A conta do Twitter @Tatarigani_UA apresentou uma interessante discussão sobre os desafios que a Ucrânia possui pela frente em relação aos campos minados que precisam ser atravessados. Ela destaca que as táticas até então empregadas e classificadas como “modernas” não são mais adequadas ao novo campo de batalha, que inclui o uso de drones pelo inimigo e retira o importante elemento surpresa do cenário.

A versão original pode ser acessada pelo link abaixo e na sequência segue a tradução.

À luz das discussões em curso em torno da contraofensiva, precisamos revisitar o tema das minas devido à sua extrema importância. Como enfatizei anteriormente, a ampla implantação de minas pelas forças russas continua sendo uma ameaça significativa para nossas tropas.

O problema das minas encontrado nesta contraofensiva representaria um desafio formidável, mesmo para a OTAN ou para as forças armadas ocidentais, se recebessem os mesmos recursos. Com milhares de quilômetros quadrados fortemente minados, é uma questão complexa e demorada que não pode ser facilmente resolvida.

Fornecer-nos mais meios antiminas melhoraria a situação, mas não resolveria todos os desafios. Os russos usam vários métodos para colocar minas, incluindo abordagens manuais, mecanizadas e remotas, aumentando a complexidade, pois diferentes tipos de minas exigem várias desobstruções.

Embora teoricamente exista a possibilidade de bombardear as áreas minadas para criar passagens seguras, seria necessária uma grande quantidade de munição e recursos que a Ucrânia atualmente carece e realisticamente não pode adiquirir para limpar as dezenas de km de campos minados.

Por que não ‘mine plows’ (dispositivo frontal tipo arados)? Embora esta opção possa parecer viável, ela é vulnerável a tiros ATGM ou munições suicidas, bloqueando efetivamente a passagem e expondo o pessoal a possíveis engajamentos de artilharia enquanto eles lutam para recuar ou desalojar o veículo preso.

O uso de cargas de linha de desminagem é eficaz? Sim. No entanto, há duas ressalvas cruciais a serem consideradas: uma única carga de M58 ou UR-77 limpa apenas uma área relativamente pequena, enquanto nosso objetivo é abordar áreas com quilômetros de profundidade, não apenas metros.

Nas guerras anteriores, era mais fácil abordar o inimigo de perto sem ser facilmente detectado. No entanto, o elemento surpresa diminuiu significativamente devido à presença constante de drones, que detectam facilmente qualquer veículo de desminagem que se aproxime.

Embora o objetivo final seja suprimir o inimigo antes que os veículos de remoção de minas cheguem, continua sendo um desafio difícil lidar com equipes ATGM secretas e móveis, helicópteros e munições que não podem ser facilmente neutralizadas.

Isso requer um nível extraordinário de coordenação entre defesa antiaérea, unidades de guerra eletrônica (EW), sappers (engenharia de combate), artilharia e elementos de reconhecimento em uma escala não encontrada por muitos exércitos modernos em operações recentes de grande escala.

O efeito de encadeamento das minas é muitas vezes esquecido, mas dificulta significativamente a capacidade de manobra na batalha. Mesmo depois que os campos minados são supostamente limpos, as minas residuais criam dúvidas persistentes, desencorajando movimentos rápidos e manobras de unidades militares.

Em conclusão, é crucial reconhecer a gravidade desta questão e alocar os recursos necessários para reforçar as capacidades antiminas da Ucrânia. Para superá-lo, devemos priorizar o desenvolvimento de soluções inovadoras e promover a cooperação excepcional da unidade.

Subscribe
Notify of
guest

78 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo
Marcelo
11 meses atrás

Más notícias para Putin. Ben Wallace, secretário de Estado da Defesa do Reino Unido, informou que a Ucrânia já libertou cerca de 300 quilômetros quadrados de território. Isso já é mais território que a Rússia capturou durante sua fracassada campanha de inverno. Mas o que está ruim para a Rússia ainda pode ficar pior. Ben Wallace também acrescentou que não há indicação de que a Rússia tenha as tropas terrestres necessárias para conter as múltiplas ameaças da Ucrânia ao longo da linha de 200 quilômetros de Bakhmut à margem esquerda do rio Dnipro. Segue a contra ofensiva ucraniana …
https://www.thedrive.com/the-war-zone/ukraine-situation-report-u-s-replenishes-kyivs-bradley-fighting-vehicle-force

sergio
sergio
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

O que ele esquece de dizer e que esses ” territórios libertados ” estão justamente dentro da chamada ” terra de ninguém”, um espaço de algumas dezenas de quilômetros entre as linhas de defesas Russas.

