quinta-feira, junho 30, 2022

Saab RBS 70NG

O rápido processo de ‘ocidentalização’ do arsenal ucraniano

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

Países do antigo Pacto de Varsóvia estão fornecendo armas e munições de origem soviética que são compatíveis com os equipamentos ucranianos. Na medida em que estes estoques se esgotam, as Forças Armadas Ucranianas terão que passar por um rápido processo de ‘ocidentalização’ para que a luta não pare

Defender seu país já é bastante difícil. Conseguir se defender enquanto muda de armamento pesado derivado da Rússia para um arsenal desconhecido de obuses ocidentais, veículos blindados e munição padrão da OTAN é ainda mais difícil. Para sobreviver, tudo, desde o treinamento até as cadeias de suprimentos, deve mudar – e tudo enquanto estiver em combate.

Essa é a tarefa à frente da Ucrânia. E isso não foi feito antes.

O desafio logístico é imenso. A munição ocidental e outros consumíveis militares são incompatíveis com a maioria das armas pesadas projetadas na Rússia. Assim, uma vez que a transição para as armas ocidentais – foguetes, granadas, artilharia, canhões de tanques, morteiros e armas de médio calibre – começar, os soldados ucranianos não poderão pegar uma caixa de munição ocidental de um caminhão para usá-la em um canhão russo. — os tamanhos são totalmente diferentes. Mas os fluxos logísticos para os sistemas de armas antigos e novos precisarão continuar levando os suprimentos certos para os lugares certos no campo de batalha em movimento rápido da Ucrânia.

Só fica mais difícil a partir daí. Quanto mais complexa a plataforma, mais difícil a transição. Os tanques ocidentais funcionam com diferentes combustíveis, operam em diferentes ciclos de manutenção e até usam ferramentas diferentes na garagem.

É um grande negócio – e difícil de realizar com sucesso, mesmo em tempos de paz.

Neste momento, soldados ucranianos se contentam com munições e plataformas russas “antiquadas”. Para manter a luta, os antigos países do Pacto de Varsóvia estão doando quaisquer sistemas de armas, munições ou outros equipamentos de origem russa remanescentes. Qualquer coisa que ainda possa funcionar com o arsenal ucraniano de armamento pesado de origem russa está sendo espanado e enviado para a fronteira da Ucrânia.

Mas essas antiguidades, muitas vezes armazenadas em condições duvidosas, têm uma oferta finita.

Na Ucrânia, a munição e outros consumíveis militares estão acabando. A capacidade do Ocidente de apoiar equipamentos de origem russa já é muito limitada, e o punhado de fabricantes de armas do Leste Europeu que ainda podem fabricar munição e peças de reposição compatíveis com a Rússia provavelmente estão se esforçando para quebrar recordes de produção.

Novas fontes de abastecimento são improváveis. Embora a guerra tenha tornado a produção de munições e peças de reposição de calibre russo um empreendimento lucrativo, faz pouco sentido expandir as capacidades de produção de armamento pesado de origem russa. Uma vez que a Ucrânia fica sem sua frota de tanques T-64, T-72 e T-80, é o fim da demanda ocidental por munição de tanque de calibre russo. No momento em que a Ucrânia disparar os últimos canos de seus obuseiros de 152 mm e 122 mm, é praticamente isso.

A Ucrânia tem poucas opções. Em algum momento, o Ocidente não terá mais armamentos de origem russa para oferecer. À medida que a guerra continua, a Ucrânia deve adotar sistemas de armas ocidentais, tornando a transferência em meio a uma luta intensa e desesperada.

Rearmar é um grande desafio:

Ao longo da última década, à medida que os antigos países alinhados ao comunismo se juntaram à OTAN, muito trabalho foi feito para entender como as forças militares herdadas na República Tcheca, Hungria, Polônia, Bulgária e outros países do antigo “Bloco Oriental” adotariam gradualmente o poder do Ocidente. armas interoperáveis.

Esses estudos precisam ser espanados. Naquela época, a OTAN percebeu que era um enorme empreendimento ajustar tudo em um arsenal – para resolver apenas as diferenças de munição do Exército, os novos membros da OTAN tiveram que trocar ou atualizar quase noventa sistemas de armas diferentes.

Dada a eficácia do Stinger, Javelin e outros sistemas de mísseis portáteis na Ucrânia, o público em geral pode não entender o desafio à frente. Na realidade, a rápida adoção pela Ucrânia de uma série de foguetes antitanque padrão da OTAN foi uma espécie de anomalia, bem-sucedida porque a maioria das armas antitanque ocidentais são plataformas semi-descartáveis ​​ou “one-and-done” – onde o usuário pode disparar o míssil antitanque ou granada, jogue fora o tubo de míssil gasto e pegue outro. Para colocá-los na batalha, a Ucrânia precisava de pouco treinamento, apoio ou infraestrutura de manutenção, e os mísseis podiam ser lançados na luta tão rapidamente que a Rússia tinha pouco tempo para mudar de tática.

A Ucrânia administrou bem a mudança. Mas só fica mais difícil.

As doações ocidentais de armas básicas de infantaria sugeriram a missão mais complexa pela frente. Embora as metralhadoras mais antigas da era russa possam ser limpas com pouco mais do que Coca-Cola e um pano, a mudança para um fuzil ou metralhadora moderna da OTAN significa que os soldados devem aprender diferentes perfis de tiro e adotar novas práticas de manutenção – tudo enquanto estabelece novas cadeias de fornecimento de munições e peças sobressalentes.

Só fica cada vez mais difícil.

