A instituição planeja cortar pela metade a encomenda dos veículos blindados produzidos pela Iveco em Sete Lagoas

O Exército planeja reduzir pela metade a encomenda de blindados Guarani, produzidos pela Iveco em Sete Lagoas (MG).

Segundo uma fonte da caserna, a necessidade de corte já vem sendo avaliada por integrantes do Alto Comando do Exército há pelo menos cinco anos.

Segundo um general ligado ao assunto, o Exército adquiriu mais veículos do que necessitava. À época do primeiro contrato, foram encomendados 2.044 veículos. Posteriormente o contrato foi renegociado e a quantidade reduzida para 1.580, a serem compradas até 2035.

“Após receber o veículo número 600 para transporte de tropas deveremos produzir as viaturas para missões especiais e encerrar o contrato em cerca de 900 unidades. Não há mais espaço em nossos batalhões para veículos de transporte blindado. Temos muitas outras prioridades, como sistemas de artilharia sobre rodas, carros de combate e helicópteros armados“, diz um militar.

O Exército espera que viaturas restantes sejam vendidas para o mercado de exportação.

Guaranis do EB no pátio da Iveco
Guaranis do EB no pátio da Iveco, em foto de 2018

FONTE: Veja

Subscribe
Notify of
guest

290 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pedro fullback
Pedro fullback
11 meses atrás

Acertei na mosca!

O que aprendemos na Guerra das Malvinas? Absolutamente nada! Não temos um caça que dispara míssil anti navio, e pra piorar, qual é o míssil anti navio do Gripen?

Na Guerra da Ucrânia, notamos que blindados são destruídos aos montes, mesmo assim o E.B quer quantidades pequenas de Guarani.

Pelo visto, o EB não quer aprender com os erros dos outros.

Engana-se de quem acha que ” helicópteros armados” são um apache da vida, é apenas um esquilo com foguetes.

Daniel
Daniel
Reply to  Pedro fullback
11 meses atrás

E ainda temos que ouvir o argumento que a “vizinhança é pacífica”, e “não temos inimigos” …
Se assim fosse, nossos outros serviços públicos como saúde, segurança e educação seriam de qualidade, o que não ocorre, salvo raríssimas exceções que apenas confirmam a regra.
As forças armadas seguem a sina de quase todo o serviço público brasileiro, de todas as esferas. São mal geridas, gastando demais com pessoal e burocracia.
Servem para gerar emprego e renda e não para cumprir a função que se destinam.

Jorge Knoll
Reply to  Daniel
11 meses atrás

As nossa FFAA só servem de cabide de emprego, e comprometer o Orçamento de Defesa, pois 90% do orçamento está comprometido com o pagamento da folha de pagamento dos militares e civis. E agravou-se quando, o anterior governo, quando da Reforma da Previdência Militar, paralelamente, reajustou os soldos, para os próximos 4 anos, o que comprometeu a Reforma da Previdência dos Militares, e tornou a economia pífia ou nada.] Enquanto não congelarmos os concursos públicos na área militar, e reduzir o ingresso de militares, as FFAA continuarão sem capacidade de aumentar os investimento e renovação de seus meios bélicos. há… Read more »

MARCELO DANTON DA SILVA
MARCELO DANTON DA SILVA
Reply to  Jorge Knoll
11 meses atrás

EDITADO:
4 – Não escreva em maiúsculas, o que equivale a gritar com os demais;

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Daniel
11 meses atrás

Daqui a apouco vem um militar com aquele papo de sempre de “pro nosso T.O, tá bom”, pra justificar qualquer velharia dos anos 60, como se fosse o supra-sumo da tecnologia.

Jodreski
Jodreski
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

E esse papinho para mim é conversa para boi dormir, pq qualquer um sabe que nenhum país sul-americano tem capacidade de atacar e sustentar um conflito armado contra o Brasil, e não digo isso pela nossa capacidade bélica e sim pela nossa geografia. A complexidade logística seria imensa, nenhum dos nossos vizinhos tem capacidade atual para tal. Então, por exclusão, se o Brasil vir a ser atacado algum dia esse nosso inimigo virá pelo Atlântico e mais uma vez, por exclusão, poucos são os países com capacidade para tal, porém os que o tem já nos daria argumento o suficiente… Read more »

Nativo
Nativo
Reply to  Daniel
11 meses atrás

Se esse argumento de falta de necessidade serve, então por que gastar 100 bilhões se reais com FAs, aí é ter forças de mamata.

Aldo fontoura
Aldo fontoura
Reply to  Daniel
11 meses atrás

BOM DIA REPARE NO RELEVO NA HIDOGRAFIA DE CADA PAÍS.
CLIMA TAMANHO DA MASSA TERRESTRE DE CADA UM DELES ENFIM ,AS DIFERENÇAS SÃO ENORMES. AQUI NA REGIÃO NORTE UM CARRO DE COMBATE TERIA POUCA UTILIDADE.
ATÉ MESMO VEICULOS BLINDADOS ANFÍBIOS SOBRE RODA SERIAM DE POUCA UTILIDADE.
EXISTE 02 ESQ CAV MEC NA AMAZÔNIA .
O ALTO CMDO TÁ CORRETO.

Jodreski
Jodreski
Reply to  Aldo fontoura
11 meses atrás

Então quem foi o gênio que chegou nesse número inicial de 2044 veículos.
Seria bacana saber se ele tirou esse número do além ou foi algum estudo que o próprio EB fez.
Pq se foi o próprio EB ele mesmo não se leva à sério, dependendo do dia ele se contenta com um número qualquer.
Seria mais nobre dizer que não temos $$ para honrar o compromisso de adquirir o número total pq não sabem administrar o $$ que recebem. Pois essa sim é uma verdade inquestionável, já os números não!

Marcelo
Marcelo
Reply to  Aldo fontoura
11 meses atrás

Não… o alto (com minúscula mesmo) cmdo não está correto. Assim como o seu cálculo estimativo, porque o Guarani visa MECANIZAR A INFANTARIA do EB. A Cav Mec receberia blindados em substituição aos Urutu existentes e a complementar necessidades. Logo, 2044 viaturas não estão fora da realidade (se não estão aquém!) porque existem outras especialidades de apoio como engenharia, logística e mesmo comunicações, que usariam estas viaturas.

Dagor Dagorath
Dagor Dagorath
Reply to  Pedro fullback
11 meses atrás

Pequena correção, mas provavelmente os helis armados serão Black Hawk artilhados.

Marcos Silva
Marcos Silva
Reply to  Dagor Dagorath
11 meses atrás

sei não,,,,

Henrique A
Henrique A
Reply to  Pedro fullback
11 meses atrás

O Gripen tem o RBS 15 mas não houve nem palavra de adquiri-lo. O único míssil anti-navio da FAB é o Harpoon que não é mais o melhor que há e está configurado para ser empregado de maneira inadequada, nos vetustos P-3 Orion, com a fuselagem capenga.

Dod
Dod
Reply to  Pedro fullback
11 meses atrás

Eu acho que o Brasil deve ter sim armas em quantidade e de qualidade nas Fas, mas comparar a situação geopolitico do Brasil com a Ucrânia, acho um pouco fora da curva.Não tem muito com o que o Brasil aprender com a Ucrânia, até por que o país nunca teve arma nuclear e sempre teve boa relação com os que tiveram.E também 1% do PIB pra cuidar da defesa chega ser piada, acho que o problema não o EB, até pq se tivesse dinheiro não ia ser problema 2k de guarani.Aquele abraço,post muito bom.

Antonio Cançado
Reply to  Pedro fullback
11 meses atrás

Não defendo o EB, ou a FAB ou a MB, mas vamos lá. O Gripen dispara mísseis antinavio. Normalmente dispara o Saab RBS 15 (já em sua versão Mk 4, chamado de ‘Gungnir’), o qual pode levar 6 unidades simultaneamente, ou o Kongsberg NSM, a mesma quantidade pode ser carregada. Se a FAB vai adquirir, já é outra história. Se blindados são destruídos aos montes na Ucrânia, o EB deveria querer grandes quantidades do Guarani. E se o conflito lá mostrou que blindados são obsoletos, por quê a OTAN está enviando os mais modernos que possui pra lá? Quanto ao… Read more »

Pedro fullback
Pedro fullback
Reply to  Antonio Cançado
11 meses atrás

Todos nós sabemos que o Gripen dispara míssil anti navio.

O problema, é quê as FFAA brasileiras não aprendem com os erros dos outros. E é esse que é o problema.

Como você citou ” se as FAB vai adquirir, já é outra história “. Das guerras das Malvinas pra cá, a FAB comprou míssil anti navio para equipar os seus esquadrões de caças? Não!
Fala em adquirir mísseis anti navios para o Gripen? Não!
Fala em desenvolvimento nacional de um míssil anti navio? Não!