Victor F
Victor F
Reply to  sergio
11 meses atrás

Bom, nem isso a Russia conseguiu fazer quando eles tentaram realizar aquela ofensiva em Vuhledar né? lembra? centenas de veículos perdidos para literalmente nenhum avanço.

sergio
sergio
Reply to  Victor F
11 meses atrás

Bom os ucranianos não estão melhor né centenas de veículos perdidos e nenhum avanço significativo.

Victor F
Victor F
Reply to  sergio
11 meses atrás

Centenas apenas de acordo com o kremilin… mas acreditar neles só loucos acreditam… a lista de mentira deles rivaliza a lista criminal do Fernandinho Beiramar

sergio
sergio
Reply to  Victor F
11 meses atrás

Centenas apenas de acordo com o kiev… mas acreditar neles só loucos acreditam… a lista de mentira deles rivaliza a lista criminal do Fernandinho Beiramar

sergio
sergio
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

“Ben Wallace, secretário de Estado da Defesa do Reino Unido, informou que a Ucrânia já libertou cerca de 300 quilômetros quadrados de território”
Vamos Botar esses números em perspectiva ???
300 km quadrados equivale a pouco mais de 350 campos de futebol.
Na ofensiva do ano passado neste mesmo período a Ucrânia ja havia liberado mais de 2000 km de território.
So uma perspectiva.

M4|4v1t4
M4|4v1t4
Reply to  sergio
11 meses atrás

Não tinha não. Você tirou essa informação da sua cabeça. A ofensiva do ano passado pouco avançou até que se iniciasse a frente surpresa de Kharkiv.

Outra coisa. A Ucrânia está atacando o ponto mais forte da defesa russa. Defesas que foram construídas ao longo de mais de 1 ano e que podem ser vistas do espaço.
Rompida essas defesas, podemos esperar:

  • um colapso total de todas as frentes de batalha
  • a inevitável desintegração do território russo
  • o fortalecimento dos movimentos separatistas dentro do que hoje chamamos de Rússia
  • o surgimento de novas insurgências separatistas
Victor F
Victor F
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

Tu tem alguma fonte dessas baixas ucranianas ai? não vi essa estimativa em canto nenhum

sergio
sergio
Reply to  Victor F
11 meses atrás

Tem um canal no you tube que reproduz noticias de blogs e sites russos
correio global.
https://youtu.be/UZ4UqjBKzjI

alaor
alaor
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

Era para ser um guerra relâmpago, virou uma guerra de atrito. Vai vencer quem tiver mais recursos na linha do tempo.

Marcelo
Marcelo
11 meses atrás

Além dos 30 Bradley e 25 Stryker, serão enviados para a Ucrânia como parte da última parcela de ajuda do Pentágono: – Munições para sistemas de defesa aérea Patriot; – Sistemas antiaéreos Stinger; – Munição para Sistemas de Foguetes de Artilharia de Alta Mobilidade (HIMARS); – Munições de demolição; – Sistemas para desobstrução de obstáculos; – Equipamento de limpeza de minas; – Munições de artilharia de 155mm e 105mm; – Mísseis TOW; – Sistemas anti-blindagem Javelin; – Sistemas antiblindados AT-4; – Foguetes antiblindados; – Mísseis HARM; – Munições aéreas de precisão; – Armas pequenas e 22 milhões de cartuchos de… Read more »

Victor F
Victor F
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

Voce tem registro disso? Até onde eu sei, foram +- 17 coisa que os EUA fez a reposição uma semana depois mandando 15 e agora mais 30 pra um total de 45.

Victor F
Victor F
Reply to  Victor F
11 meses atrás

O comentario que eu respondi foi apagado e agora ta parecendo que eu tava duvidando do marcelo…

outro comentarista falou que mais de 30 Bradleys tinham sido destruidos e eu questionei isso.