O desafio atual é que os estados doadores maximizem o tempo disponível antes que os sistemas mais antigos da Ucrânia se deteriorem, fiquem sem munição ou consumam algum outro consumível importante. Veja a artilharia — algo que a Ucrânia empregou com bons resultados no campo de batalha. No momento, a Ucrânia depende em grande parte de obuses de origem russa e munição de 152 mm ou 122 mm de tamanho russo. Se não houver mais munição disponível, uma vez que os estoques de munição existentes se esgotem, a artilharia da Ucrânia – e todas as redes de apoio que a Ucrânia desenvolveu para manter essas armas na luta – serão inúteis.

Para continuar lutando, as forças de artilharia da Ucrânia devem mudar para canhões de 155 mm de padrão ocidental e adotar os sofisticados sistemas de mira de artilharia do Ocidente. Isso não é algo que pode ser feito da noite para o dia.

As primeiras tentativas estão em andamento. A Casa Branca anunciou a transferência de 18 peças básicas de artilharia de 155 mm e 40.000 cartuchos de munição de 155 mm, bem como sistemas de radar de contra-artilharia AN/TPQ-36 em 13 de abril , preparando o terreno para uma atualização por atacado da artilharia e alvos da Ucrânia. a infraestrutura. Os treinamentos começarão nos próximos dias. Mas o verdadeiro truque será desenvolver essa capacidade inicial rapidamente, para que as novas armas possam aparecer na frente em número suficiente para fazer uma diferença real imediatamente.

Construa uma fundação e despeje ajuda:

Na guerra mecanizada, colocar algumas novas capacidades em uma luta é uma distração. Na Segunda Guerra Mundial, supertanques novinhos em folha, jatos e outros equipamentos sofisticados que foram introduzidos no campo de batalha muito rapidamente quebrariam, seriam capturados ou, expondo-se à oposição, reduziriam sua eficácia tática.

A Ucrânia enfrenta hoje um desafio semelhante. As necessidades do campo de batalha da Ucrânia são urgentes, mas todas as novas armas pesadas que chegam à Ucrânia são mais eficazes quando introduzidas em uma luta em massa, com apoio suficiente para liberar totalmente todo o potencial da nova arma. Dado o anúncio público de que a primeira bateria de canhões de 155 mm prontos para a OTAN está chegando, outros arsenais ocidentais inteligentes estão ocupados tirando a poeira de seus sistemas de artilharia mais antigos, preparando-se silenciosamente para obter o maior número possível de obuses e munição padrão da OTAN nas mãos ucranianas nos próximos meses. O objetivo é fazer as forças russas enfrentarem uma força de artilharia totalmente nova, com novas capacidades e táticas mortais.

O Ocidente sabe que, a partir dos esforços anteriores de conversão da OTAN, plataformas complexas entrarão na luta. Além dos obuses, é hora de o Ocidente determinar quais outras ferramentas de alta tecnologia disponíveis na Ucrânia podem precisar e começar a desenvolver uma base para elas agora. Está acontecendo lentamente; os 200 veículos blindados de transporte de pessoal M113, incluídos no atual pacote de ajuda, permitem à Ucrânia um primeiro passo para obter tanques e veículos blindados padrão da OTAN mais antigos. O atual pacote de ajuda também permite que o Ocidente entenda melhor como o apoio de contratados, necessário para alavancar totalmente certos aspectos técnicos de vários itens militares, pode funcionar no futuro campo de batalha da Ucrânia.

Deixando de lado as terríveis circunstâncias da Ucrânia, há alguma ironia aqui. À medida que a Rússia se aprofunda, lutando para impedir que a Ucrânia se junte à OTAN, as forças armadas da Ucrânia devem passar por uma das conversões mais rápidas para um arsenal padrão da OTAN na história moderna, transformando-se, sob ataque militar, em um membro de fato da OTAN, seja o presidente da Rússia , Vladimir Putin, goste ou não.

Continuando a guerra e continuando a lutar, o status da Ucrânia como membro da OTAN é inevitável.

FONTE: Forbes

- Advertisement -

124 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
124 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bosco
Bosco
Reply to  Guilherme Poggio
2 meses atrás

E os russos têm um problema sério que é não poderem decretar o fim da “operação especial de assassinato de ucranianos” porque o dia que fizerem isso, a parte que continuar ucraniana irá se aliar automaticamente á OTAN.
Essa guerra só tem uma solução satisfatória para a Rússia já que tudo que o estrategista enxadrista imaginou que iria ocorrer não ocorreu, e essa solução é “aposentarem” o Putin.

Heitor
Heitor
Reply to  Bosco
2 meses atrás

O que impede de aposentarem o açougueiro é talvez o apoio grande que ainda tem entre as camadas mais humildes e não urbanas… Enquanto o controle estatal da mídia segurar, o butcher ainda terá certo apoio. Se ele não tivesse esse suporte, com certeza teriam sumido com ele já…

Nelson Junior
Nelson Junior
Reply to  Heitor
2 meses atrás

Em 1917 uma revolução depois o Czar… Vejo que hoje também seria bem possível, basta apenas as coisas “piorarem” mais um pouco para a população Russa que o “novo” Czar cai também

Last edited 2 meses atrás by Nelson Junior
Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Heitor
2 meses atrás

Apenas observando que as “camadas mais humildes e não urbanas” não são exatamente importantes em um país que não presa por valores democráticos e de liberdade, da pra analisar historicamente inclusive!