Daniel
Daniel
Reply to  Antonio Cançado
11 meses atrás

Como assim os blindados mais modernos da OTAN, meu amigo? Após todo esse tempo ainda não percebeu que, com raras exceções, tudo o que vai para a Ucrânia é de segunda mão ou que estava parado em estoque? Nem a Rússia usa os seus blindados mais modernos na Ucrânia.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Daniel
11 meses atrás

Mas a Russia ta usando até Terminator e T-90M que são os mais modernos que ela tem, Tirando o T-14 que só tem uns gatos pingados e ninguém viu a menos de 10km do front

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Victor Filipe
11 meses atrás

O Terminados foi usado em duas guerras antes.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Antonio Cançado
11 meses atrás

No quesito armas modernas da Otan, negócios amigo, grana, cada blindado mandado e destruído na Ucrânia, será substituído por um novo nos países da OTAN, movimentando a grana.

Henrique
Henrique
Reply to  Pedro fullback
11 meses atrás

cara, até acho que o FA aprenderam com esse conflitos, mas não adianta eles pedirem +1500 guarani, +30 fragatas e +500 Gripen se o Estado Brasileiro não tem capacidade de alocar o recurso pra ter isso ai e folego financeiro para pagar/manter.

só ver que o debate econômico do mês é se a gente deve taxa os produtos de exportação e tornar eles inviáveis lá fora kkkkkkk .

Problema mais significativo das FA não está nas FA… ta no Estado Brasileiro mesmo

Charle
Reply to  Henrique
11 meses atrás

Ué?!? Quer dizer que sem o Estado Brasileiro teríamos FA de primeira linha?

Ou, melhor dizendo, mudando ou transformando o Estado mudar-se-iam as FA?

Subtende-se em seu texto mais “recursos para essas forças”?

Poderia até ser assim… mas desde que houvesse um gigantesco rearranjo estrutural em toda a estrutura militar brasileira.

Nesse caso, subtende-se, inclusive, cessar o pagamento das pensões de filhas de militares que nunca casam, assim como o fim da aposentadoria integral.

E isso só para começar.

Marcos
Marcos
Reply to  Pedro fullback
11 meses atrás

Achei uma decisão correta; generais devem se preocupar com cargos comissionados das esposas e dos filhos e não com equipamentos, manutenção, treinamento de tropas… Isso é passado; deveriam reduzir ainda mais. Não usam mesmo.

Gerson Carvalho
Gerson Carvalho
Reply to  Pedro fullback
11 meses atrás

Só pra lembrar que quando o exercito reduziu de 2000 para 1500 o valor do contrato ficou o mesmo, porque não foi uma simples compra, foi transferência de tecnologia. Ou seja, provavelmente o fornecedor não vai quere reduzir, o EB deveria vender as unidades excedentes a outros países.

Paulo Carrano
Paulo Carrano
Reply to  Pedro fullback
11 meses atrás

Se é que sairão esses esquilos com foguetes!

MARCELO DANTON DA SILVA
MARCELO DANTON DA SILVA
Reply to  Pedro fullback
11 meses atrás

Esperar coerência ou altivez de praticantes de PERFIDIA??!! aaahh para né… ingenuidade tem limites.

eliton
11 meses atrás

“Temos muitas outras prioridades, como sistemas de artilharia sobre rodas, carros de combate e helicópteros armados”.
Eles nem citam mais a anti aerea.

Last edited 11 meses atrás by eliton
Maurício.
Maurício.
Reply to  eliton
11 meses atrás

“Eles nem sitam mais a anti aerea.”

Aquele suposto grupo que se reuniu ainda deve estar estudando…rsrsrs.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Maurício.
11 meses atrás

Aquele grupo de estudos que tá estudando a 5 anos, sem resultado….

Frederico Boumann
Frederico Boumann
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

5 anos… já estão graduados em defesa antiaéreas… kkkkkkkkk
Agora estão escolhendo se vão fazer pós ou direto para o mestrado…
O Brasil é uma piada.

fewoz
Reply to  Maurício.
11 meses atrás

Sou brasileiro, mas moro em Portugal. Afirmo que aqui também há muito “grupo de estudo” para obras importantes do país, mas nenhuma delas sai do papel. Isso há décadas já. Se calhar isso foi uma herança cultural… Tristeza para os dois lados do Atlântico.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  fewoz
11 meses atrás

Isso é ficar em cima do muro eternamente.

António Rodrigues
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
11 meses atrás

Problema do muro é se um dos lados o mina, aí, já foste pró chão…

António Rodrigues
Reply to  fewoz
11 meses atrás

Até que enfim que alguém percebeu o problema, é isso mesmo, a eterna mania lusitana, deixa para amanhã o que deverias fazer ontem ….a história portuguêsa depois de 1640, a nível de defesa, sempre foi de sacrificar a desgraçada da infantaria….os nossos soldados sempre foram abegnados no sacrifício e isso sempre foi aproveitado pelas classes dirigentes para nada fazer.

Carlos
Carlos
Reply to  fewoz
11 meses atrás

Sou português e não sei do que estás a falar, sê mais especifico porque só se pode reclamar com dados e não com piadas

Faver
Faver
Reply to  eliton
11 meses atrás

Drones… de vigilância, de reconhecimento, de apoio, de comunicação, de ataque, suicidas…. aereos, marinhos, terrestres…. pequenos, médios, grandes…. produção, doutrina, manutenção…

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Faver
11 meses atrás

Cruzes, estudo, coquetel, viagens ao exterior, coquetel, estudo, novo grupo, novo ciclo, décadas depois, a decisão: Vamos comprar baterias de Patriot, 3 baterias, ano, 2045. A compra será via FMS pois eles já estarão usando laser.

Last edited 11 meses atrás by Cristiano de Aquino Campos
Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  eliton
11 meses atrás

As únicas prioridades deles são os bolsos e as regalias, a verdade é essa.

jairo
jairo
Reply to  eliton
11 meses atrás

As FFAA brasileiras só não são mais patéticas do que seu alto-comando.

Maurício.
Maurício.
11 meses atrás

FAB provavelmente diminuindo o número de caças ou até cancelando o segundo lote, MB desativando um submarino que ainda poderia ter anos de serviço pela frente, e agora o EB com essa, nada de novo no front, Brasil sendo Brasil, e ainda tem um pessoal que leva o Brasil a sério em termos de defesa, mas já, já chega a turma do “não é bem assim”…

Henrique A
Henrique A
Reply to  Maurício.
11 meses atrás

No caso do Gripen quantas células serão? Vai ficar só nas 36 do primeiro lote ou haverá mais?
Outra pergunta: por qual razão as FFAA estão cortando aquisições? O novo governo irá diminuir o orçamento ou a piora da economia está atrapalhado as compras?

Maurício.
Maurício.
Reply to  Henrique A
11 meses atrás

Henrique, foi o Rinaldo Nery que saiu com essa lá no aéreo, ele disse que teríamos surpresas em relação ao segundo lote, alguém perguntou se seriam notícias boas ou ruins, ele disse que achava que seriam ruins. Provavelmente ele já deve estar sabendo de algo.

Marcos Silva
Marcos Silva
Reply to  Henrique A
11 meses atrás

Houve um “segundo lote”,de 4 unidades….

Andrey
Andrey
Reply to  Maurício.
11 meses atrás

E vai piorar mais com esse governo atual.
A tendência na economia e desenvolvimento só tende a piorar.
A prioridade deles não será com gastos militares e não duvido se diminuirem tb os Centauros,afinal tem que sobrar dinheiro para a compra da picanha do Lule.

santiago
santiago
Reply to  Andrey
11 meses atrás

Piorar a gestão pelas próprias FAs né ? porque o dinheiro nunca foi cortado , e os anseios do alto escalão sempre foi atendido, tá aí o gripen e subnuc que vieram da época do pt . Eu não acredito, mas toda a palhaçada do ano passado, deveriam abrir espaço para cortes de $ e de pessoal

Maurício.
Maurício.
Reply to  Andrey
11 meses atrás

Uma vez o Vader disse que para as coisas melhorarem no país e nas forças armadas, um militar deveria ser eleito, isso muito antes do ex-presidente militar ser eleito, como vimos, nada mudou, e ainda uns estrelados tiveram um grande aumento de salário em plena pandemia, onde supostamente não tinha dinheiro para mais nada. Aqui no Brasil, nada vai mudar, seja o governo que for.

