chamou a minha atenção”

No entanto, muitos dos chamados peritos militares americanos afirmaram que a Rússia estava atolada.

Quando uma coluna a 39 km (ou 64 km, conforme a fonte de notícias) foi posicionada ao norte de Kiev durante mais de uma semana, ficou claro que a capacidade da Ucrânia para lançar operações militares significativas fora eliminada. Se a sua artilharia estivesse intacta, então aquela coluna seria um alvo fácil para uma destruição maciça. Isso não aconteceu. Por outro lado, se os ucranianos tivessem meios de asa fixa ou rotativa viáveis, deveriam ter destruído aquela coluna a partir do ar.

Isso não aconteceu. Ou, se tivessem uma capacidade viável de mísseis de cruzeiro, teria chovido um inferno sobre a suposta coluna russa estagnada. Isso não aconteceu. Os ucranianos nem sequer montaram uma significativa emboscada de infantaria à coluna com os seus Javelins recém-fornecidos pelos EUA.

A escala e o alcance do ataque russo é notável. Eles capturaram em três semanas um território que é maior do que a massa terrestre do Reino Unido. Em seguida, procederam a ataques direcionados a cidades e instalações militares importantes. Não vimos um único exemplo de um regimento ou unidade com a dimensão de brigada ucraniana atacar e derrotar uma unidade russa comparável. Em vez disso, os russos dividiram o exército ucraniano em fragmentos e cortaram as suas linhas de comunicação. Os russos estão a consolidar o seu controle de Mariupol e asseguraram todas as abordagens no Mar Negro. A Ucrânia está agora cortada no Sul e no Norte.

Gostaria de notar que os EUA tiveram mais dificuldades em capturar este território no Iraque em 2003, enquanto lutavam contra uma força militar muito inferior e menos capaz. Esta operação russa deveria assustar os líderes militares e políticos dos EUA.

“Gostaria de notar que os EUA tiveram mais dificuldades em capturar este território no Iraque em 2003, enquanto lutavam contra uma força militar muito inferior e menos capaz. Esta operação russa deveria assustar os líderes militares e políticos dos EUA”

A grande notícia realmente chegou esta semana com os ataques de mísseis russos contra as bases de fato da OTAN em Yavoriv e Zhytomyr. A OTAN realizou um treino de cibersegurança em Zhytomyr em Setembro de 2018 e descreveu a Ucrânia como um “parceiro da OTAN”. Zhytomyr foi destruída com mísseis hipersônicos no sábado. Yavoriv sofreu um destino semelhante no domingo passado. Era o principal centro de treino e logística que a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e a EUCOM (Comando Europeu dos Estados Unidos) utilizaram para fornecer combatentes e armas à Ucrânia. Um grande número do pessoal militar e civil daquela base sofreu baixas.

Não só a Rússia ataca e destrói bases utilizadas regularmente pela OTAN desde 2015, como também não houve nenhum aviso de ataque aéreo e não houve nenhuma interceptação dos mísseis de ataque.

Mike Witney: Por que é que a mídia está tentando convencer o povo ucraniano de que pode vencer a guerra contra a Rússia? Se o que diz está correto, então todos os civis que estão sendo enviados para combater o exército russo, vão morrer numa guerra que não podem vencer. Não compreendo por que é que os meios de comunicação social desejariam enganar as pessoas sobre algo tão sério. Quais são as suas ideias sobre o assunto?

Larry C. Johnson: Trata-se de uma combinação de ignorância e preguiça. Ao invés de fazerem reportagens reais, a vasta maioria dos meios de comunicação social (impressos e eletrônicos) bem como a Big Tech estão apoiando uma campanha de propaganda maciça.

“Ao invés de fazerem reportagens reais, a vasta maioria dos meios de comunicação social (impressos e electrÔnicos) bem como a Big Tech estão apoiando uma campanha de propaganda maciça”

Lembro-me de quando George W. Bush era Hitler. Lembro-me de quando Donald Trump era Hitler. E agora temos um novo Hitler, Vladimir Putin. É um cartilha cansada e falha. Qualquer pessoa que ouse levantar questões legítimas é imediatamente taxado como um fantoche de Putin ou um fantoche russo. Quando não se pode argumentar sobre fatos, o único recurso é adjetivar e agredir.

Mike Witney : Na semana passada, o Coronel Douglas MacGregor foi um convidado do Tucker Carlson Show. Os seus pontos de vista sobre a guerra são impressionantemente semelhantes aos seus. Eis o que ele disse na entrevista:

“A guerra realmente está acabada para os ucranianos. Eles foram feitos em bocados, não há dúvida sobre isso, apesar do que ouvimos dos nossos principais meios de comunicação. Portanto, a verdadeira questão para nós nesta fase é, Tucker, vamos viver com o povo russo e o seu governo ou vamos continuar a perseguir este tipo de mudança de regime travestida como uma guerra ucraniana? Será que vamos deixar de usar a Ucrânia como um aríete contra Moscou, que é efetivamente o que temos feito”. (Entrevista Tucker Carlson – MacGregor)

Concorda com MacGregor que o verdadeiro objetivo de incitar a Rússia a uma guerra na Ucrânia era “uma mudança de regime”?

Larry C. Johnson: Doug é um grande analista, mas discordo dele – não creio que haja alguém na Administração Biden que seja suficientemente inteligente para pensar e planejar nesses termos estratégicos. Na minha opinião, os últimos sete anos têm sido a inércia do status quo da OTAN. O que quero dizer com isso é que a OTAN e Washington, acreditavam que poderiam continuar a avançar para leste nas fronteiras da Rússia sem provocar uma reação.

A OTAN e a EUCOM realizavam regularmente exercícios – incluindo o fornecimento de equipamento “ofensivo” de treino. Acredito que os relatos nos Estados Unidos de que a CIA estava fornecendo formação paramilitar às unidades ucranianas que operam no Donbass são críveis. Mas tenho dificuldade em acreditar que, após as nossas derrocadas no Iraque e no Afeganistão, tenhamos de repente estrategistas de nível Sun Tzu a influenciar decisões em Washington.

Há um ar de desespero em Washington. Além de tentar proibir todas as coisas russas, a Administração Biden está tentando intimidar a China, a Índia e a Arábia Saudita. Não vejo nenhum desses países se submetendo. Creio que a tripulação de Biden cometeu um erro fatal ao tentar demonizar todas as coisas e todas as pessoas russas. Se quer dizer alguma coisa, é que ele está unindo o povo russo em torno de Putin e eles estão prontos a entrincheirar-se para uma longa luta.

“Há um ar de desespero em Washington. Além de tentar proibir todas as coisas russas, a Administração Biden está tentando intimidar a China, a Índia e a Arábia Saudita”

Estou chocado com o erro de cálculo de pensar que sanções econômicas contra a Rússia os levariam a cair de joelhos. O oposto é a verdade. A Rússia é autossuficiente e não depende de importações. As suas exportações são críticas para o bem-estar econômico do Ocidente. Se retiverem trigo, potássio, gás, petróleo, paládio, níquel acabado e outros minerais chave do Ocidente, as economias europeia e norte-americana serão devastadas. E esta tentativa de coagir a Rússia com sanções tornou agora muito provável que o papel do dólar americano como moeda de reserva internacional venha a aparecer na lata de lixo da história.