MFB
MFB
11 meses atrás

A Rússia já desistiu de derrotar a Ucrânia. Fortificaram tudo e estão tentando segurar o que conseguiram, já é outro conflito.

sergio
sergio
Reply to  MFB
11 meses atrás

Eu tendo a concordar com vc, acho que eles chegaram no como aqui no nordeste a gente chama de ” aqui ta bom ” embora exista relados de uma ofensiva russa no norte, essa e muito tímida, os esforços estão se concentrando em assegurar o que já ganhou mesmo.

Oráculo
Oráculo
Reply to  MFB
11 meses atrás

Concordo plenamente.

Eu sou dos que acreditam que a guerra se encaminha, a médio prazo, para uma trégua com uma zona desmilitarizada nos moldes da que divide as Coreias.

Os russos não param de cavar fossos, colocar dentes de dragão, ouriços, telas de arame farpado e campos minados em todo o front. Isso é estratégia pra “travar” o conflito.

Começaram a surgir até vídeos de drones ucranianos atacando tratores e caminhões da engenharia russa que estão fazendo esse serviço ao longo da linha de batalha.
Os ucranianos já entenderam qual a estratégia russa e começaram a combater.

sergio
sergio
Reply to  Oráculo
11 meses atrás

Tb concordo, já estamos em julho praticamente, o outono já esta chegando por la, e com ele as primeiras chuvas, a não ser que os ucranianos tenham uma cartada muito boa na manga, ou os Russos cometam um erro muito grave, as fronteiras no inicio do inverno não devem ser muito diferentes do que e hoje. Eu acredito que diante da inercia da guerra, e que os prometidos caças F-16 nas quantidades e modelos prometidos, não vai mudar muito esse senário, isso vai acabar virando uma paz armada, os dois lados vão cessar as hostilidades mais tecnicamente ainda estarão em… Read more »

sub urbano
sub urbano
11 meses atrás

EDITADO

6 – Mantenha-se o máximo possível no tema da matéria, para o assunto não se desviar para temas totalmente desconectados do foco da discussão;

https://www.forte.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

pampapoker
pampapoker
Reply to  sub urbano
11 meses atrás

E vc lutaria pelos interesses russos? Ou por um Brasil invadindo, seja pelos americanos ou russos, ou qualquer outra nacionalidade. Vê a sua casa ser saqueada ou perdendo seu carro para ser usado como transporte militar ou destruído, … No ….dos outros e fácil falar.

Last edited 11 meses atrás by pampapoker
rafael
rafael
Reply to  pampapoker
11 meses atrás

eu n lutaria por um brasil invadido, por mim eu deixaria a porta aberta pra chegarem o mais rápido possível em Brasília… fica a dica ucrânia

MFB
MFB
Reply to  sub urbano
11 meses atrás

Os caras estão tão perdidos que nem fake news decentes conseguem criar. Jogam mentiras soltas de qualquer forma pela internet. Trator destruído vira tanque, crianças assassinadas por mísseis viram agentes ocidentais. Patético.

Marcelo
Marcelo
11 meses atrás

Enquanto os russos atacam pizzaria com mísseis S-300, a Ucrania entra na fila para receber o Míssil de Ataque Naval Kongsberg , ou NSM, de estoques poloneses. O NSM é uma séria ameaça aos navios da Frota Russa do Mar Negro, uma vez tem capacidade para atacar alvos navais e terrestres a distâncias de mais de 200 km. O NSM tem características pouco observáveis, sendo difícil de ser detectado com antecedência e é resistente à acão de sistemas de jamming. Também emprega movimentos imprevisíveis em seu estágio terminal de vôo para ajudar a evitar os sistemas de defesa aérea inimigos.… Read more »

Paulo
Paulo
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

O robozinho tá feliz.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Paulo
11 meses atrás

Robôs não tem sentimentos … eu ficarei entusiasmado quando a Ucrânia receber os ATACMS e os F-16 … não posso dizer o mesmo dos russos … mas a inteligência artificial está deixando os robôs bem espertos.

sergio
sergio
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

E vc acha o que,?
Que 30 F-16 vai destruir todas as defesas anti aerias Russas ?
Que 30 F-16 vai abater mais de 100 Su 27, armados com misses equivalentes aos deles ?
Que os Russos vão ficar so olhando os F-16 tocarem o terror emquando eles tomam chá ????tem Cada um viu !”!!!!!

