As modificações táticas e estratégicas russas introduzidas pelo General Segei Surovikin no Teatro de Operações da Ucrânia

Rodolfo Queiroz Laterza[1]

Ricardo Cabral[2]

O presente ensaio tem como objetivo apresentar as modificações táticas e estratégicas introduzidas pelo general de exército Sergei Surovikin, após assumir o comando das Forças Russas e aliados proxies na Ucrânia.

Como alertamos no final de outubro, a Ucrânia perdeu a iniciativa operacional ofensiva entre novembro/dezembro. A partir desse ponto não conseguiram mais usar a superioridade de meios e de efetivo para estabelecer novas ofensivas. Em consequência, a programada ofensiva no eixo de Zaporizhzhia para tomar Tormak e Melitopol, provavelmente não será deflagrada.

O atual comandante do TO da Ucrânia, o General de Exército Sergei Surovikin, fez uma série de movimentos táticos visando prioritariam degradar as capacidades ucranianas, os quais elencamos:

  • Atraiu os reforços e meios ucranianos que estavam desdobrados de Kherson e Zaporizhzhia para uma zona de destruição em Bahmut, Soledar e Marynka. As perdas ucranianas foram muitos elevadas nas melhores unidades de combate e nas reservas que seriam fundamentais para novas ofensivas, tornando-as inviáveis;
  • A destruição sistemática e progressiva da infraestrutura energética ucraniana provoca interrupções temporárias ou permanente de serviços (dependendo da localidade) e prejudica o funcionamento da vida social e econômica do país, impactando severamente o moral e a motivação de resistência;
  • Ênfase na destruição do potencial de combate das forças ucranianas, em detrimento de controle de território (que exige muito efetivo, meios e logística);
  • Destruição progressiva e sistemática de radares de contra bateria, de defesa aérea, MLRL, obuses, fortificações e posições defensivas;
  • Maior agressividade visando destruir o máximo de forças ucranianas;
  • Destruição do fogo de artilharia (obuses e MLRS) e defesa aérea da Ucrânia – os dois principais componentes de combate que mais infligiram danos às forças russas no conflito;
  • Retomada da iniciativa em um eixo do front – Donbass – em detrimento de ataques dispersos e mal coordenados em vários eixos de progressão, o que gerava perda de recursos humanos e matérias, além de sobrecarregar a logística;
  • Construção de linhas defensivas fortificadas em eixos mais frágeis, como Svatovo e Krasny Liman, repelindo ataques ucranianos, tal como os que ocorreram desde o final de outubro/início de novembro.

Observamos que Surovikin prioriza os princípio da economia de meios, manobra e concentração, avançando somente após a consolidação da posição, em detrimento de ataques rápidos e violentos utilizando muitos meios e combatentes, visando conquistar o território que será difícil de manter posteriormente.

https://www.cnnbrasil.com.br/internacional/cidade-perto-de-kiev-esta-quase-completamente-destruida-diz-oficial-ucraniano/

A guerra urbana

A retomada da iniciativa nos leva ao problema de eventuais novas ofensivas russas em direção às grandes cidades ucranianas como Kharkiv ou Kramatorsk. Em nosso entendimento, o governo ucraniano não vai decretar “cidade aberta” com retiradas táticas e evacuação; ao contrário, vai lutar e vender caro sua tentativa de conquista pelas forças russas, procurando desgastá-los ao máximo até perderem a iniciativa, como ocorreu após a queda de Severodonetsk.

A conquista de densos núcleos urbanos são operações complexas. As grandes cidades, com metrô, edifícios altos, áreas industriais, muitas residências, hospitais, escolas, centros de distribuição de energia, ruas de variados tamanhos, dentre outros tipos de imóveis, tornam-se uma série de obstáculos para uma força atacante, ao mesmo tempo em que oferecem muitas possibilidades para os defensores. Blindados e helicópteros são vulneráveis, a infantaria deve “limpar” cada imóvel antes de continuar o avanço, tornando-o lento e com alto custo em vidas devido à resistência dos defensores, às armadilhas, aos dispositivos improvisados, às emboscadas etc etc. A fim de facilitar a progressão, os atacantes tendem a cercar determinadas áreas e usar o fogo de artilharia para destruir obstáculos ou eliminar resistência. De qualquer forma, a expectativa é de um número elevado de perdas entre a população civil que não conseguir fugir.

Tendo em vista a estratégia adotada até agora por Sergei Surovikin, os russos devem cercar as cidades, tirando as condições de subsistência e forçando-as a rendição, em vez de tentar invadi-las como aconteceu em cidades médias de Severodonetsk, Mariupol e agora em Soledar e Bahmut.

Caso resolvam invadir as grandes cidades, necessitarão mobilizar mais combatentes e empenhar mais equipamentos. No momento, não estamos considerando a possibilidade de uso de uma nuclear tática.

A OTAN

O crescente envolvimento da OTAN é uma preocupação crescente de se chegar a uma guerra aberta com consequências desastrosas para a humanidade.

A Aliança Atlântica praticamente esgotou suas possibilidades de fornecimento de sistemas de armas menos sofisticados. No momento, restam os seus equipamentos em estado da arte reservados para a defesa nacional. A sua perda em combate por si só seria muito ruim, sua captura pelos russos seria catastrófica em todos os sentidos.

Observamos que militares da OTAN estão operando muito dos equipamentos fornecidos devido à falta de mão-de-obra ucraniana alta e qualificada para manejo de tais sistemas não só os sistemas C4ISR no Estado-Maior ucraniano, mas sistemas de combate na linha de frente (tais como estações de radar, lançadores de múltiplos de foguetes, diversos tipos de baterias de mísseis etc.). São os famosos conselheiros militares e “mercenários”. Em relação a esses, os ucranianos (subvencionados pelo Ocidente) estão atraindo até jihadistas sírios para recompor suas desfalcadas unidades.

https://metsul.com/general-inverno-e-rasputitsa-na-crise-militar-entre-russia-e-ucrania/

A Guerra no Inverno

A chegada do inverno está provocando mudanças no ritmo de combate, apesar dos contendores estarem acostumados. O inverno na Ucrânia costuma ser muito duro, exigindo uniformes e equipamentos especiais para o combate na neve. A manutenção do fluxo de suprimentos vai forçar o sistema logístico. A tendência dever ser de diminuição do ritmo dos combates.

Lembremos que o terreno no leste da Ucrânia é cortado por rios, alagadiços, grandes áreas de cultivo (que foram drenadas e podem ser inundadas). Os bosques podem ocultar BTGs inteiros e os pequenos cursos d´água tem uma mata ciliar que permite a progressão se o clima estiver fechado com nuvens baixas. Nesses locais uma parte considerável das estradas de rodagem e de ferro foram construídas sobre taludes oferecendo coberturas e abrigos ao avanço de tropas com veículos apropriados.

A OTAN e os russos costumam usar forças especiais e forças tarefas blindadas para inquietar o inimigo e manter a iniciativa. As forças podem se aproveitar do clima ruim para realizar ataques pontuais contra objetivos sensíveis do inimigo.

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-63608002

Unidade de Comando

O maior problema no TO que Surovikin tem enfrentado é a autonomia operacional de determinados elementos armados que, teoricamente, estão sobre seu comando. As milícias das repúblicas de Luhansk e Donetsk, as forças chechenas, os mercenários (em especial a PMC Wagner) lutam ao lado do Exército Russo e das tropas terrestres da SRV sem coordenação e tem muita iniciativa de combate que não é coordenada com o Estado-Maior do TO. Isso tem se mostrado um problema para um comando que tem na economia de forças, manobra e concentração como seus principais princípios de guerra.

A logística russa melhorou bastante, já os ucranianos têm parte do sistema logístico da OTAN à sua disposição, mas a corrupção atrapalha a ambos os países.

https://www.cartacapital.com.br/mundo/ataque-russo-no-centro-da-ucrania-deixa-tres-mortos-entre-eles-um-militar/

Tática

Uma constatação, as forças russas já se adaptaram as táticas anti-carro, antiaérea e de emprego de UCAV da OTAN. Ademais, estão conseguindo reduzir significativamente o seu grau de eficácia. No entanto, sabemos que o desequilíbrio é permanente. A chegada dos reforços dentre os 150 mil mobilizados ainda em treinamento deve permitir aos russos a iniciativa operacional ofensiva por um tempo.