Mike Witney: Desde que proferiu o seu famoso discurso em Munique em 2007, Putin tem-se queixado da “arquitetura da segurança global”. Na Ucrânia podemos ver como estas incômodas questões de segurança podem evoluir para uma guerra. Como sabem, em Dezembro Putin fez uma série de exigências relacionadas com a segurança russa, mas a administração Biden encolheu os ombros e nunca respondeu. Putin queria garantias escritas de que a expansão da OTAN não incluiria a Ucrânia (adesão) e de que sistemas de mísseis nucleares não seriam instalados na Romênia ou na Polônia. Pensa que as exigências de Putin não são razoáveis?

Larry C. Johnson: Penso que as exigências de Putin são bastante razoáveis. O problema é que 99% dos americanos não fazem ideia do tipo de provocação militar que a OTAN e os Estados Unidos levaram a cabo nos últimos sete anos. O público foi sempre informado de que os exercícios militares eram “defensivos”.

Isso simplesmente não é verdade. Agora temos notícias de que a DTRA (Defense Threat Reduction Agency – da sigla em inglês) estava financiando laboratórios biológicos na Ucrânia. Acho que Putin poderia concordar em permitir sistemas de mísseis nucleares dos EUA na Polônia e Romênia se Biden concordasse em permitir que sistemas russos comparáveis fossem implantados em Cuba, Venezuela e México. Quando olhamos para isto nestes termos, podemos começar a compreender que as exigências de Putin não são loucas nem sem razão.

Mike Witney: A mídia russa informa que mísseis russos “de alta precisão, lançados do ar” atingiram uma instalação na Ucrânia Ocidental “matando mais de 100 militares locais e mercenários estrangeiros”. Aparentemente, o centro de treino de Operações Especiais estava localizado perto da cidade de Ovruch, que fica apenas a 24 km da fronteira polaca. O que você tem a nos dizer sobre este incidente? A Rússia estava tentando enviar uma mensagem à OTAN?

Larry C. Johnson: Resposta curta: SIM! Os ataques militares russos na Ucrânia Ocidental durante a última semana chocaram e alarmaram os responsáveis da OTAN. O primeiro golpe ocorreu no domingo, 13 de Março, em Yavoriv, Ucrânia. A Rússia atingiu a base com vários mísseis, alguns alegadamente hipersônicos. Mais de 200 pessoas foram mortas, incluindo militares americanos e britânicos e pessoal de inteligência, e centenas de outros feridos. Muitos sofreram ferimentos catastróficos, tais como amputações, e estão no hospital. No entanto, a OTAN e os meios de comunicação social ocidentais têm demonstrado pouco interesse em informar sobre este desastre.

“A Rússia atingiu a base com vários mísseis, alguns alegadamente hipersônicos. Mais de 200 pessoas foram mortas, incluindo militares americanos e britânicos e pessoal de inteligência, e centenas de outros feridos”

Yavoriv era uma base avançada importante para a OTAN. Até Fevereiro (antes da operação russa na Ucrânia), o 7º Comando de Treino do Exército dos EUA estava operando a partir de Yavoriv, já em meados de Fevereiro. A Rússia não parou aí. Notícias da ASB Military informam que a Rússia atingiu outro local, Delyatyn, que fica a 97 km a sudeste de Yavoriv (na quinta-feira, creio). No dia 23, a Rússia atingiu Zytomyr, outro local onde a OTAN anteriormente tinha uma presença. Putin enviou uma mensagem muito clara – as forças da OTAN na Ucrânia serão vistas e tratadas como combatentes. Ponto final.

Mike Witney: O Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky foi badalado nos meios de comunicação ocidentais como um “líder em tempo de guerra” e um “Winston Churchill” dos tempos modernos. O que a mídia não consegue dizer aos seus leitores é que Zelensky tomou uma série de medidas para reforçar o seu domínio sobre o poder, prejudicando ao mesmo tempo as frágeis instituições democráticas na Ucrânia.

Por exemplo, Zelensky “proibiu onze organizações noticiosas da oposição” e tentou impedir o chefe do maior partido de oposição da Ucrânia, Viktor Medvedchuk, de concorrer a um cargo com uma acusação falsa de “financiamento do terrorismo”. Isto não é o comportamento de um líder que esteja seriamente empenhado na democracia.

Qual é a sua opinião sobre Zelensky? Será ele realmente o “líder patriótico” que a mídia o descreve?

Larry C. Johnson: Zelensky é um comediante e um ator. Não é muito bom nisso, a meu ver. O Ocidente está usando cinicamente o fato de ele ser judeu como um diversionismo do considerável contingente de neonazis (e refiro-me aos nazis genuínos que ainda celebram os feitos da unidade ucraniana Waffen SS enquanto lutavam ao lado dos nazis na II Guerra Mundial). Os fatos são claros – ele está proibindo os partidos políticos da oposição e fechando a mídia de oposição. Imagino que esta seja a nova definição de “democracia”.

“Zelensky é um comediante e um ator. Não é muito bom nisso, a meu ver. O Ocidente está usando cinicamente o fato de ele ser judeu como um diversionismo do considerável contingente de neonazis”

Mike Witney: Como é que isto acabará? Há um excelente post no site Moon of Alabama intitulado “What Will Be The Geographic End State Of The War In Ukraine”. O autor do post, Bernhard, parece pensar que a Ucrânia acabará por ser particionada ao longo do rio Dnieper “e a sul ao longo da costa que alberga uma população maioritariamente de etnia russa”. Ele também diz isto:

“Isto eliminaria o acesso ucraniano ao Mar Negro e criaria uma ponte terrestre em direção à Transnístria separatista moldava, que se encontra sob proteção russa. O resto da Ucrânia seria uma terra confinada, na sua maioria um estado agrícola, desarmada e demasiado pobre para ser construída como uma nova ameaça à Rússia num período breve. Politicamente, seria dominada pelos fascistas da Galiza, o que se tornaria então um grande problema para a União Europeia”.

O que é que pensa? Irá Putin impor a sua própria solução territorial à Ucrânia, a fim de reforçar a segurança russa e pôr fim às hostilidades, ou será mais provável um cenário diferente?

Larry C. Johnson: Concordo com Moon. O principal objetivo de Putin é proteger a Rússia das ameaças estrangeiras e efetuar um divórcio com o Ocidente. A Rússia tem os recursos físicos para ser um [país] soberano independente e está em vias de tornar realidade essa visão.

FONTE: horadopovo.com.br

- Advertisement -

139 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
139 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Maicon
Maicon
2 meses atrás

Por isso sempre leio as matérias do Forças de Defesa, essa análise é muito sensata.

Last edited 2 meses atrás by Alexandre Galante
Chuck Norris Do Paraguai
Chuck Norris Do Paraguai
Reply to  Maicon
2 meses atrás

Se as bravatas do Biden aumentaram vertiginosamente, é por que algo não saiu como planejado para Washington. Não há como evitar mais uma escalada nas tensões. A OTAN vai entrar na guerra e seremos testemunhas oculares do uso de armamento nuclear. Tomara que o Brasil fique longe disso.

Henrique
Henrique
Reply to  Maicon
2 meses atrás

Engraçado são as torcidas do “deslike” que não podem ver uma análise ou opinião independente e divergente do que acreditam fielmente como verdade absoluta.
A história mostrará os verdadeiros vilões desse conflito e posso garantir que não há santos de nenhum dos lados…

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Henrique
2 meses atrás

P q vc se importa com dislike ?

Henrique
Henrique
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
2 meses atrás

Caro Rodrigo, não que me importe mas é uma amostra que muitas vezes as pessoas sequer leem ou se aprofundam no assunto, simplesmente pela torcida. O que me preocupa são as torcidas pois são estas que fomentam a mídia parcial. Abraço,

Max
Max
Reply to  Henrique
2 meses atrás

Concordo com vc meu caro!! Há coisa muito valiosa em jogo nesta guerra para se deixar levar por torcidas.