Last edited 2 meses atrás by Carlos Gallani
Casemiro
Casemiro
Reply to  Bosco
2 meses atrás

Se não me engano, li aqui que a Ucrânia tem cerca de 44 milhões de habitantes, sendo 26 milhões deles no leste. Se a Rússia anexar o leste e o sul da Ucrânia, a parte que ‘caberia’ à OTAN (se a Rússia deixar, é claro) seria talvez de uns 16 milhões de habitantes (ou seja, sem o leste e sul do País). Sem contar os milhões que deixaram o País (calcula-se em 5 milhões, muitos deles do Oeste). E essa parte seria essencialmente agrícola, visto que o oeste é mais agrário e as poucas indústrias estão sendo destruídas. Será uma… Read more »

Luciano
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Até no alto número de dislikes seus comentários são iguais ao do kings, tem certeza que vc não é ele?

Guilherme Leite
Guilherme Leite
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Só esqueceu de mencionar que como a guerra ocorre majoritariamente no Leste, eles estão migrando para o Oeste. Liviv já se tornou quase que a capital da Ucrânia!

Casemiro
Casemiro
Reply to  Guilherme Leite
2 meses atrás

Por isso, coloquei ‘cerca de’, ‘talvez’ e etc.
É quase impossível dizer com precisão o que é o que.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Precisariam mais de implementos agrícolas que armas.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Renato de Mello Machado
2 meses atrás

Exatamente, a Rússia precisa de mais equipamentos agrícolas do que torpedos nucleares…

Casemiro
Casemiro
Reply to  Renato de Mello Machado
2 meses atrás

E fertilizantes russos.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Melhor ainda que já está chegando aqui os fertilizantes

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Fertilizante russo são os cadáveres que ali estão ficando!

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Realmente fertilizantes russos. os campos ucranianos vão ficar bem férteis usando os corpos dos conscritos russos que morreram la a mando do seu mestre, Putin.

Miguel Carvalho
Miguel Carvalho
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

O meu amigo esquece que a parte leste e sul, é praticamente um amontoado de escombros, sem esperança num futuro próximo. Para onde é que o meu amigo acha que se vai deslocar toda a força produtiva destruída pela Rússia? Para oeste. Onde o esforço de reconstrução vai alavancar a economia, e vai haver mão de obra disponível e barata para fornecer os mercados mais desenvolvidos da UE, EUA, Canadá, Austrália etc…. Para onde é que acha que a mão de obra especializada se vai deslocar? Para o lado da Rússia não vai ser de certeza, isso foi um dos… Read more »

Casemiro
Casemiro
Reply to  Miguel Carvalho
2 meses atrás

O leste é o que tem mais recursos industriais e minerais e ainda tem excelentes terras para agricultura.
O Oeste é basicamente agrícola.
Para vc ver o problema que a Ucrânia enfrentará, sua capacidade industrial (pelo menos a militar) foi destruída.
Eles anunciaram que seu material terá de ser levado para a Rep. Tcheca para reparos.
Totalmente disfuncional e propício a ataques dos russos.
Um comboio ferroviário levando tanques para reparo será um excelente alvo para a aviação russa.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Ainda tem o acesso ao mar.Que estão com os Z.

Casemiro
Casemiro
Reply to  Renato de Mello Machado
2 meses atrás

Exato!

Wellington Jr
Wellington Jr
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

A capacidade industrial Ucraniana destruída kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Moscou está muito irritado com sua afirmação.

Miguel Carvalho
Miguel Carvalho
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Para onde os tanques serão levados, a força aérea russa não consegue lá chegar. E se chegar a Ucrânia tb terá força aérea e misseis. A Rússia está no limite das suas cadeias de abastecimento puderem suprir as frentes de combate onde irão atuar. O único fator que desequilibra são mesmo os misseis cruzeiro que as defesas Ucranianas não conseguem neutralizar. Se as coisas estão a correr assim tão bem para a Rússia, porquê que ofereceu um esboço de um tratado de paz? A Rússia terá anos de conflito na Ucrânia, com o ocidente a suportar materialmente o seu exercito.… Read more »

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

A rússia não está em condições de anexar nem uma Bolivia, volta pra Terra.

Alecs
Alecs
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Prezado Casemiro da Lua,
Esses 26 milhões que você se refere, serão a maior pedra no sapato para a rússia! Você realmente acha que a maioria deles quer ser russo? Os que não conseguiram fugir devem estar P da vida com o Czar Putinho e vão combater a ocupação por anos! Mas pode continuar suas com sandices tem uns cegos que seguem sua ideologia que vão te dar uns “likes” kkkkkkkkkkkk Tonho, só para não perder o costume:1 Rublo russo igual a
0,056 Real brasileiro kkkkkkkkkkkkkkkk

Guilherme Leite
Guilherme Leite
Reply to  Alecs
2 meses atrás

Quando ele fala da Rússia, nós temos a impressão de que é um país do qual as pessoas ficam na fronteira tentando entrar e viverem lá kkkkkkkk

O cara foge da realidade e diz: Esse é apenas um ponto de vista !

Só que é um ponto de vista “fora da realidade” kkkkkkk

Pragmatismo
Pragmatismo
Reply to  Bosco
2 meses atrás

A Ucrânia perderá as saídas para o mar (ponto). Não se trata de torcida. Realismo em relações internacionais. Anexação ou estado-tampão, não sei. Uma enorme comoção inernacional ocorrerá. UE, pode ser. Otan, difícil. Ucrânia será a Alemanha próspera de outrora contra o atraso do leste?

Last edited 2 meses atrás by Pragmatismo
Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Pragmatismo
2 meses atrás

Tu acha que a Rússia vai tomar Odessa? hahahahhahahaha

Pragmatismo
Pragmatismo
Reply to  Carlos Gallani
2 meses atrás

Eu não acho nada. Sei que Odessa já foi Rússia. Sei que o Putin é um saudosista e quer inviabilizar a Ucrânia. Sei que a Ucrânia não dispõe de meios aéreos (ainda?). Não dispõe de marinha. As tropas estão às portas de Mikolaiev… Não me assustaria se o novo mapa da Ucrânia retornasse aos tempos do império russo.