Lembremos que os ucranianos não têm mais tantas reservas em armas e unidades assim para continuar lutando na intensidade atual, principalmente diante da estratégia de Kiev de defender o terreno até o último homem. A questão a se considerar é por quanto tempo os ucranianos continuaram a combater? Ou até quando a OTAN está disposta a empenhar seus recursos em uma guerra de desgaste? E se os russos diante de uma ameaça existencial usarão armas nucleares? São questionamentos ainda sem resposta segura.

https://www.popularmechanics.com/military/weapons/a39193732/russian-battalion-tactical-groups-explained/

Mesmo o emprego dos BTG russos teve que ser adaptado para combater as táticas utilizadas pelas formações ucranianas baseadas na Brigade Combat Team Strike norte-americana e seus congêneres da OTAN.

A partir de junho, o largo emprego dos vários modelos de UCAV (unmanned combat aerial vehicle) e MRLS (Multiple Launch Rocket System) forçaram as forças em terra a mudanças nas suas táticas. As capacidades desses sistemas de armas foram potencializadas pelo C4ISR (Command, Control, Communications, Computers, Intelligence, Surveillance and Reconnaissance) disponibilizados pela OTAN, os quais ampliaram a consciência situacional ucraniana.

Com relação a esse último conjunto de sistemas, os russos só agora (em dezembro) conseguiram responder para reduzir a eficiência desses sistemas. Ao mesmo tempo os russos estão aperfeiçoando seus próprios sistemas C4ISR, em que pese o gap tecnológico existente em favor da OTAN nesses sistemas. A degradação/mitigação dos sistemas C4ISR da OTAN empregados pelos ucranianos é uma das razões das grandes perdas das FAU.

https://twitter.com/TheStudyofWar/status/1604264057443328001/photo/1

A Estratégia

A tendência é que os russos tentem retomar o território que foi perdido durante o contra-ataque ucraniano de setembro e outubro, aproveitando os reforços recebidos e o desgaste das FAU. A princípio, devem concentrar seus esforços em Donetsk e depois, provavelmente, em Zaporizhzhia.

Se Surovikin jogar xadrez, diríamos que seu estilo de jogo é de um jogador posicional, ou seja, o ataque ocorre a partir de uma série de movimentos coordenados contra um objetivo bem definido. Conquistado esse objetivo, estabelece-se outro e começa a manobrar suas peças a fim de posicioná-las para o ataque, que só se realiza se as condições necessárias forem atingidas. Característica interessante para um operador de forças especiais.

Nessa altura dos acontecimentos, não temos como saber se os russos avançarão até as margens do Dnieper e/ou conquistar Odessa bloqueando o acesso dos ucranianos ao mar Negro, como se chegou a especular entre abril/maio.

O inverno vai permitir que russos e ucranianos/Otan reajustem seus dispositivos e suas estratégias. A tendência é que a guerra de desgaste deve prosseguir. Não nos enganemos, é uma guerra entre a Rússia e a OTAN, com os ucranianos fornecendo o terreno e as vítimas. Nesse sentido, a resiliência russa tem surpreendido, bem como os baixos estoques de determinadas armas e munições de países integrantes da Aliança Atlântica.

O largo emprego de mísseis de cruzeiro, drones kamikaze, artilharia contra as infraestruturas, em especial aos sistemas de produção e distribuição de energia ucraniana, tem degradado, consideravelmente, as capacidades logísticas ucranianas, além de baixar o moral da população.

Fontes consultadas:


[1]Delegado de Polícia, Mestre em Segurança Pública, historiador, pesquisador em geopolítica e conflitos militares

[2]Mestre e Doutor em História Comparada pelo Programa de Pós-Graduação em História Comparada (PPGHC) da UFRJ, professor-colaborador e do Programa de Pós-Graduação em História Militar Brasileira (PPGHMB – lato sensu), da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/UNIRIO e Editor-chefe do site História Militar em Debate e da Revista Brasileira de História Militar. Website: https://historiamilitaremdebate.com.br

Subscribe
Notify of
guest

247 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mauricio
Mauricio
1 mês atrás

Ucrania ao final será fatiada entre russia e otan como ocorreu na guerra da Coreia, o povo ucraniano nos próximos meses sofrerá ainda mais devido ao impasse entre ambos os lados.

Manus Ferrum
Manus Ferrum
Reply to  Mauricio
1 mês atrás

Só os mortos vêem o fim da guerra.

Last edited 1 mês atrás by Manus Ferrum
Alfredo
Alfredo
Reply to  Mauricio
1 mês atrás

Os russos estão brincando falando que esse General vai ganhar o prêmio de maior protetor do meio ambiente de 2022 por destruir todas as usinas termoelétricas ucranianas.
Maldade.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Deve receber do WEF o prêmio Greta  Awards por sua contribuição para substituição da matrix energética poluente na Ucrânia.
Urrahhh.

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

“Estamos tralhando a 300 dias sem tomar Bahmut”
Ass: Putin

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Mauricio
1 mês atrás

Apenas um palpite será fatiada entre Russia e Polônia, a Belarus também pode beliscar um tiquim, no Donbas a Chechênia tera bastante influência.

Alfredo
Alfredo
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

A Hungria também tem reivindicações territoriais na Ucrânia.
Se a Rússia e Belarus realmente invadirem o norte da Ucrânia, existe a possibilidade de desmembramento do País.

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Se invadirem o norte teremos uma reprise do grande avanço em retirada das tropas russas como ocorreu em março deste ano ….desmembramento do país ? Fazem 10 meses que tentam isto e não conseguem ….acorda….

Alfredo
Alfredo
Reply to  Plinio Jr
1 mês atrás

Comentário já em tom de despedida.

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Para os russos ? Ou vc vai criar um novo nick ?

Leônidas ferreira
Leônidas ferreira
Reply to  Plinio Jr
1 mês atrás

Sim nada sério ainda graças a Europa . O inverno e crise econômica na Europa só ta começando e ainda não fechou a porta para o grande êxodo ucraniano de milhões que so tá começando. Os super soldados Untermenschen adoradores do colaborador nazista Stepan Bandera da propaganda de guerra da cnn vão aos poucos sendo substituído por jovem sem treinamento de segunda linha cansados da guerra . Tempo ao tempo. O colapso da Ucrânia será total .

Monarquista
Monarquista
Reply to  Leônidas ferreira
1 mês atrás

A economia européia cresceu esse ano e tem projeções de crescimento ano que vem.

A economia russa decresceu e a Rússia está oficialmente em recessão.

Que mundo vcs vivem?

Leônidas ferreira
Leônidas ferreira
Reply to  Monarquista
1 mês atrás

Fake New da comissão da UE junto com fmi que são mandados pelo eua para ludibriar europeus quando o eua tá ganhando muito dinheiro e amenizando a sua ressecção de 2023. A realidade e o q a ministra nuland falou “f*ck the UE”

Last edited 1 mês atrás by Leônidas ferreira
Monarquista
Monarquista
Reply to  Leônidas ferreira
1 mês atrás

Quê?

Monarquista
Monarquista
Reply to  Leônidas ferreira
1 mês atrás

Obs: tu viu o #russianbankpanic? Se não, sugiro dar uma procurada. A crise chegou, e não foi pra UE.

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Leônidas ferreira
1 mês atrás

Esse povo só repete o que sai em The Guardian, BBC, CNN, Washington Post, Time, El País, DW, etc, via a mídia colonizada e quinta coluna daqui…

Então não se espera narrativa diferente…

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Monarquista
1 mês atrás

No mesmo mundo do Putin. O mundo da Lua. “Da Lua?”. Sim, é ele mesmo.

Mauro Cambuquira
Mauro Cambuquira
Reply to  Plinio Jr
1 mês atrás

Recomendo ler a matéria que intitula esses comentários

Alfredo
Alfredo
Reply to  Mauricio
1 mês atrás

Semana passada foi veiculada notícia de uma espécie de grupo militar da OTAN a ser implantado no oeste da Ucrânia para ‘proteger’ a população civil e refugiados de um pretenso avanço russo.

Nei
Nei
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Dai os Russos terão um problema bem maior, pois um erro de cálculo, envolverá mais países na Guerra.

Manus Ferrum
Manus Ferrum
Reply to  Nei
1 mês atrás

Terceira Guerra Mundial, só isso

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Num fala bobagem. Putin não consegue tomar Bahmut. Vai se meter com a OTAN?

Arthur
Arthur
Reply to  Ze das Couve
1 mês atrás

Nem precisa: há 25 batalhões ucranianos sendo moídosem Bakmuth. Os russos esperam e os ucranianos fazem carga banzai. Simples assim.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
1 mês atrás

putin tá pedindo penico já, já tá falando em negociar.

