Uma ação ocorrida recentemente na Guerra da Ucrânia mostrou como o emprego de simples drones de reconhecimento (muitas vezes de uso civil) pode significar a diferença entre viver e morrer.

No caso em questão, duas patrulhas, uma russa e outra ucraniana, estavam muito próximas uma da outra em meio à mata densa. Nenhuma delas viu ou ouviu a outra se aproximando. No entanto, a patrulha ucraniana contava com a coordenação de um drone que acompanhava a movimentação do grupo.

A patrulha ucraniana se dirigia ao encontro do grupo russo quando subtamente parou (possivelmente alertada pelo operador do drone). O grupo russo passou ao lado da patrulha ucraniana sem notar a presença dela.

A patrulha ucraniana esperou o contato visual e disparou contra o grupo russo. Não fosse o drone, a situação para os ucranianos seria outra. O vídeo abaixo mostra toda esta curta ação. (ATENÇÂO: O VÍDEO CONTÉM IMAGENS FORTES)

Ainda existe alguma dúvida sobre a importância dos drones para as pequenas frações de combate?

Subscribe
Notify of
guest

30 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Heinz
Heinz
9 meses atrás

Caraca, não sei como não escutaram um ao outro. Ponto para os ucras

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Heinz
9 meses atrás

ouvi dizer que é dificil ouvir pois a vegetação não deixa o som se propagar direito

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
9 meses atrás

“Ainda existe alguma dúvida sobre a importância dos drones para as pequenas frações de combate?”

Perguntem isso ao EB….

Heinz
Heinz
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

Me parece que o EB está começando a mexer as pernas quanto a isto, já foram adquiridos sarps de pequeno e médio porte, agora só falta a escala.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Heinz
9 meses atrás

Drones tão aí mostrando a importância em guerras desde 2000.
Mas “parece que o EB está começando a mexer as pernas quanto a isso”.
Mais grupos de estudo ad eternum, pra comprar meia dúzia de equipamentos…mas enfim, que bom que o EB “aparentemente” tá mexendo as pernas quanto a isso”.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

Segundo relatório do EB que reuniu informações sobre aquisições, no ano passado foram recebidos 30 SARP Mavic2 Enterprise Advanced e 4 SARP Matrice 300.

https://www-mundoconectado-com-br.cdn.ampproject.org/i/s/www.mundoconectado.com.br/wp-content/plugins/seox-image-magick/imagick_convert.php?width=327&height=204&format=webp&quality=91&imagick=uploads.mundoconectado.com.br/2022/12/27103959/

Precisa de muito maior quantidade do que isso, evidentemente. Além de modelos maiores e mais capazes.

Maximus
Maximus
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
9 meses atrás

Saudações Nunao! Ao que parece nosso exército esta resumido em pequenos núcleos de excelência. O restante da tropa fica a mingua.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Maximus
9 meses atrás

“ilha de excelência” = meia dúzia de soldados usando NVG, rádio tático, miras ( dá pra contar nos dedos fotos de soldados do EB com mira nas armas ) e outros equipamentos que qualquer Marine ou soldado da OTAN já tem de uso generalizado a décadas, mas que aqui ainda é de uso da “elite”, enquanto 99% da tropa usa Mosquefal e equip. da Guerra do Vietnã.

Jagderband#44
Jagderband#44
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

Mas… pinta-se um cordão de calçada como ninguém!

Castelani
Castelani
Reply to  Jagderband#44
9 meses atrás

E capina então?
Nossa, até arrepia!

Maximus
Maximus
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

Grande Willber. O grosso da nossa infantaria é muito mal equipada, assim como os outros ramos das nossas forças armadas.
Seguimos com o pensamento de que “pra o cenário sul-americano esta bom” o que nos deixa completamente atrasados em relação aos exércitos profissionais de primeiro mundo
Certa vez perguntei ao Agnelo se teriamos condições de participar como futura tropa de pacificação na Ucrânia, a resposta dele foi um sonoro “nao temos meios”
Ou seja…estamos indo de mal a pior.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Maximus
9 meses atrás

Seguimos com o pensamento de que “pra o cenário sul-americano esta bom”´´ Eu queria ganhar uma moeda toda vez que eu já ví alguém na trilogia ( muitos deles militares, vejam só ) que usam essa desculpa ( esdrúxula, pra não dizer coisa pior e tomar puxão de orelha ) pra justificar todo tipo de velharia obsoleta nas FA´s… A última delas foi sobre a modernização do Cascavel. É até milagre o EB não ter inventado ainda de modernizar Uurutu ( bate na madeira 3X )… Certa vez perguntei ao Agnelo se teriamos condições de participar como futura tropa de… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

PS: eu só discordo do “estamos indo de mal a pior”
Temos muitas coisas no que criticar nas FA’s, mas não acredito que estamos piorando.
Me dá a impressão que a MB aprendeu com os erros de sua megalomania nos anos 2000, e ficou um pouco mais “pé no chão”, enquanto o EB vem dando passos na sua modernização, mesmo que de forma tímida e ainda distante do ideal.
O problrma do EB é que parece que, quando eles dão um passo certo numa direção, eles erram em outra….

Heinz
Heinz
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

eu gostaria muito de saber qual a dificuldade de se dotar os fuzis com red dot, ou miras de diversos tipos e lançadores de granadas, existem empresas brasileiras que fabricam isso, e são acessórios relativamente baratos, se for comparados com a maioria dos equipamentos militares. Sem contar que, num grande contrato o preço iria cair ainda mais.