Pragmatismo
Pragmatismo
Reply to  Carlos Gallani
2 meses atrás

Eu não acho nada. Sei que Odessa já foi Rússia. Sei que o Putin é um saudosista e quer inviabilizar a Ucrânia. Sei que a Ucrânia não dispõe de meios aéreos (ainda?). Não dispõe de marinha. As tropas estão às portas de Mikolaiev… Não me assustaria se o novo mapa da Ucrânia retornasse aos tempos do império russo.

George
George
Reply to  Pragmatismo
2 meses atrás

Levaram mais de dois meses e não tomaram Mariupol. Como é que vão tomar Odessa que já está totalmente fortificada?

Guilherme Leite
Guilherme Leite
Reply to  George
2 meses atrás

kkkkkkkk Com o submarino Moskva que foi lá tentar kkkkk

Hcosta
Hcosta
Reply to  Pragmatismo
2 meses atrás

Vão conquistar Odessa?

Pragmatismo
Pragmatismo
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Eu não acho nada. Sei que Odessa já foi Rússia. Sei que o Putin é um saudosista e quer inviabilizar a Ucrânia. Sei que a Ucrânia não dispõe de meios aéreos (ainda?). Não dispõe de marinha. As tropas estão às portas de Mikolaiev… Não me assustaria se o novo mapa da Ucrânia retornasse aos tempos do império russo.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Pragmatismo
2 meses atrás

Podem bloquear com a marinha o acesso, como em Cuba, mas conquistar o território parece que cada dia que passa mais improvável.
E mesmo assim não tenho a certeza se os países da OTAN o irão permitir. Nem é preciso enviar navios. Basta fecharem o acesso ao Mediterrâneo.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Guilherme Poggio
2 meses atrás

Estão é mandando pessoal da OTAN pra operar e dissimulando que é uma transformação das FA ucranianas bobinho

Zé zinho
Zé zinho
2 meses atrás

Não há mal que não venha para bem !

Heitor
Heitor
2 meses atrás

Imagino que quem mais quer ver a Rússia subjugada e enfraquecida economicamente e até moralmente (apesar de acharem que tem moral) é a China. As sanções não vão embora da noite para o dia, as opções vão aparecendo e a Europa vai se alinhando. Porém com a Rússia cada vez mais dependente do dinheiro chinês, acaba dando mais liberdades aos seus fiadores. Uma Rússia enfraquecida é uma grande zona que separa China e OTAN, e com maiores liberdades, a China pode até mesmo estar de olho em parte das ogivas nucleares russas. Não se enganem, chineses e russos não são… Read more »

Casemiro
Casemiro
Reply to  Heitor
2 meses atrás

Essa vodca ucraniana é forte, hein?
A Europa Ocidental entrou em um beco sem saída.
Não bastasse a recorrente perda de competitividade econômica, atrelou-se totalmente aos EUA que também perdem competitividade.
Imagine que será obrigada a pagar caríssimo pelo gás americano durante muitos anos.
Isso se conseguir se livrar do gás russo.
Bem.
Foi uma escolha que eles fizeram.
Que venham as consequências.

Guilherme Leite
Guilherme Leite
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Igual as escolhas de invadir Kiev e deixar o Moskva boiando por aquelas bandas rs
Que venham as consequências.”

Casemiro
Casemiro
Reply to  Guilherme Leite
2 meses atrás

Fatos normais de uma guerra.
O que importa é o resultado final.

fabio_bsb
fabio_bsb
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Não é guerra, é operação especial.

Casemiro
Casemiro
Reply to  fabio_bsb
2 meses atrás

Verdade.
A Rússia ainda nem decretou mobilização.
Está em NVO.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Guilherme Leite
2 meses atrás

Moskva foi uma perda.Mas a situação da Ucrânia é caótica nem se compara com as perdas russas.

Casemiro
Casemiro
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Exatamente.
Só como exemplo, a Volkswagen anunciou, há duas semanas, que vai deixar de ser uma fabricante de veículos de massa para se concentrar em produtos mais caros, ou seja, sua produção vai despencar.
E ela já foi, recentemente, a maior do Mundo no setor.
Aposto meus tostões que os chineses vão dominar esse mercado todo.
A Europa perdeu uma grande chance de mostrar independência, mas preferiu ficar atrelada aos EUA.
Vai pagar caríssimo.
Aliás, já está.

Sagaz
Sagaz
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Ele cria perfis para conversar com ele mesmo!?

leandro
leandro
Reply to  Sagaz
2 meses atrás

Já vi esse linguajar “professoral” em assunto do leste em outro forista aqui…

Last edited 2 meses atrás by leandro
Rogério Loureiro Dhiério
Rogério Loureiro Dhiério
Reply to  Sagaz
2 meses atrás

Eu percebi isso tb. Ele fala com um perfil, depois ele mesmo com outro perfil comenta sobre o que ele disse no outro…
Cara, de boa.

Antes eu achava graça pq ele provocava todo mundo e de certo modo era cômico. Depois pelo entusiasmo com a incursão russa na Ucrânia, eu passei a ficar preocupado.
Agora a agressividade e o modo CHICO ANÍSIO dele eu estou com dó.

Casemiro
Casemiro
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Efeito de líderes fracos.
Macron e Scholz não têm liderança.
Personalidade
Lembremos de Merkel que, apesar de ser de direita, manteve uma postura independente na Alemanha e estava se saindo muito bem.