Plinio Carvalho
Plinio Carvalho
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

A questão é, ele realmente quer negociar ou quer ganhar tempo? especialistas britânicos e americanos acham que ele quer ganhar tempo mas que na verdade a Rússia esta preparando uma gigantesca ofensiva para o inicio do ano que vem, a Rússia tem mobilizado grandes quantidades de tropas para Belarus e outros pontos. É Importante notar que desde o inicio da guerra Putin falar que quer negociar, o problema é que ele quer que a comunidade internacional e a Ucrânia reconheçam as anexações da Crimeia, Kherson, Zaporizhia, Donetsk e Luhansk e a Ucrânia obviamente se nega. Na minha humilde opinião se… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Plinio Carvalho
Alfredo
Alfredo
Reply to  Plinio Carvalho
1 mês atrás

Putin foi claro.
A tônica é a proteção dos povos russos.
E isso que ele considera da Ucrânia.
Formada por pivôs russos.
Donde se concluo que não vai parar.

Alfredo
Alfredo
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Formada por POVOS russos.

Esteves
Esteves
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Para Putin, povos russos estendem-se até a Polônia.

Hellen
Hellen
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Vc tem razão,a Polónia será a proxima !!!

Monarquista
Monarquista
Reply to  Hellen
1 mês atrás

Confia kkkkkk

Arthur
Arthur
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Errado. Polaco não é russo e russo tem ojeriza à polonês. O buraco é mais embaixo.

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

A operação não vai acabar enquanto houver ataques ucranianos contra as regiões de população russófila e ponto final.

Os ucranianos, sendo moídos nos campos de batalha, há muito tempo apelam para terrorismo puro, com armas da OTAN inclusive! Diariamente bombardeiam com artilharia e MRLS áreas civis da região de Donetsk! A esmo, incluindo áreas residenciais! Alvos sem nenhuma finalidade militar! Puramente terrorismo.

Óbvio que isso jamais será visto na mídia mainstrean ocidental!

Nei
Nei
Reply to  Lucio Costa
1 mês atrás

Sim e os Russos são santos e não mataram, estupraram, furtaram, invadiram?
Cara quando colocar a OTAN no meio do comentário, já se sabe de quem é apoiador.

ALISON
ALISON
Reply to  Nei
1 mês atrás

Vale pra vc tb obviamente…

Heinz
Heinz
Reply to  Lucio Costa
1 mês atrás

“apelam para terrorismo puro, com armas da OTAN inclusive! Diariamente bombardeiam com artilharia e MRLS áreas civis da região de Donetsk! A esmo, incluindo áreas residenciais! Alvos sem nenhuma finalidade militar! Puramente terrorismo.”
Seguindo sua lógica, você concorda que os bombardeios e ataque maciços de mísseis contra Kiev, Odessa, Dnipro, Lviv e outras centenas de cidades que não estão próximas a linha da frente é terrorismo russo?
Concorda também que invadir um país independente e anexar seus territórios é terrorismo?

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

E para proteger os “povos russos” ele vai destruindo as cidades onde esses povos moram na Ucrania. Sensacional esse cara.

Agressor's
Agressor's
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Se o Putin realmente se importasse com o povo russo teria agido já em 2014…

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Plinio Carvalho
1 mês atrás

Ah não estraga o fim de ano dos pronazotan.

Fabio Alberto
Fabio Alberto
Reply to  Plinio Carvalho
1 mês atrás

Realmente esses exerícios podem ser a preparação de uma nova ofensiva pelo norte.
Não sei qual o objetivo geográfico de Putin, mas se fosse para chutar seria conquistar toda porção leste do Deniepre.
Do ponto de vista de obstáculos militares estratégicos, a Rússia dificilmente chegará próximo aos Cárpatos, sendo o Deniepre muito mais atingível.
O Deniepre seria um obtáculo natural de grande vulto bem no meio das planícies ucranianas que já serviria como fronteira geográfica entre os países.
Um livro muito bom sobre as formaçoes das fronteiras é “Prisioneiros da Geografia”.

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Plinio Carvalho
1 mês atrás

A. “especialistas britânicos e americanos” = repetidores da narrativa oficial dos EUA/OTAN.

B. “Comunidade Internacional” (na narrativa ocidental) = EUA, Canadá, Europa Ocidental, Coreia do Sul, Japão, Austrália e Nova Zelândia (em suma: EUA e capachos!).

Alfredo
Alfredo
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Lembro das negociações de paz em Paris dos EUA com o Vietnã.
O Vietnã sempre como coitadinho.
Querendo negocia.
No final, ganhou a guerra até com facilidade com um avanço fulminante sobre Saigon.
Faz parte do jogo

Esteves
Esteves
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Quanto a guerra no Vietnã Estava custando e quanto a guerra na Ucrânia ainda custará não somente em recursos militares e vidas, mas em recursos econômicos dos países que produzem armas a fundo perdido ou sem conhecer exatamente quanto e quando receberão?

Internamente, nos EUA, a Guerra no Vietnã foi um desastre, ainda que as agências tenham faturado bilhões em drogas. Na Ucrânia, parece que não ligam tanto se morrerem mais, desde que nesse mais estejam russos.

Quando a guerra terminar, se, saberemos o que sobrou.

Mauro Cambuquira
Mauro Cambuquira
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Veja como ele tá pedindo penico… Descobriu que a maior economia da Europa, a Alemanha tem munição para apenas 30 dias, em caso de guerra. Suas armas modernas ainda não podem ser inseridas em TO, pois ainda carecem de testes. Imagine o resto da OTAN. Já a Russia está ai já 10 meses e ainda preparando algo maior. Isso diz algo?

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Mauro Cambuquira
1 mês atrás

Os repetidores da narrativa dos EUA/OTAN tem óbvios problemas analíticos e com lógica… A Rússia começou a operação com uma fração de suas FAs (cerca de 10%)… Com a mobilização acrescentou outra; enquanto isso a Ucrânia, contando apenas o que tinha em fevereiro de 2022, teve quase todo o equipamento soviético/ucraniano/recebido da OTAN destruído e elite de suas tropas aniquilada/invalidada. Idem sua indústria de defesa… Os países da OTAN europeia já praticamente esgotaram seus estoques e mesmo os EUA já tem suas limitações. A Rússia fez retiradas táticas óbvias para o contexto em campo, em desvantagem numérica e posições defensivas… Read more »

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Lucio Costa
1 mês atrás

Escreveu bastante, mas escreveu bobagem.

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Que começou essa estória foi o ocidente, por motivos óbvios. A Rússia, como sempre, responde diplomaticamente.

No mundo real eles determinam o ritmo das operações e quando irá acabar. A pressa é de quem? Quem está sendo moído nas frentes de combate?

Há, esqueci, pela mídia ocidental os ucranianos estão “ganhando”…

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Lucio Costa
1 mês atrás

Olha para a realidade. Sai do mundo da fantasia. A Rússia está num atoleiro sem igual. Não tem saída honrosa para ela.

Jose Ponte
1 mês atrás

Li o artigo , parabéns …..
Contudo não me pareceu em linha com outros relatos in loco diverso ….
Nem considera atual momento da capacidade industrial da Rússia em prover a tempo os meios para suas unidades .
Temos na guerra , a logística como arma fundamental para a vitória , não me parece serem os russos expert em logística .

Léo Neves
Léo Neves
1 mês atrás

Este final de semana foi mais dois M777 pro ferro velho por conta do Lancet. Aliás a Ucrânia precisa logo dar um jeito de interceptar os Lancet. Até agora não conseguiram aparentemente nenhuma interceptação.

Alfredo
Alfredo
Reply to  Léo Neves
1 mês atrás

E um FH-70.

Wagner
Wagner
1 mês atrás

Esse general é da Siberia, não tem parentesco com os ucranianos. Sua fama é de terra arrasada, linha dura da era Soviética.

Donald
Reply to  Wagner
1 mês atrás

Essa desculpa não cola mais de parentesco. Os russos são fracos mesmo. Só se garantem com ogivas nucleares.

Leônidas ferreira
Leônidas ferreira
Reply to  Donald
1 mês atrás

Sim como dizia o amigo do Stepan Bandera .”Só temos de chutar a porta e toda a estrutura podre desmoronará.” Adolf Hitler

Mauro Cambuquira
Mauro Cambuquira
Reply to  Donald
1 mês atrás

É verdade o que você diz, temos que concordar. Só me responde quantas vezes eles fizeram uso de armas nucleares, para você se basear nessa afirmação?

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Mauro Cambuquira
1 mês atrás

Donald?

Sem mais…

Donald
1 mês atrás

Esse texto tá mais parecendo propaganda russa do que realidade. Ucrânia sem armas,os russos vão chegar em Kiyv, a OTAN tá sem armas, Mimi… os ucranianos tão destruindo tudo de russos que ver pela frente.

