A fabricante de armas alemã Rheinmetall quer construir uma fábrica na Ucrânia que possa produzir até 400 tanques de batalha Panther KF51 anualmente. Alguns especialistas em guerra terrestre argumentam que esses planos são duvidosos, na melhor das hipóteses, apontando armadilhas que variam da segurança do local aos riscos da cadeia de suprimentos.

O CEO da Rheinmetall, Armin Papperger, abordou ou assunto com uma mídia alemã inúmeras vezes desde o início do ano, dizendo que uma empresa está negociando com uma Ucrânia uma possibilidade de investimento € 200 milhões ( US $ 215 milhões ) em uma nova fábrica de tanques que podem equipar como forças de Kiev.

Questionado sobre os detalhes da Defense News, uma porta de voz da empresa confirma os planos, mas hesita em fornecer detalhes, indicando uma entrevista de Papperger sobre o assunto para o jornal Rheinische Post.

“ Por motivos comerciais e em vista dos sentidos inteiros da segurança da Ucrânia, nenhum item para obter mais detalhes sobre o status das negociações e o possível estabelecimento de capacidades de fabricação”, escreve ou porta-voz Jan-Phillipp Weisswange em um comunicado por e-mail.

Elementos da proposta deixaram os especialistas céticos. Por um lado, um imposto de produção previsível sobre o excesso de atividade, de acordo com Mark F. Cancian, consultor sênior do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais em Washington.

“ Produzir 400 tanques por ano é um grande esforço ”, disse ele. “ Em comparação, os EUA fabricam cerca de 100 por ano. O Exercito ucraniano, em contraste, possuía um total de 800 tanques antes do início da guerra. Além de uma vida útil até cerca de 20 anos, é necessário solicitar uma acomodação de cerca de 40 tanques por ano, não 400 ”, disse ele.

Cancian accentou que um investimento de € 200 milhões para produção parece muito baixo para um emprego de magnitude e duração.

Ainda não está claro se o objetivo é erguer uma planta de produção em grande escala ou uma instalação de montagem potencialmente menor.

Para Marta Kepe, analista sênior de defesa da RAND Corporation, a pré-produção de peças na Alemanha e uma montagem final e qualificada na Ucrânia acarretam ou risco associado ao ambiente de uma zona de guerra. Em contraste, construir os veículos na Ucrânia poderia aliviar essas dificuldades e, num longo prazo, também pode beneficiar os países europeus.

“ Produzir o Panther na Ucrânia significa que a Alemanha, juntamente com outros estados europeus, não precisariam enviar suas plataformas em uso ou estocadas para a Ucrânia, preservando assim suas capacidades de dissuasão e defesa ”, observe ela.

O mais novo tanque da Rheinmetall ainda é uma arma conceitual, revelada na exposição de defesa Eurosatory, em Paris . O Panther KF51, que em termos técnicos é uma nova torre com canhão, utiliza o chassi do Leopard 2A4. O projeto levará até 2026 para iniciar uma situação de maturidade técnica.

Produzir o Panther na Ucrânia provavelmente exigiria uma aprovação do governo alemão, uma etapa que traz riscos políticos em Berlim.

Além disso, a Ucrânia está acumulando diferentes tipos de tanques de países doadores que podem ser diferentes, e adicionar outro tipo pode criar um problema.

Nesse espírito, uma proposta de Rheinmetall faz pouco sentido, argumentou. Seria mais interessante construir ou modernizar uma fábrica para modelos T72 do país, disse Cancian.

“A Ucrânia possui experiência com veículos da era soviética e poderia modernizá-los por um custo muito menor. Isso permitiria atuar num mercado mundial, que também possui diversos T72 obsoletos em uso”, disse ele.

“ O novo armamento principal de 130 mm do tanque terá muito espaço para o futuro futuro ”, disse ele. “ Particularmente porque a Rússia perdeu tanto de sua moderna frota de tanques, levará muito tempo até que sua frente possa reunir um número enorme de veículos modernizados comparado aos primeiros meses da invasão no ano passado ”, afirmou.

Há uma perspectiva de que o Panther receba o que há de mais moderno em formas robóticas, drones e sistemas terrestres não triplicados, recursos já projetados no tanque conceito, disse Boston.

Dado o quão experientes como forças ucranianas se tornaram no emprego de drones no campo de batalha, um código de tecnologia ser um salão de capacidade, acrescentou.

FONTE: DefenseNews

Subscribe
Notify of
guest

32 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Elias Jabour
Elias Jabour
2 meses atrás

Vai virar pó quando assentarem o primeiro tijolo.
Sem chances.