Alecs
Alecs
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

1 Rublo russo igual a 0,056 Real brasileiro. Quem está com a economia prestes a quebrar não é a Europa! kkkkkkkkkkkkkk

paulotd
paulotd
Reply to  Alecs
2 meses atrás

Vai estudar! O Rublo está hoje na cotação 80:1 em relação ao dólar, mesma de antes da guerra. Foi só a Rússia decretar que só se compra energia deles em Rublos que ele se valorizou. Brasil poderia aprender com isso.

Alecs
Alecs
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

“Eu não entendo porque a Europa Ocidental tanto teme a Rússia, que vendia energia barata pra eles.” Cegueira ideológica!

Alecs
Alecs
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Tonhinho da Lua! kkkkkkkk Até essa postagem eu só tinha 99,9% de que era você, agora já tenho 100%! kkkkkkkk Que eu saiba a rússia não cortou (e nem vai cortar) o fornecimento de gás. Eles não estão podendo ficar sem os Euros e Dollares que que ainda entram. O que vai acontecer é que a Europa vai buscar fontes alternativas para reduzir a dependência e ao mesmo tempo enfraquecer a economia russa. Eu aprecio um bom vinho chileno, tem ótimas vodkas polonesas e é possível que também existam vodkas de boa qualidade na Ucrânia. As vezes abusamos um pouquinho… Read more »

Sagaz
Sagaz
Reply to  Heitor
2 meses atrás

É o que ocorre com a Venezuela. Favorece muito aos russos um grande concorrente de produção de petróleo com a produção comprometida, para tanto basta encher os bolsos dos corruptos que lideram o país .

Casemiro
Casemiro
2 meses atrás

Depois dos M-113, agora foi anunciado que a Romênia vai vender (o seja lá o que isso significa) seus Mig-21 aos ucranianos.
Como estão dizendo, a OTAN vai lutar até o último ucraniano.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

hehehehehehe desgraça pouca é bobagem

leandro
leandro
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

o Kings, o que tu tens a dizer sobre o afundamento do Moskva?

não vi tu postar com o nick original em nenhuma postagem mais….

Alecs
Alecs
Reply to  leandro
2 meses atrás

Acho que ele matou o Xings! kkkkkkkkkkkkk mandou lutar no lado russo.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Dependendo do míssil integrado e com apoio de um AWACS de primeira não subestime qualquer plataforma, um tucano pode abater qualquer avião que ilumine o radar!

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Carlos Gallani
2 meses atrás

Se o F-5 não consegue transportar um míssil da envergadura de um Meteor ou AMRAAM, o tucano irá? Tenha santa paciência. Tucano foi feito para atacar alvos em solo e aviões civis do mesmo naipe, e olhe lá, se os alvos em solo tiverem MANPADS em mãos adeus tucano.

Jagdverband#44
Jagdverband#44
2 meses atrás

Esse Putin meteu a mãe Rússia num atoleiro sem fim.
Digamos que a Rússia consiga alguma coisa no leste.
O que sobrar da Ucrânia se alinhará automaticamente à OTAN, fora os problemas econômicos que certamente liquidarão a economia russa por um bom tempo.

paulotd
paulotd
Reply to  Jagdverband#44
2 meses atrás

A Ucrânia já ia entrar na OTAN e UE de uma forma ou de outra. E os países Nórdicos na prática já são OTAN há muitos anos, só não assinaram o papel.

Com a guerra ao menos a Rússia garantiu terras aliadas na região. Em compensação, o gás caro que a Europa vai ter de comprar…

Last edited 2 meses atrás by paulotd
Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Jagdverband#44
2 meses atrás

Meteu não, a Ucrânia está cada dia mais sem tropas, não adianta equipamento sem ter quem as use, até agora não existe arma 100% autônoma. Logo, logo a Ucrânia cede e o pessoal esquece, relaxando as sanções, até por que a perda de um mercado de 140 milhões de consumidores vai doer no bolso dos europeus e americanos em breve, é só dar tempo ao tempo.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
2 meses atrás

A Ucrânia vai virar um novo líbano,Síria ou coisa parecida.Com os “Z” na parte filé do país aliando uma grande população de maioria étnica russa.Só daí a Rússia já conquistou seus objetivos.Depois disso aí o que sobrar da Ucrânia podem ir para o lado que quiserem.

Casemiro
Casemiro
Reply to  Renato de Mello Machado
2 meses atrás

Exatamente.
Se a Rússia anexar o leste e o sul da Ucrânia, pode esquecer o País como ameaça aos russos.
A Ucrânia terá de vender o almoço para comprar o jantar.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

“Por Stalin” meu caro.Porque os contras ficam passando uma imagem negativa da situação da Rússia nessa guerra.Mas o que tem de positivo na parte da Ucrânia hoje? Seria o Zé lensqui indo embora de mala e cuia aliviando o povo.Que aliais já são mais de 5milhões de refugiados ucranianos,perdas de infraestruturas,fora os mortos e falta de tudo tipo água potável e gás para os que estão ainda vivos.

Carlos
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

“A Ucrânia terá de vender o almoço para comprar o jantar.” Pergunto, e a Rússia? Nunca vi ninguém se preocupar tanto com os trabalhadores europeus como Putin, pessoa que não se preocupa com trabalhadores russos, sírios, georgianos, ucranianos, etc. preocupar-se tanto com os trabalhadores europeus, só quer dizer uma coisa, “Putin tem a corda na garganta e já não sabe o que fazer.