Victor F
Victor F
Reply to  sergio
11 meses atrás

E oque a Rússia fez pra ativamente impedir as armas que chegam na ucrania? Vou já te adiantar, nada. Storm Shadow ta caindo em cima da cabeça deles quase todos os dias. HIMARS brinca de fazer missão de contrabateria até o site fez uma matéria sobre isso, os MBTs e IFVs só foram destruídos quando apareceram na linha de frente e isso é normal. 30 F-16 vão causar um impacto muito maior do que voce pensa, são 30 Aeronaves que podem ser integradas perfeitamente com todas as armas ocidentais disponíveis, podem usar misseis como AIM-120C-7 coisa que os Ucranianos nem… Read more »

Marcelo
Marcelo
Reply to  sergio
11 meses atrás

Os 40 F-16 inicialmente programados vão ajudar a dar a cobertura aérea que os ucranianos não possuem até o momento. Não é necessário destruir todas as defesas antiaéreas russas, mas apenas eliminar aquelas que estão perto das frentes de batalha. Também não é necessário abater toda a força aérea russa, mas apenas as aeronaves que se atreverem a entrar na zona de conflito. A Rússia nunca teve o domínio dos céus ucranianos. A instalação de uma forte defesa antiaérea ucraniana em camadas e a chegada dos F-16 vai afastar definitivamente a presença de aeronaves russas da zona de conflito.

PACRF
PACRF
11 meses atrás

Minas, arma “antiga”, que pode ser um diferencial numa guerra “moderna”. Retardará a ofensiva ucraniana. Resultado: os russos terão tempo para repor equipamentos, munições e tropas.

RDX
RDX
11 meses atrás

Enviem esta matéria para os nossos generais, os mesmos que querem modernizar o desprotegido Cascavel.

Paulo
Paulo
Reply to  RDX
11 meses atrás

O negócio aqui é próte se e gelo no copo.

João
João
11 meses atrás

Campos minados são utilizados para barrar o movimento inimigo. Podem também canalizar, mas barrar é o principal.
Devem ser balizados e o inimigo entra se quiser. Mas deve utilizar meios pra abrir a brecha, ou morrer pelo fogo, estando parado sem movimento.
Devem ser mapeados, para posterior desminagem.
A Rússia tem mimado indiscriminadamente, sem balizamento e sem mapa para a desminagem.
Isso é crime de guerra. Contra o DICA e o DIH, pois mata após a guerra.

Topol
Topol
11 meses atrás

Peguem as M-113 antigas coloquem dispositivo de controle via rádio e transformem em veículos não tripulados remotamente pilotados e coloquem elas na frente da coluna simples assim, boi de piranha… a coluna avança até onde o “drone” moribundo “encontrar” uma mina… o caminho que ela percorrer intacta deve ser considerada como uma ponte

José
José
Reply to  Topol
11 meses atrás

Off;

E quando vão parar de atacar alvos civis ? Pizzaria também é alvo militar ??

Topol
Topol
Reply to  José
11 meses atrás

Depende! se estiver cheia de inimigos escondidos lá dentro é sim com certeza… Pois até mesmo o mosteiro de São Bento foi bombardeado e transformado em escombros com o aval do comando aliado que dirá uma “pizzaria”

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Topol
11 meses atrás

eu chei estranho aquele ataque, depois que vi as imagens de quem estava procurando os amigos lá, percebi o pq do ataque.

Topol
Topol
Reply to  Topol
11 meses atrás

Tem que pegar os TPQ-48 que eles tem montar em caminhões e colocar os Caesar e os Grab em prontidão de combate para responder com fogo de contra bateria imediatamente

Heinz
Heinz
Reply to  Topol
11 meses atrás

tu acha que é fácil assim? mds….

M4l4v|t4
M4l4v|t4
Reply to  Topol
11 meses atrás

Se junta todos os M-113 que existem no mundo e conseguirem colocar lá, vão conseguir um progresso mínimo antes que todos encontrem sua mina.
O império do mal criou o maior campo minado da história.