Nilo
Nilo
Reply to  Elias Jabour
2 meses atrás

O bom é deixar concluir a fabrica completa de lego e depois rsrsrsrsrs

M4l4v|t4
M4l4v|t4
Reply to  Elias Jabour
2 meses atrás

A intenção é essa mesmo.
O primeiro ministro alemão disse que não existe motivo para a Alemanha retaliar a Rússia militarmente se a fábrica da Rheimentall não for atacada. Isso é, em outras palavras, dizer que na Alemanha estão esperando um motivo pra terminar o assunto que os aliados não deixarão que fosse terminado com a URSS

https://www.youtube.com/watch?v=28FSXhdwYV8

M4|4v1t4
M4|4v1t4
Reply to  M4l4v|t4
2 meses atrás

deixarão=deixaram

Oráculo
Oráculo
Reply to  M4l4v|t4
2 meses atrás

Meu caro, a Alemanha sozinha hoje em dia não consegue sequer fazer frente a alguma das superpotências militares. Os alemães hoje não são nem a sombra do que já foram no passado. Os alemães fizeram o contrário das superpotências militares europeias, França e Reino Unido, que mantém investimento e atualização constante de seus exércitos. As FFAA alemãs vinham sofrendo cortes de verbas a mais de 2 décadas, o que causou um atraso tecnologico e um sucateamento impensável para a maior economia da Europa. A situação é tão ridícula que hoje em dia a principal força de defesa alemã são as… Read more »

M4l4v|t4
M4l4v|t4
Reply to  Oráculo
2 meses atrás

No planeta onde eu vivo a Rússia tentou tomar a Ucrânia a um ano e não conseguiu. A Alemanha não é nenhuma Ucrânia e muito menos a Rússia é uma Alemanha.
Então, sim, a Alemanha capitula a Rússia com o pé nas costas. Não tenho nenhuma dúvida disso. Só o que salva a Rússia é a energia nuclear, só isso.

Augusto
Augusto
Reply to  M4l4v|t4
2 meses atrás

kkkkkkkkk.

Não conseguiram em 1941, vão conseguir em 2023, usando a geração do paz e amor? Se para os russos está difícil lutar em guerra moderna de alta intensidade, imagina os defensores do meio ambiente alemães.

E quem tomou Berlin foram os russos não os outros aliados somente para lembrar. Se 60% da Wermatch não estivesse lutando na frente oriental, nunca os americanos e ingleses teriam conseguido desembarcar suas forças na Normandia ou em qualquer lugar da Europa Ocidental.

Boto mais fé em um soldado polonês do que em um atual soldado alemão.

Rodrigo
Rodrigo
2 meses atrás

Faz na fronteira com a Polônia…dois metros dentro da Polônia a Rússia não tem coragem de atacar.

Alex
Alex
Reply to  Rodrigo
2 meses atrás

Certo Rodrigo !
Faltou peito até para tomarem Bakhmut…

Realista
Realista
2 meses atrás

Quem é o Gênio que decidiu fazer uma fabrica dessa achando que a Rússia vai deixar ? KKKKKKKKKKKKKKK

Alex
Alex
Reply to  Realista
2 meses atrás

A OTAN tomou a Ucrânia e a Rússia só fez cara feia …

Justino
Justino
Reply to  Alex
2 meses atrás

EDITADO

2 – Mantenha o respeito: não provoque e não ataque outros comentaristas, nem o site ou seus editores;

6 – Mantenha-se o máximo possível no tema da matéria, para o assunto não se desviar para temas totalmente desconectados do foco da discussão;

https://www.forte.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Realista
2 meses atrás

O gênio que espera ganhar alguma coisa com o seguro que vai fazer da fábrica. E que nem um cara que mora na favela, compra uma picape sem grana para manter e deixa ela toda noite na Rua.

Marcelo
Marcelo
2 meses atrás

Está ficando cada vez mais difícil para os russos superar as defesas antiaéreas ucranianas e mais baterias modernas estão para chegar. Os mísseis hipersônicos são os únicos que ainda não pode ser derrubados, mas o número deles vem diminuindo nos estoques russos e logo também haverá defesa contra eles. Essa é a aposta de Armin Papperger, CEO da Rheinmetall, que é um capitalista de primeira ordem e está aproveitando o conflito militar que Putin desencadeou na Ucrânia para lucrar. Primeiro, ele já havia informado que a Rheinmetall será capaz de produzir 240.000 cartuchos de munição para tanques (120 mm) por… Read more »

Alex
Alex
Reply to  Marcelo
2 meses atrás

Exato !
A guerra acabou.
Agora é a fase de fazer negócios e ganhar dinheiro.
Sorry…bussines são bussines….