Palpiteiro
Palpiteiro
Reply to  Renato de Mello Machado
2 meses atrás

Nesta hipótese, o que você chama de filé será só entulho. Por ser incorporado a união europeia a Ucrânia terá acesso ao mercado, financiamento, pesquisas e outros benefícios. O que seria melhor para seus filhos, morar na comunidade europeia ou no fiasco da Rússia?

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Palpiteiro
2 meses atrás

Como eu disse em outro post, os separatistas de Donbass que não radicais devem estar pensando muito bem nas escolhas que fizeram, o horizonte é plúmbeo para quem se coligar com a Rússia!

Carvalho
Carvalho
2 meses atrás

Pensar hj geopolítica como “aquisicao” de território é um anacronismo digno de um subalterno da KGB que virou presidente.
O Ocidente se revigorou como instituição nesta guerra.

Casemiro
Casemiro
Reply to  Carvalho
2 meses atrás

A úncia coisa que ‘revigorou’ foi uma altíssima inflação no Ocidente.
Já beirando a casa dos 10%
E todos os economistas dizem que vai piorar, porque uma forte recessão está se aproximando.
Enquanto isso, a China agradece com o anúncio de crescimento de 4,8% nesse primeiro trimestre e com o reforço da parceira com a Rússia.
Valeu Joe!

Hcosta
Hcosta
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

O senhor sabe qual é a taxa de crescimento prevista na UE e nos EUA?
E, já agora, de quanto foi a queda do PIB Russo?

Casemiro
Casemiro
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Eu leio os artigos das publicações especializadas.

Exemplo:

Infomoney – 29/03/22

“A Europa pode ter recessão; e os EUA, estagflação”, afirma Barry Eichengreen (Professor da Universidade da Califórnia)
E os sinais dos EUA são muito preocupantes (para eles, é claro).

Hcosta
Hcosta
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Pode encontrar os mais diversos números mas por enquanto são 3 a 4% de crescimento.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Não, vc não lê.
Vc disse q os EUA invadiram o Iraque com 400 mil homens.
E não foi isso.
Isso foi o rodízio.
Vc lê um pedaço das coisas e depois bosteja o q quer acreditar.

Carvalho
Carvalho
Reply to  Carvalho
2 meses atrás

Amon, me lembro de ouvir esse papo no DCE da Universidade Federal on me graduais…30 anos atras
Ah ! Que saudade da mesa de sinuca, das cervejas e do papo entre amigos

Casemiro
Casemiro
Reply to  Carvalho
2 meses atrás

O ‘Ocidente’ vai existir até uma Le Pen da vida ganhar uma eleição.
E isso vai ocorrer mais cedo ou mais tarde.
Muito provavelmente antes do que pensemos.

Carvalho
Carvalho
Reply to  Carvalho
2 meses atrás

Anauê! A luta continua companheiro !!!
Milk shake ideológico em desenvolvimento !

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Carvalho
2 meses atrás

Sim.Muito revigorado.Nós vimos as pessoas caindo do avião da USAF na fuga de Cabum. hahahahahaha E os patéticos dos pilotos foram condecorados ainda.

Rogério Loureiro Dhiério
Rogério Loureiro Dhiério
Reply to  Carvalho
2 meses atrás

Não digo se revigorou más que irá se revigorar isso é fato. Especialmente a OTAN.

Carvalho
Carvalho
2 meses atrás

A Otan já percebeu que malucos com baixa autoestima (Maduro, King Jon, Putin) podem levar países poderosos à conflagração nuclear.
Cada vez mais os mecanismos de controle e segurança deverão ser aprimorados.
E estes mecanismos deverão ser a prova de aventureiros, com forte vinculação institucional (isso normalmente é denominado de democracia)

Varg
Varg
2 meses atrás

A OTAN e seus aliados tiveram desde 2014 a chance de treinar e equipar os ucranianos de forma menos atabalhoada. Agora precisam correr contra o tempo.

Aliás, se com equipamento obsoleto da época soviética a Ucrânia já está dando um sufoco nos russos, imaginem com coisa mais nova?

Carvalho
Carvalho
Reply to  Varg
2 meses atrás

O tempo corre contra o Putin….ele é que vai precisar explicar a “operação especial prolongada”
Pensando bem….O Putin é o único sujeito nessa caca toda que não precisa explicar nada…

Carvalho
Carvalho
Reply to  Carvalho
2 meses atrás

Falando em tempo…Mariupol já caiu?

Anderson
Anderson
Reply to  Carvalho
2 meses atrás

Os combatentes do SAS, Força Delta e Legião Estrangeira da França estão segurando as pontas enquanto tentam negociar sua retirada. Ops: a retirada de civis do local.

Casemiro
Casemiro
Reply to  Anderson
2 meses atrás

E há pouco, o Departamento de Estado dos EUA anunciou que está interessado em uma trégua para retirada de pessoal de Azovstal.
Não sei o porquê de tanta preocupação de Zelensky e da OTAN com infortunados azovitas que estão naquela ratoeira.
Ou será que tem algo mais lá?
Ontem, os russos retiraram 140 civis das proximidades.
Não creio que os nazis estejam muito preocupados com eles.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Anderson
2 meses atrás

Se tivesse Delta, SAS e legião estrangeira da frança em Mariopul, os Russos não teriam nem chegado no meio da cidade. esses caras não são forças que o ocidente emprega e deixam largados em campo, sem suporte.

Ao contrario dos VDV e Spetznas em Kiev…

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Anderson
2 meses atrás

Os russos já utilizaram esses armamentos em Mariupol, mesmo assim não conseguiram tomar a zona industrial de lá.

Casemiro
Casemiro
Reply to  Varg
2 meses atrás

Que sufoco, hein?!?!
Já perdeu cerca de 25% do território e está arriscado a perder mais de 50%.
Estão indo muito bem.