Andrey
Andrey
Reply to  Maurício.
11 meses atrás

O que precisa mudar são os altos oficiais chamarem para si a responsabilidade pelo país e não ficarem com trauminhas ou medinhos,pois nossa Amazônia está loteada,a reserva dos ianomamis brasuelos eles nem podem entrar,pois ONGs não deixam e sem contar os gastos bilionários,dinheiro brasileiro sendo dilapidado pelos de sempre,pois me diga qual o politico,até pé de chinelo,que foi ou está preso por desvio de dinheiro público? Há um grupo que fica com a mesma ladainha de que não temos FAs fortes por causa do tamanho do efetivo ,o problema maior está fora e tb dentro das FAs,mas dizer que o… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Andrey
11 meses atrás

Você leu que o alto comando está anizando isso a 5 anos? O atual governo tem 3 meses. E você quer colocar essa situação na conta deles?

Marcos Silva
Marcos Silva
Reply to  Andrey
11 meses atrás

Questão não é o governo criança. São os incompetentes que “comandam” as forças(des)armadas. Patético.dizer o mínimo. Nem nos anos de ditadura,comandando o país,esses mílicos prestaram pra equipar o aparato militar.
Triste…

Charle
Reply to  Andrey
11 meses atrás

Mas o que o outro governo (aquele dos diamantes, onde militares vão para o aeroporto à mando do patrão tentar liberar as “jóias da patroa”, ou dar “dar carteirada” sem sucesso, e ainda passam um vergonha danada) fez de bom em termos de equipamento bélico para o Brasil?

RENAN
RENAN
Reply to  Andrey
11 meses atrás

Guarani, gripe e Riachuelo se iniciou no governo do PT, de onde você tira este seu argumento?

FERNANDO
FERNANDO
11 meses atrás

Putz, virão isso agora?
Olha, eu acho que necessita de no mínimo 1500 blindados.

Alexandre
Alexandre
Reply to  FERNANDO
11 meses atrás

Onde virão?

Gabriel BR
Gabriel BR
11 meses atrás

Espero que a empresa não tenha ficado seriamente prejudicada

MFB
MFB
Reply to  Gabriel BR
11 meses atrás

Toda empresa que negocia com as forças armadas sabe que não são instituições sérias. Já estava na conta isso aí, com certeza.

Rafael
Rafael
11 meses atrás

No final, a Alemanha nem perdeu muito dinheiro.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Rafael
11 meses atrás

Caro Rafael Coimbra
Nem precisa a Alemanha. Basta a Argentina nos negar os motores……
Abraço

Utama
Utama
Reply to  João Adaime
11 meses atrás

Se a Argentina negar motores depois do Lula ter assumido e doado 602 milhões do BNDES para o gasoduto argentino, pode fechar o Itamaraty.

C G
C G
Reply to  Utama
11 meses atrás

Doado?

Chevalier
Chevalier
Reply to  C G
11 meses atrás

Sim, pq todos sabem q ñ vão pagar.

C G
C G
Reply to  Chevalier
11 meses atrás

Ahhhh bom, então é um exercício de futurologia mas não tem problema, na falta do Brasil tem a China pra fazer o investimento!

RPiletti
RPiletti
11 meses atrás

Modo ironia? Pq essa do Merkava é p/ o dia 1 de abril…

RPiletti
RPiletti
11 meses atrás

TOT p/ cá, TOT p/ lá.
Encomenda de KC diminuída, Guarani idem… quando fazem estes planejamentos não levam em conta o dinheiro posto no lixo com estas quebras de contratos?

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  RPiletti
11 meses atrás

Não, mas quando alguém fala que os militares só se importam com seus bolsos e regalias e que não dão a mínima para a defesa e soberania do país, os passadores de pano vem correndo te criticar.

RPiletti
RPiletti
Reply to  Allan Lemos
11 meses atrás

época do primeiro contrato, foram encomendados 2.044 veículos” para talvez terminarmos em 900…
Compra de prateleira e deu, aqui 99% de tudo não é cumprido… só quero ver se o sub nuclear, que teve seu inicio antes de eu nascer, ficará pronto antes de eu ser bisavô…

Felipe
Felipe
Reply to  RPiletti
11 meses atrás

Acredito que estes 2044 era a soma de todas versões inclusive de reconhecimento (hj é o centauro 2). É um número muito elevado para ser só o de transporte.

Zorann
Zorann
Reply to  RPiletti
11 meses atrás

Só levam em conta as p.ro.pinas que vão receber

M4l4v|t4
M4l4v|t4
11 meses atrás

A única coisa que o comando das forças armadas não corta são as pensões das solteironas.

É tanta encomenda que recebe corte de pedidos que torna o negócio de venda de material de defesa produzido no Brasil um negócio de altíssimo risco onde o lobby e a corrupção se faz necessária para a sobrevivência dos contratos.

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  M4l4v|t4
11 meses atrás

Acredito que o caso do Guarani não houve prejuízo para a Iveco/contribuinte, no caso dos Helicópteros franceses, esses sim foi um prejuízo total, tenho convicção de que se tivéssemos comprados de prateleira, sairiam muito mais em conta que o valor com TOT.

Henrique A
Henrique A
Reply to  Atirador 33
11 meses atrás

Cada helicóptero daquele saiu a preço de Chinook, foi um verdadeiro cometa no c* do contribuinte, tudo isso pra só serem montados aqui os kits prontos que vinham da França.

M4l4v|t4
M4l4v|t4
Reply to  Atirador 33
11 meses atrás

Bem lembrado.
O Henrique respondeu muito bem, cada um saiu pelo preço de um Chinook

Toda vez que ouço alguém perguntando sobre a tal da transferência de tecnologia minha vontade é de solta o braço na cara do sujeito.

Charle
Reply to  M4l4v|t4
11 meses atrás

Só onde moro tem umas quatro dessas “solteironas”. E o pior que vivem às custas do Estado a vida inteira e adoram chamar ou rotular outras pessas de “vagabundos (as)”.

Vivem à falar de “meritocracia” “empreendedorismo”, “concurso público” etc.

Mas, na verdade, além do BOM dinheiro que receberão até o momento em que adentrarem no caixão, exercem função em cargos públicos civis sem a prestação do tal concurso; geralmente na própria força onde o papai esteve na ativa.

Last edited 11 meses atrás by Charle
Allan Lemos
Allan Lemos
11 meses atrás

FAs e Flamengo disputando para ver quem tem o pior planejamento.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Allan Lemos
11 meses atrás

com toda bagunça do Flamengo recentemente, pelo menos tá to topo do Brasil ainda, e as forças armadas brasileiras não estão nem top 20 das melhores do mundo

Utama
Utama
Reply to  Carlos Campos
11 meses atrás

Aí forçou a barra rs “top do Brasil”

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Utama
11 meses atrás

Ai depende, eu sou Flamenguista mas tem duas maneiras de analisar esse “top do brasil”

pela bola que ta jogando? nem ferrando, ta uma merda e o VP tem que sair

Administração financeira e estrutura? sim ai sim o Flamengo ta em uma posição boa

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Utama
11 meses atrás

kkk off topic, vamos lá quem é campeão da liberta? copa do Brasil? o flamengo querendo ou não ainda está no topo, ano passado começou assim, no final o elenco e infra estrutura se sobressaíram

Agressor's
Agressor's
Reply to  Allan Lemos
11 meses atrás

HáHáHá….O braziu é como o programa do Chaves. Todos sabem o fim, mas assistem pra dar risada… 😀 😉

Augusto
Augusto
11 meses atrás

Surpresa seria se fosse diferente. Padrão Brasil: planos mirabolantes e fim cômico. Aguardem isso se repetir com o “submarino nuclear”.

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  Augusto
11 meses atrás

A marinha com o São Paulo foi mais cômico, gastaram uma bica de recursos na manutenção e depois na troca de comando resolveram baixar o navio. Se fosse uma marinha séria não teriam nem comprado aquele lixo.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Atirador 33
11 meses atrás

Está falando na mesma marinha, que por não querer assumir que não tem um PA, renomeia seu porta-helicópteros como navio aerodromo/Porta-aviões em outras palavras?

Nativo
Nativo
11 meses atrás

Infelizmente fixou escancarado que os oficias militares são mais do mesmo do pior do funcionalismo público, estão apenas em busca das suas vantagens.
Por que o orçamento militar sobe direto a vinte anos, nesses últimos então, bateu recorde mas a contrapartida são cortes de equipamentos nas três forças, que deixam o país mais fraco, enquanto os bolsos dos oficiais ficam mais cheios.

Coronel James Braddock
Coronel James Braddock
Reply to  Nativo
11 meses atrás

Concordo…o que há de pior no funcionalismo publico são os militares…infelizmente esta é a realidade.

somente servem para desfilar e ganhar diarias

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  Nativo
11 meses atrás

A maior fatia do orçamento vai para folha de pessoal, e dessa folha uma pequena quantidade de oficiais se beneficiam com altos salários. Se entrarmos em guerra, mais da metade do generalato se muda para Miame.