Alfredo
Alfredo
Reply to  Donald
1 mês atrás

Os americanos e a OTAN estão enfrentando a dura realidade do que é uma guerra moderna com grande poder de fogo.
Os russos esgotaram os equipamentos pesados ucranianos.
Agora os americanos estão mandando M-1117 e Cougars para lá.
Já mandaram M-113.
Serão facilmente destruídos, como estão sendo os Mastiffs ingleses, primos do Cougar.
Estão fazendo um verdadeiro holocausto com os ucranianos.
Como dito, a OTAN vai lutar até o último ucraniano.

Esteves
Esteves
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Pois é. Não sobrarão.

Nei
Nei
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

kkkk. Você deve ser parente do Zelenski, por fazer tanta piada.
“Os russos esgotaram os equipamentos pesados ucranianos”. Dos russos não?
Tu é chato, poderia usar argumentos, mas só escreve por ser fã mesmo.

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

A dura realidade é aquela que você não quer ver. Só existe um frente russa tentando avançar e esta é Bahmut. E eles não conseguem nem com os mercenários nazistas do Vagner Group.

Kommander
Kommander
Reply to  Donald
1 mês atrás

Se fosse o contrário, você acreditaria. Rsrsrs
E ele não falou nenhuma mentira, que país ainda tem estoque em massa de armas soviéticas para mandar para a Ucrânia?? Se os equipamentos ucranianos não estivessem sendo destruídos, eles não estariam pedindo mais e mais remessas.

Alfredo
Alfredo
1 mês atrás

Falar o quê?
Está tudo dito.
Excelente artigo
Mais um dessa dupla de pesquisadores.
Só ressalto os fatos já mencionados da incrível melhoria dos russos no quesito de detecção e destruição de artilharia inimiga, bem como o uso de blindados.
Além disso, analistas comentam que os russos atacando Backmuth forçou a Ucrânia a deslocar dezenas de milhares de tropas para lá.
Cerca de 4 brigadas.
Isso propiciou aos russos tempo para que acabassem as linhas de defesa em Zaporizhizhia, atacassem e avançassem na região de Kupyansk e criassem um grande moedor de carne na própria Backmuth.

Esteves
Esteves
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Excelente mesmo. Profissionais.

dfa
dfa
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Rrrsss……
Tá como a Rússia ainda não desistiu de ser humilhado…
A quase um ano que leio artigos e opiniões sobre os Ucranianos estarem quase a perder e os Russos serem supermacho…

A prova esta no terreno e até agora só vimos um exército russo preso ao passado disposto a sacrificar facilmente seus soldados ao seguir doutrinas erradas.
E quer saber a melhor? Ainda estamos na parte da guerra simétrica…

Last edited 1 mês atrás by dfa
Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Exato.

Os ucranianos não tinha reservas para sustentar e consolidar suas “ofensivas” em Kharkov e Kherson…

Mas qualquer análise ao contrário da narrativa Disney de “ucranianos ganhando/russos recuando até Moscou” era “propaganda russa”…

Entra a realidade e “analistas” ocidentais pró-EUA/OTAN eu fico coma realidade.

Monarquista
Monarquista
1 mês atrás

Os caras nem escondem a torcida. Cheio de afirmações subjetivas.

Pablo Malvadão
Reply to  Monarquista
1 mês atrás

Melhor então ver o “Hoje no Mundo da OTAN”

Heli
Heli
Reply to  Pablo Malvadão
1 mês atrás

Pense num canal fraco, totalmente parcial, pouco informa, mais desinforma. No entanto, o dono tá nadando em dinheiro graças aos fãs de Hollywood que acreditam que o Tio Sam defende a democracia e a paz com boas ações. Nunca vi ninguém lá nos comentários falar nada contra a agressão americana ao Iraque, e da OTAN a Libia.

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Heli
1 mês atrás

Pois é.

Um dos tantos pelo YT…

O nível é absolutamente medíocre; mas tem seu público…

Wagner
Wagner
Reply to  Lucio Costa
1 mês atrás

“Hoje no mundo da lua”, já não basta os picaretas metido a economista no You tube,agora tem até general de sofá.

Nei
Nei
Reply to  Wagner
1 mês atrás

Diz o sábio “general” do site.

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Pablo Malvadão
1 mês atrás

Essa é a uma das fontes de muitos por aqui…

Pela amor…

Até a narração é infantilizada…

Hcosta
Hcosta
Reply to  Monarquista
1 mês atrás

Não diga isso. Logo aparece um, que se diz aluno de um desses senhores, para lhe explicar como está “errado”. É só coincidência os elogios aos Russos e críticas aos Ucranianos… E que “Alfredo” aprecie estes artigos… “Nessa altura dos acontecimentos, não temos como saber se os russos avançarão até as margens do Dnieper e/ou conquistar Odessa bloqueando o acesso dos ucranianos ao mar Negro, como se chegou a especular entre abril/maio.” Eu também não tenho como saber se os Russos vão chegar a LIsboa mas duvido muito… Se não sabem, então limitem-se a escrever nos comentários e não num… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Olha…

Esteves sugeriu isso lá no Naval. Os comentários articulam, os redatores e contribuidores, comentam.

Eu acho que tu podia puxar essa onda.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Sabe, estou mal habituado. Não leio notícias de Telegram ou algo parecido. Mas tal como estes autores têm o direito de escrever o que quiserem, eu também tenho o direito de criticar.

Mas duvido muito que este artigo respeite os princípios de imparcialidade, de fontes credíveis, etc…
Se é uma opinião, que seja. Mas muito longe de ser algo ao nível de uma publicação ou de “indiscutível” para usar um eufemismo…

Até aprecio a honestidade das fontes Russas, por mais absurdas que sejam, do que estes “neo imparciais”. Normalmente são os que não têm coragem em assumir as suas posições.

Jubert
Jubert
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

As fontes indicadas no artigo são pró Rússia? Pelo visto você sequer lê direito. Mas você aqui é o campeão de incapacidade intelectual. Várias fontes são Americanas!

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jubert
1 mês atrás

Mas ainda não percebi o seu ponto. Acha que este texto é imparcial? Por ter as fontes e sem saber o que foi retirado delas?

Se fosse apresentar uma tese, sem ter as referências às fontes, o que tirei delas, já teria sido reprovado.

Não é capaz de fazer melhor?
Tente mais uma vez e mostre que é capaz de ter mais capacidade intelectual do que eu. Até agora só mostrou a sua ignorância. E com argumentos e não insultos como costuma fazer.
Mas deve ser pedir muito. Normal de quem não tem argumentos/capacidade…

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Curiosamente tu não questiona as “análises” complentamente falsas pró-EUA/OTAN…

A realidade começa a bater na porta explicitamente…

Nei
Nei
Reply to  Lucio Costa
1 mês atrás

E você não questiona as Russas. Fato.

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Jubert
1 mês atrás

É caso perdido… Foram lobotomizados pela colonização dos EUA da Europa…

Esteves
Esteves
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Acho que não é pra tanto. No caso dos Mestres Doutores que frequentemente publicam análises no Forte…eles tem o trabalho de publicarem mapas juntamente com as fontes consultadas. Opinar sobre história militar é um esforço e uma paixão. Mostrar é coisa de professores: dedicação. Somente para consolidar e/ou ampliar a visão sobre regiões em conflitos, táticas de batalhas, guerras modernas e suas consequências. Guerra tem muitas versões apesar da versão sobrevivente ser a escolhida. Por enquanto está acontecendo. Somos testemunhas. No Tribunal do Júri, advogados e promotores tem um trabalhão danado para contar o passado. Na Ucrânia ainda não há… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Fontes? Publicar o link do site não é publicar as fontes. Tem de publicar o artigo e, se possível, o parágrafo de onde retiraram a informação.

A não ser que tenha memorizado todos os artigos de cada site e saiba onde estão essas referências….
Como está, é trabalho de amador.

Ainda para mais, um dos autores criticou o ISW por publicar fontes do Facebook, nem sabendo a diferença entre o meio que divulga e a origem da notícia.

Compare este artigo com os do ISW e veja a diferença…

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

ISW? Um think thank yankee? Cujos principais “analistas” são ex-militares e membros do governo dos EUA?

https://www.understandingwar.org/who-we-are

Isso é exemplo de fonte “impercial”?