Charle
Reply to  Henrique
2 meses atrás

De acordo, Henrique. Essa entrevista foi bastante esclarecedora.

O pessoal mais fanático pelos EUA deveria lê-la e relê-la com bastante atenção.

É uma análise norte-americana e, até certo ponto, imparcial.

Com opinião técnica, inclusive.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Maicon
2 meses atrás

Análise sensata de um veterano da CIA?

Tipo a análise do relatório que apontava a existência de armas químicas no Iraque?

Ainda mais com nome e fotografia?

Sabe nada, inocente.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
2 meses atrás

No começo da invasão russa da Ucrânia, Biden se mostrava calmo e sereno, hoje mostra-se totalmente diferente, aumentando suas bravatas e praticamente fechando qualquer janela para um meio diplomático. Tudo isso pode ser um sinal de que as estratégias usadas pelos EUA/OTAN para conter o ímpeto russo não surtiram o efeito desejado. Infelizmente, Washington percebeu que a única coisa a se fazer agora é partir para a guerra total. Todo teatro nuclear já está sendo montado e um ‘conflito nuclear’ antes tido como “carta fora do baralho”, agora soa como totalmente plausível e iminente. Não há mais volta.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Vinicius Momesso
2 meses atrás

Vinícius. A OTAN terá grandes problemas pela frente. Primeiro, e mais evidente, será o problema do gás russo. O Catar acabou de anunciar que não há como substituir esse gás. Sobrou para a Europa a substituição de parte dele pelo GNL americano que é muito mais caro. Segundo é que a Europa está propondo aumento de gastos militares em um momento muito ruim da economia mundial. Terceiro que estão ocorrendo divisões entre seus membros. Alemanha e França querem negociar, EUA e Inglaterra não. A Hungria acabou de anunciar que não vai trocar o gás russo. A Polônia acusou a Hungria… Read more »

George Gratz
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Coincidentemente, EUA e Inglaterra tem gás pra vender, mesmo a um preço muito mais alto.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  George Gratz
2 meses atrás

Exatamente.
A Rússia vai desviar sua produção para outros países.
Quem vai ficar no prejuízo será a Europa.
Quem mandou ser subserviente?
Agora, que aprendam.

seuzénétiuôrqui
seuzénétiuôrqui
Reply to  George Gratz
2 meses atrás

Certo! Eua, eau e uk dispõe de 15 a 20 bilhões de metros cúbicos para venderem aos europeus por 4 vezes o valor do gás da Rússia. A Europa consome 500 bilhões de metros cubicos. Os eua meteram a europa num buraco. Entendeu ou não? Difícil eim! A Rússia venceu….acabou o império do dólar, do mundo unipolar, do único “xerife” do mundo. ..essas coisas… acabou….jáira!

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

O inverno está chegando na europa.
A Alemanha, dentre outros países, dependem muito do gás russo pra se manter aquecida nessa época do ano.
Os alemães e seu governo estão dispostos a pagar o triplo pelo gás, e fazer racionamento de gás e energia no meio do inverno?
Veremos…

Max
Max
Reply to  Willber Rodrigues
2 meses atrás

Claro que não, a Europa está indo para o verão !!!

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Vinicius Momesso
2 meses atrás

Só que ele e o seu país igualmente irão para o saco.

Gebel
Reply to  Vinicius Momesso
2 meses atrás

Tá, Alemanha e França, as duas maiores economias da União Europeia querem negociar, mas o Reino Unido não. E porque a União Europeia não negocia independentemente do Reino Unido, que optou pelo brexit?

Antoniokings
Antoniokings
2 meses atrás

Novidade.
Todos sabem que a Rússia está apenas usando uma pequena parte de suas forças.
Está fazendo uma guerra de ‘baixo custo’ com apenas 150 mil homens.
E está conseguindo um grande feito, visto que já conquistou cerca 150 mil km² de território inimigo que está, em boa parte, fortificado.

Slava Russia!

Up The Irons
Up The Irons
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Até porque não poderiam colocar mais do que isso e deixar outros pontos do território russo desguarnecidos sem homens e equipamentos. E estão tomando pressão dos ucranianos num território menor que o de Minas, com equipamentos antigos da época da União Soviética.
Vão ganhar a guerra? Pode ser que sim, mas ficou claro que não são tudo o que propagandeavam ser, principalmente na logística.

Nilo
Nilo
Reply to  Up The Irons
2 meses atrás

Aconteceu com EUA tb dificuldades em campo, imprevisto, Vietnam, Síria, Iraque, Afeganistão.

seuzénétiuôrqui
seuzénétiuôrqui
Reply to  Up The Irons
2 meses atrás

Cara! Vocês não desistem mesmo! Continuam com essa conversa fiada, blábláblá e retórica fantasiosa! Já era cara……os eua perderam…..acabou! Agora, pra não ficar tão feio é partir para o suicídio nuclear. E aquele gagá fdp está com o pé na cova e quer levar todo planeta com ele. A Rússia já avisou bilhões de vezes que aceita subir e cobrir a aposta. Oh…mas como são chatos esses fanboys! Concluo que o tanto de besteiras que escrevem é somente para depois ficarem contando “negativinhos” contras e à favor porque de lógico e racional só tem besteirol escrito. Haja paciência!

paulo lahr
paulo lahr
Reply to  Up The Irons
2 meses atrás

Vc está analisando outro conflito. Só pode.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Saudações Tovarisch Kings.
A ocupação pode ter esse perfil de baixo custo mas todos nós vamos pagar a fatura da merda que a NATO/USA jogou no colo da UE.
A UE vai ter que fazer uma escolha entre a paz acordada entre a Eurasia ou ficar a reboque do imperialismo em decadente americano, esse sim a maior ameaça a segurança do mundial.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nilton L Junior
2 meses atrás

Zdrástvuy tovarisch Nilton

Infelizmente isso é verdade.
Mas, consideremos esse situação como as dores do parto de uma alvissareira Nova Ordem Mundial.

Guilherme Leite
Guilherme Leite
Reply to  Nilton L Junior
2 meses atrás

Nossa, logo a UE, o povo mais desenvolvido do mundo, sendo vítima do imperialismo do EUA kkkkkkkkkkkkkkkkkk
Corta essa, todos tem seus interesses, alguns em comum !
Seu pensamento é quadrado.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Guilherme Leite
2 meses atrás

Continue com seu chapeu de alumínio, qual é interesse comum da UE com os EUA?

MBK
MBK
Reply to  Guilherme Leite
2 meses atrás

Você talvez não tenha percebido, mas a estratégia norteamericana é empurrar os europeus para lutarem contra a Rússia, em solo euopeu.
E empurrarem Coreia e Japão para lutarem com a China em solo asiático.
Enquanto o Tio Sam lidera pela retaguarda, e preserva seu território, relativamente intacto, para reinar sobre os escombros da III guerrra mundial. O que, aliás, já ocorreu na II guerra mundial.
Qualquer pessoa com dois neurônios é capaz de perceber isso. Apesar da cegueira deliberada de alguns.

Hcosta
Hcosta
Reply to  MBK
2 meses atrás

Não, é servirem de barreira à expansão desses países, algo que é muito diferente.

MBK
MBK
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Expansão de quais países?