Joao
Joao
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

Vc está bem equivocado.
Mira no fuzil, por exemplo, tem PRA BURRO.
Rádio… não confunda com filme.

Joao
Joao
Reply to  Maximus
9 meses atrás

Mais ou menos. As tropas q não tem utilizam materiais das tropas q tem.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
9 meses atrás

eu tenho receio do modelo da DJI quando os americanos falaram do risco de vazamento de dados e proibiram a entrada alegando proximidade da DJI com departamento de defesa chines….não se sabe até onde isso é verdade, mas logo depois os amercanos forçaram uma homologação de um modelo frances da Parrot chamado Anafi USA….Nunão eu acredito que drone civil, mesmo que sejam modelo profissional, só servirão para realmente montar a doutrina, e o ideal seria desenvolver um modelo nacional seguindo as criptografias de dados e segurança de sinais.

Cleiton
Cleiton
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

Enquanto estiverem na sua vida boa bancada pelo povo e sabendo que se por azar acontecer uma guerra o pobre do brasileiro vai lutar com essas armas de pólvora preta que temos, nada vai mudar. Eu acho que só poderia mudar se o povo que serão os soldados escancararem para eles que não vão pegar em armas para serem massacrados.

AMX
AMX
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

“Drones tão aí mostrando a importância em guerras desde 2000.”

Faz décadas.
Ao menos nessa forma mais direta no campo de batalha terrestre, pelo menos desde os 80, qdo Israel invadiu o Líbano.

Joao
Joao
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

Foi MUITO utilizado no Haiti, nas Pacificações e na Intervenção. Hj, o investimento esbarra na dúvida de como serão as contramedidas já sendo desenvolvidas. Nesse contexto, a Guerra Eletrônica parece ser a vertente mais forte de “solução”. Ha de se ter cuidado com altos investimentos, antes de se ter real dimensão no como ficará “essa guerra”. O EB está investindo em “grandes ( no sentido de complexidade) drones” de Rec, armado, “ kamikaze”. Não sei o quanto pra pequenas frações. Fato é que “tem drone civil pra caramba” já nas OM. Além de ser de fácil aquisição. Ou seja, pra… Read more »

Heinz
Heinz
9 meses atrás

Vai ter matéria sobre a destruição da estação de radar costeira móvel “Predel -E”?
Essa estação foi apresentada em junho desse ano na Rússia, dizem que ela é bem avançada, detecta movimentações além do horizonte tanto em terra como no mar. Custa cerca de 200 milhões de dólares. Parece que os russos estavam utilizando ela em Kherson, mas drones Ucranianos acharam e o himars fez uma visita. Nesse caso também foi destruído o sistema de guerra eletrônica “Leer 2”

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Heinz
9 meses atrás

Está na pauta, ainda precisamos cruzar mais de uma fonte.

Mas só pra amanhã, hoje já publicamos 7 matérias novas somente aqui no ForTe, sem falar no Poder Naval e no Poder Aéreo.

Heinz
Heinz
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
9 meses atrás

obrigado nunãoo

Infantaria_leve_BiABR
Infantaria_leve_BiABR
9 meses atrás

Montagem. Claramente.

Russos nem precisam de drones. Imperador Putin é tão onsciente, que ele dá aos soldados russos consciência situacional por telepatia.

É só mais uma montagem e mentiras da mídia ocidental. Russos não morrem não.
( só os que came de escadas, e de aviões. kkkk)

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
9 meses atrás

Penso que toda patrulha de reconhecimento motorizado necessita de uma equipe de vigilancia terrestre, no meu pensamento você coloca em uma viatura 3/4t ou 1,5t (não pode ser viatura grande para se expor demais, nem muito pequena para ser desconfortável para os especialistas), nesse viatura você coloca um shelter com uma estação para uns 2 operadores (mesas, cadeiras, telas auxiliares, cadeira, ar condicionado, apu, antenas de retransmissão, etc…) e 2 sistemas básicos de vigilancia, sendo eles um radar de vigilancia terrestre com camera thermal de longo alcance em um Mastro Telescopico (esse RVT com capacidade de ser desmontado para usar… Read more »

Rafael Coimbra
Rafael Coimbra
9 meses atrás

O vídeo para enquanto os Ucranianos disparam, parece que eles eliminaram todos… Nenhum russo atirou de volta? Cada lado mostra apenas os “dias de glória” hehehe pequenos fragmentos dessa grande guerra

Satyricon
Satyricon
9 meses atrás

Aquele exato momento em que o indivíduo pensa:
o que é que estou fazendo nessa guerra, que não é minha?
Resposta: pergunte ao seu tio Putler!
Ah, não vai dar não né.

E o Putinstão segue ceifando seus jovens.

QSL

Rocha
Rocha
9 meses atrás

Enquanto milhares morrem de ambos os lados, o gnomo covarde segue tranquilo com todo o luxo e segurança .

paulof
paulof
9 meses atrás

é uma aula esse texto sobre a guerra moderna e um tapa nos críticos da importância dos drones.

J.neto
J.neto
9 meses atrás

Admirado não terem ouvido , trabalho com pesquisa na amazônia, vc percebe a movimentação ,alguem se aproximando com facilidade ( galho quebrando, folha seca sendo chutada etc…, ai eles estao quase lado a lado,porém é área degradada uma” capoeira” , não uma area de mata valendo,floresta, outro fato que deve ser levado em consideração é o barulho em uma região em conflito, tiro,bomba etc…