Por favor…

europeu
europeu
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Isso mesmo!!! O que este artigo fez foi pegar nalgumas derrotas e fraquezas dos russos e transformá-las em vitórias estratégicas!! como é o caso de Bakhmut. O que os russos pretendem nesta cidade é conquistar o que restava da região de Donetsk, isso iria permitir apresentar Donetsk como uma anexação consumada. Há quase meio ano que falharam. Que credibilidade podem ter se não conseguiram conquistar uma região que estão a tentar anexar desde 2014? Agora essa ideia peregrina que foi para fixar tropas ucranianas…. blá, blá blá! ou seja mais um, ainda que com titulo académico sonante, anda a ver… Read more »

Alfredo
Alfredo
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Cara !
Vc realmente acha que a Ucrânia tem alguma chance contra a Rússia?
Os russos hoje ainda estão usando 250 mil soldados e estão desossando a Ucrânia.
Imagine se fossem 2,5 milhões de militares.
Em 1940, com uma população de 170 milhões e mais de 20 milhões de mortos eles acabaram com um Exército de 10 milhões de soldados.
Hoje, tem cerca de 143 milhões.
Pode mobilizar quantos?
O fato é que a Rússia criou um jeito de matar um monte de ucanianos todos os dias sem se expor muito.
Vai deixando assim que está bom para ela.

Palpiteiro
Palpiteiro
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Quando chegarão em Kiev?

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Palpiteiro
1 mês atrás

Qual os objetivos da operação russa?

Não cansam não?

Monarquista
Monarquista
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Existe uma coisa chamada logistica. 2,5 milhões de homens para serem vestiidos, alimentados, municiados, treinados, transportados até o front…

A Rússia mal consegue alimentar os que estão no front hoje, pipocando vídeo de soldados abandonados no campo sem alimento ou roupas adequadas.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Se dizia que a Rússia tinha hipóteses contra a Europa inteira com uma população de 500 milhões e com uma economia várias vezes maior…

E mais vale 100 soldados motivados do que 1000 “civis” arrastados para a linha da frente…

Mas mude a narrativa conforme quiser. A realidade é outra.
A Rússia não avança há meio ano.

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Essa guerra sempre Rússia contra a OTAN das buchas de canhão europeias dos EUA…

Mas diga aí o que a Rússia fez contra Portugal? Que ameaça é essa? Lisboa está ameaçada a 4639 km de Moscou?

Idem aqui, na América Latina…

Enquanto os colonizados russofóbicos defendem os EUA que sempre sabotaram, deram golpes e aplicaram sanções contra os países da região que ousaram terem o mínimo de Soberania Nacional!

Afonso Bebiano
Afonso Bebiano
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Antonio Reis, eu ainda não consegui me acostumar a certas frases suas, como essa de que está bom para a Rússia “matar um monte de ucranianos todos os dias sem se expor muito”.
Isso diz muito sobre você, ou foi apenas uma redação apressada?

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

2,5 milhões de militares? Em que mundo você vive? A população russa só diminuiu de lá pra cá e o exército russo hoje não é sombra do que foi a URSS.

Mercenário
Mercenário
Reply to  Ze das Couve
1 mês atrás

Zé,

Não adianta. Ele comprou a narrativa daqueles que querem justificar o desempenho russo aquém do esperado, com base na alegação de que estão usando apenas fração das suas forças.

O especialista em FA’s russas, Rob Lee, estima que os russos tenham direcionado para o início da operação especial cerca de 75/80% dos BTGs disponíveis.

Fosse verdade a disponibilidade de pessoal do exército regular, por exemplo, não haveria a necessidade de mobilização “parcial”. A realidade é diversa do que vendem os analistas pró russos, como é o caso dos articulistas.

soldado imperial
soldado imperial
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Mudou um pouco a narrativa. No começo falaram que a demolidora ofensiva russa contra a Ucrania estava devagar, pois precisavam preservar a infraestrutura de locais que iriam conquistar. Pra que destruir se vai tomar depois. Esta narrativa se mostrou falaciosa, agora vem com a desculpa que estão usando apenas 10% da força russa….. Aguarde cenas dos próximos capítulos, digo, das desculpas

Palpiteiro
Palpiteiro
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

O objetivo é manter o fluxo de rede. Marketing digital é a profissão que maís cresceu nos últimos anos.

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

É, “imparcial” só a mídia dos EUA/Europa…

Probleminhas com a realidade? Ela irá se apresentar cada vez mais forte para a Europa…

Por opção própria (serem capachos e buchas de canhão da Política de Estado dos EUA…).

Nei
Nei
Reply to  Lucio Costa
1 mês atrás

Eles escolheram isso, então respeite eles.

Jubert
Jubert
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Você quer que o artigo se baseie pura e simplesmente nas tuas crenças? Que escrevam obviedades para te agradar, como “Putin é ditador”, “a Rússia fracassou na guerra”, ” a Ucrania está vencendo ” e outros clichês!? O artigo e outros abordaram criticamente vários problemas da Rússia no Conflito, mas você por deficiência e incapacidade não processa e vem com ironia de torcedor. Ao menos reconhece ser incapaz de escrever um artigo técnico, até porque não sabe nada.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jubert
1 mês atrás

Pois, temos de ter aulas com estes senhores para chegar ao nível de sabedoria que o senhor atingiu…
E como tem fontes em “Americano” é porque é um artigo de alta qualidade técnica e imparcial…

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
Jubert
Jubert
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Sobra este tipo tosco de comentário. Tu não lê o FPRI ou Stratfor, sequer sabe o que são. Mas melhor não, vindo de você, capaz de fazer algum comentário ainda pior. Você não consegue focar em um dado técnico ou trazer uma análise com mínima capacidade para ao menos tentar uma tese melhor. Sobram essas ladainhas de sempre, sem contar que é maçante. Parece ter nítido recalque perante quem escreve o que não te satisfaz como torcedor frívolo. Toda matéria sobre a Guerra da Ucrânia é o mesmo padrão de comentários seus. Não discute problemas nas forças russas em C4ISR,… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jubert
1 mês atrás

Então vamos por ordem. Há alguma referência aos ataques diários das forças Ucranianas aos depósitos de munição, às bases aéreas, bases do exército, etc…? As muitas baixas sofridas em ataques diretos sobre as posições Ucranianas? É incrível como há muitas baixas Ucranianas e nenhumas Russas e, no entanto, os Russos ainda não avançaram. Mas o importante é referir que até temos jihadistas Sírios a lutar pela Ucrânia. A Rússia tem a iniciativa no campo de batalha? A iniciativa é feita de ofensivas e não de ataques esporádicos e localizados. “A tendência é que os Russos conquistem os territórios”. Isto é… Read more »

Jubert
Jubert
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Você ainda é prolixo cara, desfocando o artigo! Pô os caras escreveram nos artigos anteriores sobre as ofensivas da Ucrânia diversos detalhes sobre as perdas russas e não li nenhuma dessas previsões que você escreve sobre tomar Odessa, etc. Ao contrário, o artigo lança dúvidas sobre essas mesmas especulações. Só que você não possui capacidade básica de pesquisar ou analisar o contexto e tema do artigo: as modificações inseridas pelo Surovikin no teatro de operações! Você quer relato de destruição deste ou aquele depósito, mortos russos, etc, chega a ser infantil sua interpretação dos artigos deste site, querendo descaradamente relatos… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jubert
1 mês atrás

“Nessa altura dos acontecimentos, não temos como saber se os russos avançarão até as margens do Dnieper e/ou conquistar Odessa bloqueando o acesso dos ucranianos ao mar Negro, como se chegou a especular entre abril/maio.” Grande análise de nível técnico e bem fundamentada… Como disse é mais importante falar sobre os jihadistas Sírios que deverão ser aos “milhares” do que os ataques Ucranianos…. O problema não é falar ou não dos mortos, é falar só dos mortos de um só lado… Claro que sou limitado. Não gasto o meu tempo, como o senhor, para procurar todo um subtexto como se… Read more »

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Jihadistas sírios? Tu te refere aos salafitas/islamitas/terroristas financiados, treinados e armados pelos EUA/OTAN para derrubar o Governo de Damasco?

Jubert
Jubert
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

No mais, você não estuda, não tem condições técnicas de contrapor algo substancial, não tem conhecimento básico e quer fazer crítica a cada matéria aqui do site que contraria sua torcida. Parece que tem problema existencial para agir assim, fora as limitações técnicas e intelectuais. Falei sobre a Stratfor e o FPRI, que você nunca se deu ao trabalho de pesquisa, aí você responde um monte de desabafo de torcedor. Melhor ir para a discussão sobre Benfica x Porto.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jubert
1 mês atrás

Ainda bem que a sua defesa deste artigo é “eu leio a Stratfor e o FPRI”. Grande argumento…

Como não tomo qualquer alucinogénio fica difícil entender o que estes senhor não escreveram…

Nei
Nei
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Não discuta com Putinete, pois devem ser financiados pelo grupo Wagner.

Esses, preferem ser comunistas, socialistas, ponto.