Hcosta
Hcosta
Reply to  MBK
2 meses atrás

China, Coreia do Norte e Rússia. Sobre esses países, Taiwan, Coreia do Sul e os países de Leste Europeus, onde agora se inclui a Ucrânia e um bom exemplo destes movimentos.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

O IRGC já deu o recado: se o Azerbaijão invadir a Armênia, eles iram intervir militarmente a favor de Yerevan. Isso é bem visto por Moscou, já que em primeiro momento, não precisaria abrir duas frentes de combate.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Vinicius Momesso
2 meses atrás

O problema é que a Turquia não vai ficar satisfeita com isso.

carlos andreis
carlos andreis
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Sim , mas os turcos tem seu próprio problema com Curdos , já imaginou que lamentável seria se todas essas armas fornecidos pela OTAN e apreendida pelos russos caíssem nas mãos do YPG

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  carlos andreis
2 meses atrás

Aquela região é um verdadeiro campo minado.

paulo lahr
paulo lahr
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Todas as frentes imagináveis de combate naquela região entraram em algum tipo de atrito dentro da Síria.

Fabrício
Fabrício
Reply to  Vinicius Momesso
2 meses atrás

O Azerbaijão só atuará nas áreas contestadas. Qualquer ação no território reconhecido da Armênia implica em resposta da OSTC.

Antoniokings
Antoniokings
2 meses atrás

Excelente artigo.
Realista.
Falou tudo o que muita gente aqui não queria ouvir.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Larry C Johnson é mais conhecido por espalhar uma farsa em 2008 que os agentes republicanos tiveram uma fita de vídeo de Michelle Obama reclamando de “branquela”.


Abel
Abel
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

E os mísseis na Venezuela caro quinta coluna?

João Fernando
João Fernando
2 meses atrás

Eu não sei se nada, mas está claro que as forças russas estão vindo pelo norte e pelo sul. Vão dividir a Ucrânia ao meio. Fim

Fabricio Lustosa
Fabricio Lustosa
2 meses atrás

“Lembro-me de quando George W. Bush era Hitler. Lembro-me de quando Donald Trump era Hitler. E agora temos um novo Hitler, Vladimir Putin. É um cartilha cansada e falha. Qualquer pessoa que ouse levantar questões legítimas é imediatamente taxado como um fantoche de Putin ou um fantoche russo. Quando não se pode argumentar sobre fatos, o único recurso é adjetivar e agredir.” THANK YOU SIR!!! 👏👏👏👏👏✊

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Fabricio Lustosa
2 meses atrás

Verdade.
É uma tal rotulação infantil que mata de rir. Propicia a benevolência com os que não sabem o que dizem.

XFF
XFF
2 meses atrás

Artigo excelente! Claro, objetivo e sem paixões.

Nilo
Nilo
2 meses atrás

Análise dura que vai contra todos os prognóstico aqui comentados de uma narrativa mediatica virtual pró OTAN. Mais um americano louco desinformado, pago pelos russos, como o coronel? Difícil. A Rússia silênciou, e os fatos verdadeiros demoraram mais começam a surgir. As bases da Otan foram destruídas, então a OTAN já estava não oficialmente agindo na Ucrânia, através dos EUA, Inglaterra, Canadá, isso nos diz algo a aliança dos “5 eles”, todos de fala e ex colônias. 200 soldados mortos entre americanos ingleses….., não 35 pessoas. Liberdade de imprensa? Essa liberdade. Se em conflito com o Brasil, já teríamos perdido… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Nilo
Nilo
Nilo
Reply to  Nilo
2 meses atrás

..5 Eyes…

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
2 meses atrás

Esse tipo de atuação, assim como daquele Coronel da reserva do US Army que foi publicada recentemente aqui no Forte, é fundamental para quebrar a força psicológica daqueles que estão a favor dos russos. Nós sabemos que o que faz alguém apoiar os russos é puro e simples antiamericanismo.

Enquanto ex-militares colocam mais força na consciência dos pró russos, levando-as cada vez mais para longe da realidade, mais espaço sobrará para o Pentágono apoiar a Ucrânia diretamente.

Guerra Psicológica. Fraude.

Segio
Reply to  Reinaldo Deprera
2 meses atrás

Pudin só ganha essa guerra, caso O GOVERNO UCRANIANO SEJA DEPOSTO OU PUDIN CONSIGA COLOCAR UM FANTOCHE NO LUGAR, ou caso a Ucrânia aceite um tratado de paz, com TODOS OS TERMOS QUE A RUSSIA EXIGE. isso é fato. Até isso acontecer, se acontecer, tudo é coisa de pudin fan boy club.

Last edited 2 meses atrás by Segio
Abel
Abel
Reply to  Reinaldo Deprera
2 meses atrás

Reforço na idea colonial de Putin, nem notam a jogada do empurrão da escada pra realidade. É como o abraço de tamanduá do Pepe Escobar pra simpatizantes do molusco

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Reinaldo Deprera
2 meses atrás

Ucranianos que se renderam em Kiev.- 26/03

https://www.youtube.com/watch?v=S2OhWqg-Y8s

carcara_br
carcara_br
Reply to  Reinaldo Deprera
2 meses atrás

Análise Top, confundindo o próprio umbigo com o centro de tomada de decisão americana.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Reinaldo Deprera
2 meses atrás

Oi?!

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
2 meses atrás

A OTAN esperava um ‘fiasco total’ da invasão russa da Ucrânia, as sanções impostas por Washington e aliados era para ser algo devastador na Economia russa, coisa que não aconteceu e por isso agora está fazendo o mesmo que Moscou fez pré invasão: alocando o máximo de forças nas fronteiras com a Ucrânia. O “Plano B” era esse mesmo, se a Rússia lograr sucesso, entramos no conflito.

Fabricio Lustosa
Fabricio Lustosa
2 meses atrás

Perfeito em todos os pontos comentados. Esse é o cara: “Creio que a tripulação de Biden cometeu um erro fatal ao tentar demonizar todas as coisas e todas as pessoas russas. Se quer dizer alguma coisa, é que ele está unindo o povo russo em torno de Putin e eles estão prontos a entrincheirar-se para uma longa luta.” Falo exatamente isso tem tempo.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Fabricio Lustosa
2 meses atrás

O maior erro de Whashington foi aplicar todas as sanções possíveis à Moscou, não perdoando nem a esfera esportiva que nada tem a ver com isso. Agora o povo russo está mais unido ainda, por que os tornaram “demônios” perante o resto do mundo. A melhor estratégia seria primeiramente mostrar ao povo russo o quão errado Putin estava ao invadir e massacrar seus irmãos étnicos, mostrando evidências e mais evidências. Com certeza teria o mesmo efeito político que o Vietnã.

Rayan
Rayan
Reply to  Vinicius Momesso
2 meses atrás

Excelente analise.

paulo lahr
paulo lahr
Reply to  Vinicius Momesso
2 meses atrás

Impossível ter o mesmo efeito que o Vietna. Lá era um conflito no sudoeste asiático de caráter ideológico. Não existia ameaças a existência americana. Algo totalmente oposto na Ucrânia em relação à Rússia.