Nativo
Nativo
Reply to  Atirador 33
11 meses atrás

Também tenho essa forte suspeita.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Nativo
11 meses atrás

Caro Nativo, não vou isentar de culpa as forças armadas por completo, mas o problema maior é o orçamento e este não tem crescido como grande parte da mídia divulga. Ocorre que o Brasil é um país de 3º mundo e possui inflação bem mais alta que países de 1º mundo. Portanto é normal os orçamentos aumentarem devido a correções inflacionárias. Veja o orçamento militar do Brasil em Dólares desde 2009 (ano que o contrato do Guarani foi assinado): 2009= U$ 25,6 bi 2010 = U$ 34 bi 2011 = U$ 36,9 bi 2012 = U$ 33,9 bi 2013 =… Read more »

Humilde Observador
Humilde Observador
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Existe orçamento para quase tudo em se tratando de Defesa no Brasil, o problema é como e no que esses recursos são empregados (vulgo “mal administrado”), veja o caso da Austrália por exemplo, orçamento inferior, porém…

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Humilde Observador
11 meses atrás

Não o problema não é esse. A Austrália não tem orçamento igual o nosso, é muito superior.
Em 2021 foram U$ 31,75 bi e o nosso U$ 19,4 bi.
E eles possuem pagamento de aposentadorias fora do orçamento militar.
Já no nosso caso dos U$ 19 bi U$ 9,5 bi são usados para pagar aposentadorias e pensões e sobra apenas U$ 9,5 bi para as forças oagardm ativos, custeio e aquisições.

M4l4v|t4
M4l4v|t4
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Errado! O problema não é o orçamento, NEM DE LONGE

Como você pode reclamar de um orçamento que é maior que o de Israel?
A menos que haja Merkava, F-35, M-346, F-16, F-15, Iron Dome, David Sling et cetera prope infinitum e não estamos sabendo.

O problema é que o orçamento é muito mal gasto pelos comandantes das 3 forças, o clubinho.

Gustavo
Gustavo
Reply to  M4l4v|t4
11 meses atrás

Israel tem ajuda Americana, até financiamento para sua produção de munição, Brasil só tem ajuda dele mesmo pq o resto do mundo que comer a gente vivo.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Gustavo
11 meses atrás

E da Alemanha, que continua a financiar (por conta da 2 WW) e muito, a marinha Israelita.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  M4l4v|t4
11 meses atrás

Gasto militar de Israel em 2022 foi de U$ 24,3 bi o do Brasil foi U$ 19,3 bi. Ocorre que o Brasil foi governado pelos militares por 21 anos e a herança deste governo foi um orçamento militar que inclui gastos com aposentadorias e pensões. E em muitos países a maioria dos militares quando aposentam, recebem de um orçamento separado, de um sistema de seguridade social equivalente ao nosso INSS. Então quando lembramos deste “pequeno” detalhe, percebemos que o nosso orçamento de U$ 19 bi se transforma em U$ 9,5 bi quando deduzimos os gastos com aposentadorias. Então compare U$… Read more »

Conqueror
Conqueror
11 meses atrás

LMV, Atmos (Caesar correndo por fora), novo MBT, Guarani, modernização (questionável) do Cascavel, Centauro II… era óbvio que faltaria verba para algum programa.

E sejamos sinceros, para o grande inimigo potencial do EB, que é a sociedade civil brasileira, infantes armados com FAL são mais que o suficiente.

RPiletti
RPiletti
Reply to  Conqueror
11 meses atrás

grande inimigo potencial do EB”, forçou hein… sociedade civil brasileira é potencial inimiga do EB?

C G
C G
Reply to  RPiletti
11 meses atrás

Sim, existe uma boa parcela do exército que acha, cinicamente, o maior perigo para o Brasil é o comunismo!
Da até vergonha escrever isso mas é verdade!

Last edited 11 meses atrás by C G
glasquis
Reply to  RPiletti
11 meses atrás

Pois é, de vez em quando aparece cada “Sócrates” “philosophando” por estes lados que até assusta.

Zorann
Zorann
Reply to  RPiletti
11 meses atrás

Pior que é. Se não é, parece demais ser….

São mais de década de treinamentos de GLO Brasil afora, como se o inimigo fosse interno.

Medo de uma revolta civil, sei lá.

Pensando em inimigos externos, claramente não estão

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  RPiletti
11 meses atrás

Acho que ele se refere ao fato do exército ter se acostumado a atuar no caso do inimigo interno, como se um golpe de estado fosse dar, ou nas GLOs dos últimos anos. Missões que um blindado médio sobre rodas, da conta.

Pedro fullback
Pedro fullback
Reply to  Conqueror
11 meses atrás

Você já viu algum tipo de protesto da sociedade brasileira com a pasta da Defesa que é muitas das vezes top 4 dos gastos dos Ministérios de qualquer Governo? Não!

A instituição mais bem vista da sociedade é a FFAA, então, não vejo a sociedade como uma ameaça.

Foi a sociedade que fez a bizarrice dos privilégio dos militares ou foram os próprios militares?

C G
C G
Reply to  Pedro fullback
11 meses atrás

O exército vê a população como ameaça pq a população vê o exército como ameaça também, a memória da ditadura ainda é fresca e os últimos acontecimentos anti democráticos foram gestados nas portas dos quartéis, eu não vou discorrer sobre pq não é necessário, basta saber que o cidadão médio percebeu que havia algo de profano na relação do executivo com a caserna. Falar em instituição mais bem vista com Pazuello, Braga Neto, Heleno, Cid, Villas Boas e cia não me parece nada além de uma visão profundamente distorcida, enquanto as FA não se afastarem em absoluto da política essa… Read more »

Charle
Reply to  C G
11 meses atrás

Comentário perfeito!!!

Tem aquele sujeito que foi eleito em S.P. Então, acho que ele também é oriundo de alguma força. Se não estiver enganado.

Felizmente não me lembro o nome dele.

Last edited 11 meses atrás by Charle
C G
C G
Reply to  Charle
11 meses atrás

Não é difícil escrever quando se fala do óbvio, não existe NENHUMA brecha na nossa constituição para militar ou força armada fazer política, Ulysses Guimarães deixou bem explicadinho:

“Traidor da Constituição é traidor da Pátria. Conhecemos o caminho maldito: rasgar a Constituição, trancar as portas do Parlamento, garrotear a liberdade, mandar os patriotas* para a cadeia, o exílio, o cemitério.”

*Os verdadeiros, que fazem defesa intransigente da democracia.

Henrique A
Henrique A
11 meses atrás

O EB queria transformar todas as brigadas de infantaria motorizada em mecanizada mas provavalmente viram que ficariam muito mais caras e voltaram atrás.
Claro que é decepcionante, mas com o tipo de alocação de orçamento e mentalidade que impera era algo previsível.

sub urbano
sub urbano
Reply to  Henrique A
11 meses atrás

sonho de uma noite de verão kkk

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Henrique A
11 meses atrás

Nosso orçamento militar em 2011 foi de U$ 37 bi.
10 anos depois em 2021 foi de U$ 19 bi.
Como planejar com esta ridícula queda no orçamento???

Henrique A
Henrique A
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Se quase 90% do orçamento não fosse alocado com pessoal, principalmente com pessoal inativo, sobraria mais pra modernização. É por isso que eu sempre defendi “compra de prateleira”; no Brasil ninguém sabe como vai ser os próximos 4 anos, é melhor já comprar quando tem a grana na mão. Se em 2008 à 2010 não tivesse tido aquela mania por “desenvolvimento local” “independência” “ToT” e fosse comprado coisa boa com aquela bolada no estrangeiro hoje não estaríamos tão precários. Deveriam ter comprado em 2013 um caça que pudesse ser entregue prontamente, sem aquela exigência toda por “código fonte” talvez hoje… Read more »

RPiletti
RPiletti
Reply to  Henrique A
11 meses atrás

E sem o irst 🙂
Não deu p/ deixar passar essa…

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Henrique A
11 meses atrás

O sr. está muito equivocado. Existe um custo para produção local, mas esse custo não triplica o valor total.
Creio que no caso do Gripen este custo ficou em U$ 900 mi. E o contrato total ficou em U$ 4,5 bi. Ou algo assim.
Então pode esquecer que teríamos 72 ou 120 caças.