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Jubert
1 mês atrás

Esqueça; é o típico europeu completamente colonizado pelos EUA…

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

= The Guadian, CNN, El País, DW, etc…

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Jubert
1 mês atrás

As fontes “imparciais” pra ele são qualquer uma que repita a narrativa oficial dos EUA/OTAN…

No próprio EUA há fontes independentes; mas obviamente isso é “propaganda russa”…

Mercenário
Mercenário
Reply to  Jubert
1 mês atrás

Essa alegação de “fator crítico do baixo efetivo” é uma falácia. O número de pessoal que foi para o front não resume todo o efetivo empregado na “operação especial”. Um número ainda maior atua na parte logística da operação. E quem calculou/estimou o efetivo necessário (ou o disponível?) foram os russos. Caso a disponibilidade de pessoal regular fosse muito maior, como se propaga, não haveria necessidade de mobilização parcial. Veja-se que a análise do efetivo ucraniano sempre aponta para o efetivo total das forças armadas, como se os ucranianos colocassem todo o pessoal no front e não tivessem que guarnecer… Read more »

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Tu só repete a narrativa vigente na Europa, pró-EUA/OTAN, nada mais…

Enquanto isso a Europa é o almoço da vez dos EUA…

OTAN/UE nunca passaram de organizações de subjugação e vassalagem de Washington. E fora da bolha ocidental todo mundo está vendo explicitamente o infame comportamento de colônia dos EUA europeu…

Comportamento suicida, diga-se…

Estão realmente de parabéns…

Alguns, até que um dia, irão descobrir o que é ser “aliado” (capacho) dos EUA…

Gabriel
Gabriel
1 mês atrás

A guerra que iria durar dias já chegou a 10 (dez) meses.

Fato é que são modificações táticas e estratégicas introduzidas continuamente pela Rússia, nesse período, sem que tenha conseguido derrotar a Ucrânia.

Na falta de vitórias soldados x soldados, o esforço agora é na destruição das estruturas/infraestruturas elétricas, tentando assim desgastar e tirar o animo da população civil ucraniana, durante o inverno.

Resumidamente, tudo isso é um duro golpe (não precisam admitir) para quem sempre acreditou em uma capacidade militar/doutrinaria russa superior. O que se tem observado é justamente o contrário.

Alfredo
Alfredo
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Blá blá blá
Mi mi mi
O fato é que os russos se adaptaram e estão até gostando dessa ‘demora’.
Vários analistas militares, inclusive ocidentais, estão registrando as perdas catastróficas da Ucrânia.
Consideram até um batalhão por dia em baixas.
Uma chamam de desastre ucraniano.
Os russos chamam de desmilitarização e desnazificação.

Lucio Costa
Lucio Costa
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

É a típica “análise” nível Disney dos pró-EUA/OTAN… Só repetem isso desde fevereiro…

A Rússia nunca deu qualquer prazo para a operação.

Nickless
Nickless
Reply to  Lucio Costa
1 mês atrás

Que diarreia mental hein, quem começa uma guerra querendo que ela dure varios meses ou anos? tendo dezenas de milhares dos melhores soldados mortos e dezenas de bilhões de dólares em armamentos destruídos? Isso é obvio cara, obvio.

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Putin vai lutar até o último russo?

Marcelo
Marcelo
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Parece que os russos estão tendo uns probleminhas em Bakhmut e em Kreminna … mas eles não gostam de comentar publicamente … só no Telegram.

Esteves
Esteves
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

O médico vai operar. Viu os exames e diagnosticado foi uma contratura. Tempo do procedimento, 2 horas.

Após iniciar a remoção do que pensou ser uma contratura confirmada pelos exames, descobriu, o médico cirurgião, que a realidade era uma fibrose provocada por insuficiência de irrigação sanguínea…uma região de intensa vascularização afetada pelo tabagismo.

Tempo do procedimento na nova realidade, 6 horas. Alta prevista para o mesmo dia foi prorrogada 24 horas após nova avaliação. Veio reforço anestésico em razão do trauma não previsto. Reações advindas da anestesia nesses casos são comuns.

Observar é um ato. Intervir é outro.

Alfredo
Alfredo
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Não é?
Os americanos foram ao Vietnã achando que a guerra ia ser curta e foram derrotados.
Hitler achou que era só um pontapé na porta que a União Soviética cairia.
Foi esmagado.
Os russos, como o artigo está enfatizando, mudar sua estratégia e estão se adaptando ao conflito.
E causando grandes estragos à Ucrânia.
Talvez fatais .

Esteves
Esteves
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Vai virar uma Coréia.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Só falta combinar com os ucranianos … mas eles insistem em não colaborar. Agora ficam resistindo em Bakhmut e estão quase tomando Kreminna. Mania de não ficarem quietos no inverno e fazer os russo avançar em direção à Moscow, né? Sem noção esse povo ucraniano.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Boa analogia.
Se aplicando ao caso concreto, por semelhança.
Faltou citar que o médico designado para fazer a operação inicial era um pediatra.
Durante o procedimento chamaram um psiquiatra para assumir a operação.
Agora, a nova estratégia é um traumatologista acompanhar o doente, orientando os procedimentos.
Claro, todos excepcionais profissionais russos.
Tudo conforme planejado no xadrez 5D.

Esteves
Esteves
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Na realidade era um cirurgião plástico. A cirurgia, uma substituição de próteses mamárias. Os exames mostraram uma contratura na mama direita. Quando o procedimento começou, atingir a prótese e substituí-la, encontrou, o cirurgião, com a fibrose. Rígida. O tempo estimado para substituição das 2 próteses…duas horas. Somente a mama direita aonde havia a fibrose…4 horas. No total foram 6 horas e duas intervenções do anestesista. Internação às 14:00. Cirurgia às 14:30. Chegada ao quarto às 22:30. Foi necessário aguardar outras 2 horas no Centro de Recuperação para terem a certeza que a paciente Estava oxigenando. Agora tá aqui. Não pode… Read more »

Alfredo
Alfredo
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Agora, o médico que mais trabalha lá é o legista.
Um batalhão por dia de perdas ucranianas.
Aliás, nem tem tanto trabalho.
É só assinar a ordem de enterro.

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Você está parecendo americano no Vietnã Ao invés de conquistar território ficava contando o número de corpos do inimigo. Deu no que deu.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 mês atrás

Ressumo, Z bateu, bateu, bateu, levou contra golpe se defendeu, começa bater, bate e se defende, U apanha, apanha, apanha mas tenta atacar, se defende mas apanha, perdeu território e se não fazer a paz pode deixar de existir, a EU perdeu gaz e petróleo barato, não tem mais nord straeam, e vai pagar a fatura que do imperialismo atlanticista porque vassalo serve para sustentar o susserano. Não esta batendo mas esta ganhando China, Iran e Índia.

Monarquista
Monarquista
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

A EU, sem gás e petróleo barato, cresceu 3,3% esse ano, e as projeções para o ano que vem são de mais crescimento.

A Rússia, só com projeções vistas de fora (pois o governo controla as informações) teve recessão de 4% e terá mais ano que vem.

Acho que a fatura não será paga pela UE…

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Monarquista
1 mês atrás

É mesmo então vamos ver os indicadores da OMC na semana que vem para ver quem perdeu e quem ganhou.

Glasquis 7
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

De qualquer jeito, no futuro, a UE limitará ao extremo a sua dependência energética da Rússia que verá a sua liquidez cair vertiginosamente.

Nilo
Nilo
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

Petróleo, ainda mais o gás natural, são cobiçados, sempre terá compradores.
Que liquidez vai cair, são todos contratos a longo prazo.

Esteves
Esteves
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Petróleo e gás não são somente energia. Química, petroquímica, fertilizantes…fontes de matérias-primas.

Glasquis 7
Reply to  Nilo
1 mês atrás

A Europa já procura alternativas para sua matriz energética. Vai demorar mas vai acontecer mais cedo do que tarde..

Alfredo
Alfredo
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

O fim da dependência da energia russa pressupõe custos altíssimos para o Ocidente .
Não é uma alternativa plausível.
Perderá competitividade.

Monarquista
Monarquista
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Hoje o gás natural na Europa está mais barato que antes da guerra do filho da Putin.

Vcs não acertam uma kkkkkkkk

Nickless
Nickless
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

resumo, a segunda maior potencia militar do planeta ( no papel claro) peidando, peidando e peidando pra 22 potencia militar do mundo, perdendo território desde setembro.

Obs, o imperialismo russo pra transformar a Ucrânia em vassalo pode?