India-Mike
India-Mike
Reply to  Fabricio Lustosa
2 meses atrás

Essa é a parte q eu concordo do discurso desse senhor. Na Europa, até montagens de Tchaikovsky e outros clássicos russos estão sendo canceladas nos teatros. Absurdo total. Outra questão que fui contra foi o boicote das empresas ocidentais à Rússia. E esse foi claramente um exercício de relações públicas dessas empresas de tentar ‘ficar de boas’ com os millennials, sob pena de ser visto como ‘simpático’ à Putin. E além de ser inofensivo ao regime na verdade acaba sendo um divórcio entre as culturas ocidentais e russa. Afinal, fechar os McDonald’s e as lojas da Adidas faz o q… Read more »

Leonid Brejnev
Leonid Brejnev
2 meses atrás

Caracas, meu irmão, que tapa na cara de muitos, isso sim é realidade, não sei como alguns acreditam em midia independente, em que terra a CNN, vai mostrar a Russia como vencedora. Os europeus estão desesperados, olhem o tamanho da população que eles tem para alimentar, estão ferrados.Mais uma vez digo, queriam a Russia de joelhos, vamos ver que se ajoelhará.

Segio
Reply to  Leonid Brejnev
2 meses atrás

A REALIDADE que você diz ( hoje )(27 de março de 2022) é que o governo Ucraniano não foi deposto e não aceitou os termos que o pudin exige. isso é a realidade ate o momento, fora disso é tudo especulação, a Rússia vai ganhar, a ucrânia vai ganhar, ate terminar tudo é pura especulação. outra REALIDADE que poucos perceberam…pudin estava tão preocupado com a otan estar chegando perto e olha no que deu…….315 mil soldados da otan no leste europeu e isso se não aumentar…….Путин, мои поздравления!

1024.jpg
Last edited 2 meses atrás by Segio
Nascimento
Nascimento
Reply to  Segio
2 meses atrás

A névoa da guerra é a falta de conhecimento que ocorre durante uma guerra. É a incerteza de cada lado sobre as capacidades e planos do inimigo. É também o caos que ocorre entre as forças aliadas quando ordens são mal interpretadas, por exemplo. A expressão é atribuída ao analista militar prussiano Carl von Clausewitz. Ele escreve: “A grande incerteza de todos os dados na guerra é uma dificuldade peculiar, pois toda ação deve, em certa medida, ser planejada na penumbra, a qual em adição frequente – de um efeito de névoa ou luar – dá às coisas dimensões exageradas… Read more »

Segio
Reply to  Nascimento
2 meses atrás
Last edited 2 meses atrás by Segio
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Segio
2 meses atrás

Vc leu a parte em que ele diz que já existiam bases da OTAN na Ucrânia e que Putin as pulverizou matando pessoal americano e britânico?

Os ataques militares russos na Ucrânia Ocidental durante a última semana chocaram e alarmaram os responsáveis da OTAN. O primeiro golpe ocorreu no domingo, 13 de Março, em Yavoriv, Ucrânia. A Rússia atingiu a base com vários mísseis, alguns alegadamente hipersônicos. Mais de 200 pessoas foram mortas, incluindo militares americanos e britânicos e pessoal de inteligência, e centenas de outros feridos. 

E o que a OTAN fez?
Nada!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Segio
2 meses atrás

Atuação da OTAN e dos EUA.

comment image?width=700&quality=85&auto=format&fit=max&s=02ee57fadb1ebec4dac0808fce53b8f1

Nascimento
Nascimento
Reply to  Segio
2 meses atrás

O artigo não diz se as tropas são da OTAN ou dos respectivos países. Esses exércitos são submissos aos seus próprios presidentes, diferentes dos da OTAN que tem comando próprio. Seria como dizer que a OTAN tem tropas no território americano.

https://www.euronews.com/my-europe/2022/03/16/nato-defence-ministers-in-talks-to-boost-posture-in-eastern-europe

comment image

CNN espanol
comment image

Veja o efetivo das FAs polones: 115.000. Efetivo provavel da OTAN na Polonia: 15.000.
https://en.wikipedia.org/wiki/Polish_Armed_Forces

comment image

https://www.dailymail.co.uk/news/article-10564647/NATO-readies-defend-borders-alliance-positioned-forces-Europes-eastern-flank.html

Abraços.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nascimento
2 meses atrás

Para mim, quantos mais soldados americanos na Europa, melhor.
Mais gastos para um País altamente endividado.
E como eu venho afirmando há um tempão: Os EUA vão abrir o bico.

Rayan
Rayan
Reply to  Nascimento
2 meses atrás

Muito bom sei posicionamento. Obrigado

pedroctba
pedroctba
Reply to  Segio
2 meses atrás

Alguns pontos: Sobre a Ucrania se render, isso só ainda não foi feito por teimosia (ou submissão a seus verdadeiros lideres) pelo Zé lelêyinsky pois ele não aceitou que o Donbass seja independente (assim como outras regioes da outrora Ucrania) e, com menos enfase, aceitar que a Crimeia hoje é russa. Fora isso ele já teria aceitado a Ucrania sem armas, sem OTAN/UE e entre outras coisas. Sobre a questão das tropas da OTAN, note que sem a Ucrania esse contigente estaria atras de outros estados, ou em regiões limitadas de fronteira com a Russia. Qualquer pessoa sabe que a… Read more »

Professor
Professor
Reply to  pedroctba
2 meses atrás

Se a Argentina nos atacasse e exigisse o Rio Grande do Sul como parte “histórica de La Argentina” ou como pagamento por tropas imperiais brasileiras terem marchado em Buenos Aires quando tiramos o Rosas, vc ia aceitar na boa??? LÓGICO que os ucranianos não vão aceitar ter parte de seu território roubado pelos russos! Se Zelensky aceitasse isto, seria morto na rua, como traidor…. o mais provável é que a Ucrânia seja derrotada e perca boa parte do país (até o rio Dnipro) para tropas de ocupação russas, criando uma zona desmilitarizada e cheia de tensão como entre as Coréias.… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Segio
2 meses atrás

Quanto mais soldados da OTAN, mais dinheiro gasto.
Excelente.

Dr. Mundico
Dr. Mundico
2 meses atrás

Até que enfim alguém lúcido, sensato e imune ao propagandismo histérico que infecta a mídia globalista. Hoje temos a mentira como profissão de fé. Identificar o problema é o primeiro passo para resolvê-lo.

sub urbano
sub urbano
2 meses atrás

Qualquer analise é melhor que aquelas do “Observatorio de Doutrina” do EB kkk tanto que fecharam o site “pára que ta feio” alguem disse. Se tiver guerra estamos fritos, ja falo isso aqui a algum tempo. É como se os oficiais brasileiros fossem uma espécie de torcida organizada dos americanos.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  sub urbano
2 meses atrás

Também acho, uma guerra em território nacional deixaria escancarada a incompetência das forças armadas, que hoje são tidas como o bastião da competência da esfera governamental. A surra seria monumental.

Antunes 1980
Antunes 1980
2 meses atrás

Vários especialistas tem uma visão diferente deste ex agente da CIA.
Os planos da Rússia não estão totalmente claros. O consenso geral dos pontos negativos são estes:

A) Grande resistência ucraniana em todas as cidades.

B) Dificuldade em manter segura as linhas de suprimentos

C) Quantidade limitada de tropas, limitando o domínio territorial.

D) Completa falta de apoio da população local.

E) Incapacidade de realizar grandes ataques/movimentações de tropas rumo à Kiev, Odessa e Kherson.

F) Alto número de baixas, deserções e perca de equipamentos.

Last edited 2 meses atrás by Antunes 1980
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antunes 1980
2 meses atrás

Leia o artigo de novo, por favor.

Luiz
Luiz
Reply to  Antunes 1980
2 meses atrás

A Ucrânia tem ajuda externa. Esse é o fator determinante da resistência ucraniana até agora. Vai chegar um momento que vão jogar a toalha.