RSmith
RSmith
Reply to  Topol
11 meses atrás

…[e uma ideia interessante …. só um porém … o que fazer com o destroco do M113 que detonou a mina ele vai estar lá parado queimando no meio do caminho…

Topol
Topol
Reply to  RSmith
11 meses atrás

Smith, contornar os destroços bem perto com outra M-113 remotamente pilotado e seguir em frente, falo isso porque minas anti tanque não são colocados uma muito próximo a outra caso contrario a explosão resultaria em uma reação em cadeia. com esse método é sim possível atravessa um campo minado

IvanF
IvanF
Reply to  Topol
11 meses atrás

O difícil aí é instalar o sistema de controle remoto no M113 e, claro, tem que adiciona algum engenho na frente pra ir detonando as minas.
Um fazendeiro ucraniano fez um usando um trator e restos de equipamentos militar. Não sei se um trator é mais fácil de converter pra operação remota que um M113, mas achei engenhoso: https://youtu.be/65AcEc9PD_w

Topol
Topol
Reply to  IvanF
11 meses atrás

Ivan, na verdade é mais fácil do que parece existe módulos de comando eletro/ hidráulicos via rádio… um receptor com uma caixa de relés instalado no chassi da viatura e válvulas solenoides elétricas para abrir e fechar o óleo que vai para os pistões ou comandar um motor de passo para enrolar e desenrolar um cabo de aço do acionamento da velocidade… lógico não é algo exatamente simples de se fazer mas é perfeitamente aplicável em qualquer tipo de veículo ainda mais sabendo que não exigiria nenhum tipo de “controle de qualidade” “certificação” e nem mesmo que fique perfeito seria… Read more »

IvanF
IvanF
Reply to  Topol
11 meses atrás

Concordo que é um projeto viável, mas como não conheço o M113 a fundo, prefiro não arriscar muito nos achismos.
Dei o exemplo do trator justamente por isso, foi feito com poucos recursos, uma gambiarra que funciona. Se o M113 não for muito diferente, dá pra fazer também.

José
José
11 meses atrás

Não chora…

Carvalho
Carvalho
11 meses atrás

Os Ucranianos já perceberame não vale a pena entrar em combate agora. Deixe o exército russo terminar de se corroer por dentro.
Já aconteceu várias vezes.

LUIZ
LUIZ
Reply to  Carvalho
11 meses atrás

Vc fala como se a situação dos ucranianos estivesse as mil maravilhas. Os caras tão sendo massacrados nos vastos campos minados. Dezenas de equipamentos e homens sendo destruidos todos os dias. Já tão no desespero recrutando pra substituir as perdas pra continuar a contraofensiva. Os avanços ucranianos são uma armadilha. Os russos sabem onde estão os ucranianos e atacam com tudo. Eles podem até ganhar terreno mais o sacrifício é grande.

José
José
Reply to  LUIZ
11 meses atrás

Russos sabem e muito onde estão os ucranianos. Estão em pizzaria e tal. Por isso atacam ! Isso fazem bem. São mestres nesses ataques covardes.

Já alvos militares….

Last edited 11 meses atrás by José
Carvalho
Carvalho
Reply to  LUIZ
11 meses atrás

Creio que seu relato não corresponde à realidade do que está ocorrendo.
O avanço é muito comedido e prudente.
As reservas ainda estão intocadas.

Carvalho
Carvalho
Reply to  Carvalho
11 meses atrás

Nunca lhes ocorreu que talvez o Ocidente não queira que esta guerra termine?

A C
A C
11 meses atrás

Haveria a possibilidade de identificar minas enterradas atraves de meios aereos com sensores de deteccao?

gordo
gordo
Reply to  A C
11 meses atrás

O melhor meio pra detectar é com sensores acoplados a veículos terrestres ou ir empurrando aquele rolo a frente e detonando tudo. Quanto a meios aéreos desconheço, mas supondo que existam com certeza devem ter sensores bem potentes e isso implica em uma aeronave de porte. Dificilmente uma aeronave com essa capacidade passaria impune pelo MiG-31 ou Su-35.
O fato é que os Ucranianos estão com mais um problema para resolver dentre tantos, e esse (as minas) tem um componente psicológico muito forte já que elas tem grande possibilidade de gerar “apenas” mutilação.