Varg
Varg
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Ué? Kiev não cairia em poucos dias?

Tá lá firme e forte, diferente do Moskva (por exemplo)…

Casemiro
Casemiro
Reply to  Varg
2 meses atrás

Kiev não interessa.
Ao final desse processo, será uma espécie de Sofia ou Bucareste.
hehehehe

Ze das couve
Ze das couve
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Até 10 dias atrás interessava. Mudou o discurso mais uma vez, AntonioKings?

Bosco
Bosco
Reply to  Ze das couve
2 meses atrás

Antoniokings???
Cê falou “Antoniokings”???
Cadê ele???
Se o vir pergunta sobre a CN, por favor…

Ze das couve
Ze das couve
Reply to  Varg
2 meses atrás

Interessava até 10 dias atrás. Ele dizia que Kyiv cairia no dia seguinte (e não caía). Agora não vai cair nunca porque nem tropa russa tem perto.

Ze das couve
Ze das couve
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Rússia deve ter perdido 50% dos seus tanques. Náo vai sobrar nada para enfrentar a OTAN. Já era como potência militar. Virou uma Coreia do Norte de cabelo loiro e olho claro.

Last edited 2 meses atrás by Ze das couve
Maurício.
Maurício.
Reply to  Ze das couve
2 meses atrás

Rússia enfrentando a OTAN/EUA e OTAN/EUA enfrentando a Rússia? Confia…🤭

Felipe
Reply to  Ze das couve
2 meses atrás

Fonte: confia

Hcosta
Hcosta
2 meses atrás

Sim, já os Russos é tudo do melhor…
Abrande um pouco e pense antes de escrever. Em que realidade é que a Rússia não faz a mesma coisa?

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Javelin e outras armas vão tudo parar nas mão do pessoal pró Rússia.Que os AFU deixam para trás.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Que diferença? E quais são?
Os EUA, com um arsenal muito mais moderno e implementado, tiveram dificuldades contra adversários mais fracos. O que a Rússia tem assim de tão poderoso que irá fazer ganhar a guerra? Os submarinos e os cruzadores nucleares?

Felipe
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

misseis de cruzeiro?

Casemiro
Casemiro
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Acabou de ser anunciado o lançamento do SARMAT.
‘Pequeno’ aviso aos que se meterem de bobo com a Rússia.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

enquanto isso… as linhas de frente não se movem durante a ofensiva Russa…

Só armas nucleares seguram o cadáver do urso…

Rogério Loureiro Dhiério
Rogério Loureiro Dhiério
Reply to  Casemiro
2 meses atrás

Kings vc acha que todo mundo irá parar de defender a Ucrânia só pq o Putin acendeu um buscape dentro de uma lata de Nescau que ninguém prova que seja verdade.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Vou fazer uma leitura da sua persona. Vamos deixar os likes decidirem se eu estou correto ou não. Você provavelmente é um coitado, um fanboy da Russia descarado que se esconde atras do personagem mitológico para que apenas assim alguém pense que talvez, ao ler seu nick, algo de valido vai ser escrito. entretanto você é o verdadeiro pastel de vento. Por fora é bonito e acha que vai ter algo legal, mas por dentro é vazio e sem conteúdo, você frequentemente posta afirmações equivocadas e mentirosas que não apenas eu, mas vários membros té desmentem ao vivo, devido a… Read more »

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Victor Filipe
2 meses atrás

A carapuça serviu.

Rogério Loureiro Dhiério
Rogério Loureiro Dhiério
Reply to  Hcosta
2 meses atrás

Kings de boa querido.
Tire férias e não se conecte com a internet, uns 30 dias pelo menos.
Vai ver o mar, vai respirar ar puro, faça Yoga, reze como um Budista, evite pessoas e vire crudista por estes dias. Desintoxique sua alma, corpo, mente de tudo isso.

Carvalho
Carvalho
2 meses atrás

O título da matéria poderia ser:
“A rápida ocidentalizacao da Europa oriental”
Putin é “jênio”

Marcelo
Marcelo
Reply to  Carvalho
2 meses atrás

E sem contar que nenhum governo pró-Russo sobe na Ucrânia nunca mais.

Zezão
Zezão
2 meses atrás

Na Segunda Guerra Mundial os soviéticos precisaram treinar seus soldados a operarem milhares de equipamentos dos Estados Unidos, numa época em que não havia internet e vídeo de treinamento enquanto os fornecedores da industria dos EUA estavam ocupados em treinar milhões de americanos, não havia instrutor sobrando pra ensinar os soviéticos. Pra se ter uma ideia dos desafios que americanos e soviéticos enfrentaram em termos de treinamento e logística, eis o que foi enviado à URSS entre 1941 a 1945: 400.000 jipes e caminhões; 14.000 aviões; 8.000 tratores; 13.000 tanques. Se os soviéticos conseguiram naquela época a operar centenas de… Read more »

A.jpg
Ocidental Frustrado
Ocidental Frustrado
Reply to  Zezão
2 meses atrás

Um equipamento da SGM não chega ao nível de especialização de uso do que os sistemas atuais.

Faça-me o favor.

Zezão
Zezão
Reply to  Ocidental Frustrado
2 meses atrás

O avanço tecnológico facilita a operação, não o contrário.
A complexidade aumentou na engenharia, para quem opera ficou até mais fácil.