Rayan
Rayan
Reply to  Luiz
2 meses atrás

Com certeza é um detalhe a considerar. E foram 8 anos de abastecimento em equipamentos dos mais avançados, subvencionados. Não era o Iraque de 2003. A Ucrânia tinha um dos maiores exércitos da Europa e dos mais bem equipados. Seus pontos fracos eram a modesta força aérea e marinha, mas as forças terrestres e as unidades de defesa aérea eram formidáveis.

Rayan
Rayan
Reply to  Antunes 1980
2 meses atrás

Os pontos A, B, C, D são convergentes com várias análises mais isentas e eu fundamentei meus posicionamentos várias vezes frisando esses tópicos que expõem as dificuldades operacionais russas. Apenas considero pertinente acrescentar (com base em análises diversas mesmo) em relação aos tópicos E e F, as seguintes situações: – as movimentações em Kiev se destinam a consolidar os subúrbios já tomados, principalmente Bocha e Gostomel. Refizeram o planejamento tático -operacional a partir da segunda semana de guerra, por justamente perceberem que não teriam efetivo para um combate urbano em uma metrópole altamente fortificada. Preferiram focar na destruição da infraestrutura… Read more »

Luciano
Luciano
2 meses atrás

UM RARO ARTIGO IMPARCIAL E SENSATO NO MEIO DA DESINFORMAÇÃO.

PARABÉNS AO CANAL

L G
L G
2 meses atrás

Esse é inteligente fez uma análise correta e sensata. Essa da coluna de 64 km que ficou parada perto de Kiev por vários dias e não sofreu nenhum ataque sequer, diz tudo,o exército ucraniano está entricheirado dentro das cidades para não ser destruído completamente. Tenho pena dos mercenários brasileiros, más parece que eles foram embora com os filmes e as fotos para a Polônia. Vamos aguardar.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  L G
2 meses atrás

E como ele falou.
Imagine se os russos fossem agir como os alemães.
Já estaria tudo destruído e ocupado.

Nilo
Nilo
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

É preciso mostrar os russos como assassinos, sanguinolentos.

Guilherme Leite
Guilherme Leite
2 meses atrás

Começou assim: Eles capturaram em três semanas um território que é maior do que a massa terrestre do Reino Unido kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk É UMA ILHAAAA !!!! E terminou o assim: Asseguraram todos os acessos no Mar Negro kkkkkk A UCRÂNIA NÃO TEM MARIIINHAAAA, NENHUMA FORÇA NAVAL, asseguraram o que nunca esteve sob perigo ! Ai quando chega na parte do qual ele fala que a Rússia avançou mais rápido do que a Alemanha NAQUELA ÉPOCA…Eu parei de ler rs ! Olha a distancia do Belarus até Kiev e a distancia de Kiev até a metade da Polônia (é muito diferente)… Eeee… Read more »

Luiz
Luiz
Reply to  Guilherme Leite
2 meses atrás

Acho que Kiev não é mais importante pra Rússia. Não vai valer a pena. Depois da Rússia consolidar a sua dominação no sul,leste e norte ja era pra o Zelenski.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Guilherme Leite
2 meses atrás

Mais uma criança perdida educada pelo método Paulo Freire.

Rayan
Rayan
Reply to  Carlos Crispim
2 meses atrás

Relaxa, cara, respeita a posição alheia . Se te desagrada a análise do ex Diretor da CIA , contrapoe com argumentos objetivos e sustentáveis. Ir na gritaria de torcedor ofendido e menosprezando a avaliação dos outros vai cair na mesmice.

Gebel
Reply to  Carlos Crispim
2 meses atrás

Mais um velho desinformado que ignora que o método Paulo Freire nunca foi extensivamente adotado no Brasil, sendo substituído pelo método militar durante a ditadura, logo após começar a ser usado.

Last edited 2 meses atrás by Gebel
O Chato
O Chato
Reply to  Guilherme Leite
2 meses atrás

Não vou entrar no mérito de todo o conteúdo da análise do “veterano da CIA”, pois não a li integralmente. Porém, confesso que também parei de ler mais ou menos no mesmo trecho e pela mesma razão. Primeiro, achei estranho falar que os russos “asseguraram todos os acessos no Mar Negro”. É verdade que os ucranianos já estão completamente incapacitados no mar (inclusive, tiveram de afundar sua única fragata para evitar sua captura). Porém, se focarmos em acessos ao Mar Negro, Odessa (região), por examplo, ainda segue firme e forte. Se o entrevistado falava em um bloqueio naval, isso não… Read more »

dfa
dfa
2 meses atrás

Bem primeiro ponto: “A chegada da Rússia a Kiev no prazo de três dias após o início da operação também chamou a minha atenção” A capital Ucrâniana fica a 150 km da fronteira da Bielorrússia, sinceramente não sei qual foi o espanto. Segundo ponto: “Eles capturaram em três semanas um território que é maior do que a massa terrestre do Reino Unido.” A captura de terreno é completamente irrelevante,e é algo não binário, a densidade populacional Ucraniana é baixa e grande parte do território é desocupado. Se me tivessem dito que os russos capturaram os principais centros urbanos aí a… Read more »

Last edited 2 meses atrás by dfa
Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
2 meses atrás

Só o caos que tomou a Ucrânia já é uma vitória dos russos.Os russos tem muito a agradecer a visão de Putin.Sem ela seriam mais uma vez invadidos agora pela Otan em um futuro próximo se a operação do Putin não fosse feita.

Hcosta
Hcosta
2 meses atrás

Este é um bom exemplo de como não fazer jornalismo.
As perguntas são feitas sabendo já as respostas. E com o jornalista a fazer os seus comentários.
E não sendo antigo analista da CIA são respostas ao nível do que se encontra numa seção de comentários.
Imparcial não significa o outro lado e nem falta de rigor.

E cada comparação mais absurda: 2GM, Iraque, etc…

Agnelo
Agnelo
2 meses atrás

O interessante é q sempre q se fala bem da Rússia é imparcial… se fala mal, é fake… A comparação entre essa campanha e a americana no Iraque é patética. Um país lutando no quintal de casa podendo invadir o país menor por vários flancos. O outro, um país do outro lado do mundo, dependendo de aliados pra fazer sua concentração, invadindo praticamente por um lado somente, podendo abrir um flanco diversionário, também dependendo de outro aliado, vindo de outro continente. O EUA no Vietnã tiveram 58.000 mortos e venceram todas as batalhas. O Vietnã do Norte perdeu 900.000 homens… Read more »

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Agnelo
2 meses atrás

Agnelo.
Os Estados Unidos e a Otan.
Invadiram o Iraque de suas bases na Arábia Saudita, Kuwait, Turquia. Bases de aliados no mediterrâneo etc. Endereços nunca foram entraves para a maior operação militar da história contra o Iraque. Tudo que vemos hoje a favor da Ucrania , era contra o Iraque.

Rayan
Rayan
Reply to  Antonio Palhares
2 meses atrás

Exatamente.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Antonio Palhares
2 meses atrás

A OTAN não esteve envolvida na 2ª invasão do Iraque…

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Hcosta.
Era a OTAN e um coligação fabulosa, poderosa, indescritível, invencível.
Ai a ordem dos fatores não alteraram o produto.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Antonio Palhares
2 meses atrás

Prezado
Do Sul do Iraque, saíram 4 direções táticas de atuação. Só!!
O tempo pra chegar até Bagdá deu-se por um trabalho coordenado para consolidar conquistas, evitar baixas e poupar civis.
As ações no norte, diversionistas ajudaram muito, porém tinham a amplitude de 1 Div.