IvanF
IvanF
Reply to  A C
11 meses atrás

Achei um artigo chamado “An Experimental Study on Airborne Landmine Detection Using a Circular Synthetic Aperture Radar” de 2020 mostrando que é uma abordagem promissora.
Esse radar de abertura sintética foi instalado num drone, então o sistema é bem compacto. Das 15 minas utilizadas no teste, conseguiram detectar 13.

É um estudo preliminar, mas bem interessante.

Heinz
Heinz
11 meses atrás

QUal o problema kings? Você mesmo disse que não importa a fonte e sim o fato.

Oráculo
Oráculo
Reply to  Heinz
11 meses atrás

Kings tá meio sumido.
Acho que o salário não pingou.

Já a versão ucraniana dele está a todo vapor surfando no fiasco de Putin.
A “Batalha dos Clones” nos comentários por enquanto está off.

Carvalho
Carvalho
Reply to  Oráculo
11 meses atrás

Sumido???
Seu radar está pifado

Nilton L Junior
Nilton L Junior
11 meses atrás

Envio como contribuição, análise do Crónica Militar 26/06/2023, existe o vídeo dos soldados Ucras sendo atingido por minas, uma visão terrível. A derrota da 47ª brigada mecanizada das Forças Armadas da Ucrânia em Zaporozhye: análise da crônica militar O vídeo do ataque do pelotão da 47ª brigada mecanizada, publicado pelo lado ucraniano, mostra claramente porque as Forças Armadas da Ucrânia estão enfrentando enormes dificuldades com o avanço. O que imediatamente chama sua atenção? Como em episódios anteriores com a destruição de equipamentos estrangeiros, a coluna M2 Bradley BMP foi bloqueada enquanto se movia por um pequeno corredor, que as tropas… Read more »

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Nilton L Junior
11 meses atrás

Li se não engano na RT que as tropas da Ucrânia em campo tem tido problemas sérios com GPS o que faz perder a referências de localização recebidas nos seus aparelhos ( tablet ).

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Nilton L Junior
11 meses atrás

Não foi na RT Luiz, foi no mesmo canal Cronica Militar Forças Armadas da Ucrânia começaram a perder equipamentos ofensivos devido a falhas de comunicação e navegação: detalhes Desde 20 de junho, várias brigadas mecanizadas das Forças Armadas da Ucrânia envolvidas na ofensiva em Zaporozhye e na direção sul-Donetsk encontraram falhas nas comunicações por satélite e nos sistemas de navegação GPS. Segundo a Crónica Militar, os maiores problemas e falhas nos sistemas de posicionamento foram registados em unidades da 32ª brigada mecanizada, das 35ª e 37ª brigadas de fuzileiros navais e da 110ª brigada de defesa territorial das Forças Armadas… Read more »

Last edited 11 meses atrás by Nilton L Junior
Cassini
Cassini
11 meses atrás

Os ucranianos têm provado do mesmo meio defensivo amplamente disseminado no começo da guerra: as minas terrestres.

Os ucranianos têm bem menos recursos, logo acabam por se arriscarem mais.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
11 meses atrás

O Telegram também tem cada uma que não perde para o mediastream atlanticista

Paulo
Paulo
11 meses atrás

É uma solução. Talvez eles te ouçam.

Last edited 11 meses atrás by Paulo
Bernardo
Bernardo
11 meses atrás

Hoje começou a ofensiva da Ucrania.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Bernardo
11 meses atrás

É porque a contra ofensiva foi pro brejo, ou melhor foi pro outro mundo.

Nuno Taboca
Nuno Taboca
11 meses atrás

Bem pensado. Os ratos invasores poderiam.servir de algo util

Slowz
Slowz
11 meses atrás

Pelo menos engraçado foi 🤣🤣🤣

fjuliano
fjuliano
11 meses atrás

Vice News é um canal de mídia no youtube, criado em dezembro de 2013, com sede em Nova Iorque-EUA, é sem dúvida a maior e mais popular mídia alternativa do youtube. Cobriu o maidan, começo e desenrolar da guerra civil na Ucrânia de 2013 até idos de 2015, de forma que ganhou até prêmios internacionais pela cobertura. Sempre do lado ucraniano, os repórteres fazem coberturas no front, algo raro de se ver nas grandes mídias. 4 dias atrás lançaram esse vídeo https://www.youtube.com/watch?v=xVh-Cejyxs8 intitulado “os custos da guerra”, em que o repórter Ben C. Solomon, junto aos ucranianos, mostra o inferno… Read more »

Jose
Jose
Reply to  fjuliano
11 meses atrás

Conste a realidade russa também cidadão. Tá feio já essa disseminação de fake news, de deturpação pró Russia. Seu mundo é russo e você so fala/ vê o que seu o anão orienta.