Henrique A
Henrique A
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

O Gripen na época estava em fase de desenvolvimento; se fosse optado por um caça em produção já teríamos recebido o primeiro lote completo, não estaríamos tão mau quanto hoje.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Henrique A
11 meses atrás

Não estamos em guerra. Se tivéssemos comprado caças de prateleira o recebimento poderia ter ocorrido entre 2017 e 2020. Hoje já teríamos os 36 caças voando, mas as milhares de pessoas que estão empregadas no Brasil trabalhando no Gripen estariam desempregadas, o governo não teria recebido tanto dinheiro em impostos, a Akaer, a Aeroeletronica, a Embraer e outras empresas não teriam desenvolvido nada, não teriam melhorado seu know how, desenvolvido tecnologias, gerado empregos, etc. Isso conta muito mais do que um prazo de entrega mais rápido, principalmente em um país pacifico como o Brasil e localizado em uma região estável.… Read more »

RPiletti
RPiletti
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Amigo, salários são pagos em reais. Se o dólar variar +5% ou menos 5%, R$10.000,00 de soldo continuarão sendo R$10.000,00. Qual a % nacionalizada do Guarani? Não era p/ terem nacionalizado tudo que podiam para não termos que ter este problema da dolarização?
Motor argentino e recentemente as peças alemãs que foram embargadas mostram que algo de errado não está certo…

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  RPiletti
11 meses atrás

1) Sim, salários são em reais, mas aumentam com o passar dos anos para compensar perdas pela inflação. Então o orçamento em reais também aumenta, mas isso não significa que tem mais dinheiro e sim que os salários aumentaram. Já as aquisições são baseadas em dólar ou euro, mesmo produtos nacionais se baseiam em preços internacionais. 2) é muito difícil nacionalizar quase tudo, ainda mais com um orçamento pequeno e adquirindo poucas unidades. É preciso primeiramente ter um grande orçamento e uma política de desenvolvimento da BID e muito investimento em P&D. Não da para querer que uma empresa nacional,… Read more »

Régis
Régis
11 meses atrás

Nada de novo no front.

Wellington R. Soares
Wellington R. Soares
Reply to  Régis
11 meses atrás

Caro Régis, fiquei espantado com o tanto de comentários sobre esse assunto. O que tem de novo ? Qual a novidade ? Todos acharam mesmo que seriam os 2000 ou 1500 ? Sinceramente, custo acreditar em 4 fragatas e 36 Gripens !!! Nossas forças armadas são inchadas, é muito pessoal para manter (salários, uniformes, refeições, assistências, etc..). Pelo nosso orçamento era pra ter no máximo uns 200 mil soldados nas forças armadas, não precisamos mais do que isso na ativa. Vejamos a Austrália, eles não possuem sequer 100 mil militares na ativas, porém possuem equipamentos de ponta que fazem toda… Read more »

SGT MAX WOLF FILHO
SGT MAX WOLF FILHO
11 meses atrás

Eu não sei o que é pior parece com os comandantes das Forças Armadas sempre preferem leite condensado e picanha, do que equipamento, preferem viajar no jatinho da FAB para ilhas na Itália, levando até papagaio, na boa esses comandantes das FA’s tão pouco se fud3ndo com o Brasil, pode olhar aí a única equipe 100% operacional é a de transporte de autoridades, eles jogam a culpa nos políticos para jogar a cortina de fumaça que eles também fazem igual se não pior….

Lucas Q
Lucas Q
11 meses atrás

Não temos planejamento sério e coeso a médio/longo prazo e do jeito que o Brasil quebra contratos com a indústria nacional, é mais fácil e barato fazer só compra de prateleira dos estrangeiros, ao menos não leva décadas para os produtos serem entregues.

Henrique A
Henrique A
11 meses atrás

Eu acompanho defesa há uns 20 anos e nesse meio tempo a realidade orçamentária sempre foi mais ou menos constante, será que esse pessoal das FFAA não levam em conta a realidade corriqueira do Brasil? Eles simplesmente criam “projetos dos sonhos” e se no futuro der deu, se não eles passam a borracha?

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Henrique A
11 meses atrás

Em reais pode ser que sempre teve um pequeno aumento mas geralmente para cobrir a inflação. Em dólares não e a maioria dos equipamentos militares são comprados com base no dólar americano ou euro. Nossa moeda perdeu valor, portanto o poder de compra do nosso orçamento militar perdeu valor junto. Em 2007 nosso orçamento era de U$ 20 bi. Em 2011 chegou a U$ 37 bi. E em 2021 caiu para U% 19 bi. É óbvio que os alimentos subiram muito, o combustível subiu muito e os salários dos militares e aposentados subiram neste período de tempo. O preço dos… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
11 meses atrás

Depois dessa, quero ver alguem continuar defendendo ToT e transferência de tecnologia CARÍSSIMOS pras FA’s BR.
Bilhões pra fazer a Iveco fazer o veículo aqui, pra cortar o n° de pedidos várias vezes, atrasar pagamentos e manter a linha de produção ociosa.

“Não há mais espaço em nossos batalhões para veículos de transporte blindado. Temos muitas outras prioridades, como sistemas de artilharia sobre rodas, carros de combate e helicópteros armados“, diz um militar.”

O fato deles JAMAIS citarem AA de médio e lomgo alcance é algo….curioso, pra dizer o mínimo….

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

“O Exército espera que viaturas restantes sejam vendidas para o mercado de exportação.”

Vai vender sim, confia….quem vai comprar de um país cujas FA’s tesouram os próprios pedidos?

Humilde Observador
Humilde Observador
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Se vender a preço de banana, talvez uma pequena parcela seja adquirida pelos vizinhos com carências de meios, mas, também acho improvável que todo o montante seja liquidado.

Henrique A
Henrique A
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Pra ser sincero, ter artilharia AAe de médio alcance é bom e necessário, mas a nossa artilharia AR ainda é da época da guerra da Coreia; antes de comprar sistema AAe tem que substituir os vetustos M101, M114 e Oto Melara.

Last edited 11 meses atrás by Henrique A
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Henrique A
11 meses atrás

Se a nota falasse sobre drones de vigilancia e aquisição de alvos pra artilharia, eu concordaria. Esse tipo de vetor é o que faz até artilharia antiga ainda ter uma sobrevida, igual demonstrado na Ucrânia.
Mas a nota não fala nada disso.

Aliás, é curioso o EB sonhar com helis armados….quem vê, pensa até que o EB vai comprar Super-Cobra ou Mangusta, e não que será Esquilo com foguete e metralhadora….

Andrey
Andrey
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Com exceção do projeto AMX que foi muito bem aproveitatado e absorvido pela EMBRAER,e os outros ,principalmente,o dos Caracal a 60 milhões de dólares a unidade qual o proveito o Brasil está tendo pagando bilhões por TOTs?

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Andrey
11 meses atrás

ToT no Brasil:
A matriz, lá fora, manda os kits prontas pra filial nacional, pra que a filial faça a montagem final, bote um selo de made in Brazil´´, pra todo mundo achar que a indústria BR se beneficiou e aprendeu algo com isso.
Tudo isso ao custo do dobro do triplo, que vai tudo pra matriz lá fora.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

ainda com 900 unidades da para se manter a linha de produção por muitos anos. E os blindados estão sendo exportados. Esta redução de 680 unidades não é o ideal, mas pode ser compensada por contratos de exportação. Em caso de necessidade (conflitos) nós temos um parque capaz de produzir 200 unidades/ano e que pode ter esta capacidade aumentada. E temos 90% do blindado produzido aqui no Brasil. Isso vale o investimento, sem falar nas centenas ou milhares de pessoas que estão trabalhando, recebendo salários, pagando impostos, consumindo na região da fábrica e outras centenas ou milhares que produzem indiretamente.… Read more »

Renato
Renato
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Acho q se confundiu. Já entregaram 600. A encomenda total será de 900. Faltam só 300. ritmo atual está em torno de 100 unidades (3 anos) capacidade da linha é em torno de 200 (1,5 anos).

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Renato
11 meses atrás

O texto diz que a produção das 1.580 duraria até 2035. Se a produção for mantida em 100 unidades/ano terminaria em 2028 ou 29. Portanto acho que o ritmo está abaixo de 100 ou o ritmo seria reduzido de qualquer maneira. A França fez isso com o Rafale, reduziu o ritmo para 11 caças por ano e o caça possui linha de produção há muitos anos e depois conseguiu exportações. Algo semelhante pode ser feito com o guarani. Reduz a taxa de entrega para garantir linha aberta até 2035 ou o mais próximo disso e corre atrás de contratos de… Read more »

Up The Irons
Up The Irons
11 meses atrás

Forças Armadas no Brasil são apenas faz de conta. Não temos a menor condição de resistir a 1 mês de guerra contra nenhuma potência.
Provavelmente ficaremos somente no primeiro lote de Gripens, em 4 Tamandarés (6, caso aconteça um milagre) e Leopards e Cascavéis até 2075.
Vergonha!

Bueno
Bueno
11 meses atrás

“Não há mais espaço em nossos batalhões para veículos de transporte blindado”

kkkkkk

Meu Brasil , Meu Brasil!!!

Douglas
Douglas
11 meses atrás

Eles pensaram: a gente não tem como se defender mesmo, então vamos diminuir. Sério, tudo no Brasil precisa diminuir depois, parece que aqui nada é se levado a sério.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
11 meses atrás

Façam o L. As FFAA sabem que serão 4 anos complicados com esse Desgoverno!!!