Esteves
Esteves
1 mês atrás

“a resiliência russa tem surpreendido, bem como os baixos estoques de determinadas armas e munições de países integrantes da Aliança Atlântica.” Pois é. Países da guerra estão sempre prontos para a guerra. A Europa, pressionada pelos norte-americanos na OTAN a aumentarem seus arsenais e modernizarem suas táticas, não Estava. A Europa está lotada de problemas. Desemprego, imigrantes, pressões sociais, neofascistas, ondas separatistas (Escócia), fuga de indústrias para a Ásia, custos de produção subindo, diesel sendo substituído, os maiores negócios ainda em fusão, o varejo que durante décadas foi a menina dos olhos dos empregadores mostrando resultados pequenos, telecomunicações à beira da… Read more »

Peter Nine Nine
Peter Nine Nine
1 mês atrás

Análise da treta…

Esteves
Esteves
1 mês atrás

General Sergei Surovikin. Mais conhecido como Generalíssimo Xandão.

Esse arrepia.

Maromba
Maromba
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Qualquer semelhança com o Dr. Evil é mera coincidência. 😁

E4137EA6-09C1-41CC-88C2-D29037CFFA77.png
Esteves
Esteves
Reply to  Maromba
1 mês atrás

Trio de Ferro.

62D63D48-80BC-48EA-9C95-E0F2F80E6B20.jpeg
Régis
Régis
Reply to  Maromba
1 mês atrás

Credo, será esta mais uma prova da Teoria da Conspiração da NOM?

Alfredo
Alfredo
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Essa foi a melhor!
Kkkkkkk

Esteves
Esteves
1 mês atrás

Pode aprovar o comentário. Esteves tá comportado.

Lucena
1 mês atrás

Como já disse um certo estadista alemão no começo do século XX ( antes da 1° GM );.. . ” A Marinha alemã, não necessita ser a mais poderosa do mundo; ( se referindo a Marinha inglesa): mais o suficiente forte para entra em guerra com a mais poderosa… e caso perda uma guerra para a mais poderosa…. esta “Marinha poderosa” … não será a mais poderosa Marinha do mundo”. . . As Histórias das guerras, da napoleônica até a II GM ;…. a Rússia foi uma espécie de pedra angular… onde todo aventureiro expansionista ocidental que foi para cima… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Lucena
1 mês atrás

Dizem que Portugal não faz parte da Europa. Quem sabe se só sobrar Portugal.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Lucena
1 mês atrás

Sabe que a Rússia foi invadida como reação ao seu expansionismo?
Não estava quieta no seu canto e de repente foi invadida.

E, nesta guerra, que país invadiu a Rússia?
Como sempre a Rússia está a colher o que plantou.

Esteves
Esteves
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Visão ocidental.

De quem olha daqui pro Leste. Para quem está no Leste olhando o Ocidente…lembrando do francês e do alemão…vendo a OTAN…contando o que perdeu após a dissolução da URSS, pode pensar diferente.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Esteves
1 mês atrás

A visão do regime Russo não é cultural como se houvesse alguma diferença entre a Rússia e a Europa. É uma questão temporal.
Ainda atuam como estivéssemos no séc. XX e anteriores. Com conquistas territoriais. A Europa parece que aprendeu com esses erros e mudou de estratégia.

“Quem não aprende com a história, corre o risco de repetir os mesmos erros”… Putin é o melhor exemplo deste ditado.

E a Rússia só perdeu aquilo que não era dela.

Last edited 1 mês atrás by Hcosta
Esteves
Esteves
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Exato. Perdeu aquilo que ela pensava que era dela. Ainda pensa?

Nilo
Nilo
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Senhores Zelensky (pós eleição jogou fora as promessa feita a população, hostilizou a população de origem russa, lingua…) é a porta de entrada da Otan, para a dissolução da Rússia, cai a Rússia, cai a China, efeito domino, a mesma justificativa que fez EUA entrar no Vietnam.
É como já sabemos uma guerra por procuração, entre um mundo globalizado unipolar ou multipolar.
Tanto EUA e Rússia não esperavam os desdobramentos em que o conflito está se extendendo e ampliando cada dia que passa.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Esteves
Esteves
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Otimisticaente falando.

Quem acreditou que a Rússia cairia? Ou que pudesse cair?

Não para a OTAN.

Leo Rezende
Leo Rezende
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Deus te ouça!

Hcosta
Hcosta
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Que se habitue. Portugal ainda demorou a aceitar o que perdeu…

Esteves
Esteves
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Outros tempos. E Portugal nunca teve a expressão russa. Nem na cultura.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Teve mas não se relaciona com o ser Russo ou não. É ser colonialista e ter poder sobre outros povos e territórios…

Nilo
Nilo
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

H bom dia, o tipo de presença colonialista de exploração de recursos pelos portugueses se difere, excluindo ai o período de Brasil Reino unido a Portugal.
A Ucrânia era parte do parque industrial, intelectual, e politico da Unisão Sovietico, recebiam petroleo subbsidiado, entre outros itens..

Hcosta
Hcosta
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Sim, há diferenças, nem que seja pela proximidade.
Mas esta atitude de Putin, semelhante a Estaline e outros, é de subserviência entre países, parecido entre colonizador e colonizado.
A atitude de salvadores e de castigadores, que se não fossem eles, estes países não teriam qualquer viabilidade, etc…

Portugal teve colónias até 1975, com territórios gigantescos, e que, provavelmente, sofreram mais com a colonização do que o Brasil, mesmo sem incluir as guerras.

Nilo
Nilo
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

“A atitude de salvadores e de castigadores, que se não fossem eles, estes países não teriam qualquer viabilidade” Sim, uma visão dual, entre o bom de perverso. Entretanto levo em consideração, que a cultura, a lingua portuguesa foi uma imposição terrível ao colonizados e no caso do Brasil aos índios, a cultura russa vem de uma convivência secular mesmo em momentos de conflito existe períodos longos de convivência pacífica e tolerante entre as culturas, e lembrando que a Rússia tem sua origem dos povos Ucranianos, ao contrário da colonização portuguesa. Outro fator a considerar as colônias não são fronteiriços e… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Nilo
Nilo
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Correção…..entre o bom e o perverso….

Alfredo
Alfredo
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Sugiro que vc dê uma passadinha em Donbass para ouvir os relatos das atrocidades cometidas pelos ucranianos contra a população russa de lá.
E outra.
De agora.
Na impossibilidade de fazer frente aos russos, os ucranianos estão bombardeando sistematicamente os hospitais da região de Donetsk.
São criminosos e não se preocupam em esconder suas veias nazis.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Então bombardear hospitais fazem com que sejam nazis?

E vamos ver se a notícia é verdadeira…

Marcelo
Marcelo
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Fonte? Em Kherson tem fotos de civis sorridentes, entregando flores e abraçando os soldados ucranianos. Havia crianças, mulheres e idosos nas fotos.

Lucena
Reply to  Lucena
1 mês atrás

Um dos erros do ocidente … é achar que é um exemplo cultural que o mundo tem que seguir, exemplo disso é a Russia. . O Ocidente em especial a do hemisfério Norte ( Europa/EUA) , acharem que a cultura russa tem que seguir a mesma cartilha de governança igual a ocidental … basta ver na Historia … que em nenhum momento na Russia houve um sistema de governo igual as dos ocidentais; quer seja europeia ou americana. . Desde a era tribal até os dias atuais, foi o czarismo … não encontro outro momento onde na sociedade russa se… Read more »

Lucena
Reply to  Lucena
1 mês atrás

O que leva muitos árabes,africanos buscando refugio na Europa ? … é mais por questão econômica ou política? . Muitos vão por questão econômicas, foragidos de guerra e de pobreza,falta de boas oportunidades …. e o sistema de governo da Europa é permissiva à refugiados . . Comparamos os refugiados na Europa … com muitos refugiados latinos que vão para os EUA … é pelos mesmos motivos … vão mais por questões econômicas e alguns também por questões politicas… não acredito que muitos brasileiros vão para os EUA por questão politicas e sim mais econômicas . . Porque dos árabes… Read more »

Mercenário
Mercenário
Reply to  Lucena
1 mês atrás

Lucena,

Você esqueceu que nas outras vezes os anglo-saxões estavam apoiando os russos/soviéticos.

Aliás, também esqueceu que os britânicos, turcos e franceses se opuseram ao expansionismo do Império Russo e venceram a Guerra da Crimeia.

Lucena
Reply to  Mercenário
1 mês atrás

Você esta correto em lembrar esses fatos, porém o contexto atual e daquela época a premissa em respeitar a cultura do outro .. ainda não existe . Os franceses e britânicos lutaram contra os russos na época da Criméia e lutaram juntos os três nas duas Guerras mundiais contra os alemães… e nestes dois episódios persistiu até hoje a desconfianças entres eles. … franceses Vs britânicos Vs russos Vs alemães …etc . . O continente Europeu a falta de consideração entre eles é histórica … e quando se referem ao russos…. ela é mais forte, deve ser por isso que… Read more »

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Esse General ai não tem dó nem da Mae dele !!!