AVISO DOS EDITORES: MANTENHA O RESPEITO.
LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.forte.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Last edited 11 meses atrás by Jose
Fernando
Fernando
Reply to  Jose
11 meses atrás

EDITADO

fjuliano
fjuliano
Reply to  Jose
11 meses atrás

A realidade russa é a que eles estão na defesa e já estão destruindo a quinta ou sexta leva de blindados veículos e combatentes enviados pelo governo do seu boneco de prateleira, governo que não para de engordar com muito gosto com os bilhões quase diários que chegam. Eu sei que o condicionamento ideológico seu e de seus congêneres em ser próOTAN faz vcs se revoltarem com a realidade, no entanto seria cômico se não fosse de fato revoltante q essa torcida de vcs não traz absolutamente nada de positivo para o Brasil q pode até ser um alvo futuro… Read more »

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
11 meses atrás

“O uso de cargas de linha de desminagem é eficaz? Sim. No entanto, há duas ressalvas cruciais a serem consideradas: uma única carga de M58 ou UR-77 limpa apenas uma área relativamente pequena, enquanto nosso objetivo é abordar áreas com quilômetros de profundidade, não apenas metros.”

Joga a carga abre a trilha, percorre a trilha e joga a carga novamente … o seu material detonante é explosivo, assim como o material detonado e ainda tem tropa inimiga atirando em ti, tem como ficar pior? deve ser o pior tipo de trabalho possível.

Ps- ainda existe aqueles torpedo de bangalore?

GIL
GIL
11 meses atrás

USA ja conseguiu os seus objetivos nessa batalha (Russia Ucrania) que é parte de uma guerra muito maior. Russia ja conquistou grande parte do que queria conquistar (faltou chegar na Moldavia pra passar a regua), recuperaçao o que foi deles por 300 anos, que é a regiao onde nasceu a Russia. Ucrania já perdeu essa guerra, ja perdeu territorio pra Russia, falta ver se vai perder mais pra Polonia ou a mesma Russia se o conflito seque. A UE é a segunda grande vitima dessa guerra, perdeu materia prima barata e um grande cliente para seus artigos de luxo. Isso… Read more »

Rafa
Rafa
11 meses atrás

É uma pena o blog escolher as notícias que quer dar. Não noticiou o novo Aerolula, não está noticiando a recusa em vender 450 blindados a Ucrânia. Fica parecendo que o blog está blindando o atual governo.

Francisco Vieira
Francisco Vieira
11 meses atrás

Na minha opinião a guerra travou!
A Rússia fez uma barreira de minas e trincheiras igual a que existia entre as duas coreias e eu duvido que saibam a localização e a quantidade delas. Não tem intenção, nem condições, de avançar. Nem a Ucrânia, de atravessar.
Para a Rússia, tá bom demais conseguir esse acesso por terra a crimeia.
Para a Ucrânia, sobrou a OTAN e a promessa de entrar para a União Europeia – Que, de tão falida, eu duvido que aconteça!

Marco Moutinho
Marco Moutinho
11 meses atrás

E os guarani para a Ucrânia??

Arthur
Arthur
Reply to  Marco Moutinho
11 meses atrás

O cheque da aquisição voltou sem fundos!

Arthur
Arthur
11 meses atrás

Ué? Agora é que os caras estão preocupados com minas? Não sabiam delas antes não? Surovikin não tinha avisado? Fazem uma droga de contraofensiva travestida de operações de reconhecimento, jogando tropas e blindados nesses campos, achando que “não ia dar em nada”? Basta ver o que sobrou da 47a. Brigada Mecanizada, tambem chamada de “azarada”: só dava Bradley e pernas de soldados ucranianos voando! É uma análise muito oportuna, como tudo mais nesse conflito…

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
11 meses atrás

Minas senhores, um artefato útil para inibir a ação de forças mais poderosas em qualquer cenário.