Maurício.
Maurício.
Reply to  Marcelo Andrade
11 meses atrás

E com essa oposição só querendo lacrar para as redes sociais, onde deputado federal coloca peruca loira e se chama Nikole, é tudo que o atual governo quer! E eu já achava ruim os Tiriricas da vida, agora temos Nikole e Zé trovão…

dretor
dretor
11 meses atrás

AHHHHHH tava demorando, absurdo velho que essa noticia seja acompanhada de ” exercito encomenda 600 Guarani 2.0″ se nao pode desistir da indústria nacional pois o Governo esta cagando para ela

Francisco
Francisco
11 meses atrás

E a empresa fornecedora vai aceitar a redução? Lembrando que o contrato envolve um valor global (veículo, manutenção, sobressalentes, acessórios, etc…). Não é algo simples de calcular, pois a quantidade de veículos adquiridas embasa esse montante.. E o fornecedor não vai querer ficar prejuízo.

Francisco
Francisco
11 meses atrás

Na primeira renegociação o Governo já teve prejuízo de 273 milhões, pois a IVECO aceitou reduzir a quantidade de blindados a ser fornecida, mas não reduziu o valor do contrato, que era objeto de apontamento pelo TCU. (https://theintercept.com/2020/06/29/tcu-prepara-pizza-prejuizo-273-milhoes-exercito/) e (https://www.extraclasse.org.br/politica/2020/07/erro-de-militares-causa-prejuizo-de-273-milhoes-a-uniao/)

Marco Antonio
Marco Antonio
11 meses atrás

Corremos o risco de em médio prazo as nossas forças armadas se tornarem órgãos auxiliares de apoio a agenda social do governo. Teremos hospitais de campanha, ações de saúde, apoio as calamidades, resgate junto a defesa civil, além claro do transporte de autoridades e GLO defendendo interesses do governo. Por culpa dos governantes, que mantém por exemplo uma lei que imputa a Polícia Federal (que não tem efetivo suficiente) o controle das fronteiras e o exército que tem o efetivo suficiente, não tem poder de “polícia” nas fronteiras de nosso imenso pais. Por manterem forças armadas mal equipadas e mal… Read more »

Romão
Romão
Reply to  Marco Antonio
11 meses atrás

“Corremos o risco de em médio prazo as nossas forças armadas se tornarem órgãos auxiliares de apoio a agenda social do governo. Teremos hospitais de campanha, ações de saúde, apoio as calamidades, resgate junto a defesa civil”…
.
Isso é um risco para os militares, que nunca gostaram de trabalhar.
Para a sociedade civil, que paga o salário deles, é um alento.
Ainda tá chateado que a FAB foi obrigada a levar víveres pros pobres Yanomamis né ? Chora mais!

Siarom
Siarom
11 meses atrás

Respeito aos contratos é uma coisa que não existe no Brasil.

Andrey
Andrey
Reply to  Siarom
11 meses atrás

Só aos contratos?, e às leis e à CF por quem deveria protegê-la,sem contar os políticos que não respeitam nada nem ninguém.

Chevalier
Chevalier
Reply to  Andrey
11 meses atrás

Bem lembrado, CF foi rasgada pelo 5TF há muito tempo. Precisamos duma guerra civil. Só assim agora.

ORIVALDO
ORIVALDO
11 meses atrás

Urutu kkkk se for para proteger contra tiros de 32 deve dar

ORIVALDO
ORIVALDO
11 meses atrás

Cervejas, whisks, Vinhos, lagostas e picanhas não se pagam com blindados

ORIVALDO
ORIVALDO
11 meses atrás

A parte dos Helicóptero Armados eu ri. 30 Anos de estudos e viagens. Compra 10 ,para entregar em 25 anos

Coronel James Braddock
Coronel James Braddock
11 meses atrás

Vergonhoso como negligenciam a soberania nacional.

Não houve estudo técnico para definir o quantitativo necessário ?

Agora vem com este papo furado que só ira adquirir mais 300 unidades…

Coronel James Braddock
Coronel James Braddock
11 meses atrás

melhor ceder varias bases para os Estados Unidos e para de brincar de ser militar

Chevalier
Chevalier
Reply to  Coronel James Braddock
11 meses atrás

Esse desgoverno vai ceder é pra China.

Renato
Renato
11 meses atrás

900 unidades significar transportar 7.200 slds simultaneamente. Isto significa dotar qtos batalhões inf /regimentos cav? Na doutrina de uso do EB o guarani leva as tropas a linha de frente e volta para buscar mais ou fica acompanhando as tropas na linha de frente?
Agradeço quem puder esclarecer.

Romão
Romão
Reply to  Renato
11 meses atrás

A doutrina do EB é voltada para contenção de revoltas e conflitos civis, tipo Caracas em 1989, Haiti em 2003 ou Rio de Janeiro em 2010.

Chevalier
Chevalier
Reply to  Romão
11 meses atrás

Pra bater em aposentado que ainda se iludia com esses lixos e pra trair seu Imperador tb.

Matheus P.F.
Matheus P.F.
Reply to  Renato
11 meses atrás

Em primeiro lugar é fake essa notícia de redução no número de guaranis Paulo bastos explica na live de ontem no canal do Caiafa. A doutrina que eu conheço (Cav Mec) é baseado na ideia do guarani estar junto com o restante do pelotão Mec não só para o transporte do seu elemento desembarcado (O GC) mas também como fração que auxilia nos papéis de proteção, segurança e vigilância além de participar ativamente em ataques sejam eles com a sua tropa embarcada ou não, o que decide isso principalmente é os meios do inimigo (principalmente em relação a armas automáticas… Read more »

Last edited 11 meses atrás by Matheus P.F.
Claudio Moreno
Claudio Moreno
11 meses atrás

Justo!

Sgtº Moreno

(CM)

Pedro fullback
Pedro fullback
Reply to  Claudio Moreno
11 meses atrás

Reduzir privilégios de militar em troca de manter a soberania nacional, aí não é justo, né??

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Pedro fullback
11 meses atrás

Justo!

Sgt Moreno
(CM)

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Claudio Moreno
11 meses atrás

Brasil deve ser o único lugar do Universo em que os próprios militares falam que corte no nº de equipamentos é justo´´, e justificam qualquer velharias que eles tenham com pro nosso T.O. tá bom´´….
Isso só mostra que nem vocês mesmos ligam pro estado das FA´s, contanto que o soldo pingue certinho no dia…

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Justo!

Sgt Moreno

(CM)

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Claudio Moreno
11 meses atrás

Eu só queria que o meu imposto não pagasse o teu salario…

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Victor Filipe
11 meses atrás

Justo!

Sgtº Moreno

(CM)

Charle
Reply to  Victor Filipe
11 meses atrás

Eu também… gostaria de escolher a quem eu pudesse ajudar com os meus impostos. O “justo”, com certeza, não estaria relacionado entre elas.

Aí eu queria ver a “aposentadoria integral”…

Last edited 11 meses atrás by Charle
Chevalier
Chevalier
Reply to  Claudio Moreno
11 meses atrás

Ah sim, para os generais, sempre foi justo enganarem o povo brasileiro.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Chevalier
11 meses atrás

Justo!

Sgtº Moreno

(CM)

Welington S.
Welington S.
11 meses atrás

Tem que diminuir pra sustentar as mordomias e uma excepcional alimentação pra lá de caríssima que comem. Sério, se eu me tornasse presidente desse país, a primeira coisa que eu faria no dia um, era passar a caneta em todos eles, TODOS. Não estão compromissados com a Defesa do país e tampouco ajudar a própria BID e, além disso, gastam muito mal os recursos destinados. É grupos de estudos pra lá e pra cá e a defesa do país não decola. Bicho, as Forças Armadas ESTÁ precisando de uma reformulação URGENTE. O Deputado Federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Welington S.
11 meses atrás

Deputado foi Duro e enfiou o dedo na Ferida de muito General, devem ter ficado com raiva do que leram

Mustafah
Mustafah
Reply to  Welington S.
11 meses atrás

Forças sem disposição para o combate, se transformaram em repartição publica, já começa com esse slogan ridículo “Braço Forte , Mão Amiga”, parece lema de ONG

Thulio manhaes
Thulio manhaes
11 meses atrás

Chegará o dia que pagaremos o preço por toda essa passividade!….vide Ucrânia!

Maurício.
Maurício.
Reply to  Thulio manhaes
11 meses atrás

A Ucrânia ainda tem “parceiros” que lhes fornecem armas, o Brasil terá também esses “parceiros”?