Ocidental Frustrado
Ocidental Frustrado
Reply to  Zezão
2 meses atrás

Avanços tecnológicos exigem especializações, certificações e treinamentos para operar o equipamento adequadamente. O F-35 que é o caça mais automatizado do mundo que tem um software a bordo de controle de voo capaz de controlar tudo o que um piloto antes tinha que realizar manualmente na decolagem exige esse conhecimento útil do equipamento. Não adianta colocar um piloto que nunca pegou em um F-35 ou em um simulador do F-35 e esperar que ele voe adequadamente, isso seria um desastre, um piloto do F-35 precisa passar por meses de treinamentos, certificações e praticar no simulador antes de sequer sentar a… Read more »

Oráculo
Oráculo
2 meses atrás

A situação “blindada” dos ucranianos se encontra bastante crítica.
Existem várias imagens deles já utilizando as famosas Toyotas com armas na caçamba.
Um M113 é muito melhor do que isso.
Apesar de ser antigo, vai ser um reforço para os ucranianos.
E os Humwees que vão no pacote também vão ajudar bastante.

Grifon Eagle
Grifon Eagle
2 meses atrás

E tome matéria só dando créditos à Ucrânia, rsrs…

Nilton L Junior
Nilton L Junior
2 meses atrás

O tempo vai passando e as natozetes ainda não conseguem perceber que deu para Ucrânia, perdeu território e pronto, a hora que a ficha cair o chapeu de alumínio derrete.
Z bate U continua apanhando, logo os EUA vão enviar a fatura para UE.

Grifon Eagle
Grifon Eagle
Reply to  Nilton L Junior
2 meses atrás

A demanda aqui torce pela Ucrânia, ao invés de ficarem do lado do Brasil.

paulotd
paulotd
2 meses atrás

F-35, Leopard 2 ninguém manda, kkkk. Só tralha, M-113 é um lixo de blindado, ele é fabricado em alumínio e mal aguenta tiro de 7.62mm. Até o Urutu é muito melhor que essa tranqueira

Last edited 2 meses atrás by paulotd
Rogério Loureiro Dhiério
Rogério Loureiro Dhiério
Reply to  paulotd
2 meses atrás

Se tiver um ucraniano dentro portanto um Javelin eles ganham a guerra dentro do M113. Não duvido.

Bosco
Bosco
Reply to  paulotd
2 meses atrás

M-113 é um excelente veículo de combate que só agora está sendo substituído pelo USA e ainda vai durar mais uma década. Ele não foi feito para resistir a impacto de mísseis ou de um canhão. Aliás, como estamos presenciando, os tanques russos que não são feitos de alumínio também não resistem.
O M-113 foi feito para proteger a tripulação de armas de mão e fragmentação de artilharia. Nisso ele é ótimo.

Oráculo
Oráculo
Reply to  Bosco
2 meses atrás

Pois é.
Os US Army ainda utiliza o M113, agora que vão começar sua substituição pelo novo AMPV.

Mas quem entende de armamentos não são os oficiais americanos e sim os comentaristas de internet brasileiros.

Zorann
Zorann
2 meses atrás

É muita torcida. Muitos comentários sem a menor lógica. A Ucrânia não vai entrar para a OTAN enquanto estiver em guerra com a Russia. Mesmo um cessar fogo, não seria suficiente para a Ucrânia entrar na OTAN. Um acordo de paz teria de ser assinado e para isto a Ucrânia teria de abrir mão de muito território. Então, isto não vai acontecer tão cedo. O que parece é que a Russia focou seus esforços nas regiões separatistas e na região sul onde o idioma russo é o mais falado. Vão tentar garantir estas regiões e talvez expandi-las. Odessa, que parecia… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Zorann
RDX
RDX
2 meses atrás

Essa preocupação não faz muito sentido, pois alguns ex-membros do pacto de Varsóvia fabricam (ou fabricaram) cópias de material bélico soviético…e dominam 100% da infraestrutura de manutenção e ressuprimento. Basta dizer que após 3 décadas da queda do muro de Berlin, o arsenal soviético na OTAN ainda é gigantesco. Por que fornecer 18 obuseiros 155mm se existem centenas de obuseiros 122mm e 152 mm disponíveis?

Tutor
Tutor
2 meses atrás

Putin, Sr. Putin, abandone logo isso, ou seu próprio povo vai fazer de você o Vladimir Putin Romanov.

Antunes 1980
Antunes 1980
2 meses atrás

Excelente matéria. Pensei sobre este tema a cerca duas semanas atrás.
Como os ucranianos estariam migrando dos equipamentos russos para os ocidentais.

Esta mudança é como trocar os pneus com o carro andando.

Vejo com bons resultados olhos uma Ucrânia totalmente ocidentalizada.

Last edited 2 meses atrás by Antunes 1980
Ocidental Frustrado
Ocidental Frustrado
2 meses atrás

Esse texto ignora uma coisa: A ocidentalização do arsenal ucraniano às custas dos Estados pós-soviéticos da OTAN. Os Estados pós-soviéticos que estão na OTAN ainda tem muitos equipamentos de origem soviética, alguns países com linhas de manutenções próprias, alguns ativos ucranianos estão sendo reparados nessas linhas de manutenções, mas o rápido processo da ocidentalização da Ucrânia seria em custa da fragilidade de segurança desses Estados antes ao domínio soviético, isto por duas razões, a primeira é que eles mesmos já estão fornecendo os equipamentos para a Ucrânia que sabem operar já que deriva da mesma origem e fabricação, portanto, a… Read more »

Últimas Notícias

Apresentação sobre Estudos Estratégicos – Prof. Dr. Vitelio Brustolin

O Prof. Dr. Vitelio Brustolin, Professor de Direito Internacional, Organizações Internacionais e Estudos Estratégicos do INEST/UFF e pesquisador da...
- Advertisement -
- Advertisement -