A Ucrânia tem “n” direções táticas de atuação da Rússia e Bielorussia pro seu interior, onde estão dispostos os Corpos de Exército russos.
Uma manobra muitíssimo mais fácil de se orquestrar, se fossem mais competentes ou preparados.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Agnelo
2 meses atrás

Eu gostei da parte. Poupar os civis.

J-20
J-20
Reply to  Agnelo
2 meses atrás

Sério que tu acha o Iraque mais difícil? Os EUA pegaram um Iraque em 2003 que os soldados estavam mais dispostos e felizes a se renderem do que lutar por um governo que sabia que ia perder e grande parte dos avanços feitos pelos EUA e aliados foi em áreas abertas de deserto, sem vegetação ou cidades que pudessem ser entraves para seu avanço. Corredores longos e livres de ataques como teve no Iraque é um cenário impossível para os russos na Ucrânia, pois logo na fronteira já tem cidades de médio e grande porte que, devidamente abastecidos, podem ser… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  J-20
2 meses atrás

Esse Agnelo é sem noção.
Pegar um País pequeno com o Iraque e cheio de desertos abertos.
Até eu chegaria correndo em Bagdá e bateria o recorde da Maratona.
É um piadista.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Agnelo
2 meses atrás

Não fala besteira.
A Ucrânia tem milhares de pequenos povoados. muito deles fortificados. O Iraque tinha meia dúzia de cidades e vastas extensões de desertos.
Ideal para a operação blindada, quando se tem superioridade aérea.
Sugiro vc assistir uma batalha dos chechenos para vc ver o nível de violência.

Josué
Josué
Reply to  Agnelo
2 meses atrás

Perfeito

Gustavo
2 meses atrás

Eu não entendo essa posição de que a Rússia está vencendo a guerra… O Putin entrou na guerra alegando que queria o presidente da Ucrânia fora do poder. Isso não parece nem perto de acontecer. O modo como as forças russas atacaram levam a crer que eles queriam tomar Kiev o quanto antes. Kiev resiste e não parece que vai cair tão cedo. E ontem o Kremlin anunciou que os objetivos principais foram alcançados e que eles iriam se concentrar nas regiões separatistas. O que está totalmente fora alinhamento com o discurso inicial do Putin. E dizer que é uma… Read more »

Ocidental Frustrado
Ocidental Frustrado
Reply to  Gustavo
2 meses atrás

O Putin entrou na guerra alegando que queria o presidente da Ucrânia fora do poder.”

Onde você leu isso?

Dr. Mundico
Dr. Mundico
Reply to  Ocidental Frustrado
2 meses atrás

Sempre foi claro e evidente que o objetivo final do Putin era derrubar o governo e colocar outro governo fantoche no lugar.

Ocidental Frustrado
Ocidental Frustrado
Reply to  Dr. Mundico
2 meses atrás

Onde você leu isso?

Gustavo
Reply to  Ocidental Frustrado
2 meses atrás

No dia 23/02 em seu discurso televisionado o Putin fala que o “regime de Kiev” comete genocidio contra os falantes do russo e que a operação é para desmilitarizar e desnazificar a Ucrânia. No mesmo discurso ele pede aos militares ucranianos a largarem as armas. No dia 25/02 em um pronunciamiento feito pelo porta-voz Putin pede para os militares ucranianos tomarem o poder, pois “seria mais fácil ele negociar com eles”. Nesse pronunciamento o Putin ele ainda chama os integrantes do governo ucraniano de “drogados e neonazistas”. Eu acho que esses dois exemplos deixam claro a intenção do Putin de… Read more »

Abel
Abel
2 meses atrás

Empresa china vai começar a dragar o Azov está semana!

Carlos Crispim
Carlos Crispim
2 meses atrás

Primeira análise sensata que leio, claro que achei importante algumas pesquenas vitórias ucranianas e o ufanismo da imprensa, mas a vitória russa era inevitével, não tem comparação, desde o começo o resultado estava bem claro.

Last edited 2 meses atrás by Carlos Crispim
Rayan
Rayan
2 meses atrás

Em diversos artigos neste site, quando tentei trazer uma análise mais factual da guerra e do teatro de operações, bem como criticando a evidente narrativa inflada, forjada e falseada do SBU da Ucrânia com a mídia ocidental, fui incompreendido como vários aqui. Os oficiais e analistas americanos mais independentes tem abordado de forma mais realista o conflito. A Rússia , como havia narrado, buscou isolar Kiev e outros centros populacionais específicos em uma estratégia de isolamento e cerco para justamente diluir as forças uxranianas e formar diversos caldeirões para impedir capacidade de contra ofensiva. Como afirmado pelo ex-diretor da CIA,… Read more »

Ocidental Frustrado
Ocidental Frustrado
Reply to  Rayan
2 meses atrás

“Em diversos artigos neste site, quando tentei trazer uma análise mais factual da guerra e do teatro de operações, bem como criticando a evidente narrativa inflada, forjada e falseada do SBU da Ucrânia com a mídia ocidental, fui incompreendido como vários aqui.” Eu percebi isso. Pelo menos aqui no Forte, você foi um dos que mais contribuiu para uma análise real da guerra, colocando pontos e mapas para referências ajudando no entendimento do argumento, enquanto 80% dos comentários são inutilidades ideológicas que nem merecem atenção, o problema é que não temos como ignorar esses comentários, eu pelo menos leio tudo… Read more »

Rayan
Rayan
Reply to  Ocidental Frustrado
2 meses atrás

Obrigado amigo pelo comentário sincero. Tento de verdade trazer objetividade ao debate, inclusive com posicionamentos críticos sobre questões operacionais russas, mas sem aderir a esse subjetivismo inflamado, alheio a historiografia e à geopolitica, que não trabalham com valoração ideológica.

seuzénétiuôrqui
seuzénétiuôrqui
2 meses atrás

Os fanboys estão odiando esse cara e a análise que foi feita de forma honesta, dentro da realidade, dentro da mais pura verdade, séria, e responsável sobre essa guerra incitada pelos eua.

André Luís
André Luís
2 meses atrás

Tudo mentira. A Ucrânia está GANHANDO A GUERRA. A Ucrânia impediu a Força Aérea Russa de dominar seu espaço aéreo, a Ucrânia barrou as colunas de blindados debilitados russos, a Ucrânia eliminou boa parte da infantaria Russa, a Ucrânia afundou um navio patrulha (com tonelagem de corveta) e um navio de desembarque repleto de soldados, a Ucrânia destruiu dois aviões Ilyushin lotados de paraquedistas russos, a Ucrânia voa todos os dias com seus Su-27 e impedem os Su-35 de dominarem os céus (palavras de um piloto experiente que voa todos os dias e todos os dias ele encontra os Russos… Read more »

PedroB
PedroB
2 meses atrás

“capturaram em três semanas um território que é maior do que a massa terrestre do Reino Unido”..sério que isso é positivo? O Reino Unido é minúsculo.E quem le o artigo pensa que a guerra ja acabou..não é a realidade..
Claro que a Rússia vai ganhar antes que venham criticar…mas que estão levando canseira estão..e vai ter mais ainda

Antonio Palhares
Antonio Palhares
2 meses atrás

Que se continue vendo a globo, bandeirantes, imprensa ocidental.
faça-se de conta que a Ucrânia esta ganhando a guerra.
Isto poupa discussões inúteis.
” É mais fácil levar um touro a um mourão. Do que um bruto à razão. ”
Ditado matuto da minha terra.