Brazuca
Brazuca
1 mês atrás

Já chegaram em Kiev?

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Brazuca
1 mês atrás

Precisa passar por Bahmut primeiro. Mas tá difícil.

Guilherme Leite
Guilherme Leite
1 mês atrás

Enquanto isso, não houve nenhum avanço russo significante a meses, só houve retomadas ucranianas.

Ao que tudo indica e ao contrário do que todos os analistas afirmam, esse inverno estatizará sim a linha de contato.

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Guilherme Leite
1 mês atrás

Houve sim avanço russo. Para trás.

Esteves
Esteves
1 mês atrás

No Forte há uma certa…eu não diria predominância…visão. Que não existe no Naval. No passado eu disse briguinha. Nunão corrigiu-me reforçando a importância do trabalho do Trio Parada Dura nas 3 versões do Forças de Defesa. Aversão a estrangeiros + nacionalismo afônico. Que aumentou durante as eleições. Aspas. Bolinha é o Esteves que escreve. “O que leva muitos árabes,africanos buscando refugio na Europa ? … é mais por questão econômica ou política? Pobreza extrema. Muitos vão por questão econômicas, foragidos de guerra e de uma pobreza,falta de boas oportunidades …. e o sistema de governo da Europa é permissiva à… Read more »

Esteves
Esteves
1 mês atrás

Construção Naval Militar Brasileira durante as décadas de 1930 e 1940. Por Fernando de Martini. O Historiador vai longe visitar os registros históricos, cartórios, bibliotecas, museus. Papelada. Para desvendar fatos do passado. Pesquisar e contar. Aconteceu. Depois submete à aprovação + publicação. Essa guerra na Ucrânia está acontecendo. O passado somos nós, testemunhas de novo holocausto. Impossível contar com os velhos correspondentes de guerra. A velocidade dos fatos hoje em dia exige vasta pesquisa em fontes e, claro, quem faz a pesquisa considera que toda fonte tem sua versão. Talvez por isso, na Europa, ainda preservem as fontes enquanto aqui… Read more »

Oráculo
Oráculo
1 mês atrás

Muito boa a análise.
Texto bem escrito e de qualidade.

Obviamente os “torcedores” reclamaram.
Dessa vez foi a turma pró Ucrânia.
Os pró Rússia já criticaram outros textos.

Quando não se agrada nenhum dos lados das “torcidas” de uma guerra, provavelmente você está com a razão.

Continuem o bom trabalho.

E deixem os chorões chorarem.

Nilo
Nilo
1 mês atrás

O apresentador de TV russo Vladimir Solovyov compartilhou várias fotos e vídeos do T-14 Armata.
Relatórios russos sugerem que as tripulações do T-14 foram filmadas durante o treinamento de coordenação de combate, provavelmente na área de retaguarda da ‘operação militar especial’.
De acordo com algumas fontes da mídia russa, os tanques estão se preparando para serem implantados em Donbass.
Será o alvo “premium” da OTAN, qual batalhão ucraniano aniquila o primeiro.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Heinz
Heinz
Reply to  Nilo
1 mês atrás

já foi T72 base, depois T73 Obr (modernizado) depois, T80,T90 A, T90 provy, todos esses já tiveram exemplares destruídos. Vamos ver ser o T14 vira o jogo.

Nilo
Nilo
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Vc sabe meu caro, que virar o jogo é uma soma de fatores, e neste caso vou contrário a muitas cabeças que lamuriam pela urgência da invasão a Kiev.
Mas o Armata entrando no conflito acelera seu processo de desenvolvimento, será interesse ver o desdobramento da entrada deste equipamento em campo.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Logo os russos vão deixar um T-14 Armata de presente para os ucranianos. Eles já deixaram dois T-90 M Proryv intactos para trás, sendo que um deles já está sendo estudado nos EUA … só falta o T-14 Armata.

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Não tem mais do que duas dúzias de T-14 na Rússia. É só para desfile mesmo.

Esteves
Esteves
Reply to  Nilo
1 mês atrás
Peter Pan
Peter Pan
1 mês atrás

Putin quer negociar e as condições são públicas: aceitação por parte da Ucrânia da Novarussia, isto é o equivalente a 20% do território ucraniano.
O resto é conversa. E estes 20% equivalem a mais de 75% da economia ucraniana.
O Marcelo e mais alguns actores regionais que competem com o artista Zerolensky, podem vir aqui comentar.

FXCq48WUYAEqfjt.jpg
Carioca
Carioca
Reply to  Peter Pan
1 mês atrás

Negociar terra roubada ? Mesma coisa que roubarem o nosso carro e ir no bandido pedir de volta. Viaja demais.

Nei
Nei
Reply to  Carioca
1 mês atrás

Esse pelo nome já se sabe que vive no mundo da fantasia.

Esse é o novo “novo”, invadir países é certo, matar civis é certo, roubar e ser governante é normal.

Leo Rezende
Leo Rezende
Reply to  Nei
1 mês atrás

Só na sua cabeça e de outros lobotomizados

Nei
Nei
Reply to  Leo Rezende
1 mês atrás

É o que esta acontecendo ou não?

Marcelo
Marcelo
Reply to  Peter Pan
1 mês atrás

O Putin diz que está pronto para negociar? É piada? Quem deveria querer negociar é a Ucrânia … rsrsrs … supostamente a parte mais fraca do conflito … só que a Ucrânia está usando a máxima “we shall never surrender” do discurso do Winston Churchill … rsrsrs … e Volodymyr Zelensky já está trabalhando para retomar a contra ofensiva contra as tropas russas … mas não antes do solo congelar.

Peter Pan
Peter Pan
1 mês atrás

Chorem

FXCq48WUYAEqfjt.jpg
Monarquista
Monarquista
1 mês atrás

Desde o dia 20/12/22, pipocam pela internet vídeos de russos, civis, indignados nas portas das instituições bancários, onde não encontram mais dinheiro para sacar nos caixas eletrônicos e muitos não receberam mais suas pensões. Agora, aparentemente (não posso atestar a veracidade do documento e nem sei russo, estou confiando nos tradutores), o governo russo confiscará dinheiro de contas correntes e poupanças da população e convertê-lo em “títulos de guerra intansferíveis”, para serem pagos ao final da “operação especial”. É… A UE com crecimento do PIB está em crise, a Rússia com encolhimento não está. Os russos estão tão ricos que… Read more »

Fk_-C3WXgAMnAgY.jpg
Nei
Nei
Reply to  Monarquista
1 mês atrás

Se está difícil para UE e OTAN ajudar Ucrânia com equipamentos, imagina para Rússia sozinha. Essa conta não fecha, Russos já não tem dinheiro para sacar nas cidades.

Heitor
Heitor
1 mês atrás

E nada sobre a tentativa de atentado em Brasília?

Nilo
Nilo
Reply to  Heitor
1 mês atrás

Existem riscos que podem replicar-se aqui a instabilidade política do Peru para um país nas dimensões do Brasil, uma tragédia.
Aí contrário do ex Ernesto Araujo, que deseja o caos de lá dos EUA.
Devo dizer que o sentimento de Pátria reverberou.
Brigadeiro Baptista Jr.
Jamais apoiaria rupturas democráticas.
É o Homem brasileiro, soldado, cidadão, que se distância dos meninos aventureiros e medíocres.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Esteves
Esteves
Reply to  Nilo
1 mês atrás

O que você me diz dele? Respondi que é nordestino, político, professor, comunista….só conheço o discurso, não conheço a pessoa. Ato 1 – Basta! Você e essa corja. Corjas. – Mas eu só respondi o que você me perguntou. Sei o que publicam. – Você está acabando com a minha saúde. – Olha…sinceramente…acho que você deveria parar de seguir essa gente que prega fragmentação, desunião, ruptura incluindo ruptura de regiões, golpes, atentados…somente porque um homem é do Nordeste ou do Norte…é brasileiro como todos nós. – Saia desse TikTok. Para de compartilhar conteúdo golpista. Vocês querem um país de gente… Read more »

Leo Rezende
Leo Rezende
Reply to  Esteves
1 mês atrás

E do golpe juristocrático,o que vc tem a dizer?

Esteves
Esteves
Reply to  Leo Rezende
1 mês atrás

Vi algo parecido…naquele filme Jurassic Park.

Nilo
Nilo
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Quando vão ao EUA. Dizem êta pais bom, aqui o sistema juridico funciona, o imperío da Lei.
aqui quando a Lei impera, aí tem que ser o sistema enquadrado.
Quando vão a Portugal, que belo pais governado pelo Partido Socialista.
Meninos aventureiros e medíocres.

Esteves
Esteves
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Vamos torcer pra essa turma que chega não sair por aí procurando o ET Bilu.

Nilo
Nilo