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Maurício.
11 meses atrás

A Ucrânia, antes da guerra, ainda tinha vastos estoques de material soviético, além de uma extensa rede de defesa AA de curto, médio e longo alcance.
E mesmo assim, hoje dependem de ajuda externa pra continuarem na luta.
Imagina o Brasil, que não tem nem metade das armas e blindados que a Ucrânia tinha estocado antes da guerra, e que não temos, nem de longe, defesa AA.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Willber, por mais que eu ache que a Ucrânia era e ainda é um cachorro morto, até mesmo por isso a Rússia invadiu, acho que eles tinham muito mais equipamentos e armas que o Brasil, o que também não é muito difícil…rsrsrs.

Humilde Observador
Humilde Observador
Reply to  Thulio manhaes
11 meses atrás

Se algo semelhante ao que ocorre com a Ucrânia viesse a acontecer com o Brasil, seria muito pior, visto que, A Ucrânia tem apoio real e suporte da OTAN, no caso do Brasil, ninguém viria em seu socorro, tendo que se virar sozinho. O máximo que teria era apoio moral.

Fabio
Fabio
11 meses atrás

Nem metade vai vir , nao tera segundo lote de caças , sub nuclear so no papel , nada funciona aqui , as prioridades sao Lagostas ao creme branco , camaroes salteados , jantares e mais nada. FFAs pateticas. Pais do futuro ? Tenho 58 anos e ouço isto deste criança. Republica de bananas. Uma pena realmente. Vou vender minhas coleções da Brasil Desfesa completa , Força aerea , Segurança e outras…Acabou a paciencia.

Bardini
Bardini
11 meses atrás

Uau… Quem diria, mais um “projeto estratégico” mal elaborado e pra lá de mal dimensionado, se defronta com a realidade.
.
E ninguém será punido.

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Verdade.
Vamos gastar 5 bilhões financiando partidos políticos.
está é nossa realidade.

Bardini
Bardini
Reply to  FERNANDO
11 meses atrás

O EB tem total responsabilidade sobre os gastos referentes ao seu planejamento. Citar a questão da politicagem, é um completo desvio de foco.
.
No mais, se alguém quiser uma boa “teoria de conspiração”, deixo um sketch: a aquisição do LMV e do Centauro II, talvez não passe de um “agrado”, uma “compensação” a Iveco, dentro desta previsível necessidade de encarar uma negociação para a redução de Guaranis, que era discutida internamente e pelos bastidores do comando, já que a empresa investiu muita grana para ter um linha de produção local, que sempre foi subutilizada e motivo de descontentamento.

Last edited 11 meses atrás by Bardini
Henrique A
Henrique A
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Sim, também estava pensando nessa “teoria da conspiração”.
É totalmente fora da realidade do EB comprar uma viatura que custa quase tanto quanto um MBT novo, deve ter coisa aí.

Rafael
Rafael
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Minha teoria da conspiração com o Centauro é outra: não vai ter aquisição de um novo modelo de MBT, nem usado.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Rafael
11 meses atrás

Considerando-se que qualquer MBT, até mesmo Abrams usados via FMS, facilmente ultrapassariam o valor com FX-2 da MB, pode ter certeza que não terá MBT novo no EB nos próximos 15 anos.
Vai ser Leo1A5 recauchutado até 2050 e além.

Rafael
Rafael
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Concordamos em número, gênero e grau! Eu estava “absurdado” com a campanha do eb pela aquisição desse blindado. Parecia que a sobrevivência da instituição dependeria desse veículo, mas principalmente do canhão de 120mm. E era esse detalhe que me chamava atenção. Perderam trinta anos de desmonte militar na Europa e boa vontade dos EUA. Agora, simplesmente não existe opção acessível: casco de Leopard 2A4 sendo disputado à foice; Aríete, Lecler e Challenger, nem vale comentar; Abrams, não sei se eles cometeriam a temeridade de nos vender; asiáticos, fortuna. A única forma de conseguirem seu objeto de fascínio seria com o… Read more »

Oráculo
Oráculo
Reply to  Rafael
11 meses atrás

Vai ser isso mesmo.

Leo 1A5 com torre nova, uma atualizada tecnologica e segue o baile pelos próximos 39 anos.

Até alguém ter coragem de comprar o MBT Chinês, o único com preço que podemos pagar.
Ou seja, nunca.

Já o Cascavel, acho que nem vão mexer.
Fica do jeito que tá, até apodrecer.

Se eu fosse o EB já começava a treinar tripulações para usar as Toyotas com Canhões anti-tanque, lança mísseis ou metralhadoras.50 nas caçambas.

Em breve o EB vai ter isso como parte de sua “cavalaria”.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Rafael
11 meses atrás

Apenas pra terem noção de valores: “O ministro da Defesa da Polônia assinou na quarta-feira (4) um acordo de US$ 1,4 bilhão (R$ 7,62 bilhões) para comprar 116 tanques de combate M1A1 Abrams dos EUA, citou a agência norte-americana Associated Press.” Fonte: matéria do Forte, do começo do ano. 7 bilhões de reais…e qualquer outro MBT, seja russo, chinês, sul-coreano, etc, não mudam muito o valor total. E lembrando que há milhares de Abrams em estoque nos EUA, além de ser fácil de encontrar peças de reposição, e mesmo assim, o valor acima. O EB não terá grana pra isso… Read more »

Last edited 11 meses atrás by Willber Rodrigues
Bardini
Bardini
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

O EB não tem grana pra isso?
Se somar o que querem fazer, entre Centauro II, seu pacote logístico ainda não definido e Cascavel, chegamos na casa dos R$ 7,0 bilhões…

Rafael
Rafael
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Eu nem imagino o valor de mais de duzentos MBTs, com veículos de apoio, a famigerada ToT e alguma montagem/fabricação no país. Sem contar que vão ter que pagar para alguém ensinar à Imbel o serviço dela, independente de Centauro ou tanque tanque. As últimas aquisições ocorreram em países com uma base de defesa mínima, ou compra de prateleira simplesmente. É até difícil achar um valor de base para adicionar o custo Brasil. Ps: o EB com um MBT moderno de verdade teria que passar pela mesma revolução da FAB com o Gripen. Literalmente refundar a doutrina e a organização… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Rafael
11 meses atrás

Eu acho que o pessoal já deve estar cansado de ler o que eu acho das forças blindadas. Mas: . Deveríamos reestruturar nossa força, com: uma Brigada Pesada, ao menos quatro Brigadas Médias e por fim, o complemento “barato”, que faz número e tem menor apelo tecnológico, sem deixar de possuir muita perspectiva de emprego mesmo sendo especializado, que são as Brigadas Leves. . Ponto principal: modernizar a força focando na concentração de estruturas, sistemas logísticos e de treinamentos. Isto só seria possível, se fosse aliado a uma redução drástica dos custos impostos pela desnecessária e irracional capilaridade da força… Read more »

Last edited 11 meses atrás by Bardini
Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Os 250 M1A2 sepv3 Abrams custaram U$ 4,75 bi ou quase R$ 24 bi.
Esse contrato de U$ 1,4 bi é para M1A1 mais antigos e menos modernos.

Oráculo
Oráculo
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Bingo!

Centauros e Linces vão manter a fábrica da IVECO funcionando ao fim dos 900 Guaranis.

Resta saber quantas unidades de cada serão fabricadas.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  FERNANDO
11 meses atrás

Caro Fernando. Você confunde as coisas. Gastos militares são uma coisa, gastos com saúde são outra coisa, gastos com educação outra coisa, gastos com infraestrutura outra, justiça outra, sistema político/eleitoral outro, segurança pública outra coisa. Sobre os gastos com o sistema político/eleitoral, também é preciso separar cada coisa. 1. O gasto com as eleições é sempre justificado. A democracia depende da realização periódica de eleições livres e justas. Recentemente, o governo mexicano decidiu cortar gastos eleitorais, reduzindo o número de pessoas envolvidas no planejamento e execução das eleições alegando que elas são muito caras. O mais barato é obviamente cancelar… Read more »

Zoe
Zoe
11 meses atrás

Tem é que comprar tesoura de Jardim nova e tinta branca. Só fazem isto mesmo.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
11 meses atrás

Não sei não, esse tipo de informação é de fonte duvidosa (veja)…mas esperaremos o pronunciamento oficial, o programa Guarani 2.0 veio para revisar o programa original…é comum as prioridades mudarem.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
11 meses atrás

“É comum as prioridades mudarem”

É comum tambem as FA’s mudarem de prioridade com frequência e rasgarem bilhões do dinheiro suado do contribuinte BR no processo?

Henrique A
Henrique A
11 meses atrás

Pode ser que 900 sejam suficientes, mas por que então não foi estipulado esse montante desde o início? Por que nas FFAA nada que é assinado é efetivado?

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  Henrique A
11 meses atrás

É porquê o governo prioriza o recurso de acordo com a necessidade da “farra”, quem se ferra com isso é a Iveco que fez investimentos para atender a demanda inicial. Tomara que tenham a decência de utilizar o valor economizado em unidades adicionais do centauro.