Last edited 2 meses atrás by Alexandre Galante
Gabriel BR
Gabriel BR
2 meses atrás

A Ucrânia é o país mais corrupto e pobre da Europa , 3000 dólares de PIB per capita …mais pobre que o Brasil.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Gabriel BR
2 meses atrás

Quem diria?

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Não vou responder…vou deixar você na sua insignificância

Hcosta
Hcosta
Reply to  Gabriel BR
2 meses atrás

Sim, vamos compara todos os outros países europeus que foram invadidos pela Rússia nos últimos sete anos e assim dá para comparar…
E repito.
Quem diria que um país ocupado, bloqueado e sabotado durante anos por outro e agora em guerra total evitaria de ser o país mais pobre da Europa?

O Chato
O Chato
Reply to  Gabriel BR
2 meses atrás

Parece que a Rússia leva o posto de mais corrupta. Porém, nesse quesito, a briga com a Ucrânia é bem equilibrada.
https://tradingeconomics.com/country-list/corruption-index?continent=europe

paulotd
paulotd
2 meses atrás

Esse é o segundo analista Americano que vejo falando verdade. O outro é o dono da corretora bitmex, que fez a análise econômica perfeita sobre a morte do dólar. Poucos querem enxergar a verdade. Mas eu ainda acredito que a Rússia não vai invadir Kiev, o interesse dela é a região sul mar de Azov.

Hcosta
Hcosta
Reply to  paulotd
2 meses atrás

O objetivo dele vai mudando conforme o decorrer da guerra. Como os países Ocidentais não caíram na sua armadilha agora vai despedaçar a Ucrânia mas não vai conseguir o que realmente quer.
A Rússia dificilmente voltará a ser o que era antes desta invasão e até mesmo antes de 2014.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
2 meses atrás

Uma boa tarde de domingo a todos os Senhores camaradas do Forte.

Essa história de Rússia X Ucrânia, desde o princípio me pareceu o óbvio.
Os episódios abaixo se fazem perfeito para toda essa encenação da NATO (leia-se EUA) e sua ajuda a Ucrânia.

https://youtu.be/t2H_oKyNBQk

Sgt Moreno

Eurico
Eurico
2 meses atrás

Zelensky é o principal responsável pela guerra por ter acreditado nas promessas do ocidente. Putin evitou um mal maior na fronteira com a Ucrânia pois a ideia do ocidente era formar um grande exército ucraniano para chegar às portas de Moscou.

PedroB
PedroB
Reply to  Eurico
2 meses atrás

Esse discurso é igual aquele que fala que a mulher é culpada no caso de estupro.

Bruno Vinicius
Bruno Vinicius
2 meses atrás

Só digo uma coisa, leiam quem é Larry C. Johnson e o as conspirações que ela já espalhou por aí. Se depois do que lerem ainda o acharem uma fonte confiável de informações… bom cada um sabe o que faz.

Airton
Airton
2 meses atrás

Vou resumir o que ele disse para quem estiver com preguiça de ler: é tudo um grande complô internacional. Todos os relatórios de diferentes órgão de inteligência de diferentes países, assim como todas a imprensa internacional e todos as pessoas que estão filmando os resultados da guerra em tempo real e colocando nas mídias sociais estão reunidos em um grande complô para mentir sobre a guerra. O que está acontecendo é justamente o contrário do que eles mostram. Ah, não podemos esquecer de mencionar que as “Big Techs” estão querendo dominar o seu cérebro. O único que está certo é… Read more »

Kornet
Kornet
2 meses atrás

Quando a realidade fala mais forte que a torcida e a imprensa mainstream não há o que argumentar
e nem dizer ,que um ex agente da CIA com 24 anos de atuação, é comunista, progressista e etc.
Ele fala o que muitos não querem aceitar pq odeiam a Rússia e o Putin.
A Ucrânia vai pagar por um Zé Lensquisse da vida,o novo Churchill, SQN.

Bruno
Bruno
2 meses atrás

Marionete Dos EUA E OTAN. CONFLITOS NA UCRÂNIA E O CINISMO DO OCIDENTE Nas aulas de geografia, lá no ensino fundamental, aprendemos que tudo o que está à esquerda no Mapa Mundi é “ocidente”, e tudo à direita, é “oriente”. Assim, o Brasil seria um país ocidental, enquanto a Austrália seria um país oriental. Algo que parece simples, afinal, o Brasil está no mesmo continente americano que os EUA enquanto a Austrália está ao lado da China e Japão. Por isso, quando ouvimos os discursos na ONU, Comunidade Europeia e Estados Unidos falando sobre “ocidente”, imaginamos que estão falando de… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
2 meses atrás

Ih, vão chamar o cara de cumunixxxta, igual o ex-coronel dos EUA…

Nilson Alves Meira
Nilson Alves Meira
2 meses atrás

Este senhor Mike, veterano da CIA, com todo seu conhecimento, mostra uma aparente admiração pelo governo Putin. Parece mais um russo engajado. Não parece um americano afeito a democracia.

Edson Neves
Edson Neves
2 meses atrás

Para além da cortina de fumaça da guerra de propaganda, aqui está uma análise séria sobre o assunto. Ler textos como esse e ouvir as avaliações do coronel Douglas McGregor são caminhos sensatos para quem quer saber o que se passa na região.

Juarez
Juarez
2 meses atrás

O governo dos estados unidos precisa entender que essa ideia obsoleta de governar o mundo e ultrapassada a russia agora vai ajudar a china a se tornar uma verdadeira potencia atomica a china tem dinheiro a russia tem a tecnologia nuclear

Marcelo
Marcelo
2 meses atrás

Larry C. Johnson é um ex-analista da Agência Central de Inteligência dos EUA. É coproprietário e CEO da BERG Associates, LLC (Business Exposure Reduction Group). Ele é mais conhecido por espalhar uma farsa em 2008 de que agentes republicanos tinham uma fita de vídeo de Michelle Obama reclamando de “branquelo”.

Seria esse “especialista” confiável?
É sensato publicar esse texto sem as devidas ressalvas?

Fernando
Fernando
2 meses atrás

BELÍSSIMA EXPLANAÇÃO SOBRE TODA A SITUAÇÃO. OBRIGADO.

naval762
naval762
2 meses atrás

Tudo isso não passa de mera opinião, não tem relevância nenhuma. Caso essa vitória se torne realidade, não passará de uma vitória de Pirro, com repercussões negativas na Russia por décadas. No final dessa história, os derrotados mesmo serão os russos, o que não quer dizer que os ucranianos serão vencedores.

nukenyn
nukenyn
2 meses atrás

”Lembro-me de quando George W. Bush era Hitler. Lembro-me de quando Donald Trump era Hitler. E agora temos um novo Hitler, Vladimir Putin. É um cartilha cansada e falha. Qualquer pessoa que ouse levantar questões legítimas é imediatamente taxado como um fantoche de Putin ou um fantoche russo. Quando não se pode argumentar sobre fatos, o único recurso é adjetivar e agredir.”

Ápio Ruiz
Ápio Ruiz
Reply to  nukenyn
2 meses atrás

Puxa, mano, a torcida aqui é toda do Botafogo!

Últimas Notícias

Svatovo, primeiro alvo do HIMARS?

A mídia ucraniana tem divulgado vídeos e imagens de uma suposta explosão nas proximidades da cidade ucraniana de Svatovo,...
- Advertisement -
- Advertisement -