Henrique A
Henrique A
Reply to  Marcelo
2 meses atrás

Mesmo que as defesas AAe da Ucrânia sejam excelentes, não dá pra garantir que irão barrar 100% os ataques aéreos.

Faz muito mais sentido que essa fábrica seja montada na Polônia ou Romênia.

Last edited 2 meses atrás by Henrique A
IvanF
IvanF
Reply to  Marcelo
2 meses atrás

Na entrevista o CEO deixou claro que a fábrica não será da Rheinmetall, os ucranianos constroem e eles alugam pra usar. Por sinal, parece ser o jeito que eles já fazem mundo a fora. 200MM pra uma fábrica desse porte certamente é pouco, como o consultor bem observou. O Panther terá duas (ou três) variantes. A que esta atualmente em testes, baseada no chassi do Leopard 2, simplesmente não está pronta. Basta um míssil hipersônico pra destruir (ou quase isso) uma fábrica, e não acredito que defesas eficazes venham em curto prazo, e mesmo que venham, nenhuma defesa é 100% eficaz.… Read more »

Marcelo
Marcelo
2 meses atrás

A fábrica da Rheinmetall na Ucrânia ainda vai demorar um pouco para sair do papel, mas tem coisa grande prestes a acontecer no Donbass. Os ataques das forças russas às cidades de Lyman, Avdiivka, Mariinka e Shakhtarske fracassaram, mas o foco principal da Rússia, permaneceu sobre Bakhmut e, depois de meses repelindo as inúmeras tentativas dos russos para capturar a cidade de Bakhmut, agora as tropas ucranianas preparam um contra-ataque. Os mercenários do grupo Wagner, que vem apoiando as forças regulares russas, vem perdendo a capacidade de ataque após contínuas e pesadas perdas em Bakhmut e nos seus arredores. Muito… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Marcelo
Alex
Alex
Reply to  Marcelo
2 meses atrás

Bravo !!!

Humilde Observador
Humilde Observador
2 meses atrás

Como disse na ocasião que anunciaram, é difícil não pensar que se tornaria um alvo fácil. Haja proteção para dar conta.
Pode ser na verdade, que não tenha a intenção real de instalarem a fábrica, mas, que cumpra a função simbólica de mostrar o apoio germânico, garantir negócios para a empresa e ao mesmo tempo elevar a moral ucraniana.

Humilde Observador
Humilde Observador
2 meses atrás

O ideal seria colocar do lado polonês próximo à fronteira com a Ucrânia, mas, ainda sim vejo riscos.

Gladius Pompéu
Reply to  Humilde Observador
2 meses atrás

A fabrica não é pra agora , o ideal é não deixar alvos importantes na ucrania , basta um serviço de entrega competente e deixem as fabricas do outro lado .

Alex
Alex
2 meses atrás

Não existe perigo. Pode construir.
A guerra acabou.
Agora é construir o escudo anti-missil.
E focar no Mar da China…onde está a verdadeira ameaça. Que será contida.

Lucena
2 meses atrás

Creio que estão colocando o carro na frente dos bois… vamos esperar se haverá Ucrânia,,, ou melhor, o tamanho do território que vai sobrar da Ucrânia depois dessa guerra.

Alex
Alex
Reply to  Lucena
2 meses atrás

Isso se chama comprar na baixa….

Alex
Alex
Reply to  Alex
2 meses atrás

Falando em bois…
Boi lerdo toma água suja….
A Ucrânia comprou a ideia da OTAN e da União Europeia.
É hora de vender e apresentar a conta.
No Afeganistão…houve desinvestimento.
A Companhia das Índias continua atuante…

sub urbano
sub urbano
2 meses atrás

Em tempo, nada sobre o desastre radiotaivo do governo Bonoppo, omitido de forma irresponsavel por causa eleição? Se vc passou ferias no RJ e ta brilhando no escuro já sabe kkk

ORIVALDO
Reply to  sub urbano
2 meses atrás

É tanto escândalo do Lula e do Bolsonaro, que se for postar o que você quer, vai ter que criar o Politica para se juntar ao Forte, Aéreo e Naval

Augusto
Augusto
Reply to  ORIVALDO
2 meses atrás

EDITADO
2 – Mantenha o respeito: não provoque e não ataque outros comentaristas,

ORIVALDO
2 meses atrás

Se esse papo for uma tática de desinformação e para confundir a Russia, muito bom. Agora se for sério, pode internar quem teve essa ideia genial

paulof
paulof
2 meses atrás

Se esperarem o fim da guerra, sem problemas, acho muito provável que algumas subsidiárias do setor de armamento militar queira instalar lá até pela qualidade da mão de obra.

Xavier
Xavier
2 meses atrás

Esse Panther KF51 é bonito viu!