Humilde Observador
Humilde Observador
11 meses atrás

Brasil, sempre com notícias ruins esperadas…

Humilde Observador
Humilde Observador
11 meses atrás

Merkavas? A chance do EB adquirir um MBT desses em estado da arte é remotíssima, o próprio sonho de consumo implícito da força é o “Leo 2”, mesmo com tudo que aconteceu com a Alemanha deve continuar assim, se algo mudar,imagino que o escolhido seria um tanque italiano ou “italo-brasileiro” via parceria.

Lucas
Lucas
11 meses atrás

Enganado sobre veículos terrestres, deveríamos investir pesado em caças, e mísseis, este helicóptero armado não chega nem perto de um apache e muito menos do mil mi 28 havoc NM russo o mais moderno e eficiente do mundo no qual na Ucrânia ainda não foi derrubado nem um depois de 1 ano de guerra, agora esses esquilos não durariam 1 semana.

sub urbano
sub urbano
Reply to  Lucas
11 meses atrás

Esquilo até tiro de fuzil derruba.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Lucas
11 meses atrás

Tão bom, que os Russos preferem o KA-52, derrubado na Ucrânia ás dezenas e dezenas.
É como o melhor Heli de ataque chino, tão bom, que nem praticamente fica operacional e já vão construir outro modelo de Heli de ataque novo.
O Mi-28 fica longe da linha da frente, deve ser por ser tão bom.

Carlos Campos
Carlos Campos
11 meses atrás

Diminui a força de 200K para 150K que sobra dinheiro, em 15 anos dava pra comprar todos os 2000 Guaranis, não tem como defender os Generais

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Carlos Campos
11 meses atrás

O gasto com pessoal ativo (salários, etc) é de cerca de R$ 30 bi por ano. Um total de cerca de 370 mil militares. Uma redução de 50 mil militares no EB resultaria em uma economia de R$ 4 bilhões. Com o dólar de hoje seria U$ 776 milhões. Seria uma economia boa? Sim. Resolveria o problema do orçamento? Com certeza não. No ano seguinte o orçamento obrigatório seria R$ 4 bi menor e os políticos adequariam este valor e investiriam esses R$ 4 bi em outras pastas que dão mais votos. Além disso, tem a dificuldade de se mandar… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

fecha bases menos importantes, não preenche os cargos vagos, o dinheiro ia sobrar, pelo que deputado Philipe falou, eles são umas lesmas até dentro do congresso e não pedem ajuda e dinheiro, quanto minha solução, ela é só para o guarani, não pra resolver o EB de vez, os novos inativos tem que para o INSS, se tiver 2 por cento do PIB para defesa, tem que ter um teto para gasto com pessoal, tipo 50% vai ter que ficar ser o teto, acima de disso é manutenção, aquisição e modernização de equipamento e infra estrutura.

Frederico Boumann
Frederico Boumann
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Já está provado com todas as letras que os militares não têm capacidade técnica em administrar nada(são extremamente corporativistas), o correto é cortar 3% do efetivo ao ano, no caso do EB e da FAB e 3,5% no caso da MB por no mínimo 10 anos. Diminuir as vagas de ingresso em concursos, seja para soldado especialista/marinheiro/fuzileiro, seja para sargentos, seja para oficial; abrir um PDV (plano de demissão voluntária) para aqueles concursados; demitir todos os temporários(de forma escalonada) e a partir de agora só há contratações via CLT sem nenhuma prerrogativa militar (não teriam nenhuma patente e nenhum privilégio… Read more »

Oráculo
Oráculo
Reply to  Carlos Campos
11 meses atrás

Sabe o que os políticos fariam com uma diminuição do efetivo das FFAA? Diminuiriam o orçamento. Inclusive sou um dos que defende a tese de que nossas FFAA mantém esse efetivo alto pra justificar mais verbas. Eles chegam pros políticos e falam: “São 360 mil soldados, custa caro”. Daí fazem uns malabarismos com o dinheiro. Se abaixar, o orçamento diminui instantaneamente. Aqui é Brazil. Nossos políticos são o supra sumo da incompetência. Se o EB quer mesmo verba extra pra modernização, a solução está dentro da própria força. E não vou nem falar em cortes de gastos inúteis… Se o… Read more »

gari
gari
11 meses atrás

Era por isso que tinha um pé atrás com o centauro… certeza que é um carro ótimo, mas as vezes era melhor ter algo um pouco pior e manter o Guarani com mais versões. ao invés de quererem reduzir o Guarani, deviam tentar aproveitar o projeto para expandir, criando mais versões. no longo prazo o custo fica muito menor, manutenção local, possibilidade de modernizar em casa sem ter que ficar pedindo benção para outros países.

Romão
Romão
Reply to  gari
11 meses atrás

Caro Gari, uma vez que o “projeto” já pagou as comissões para os generais que assinaram o contrato, não é mais do interesse dos mesmos mantê-lo de pé.

gari
gari
Reply to  Romão
11 meses atrás

Podiam ganhar mais uma comissão, projetar umas lagartas e substituir 600 M113 e 100 M577 com muita pouca modificação. com os 100cv a mais, já acompanhariam os leo1 ou tanques futuros e não dependeriam de suporte dos EUA. Vão deixar morrer toda a infraestrutura criada assim, mas essa é a história de investimentos militares no BR, sem continuidade…

Last edited 11 meses atrás by gari
Santamariense
Santamariense
11 meses atrás

Os Urutus serão totalmente substituídos pelos Guaranis, substituição está que já deve ter acontecido totalmente.
Eu nunca acreditei em 2000, ou mesmo 1500, Guaranis. O EB recebeu 223 Urutus. O número de 900 Guaranis substitui os Urutus na proporção de 4 para 1!!! Para cada Urutu que o EB tinha, vai ter 4 Guaranis!!!

Ivan herrera
Ivan herrera
Reply to  Santamariense
11 meses atrás

Corretíssimo, o estranho de sempre é que fazem contratos mirabolantes e depois começam a fazer cortes.

Santamariense
Santamariense
Reply to  Ivan herrera
11 meses atrás

Pois é! Não entendo o motivo disso. Mas, na realidade, 900 é um número mais do que suficiente para a Força, aumentando em 4x o quantitativo antes disponível, sem falar nos ganhos superlativos em matéria de modernidade e capacidade do Guarani sobre os veneráveis, porém obsoletos, Urutus.

Daniel
Daniel
11 meses atrás

Eu aceito essa ideia. Realmente há coisas mais urgentes a serem compradas do que Guaranis. Defesa antiaérea, por exemplo. Só tenho uma dúvida: as forças armadas brasileiras já pensaram na REDUÇÃO DO EFETIVO? Afinal, se quase todo orçamento vai para pagamento de salários e pensões e é melhor tem menos tropas bem treinadas e equipadas do que milhares de soldados equipadas com pau e pedra, imagino que seja uma decisão óbvia. Só me pergunto quando é que os comandantes militares brasileiros vão chegar a mesma conclusão e abraça-la.

Gelson
Gelson
Reply to  Daniel
11 meses atrás

Boa noite, Daniel e colegas! Redução de efetivo é realmente o ponto mais crítico dessa equação. Ninguém quer cortar a própria carne. O pior é o número de profissionais das FA que são acrescentados anualmente. As academias militares de todas as forças continuam a despejar mais e mais “futuros generais de pijamas” sem importar-se como ou de onde vai sair o dinheiro para manter essa farra. Vejo por aqui, numa determinada polícia militar estadual, onde já existem tantos coronéis que daria para formar um batalhão inteiro somente com eles. E, é claro, não tem verba para contratar simples soldados ou… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Daniel
11 meses atrás

Eu acho que o planejamento atual das forças de redução de 10% do efetivo, além do aumento da proporção de militares temporários e a redução no número de militares de carreira + a reforma da previdência militar, razoável. Acho que poderiam sim aumentar um pouco mais a redução do efetivo de 10% para 20 ou 30% mas apenas na FAB e na MB. O EB reduzir de 220 mil para 200 mil homens acho que já esta ótimo, principalmente quando lembramos que dos 220 mil homens 90 mil são conscritos prestando serviço militar obrigatório, portando são “apenas” 130 mil militares… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Caro H. A FAB possui um efetivo da ordem de 75 mil pessoas, sendo aproximadamente 25 mil ligadas ao DECEA, que faz a defesa e o controle do tráfego aéreo, algo que em outro países é da alçada de uma agência civil. O sistema brasileiro é superior porque usa apenas uma rede de radares e tem um sistema integrado, ao contrário dos EUA que tinham um sistema de controle e de defesa separados até o ataque de 11/setembro (os militares acreditavam que a única ameaça à sua segurança eram os soviéticos). Então, quando se fala da FAB é preciso pensar… Read more »

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius