Brasília, 15/9/2023 – A área atingida pelo garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami (TIY) reduziu 78,51% este ano. Os dados são do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), do Ministério da Defesa. Nos primeiros nove meses de 2023, a área atingida pelo garimpo ilegal é de 214 hectares, enquanto que, no mesmo período de 2022, o garimpo ocupou 999 hectares. A força-tarefa do Governo Federal para proteção dos indígenas ao norte do país iniciou em janeiro deste ano e conta com a participação da Defesa, por meio das Forças Armadas, e de outros órgãos e agências federais.

A metodologia adotada no relatório apresenta confiabilidade acima de 95%, resultado do cruzamento dos dados de diversas fontes: a plataforma Brasil M.A.I.S (Meio Ambiente Integrado e Seguro), do Ministério da Justiça e Segurança Pública; a plataforma Terra Brasilis, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE); as constelações de satélites LandSat, Sentinel e CBERS; e imagens de aerolevantamento com apoio das Forças Armadas. A análise dos dados é realizada por equipe composta por geólogos, geógrafos, estatísticos e especialistas em sensoriamento remoto.
A redução de quase 80% na área atingida mostra que a presença de garimpeiros é, atualmente, residual (se mantém em pequenas áreas na região), apresentando, nos últimos cinco meses, variação média de 4 hectares. As maiores concentrações observadas no início do ano foram desmobilizadas.

Meio ambiente – Como resultado dos esforços conjuntos, é possível identificar que os principais rios da região – Uraricoera e Mucajaí – voltaram às suas cores naturais. O elemento químico mais comum usado por garimpeiros é o mercúrio. Além de ser responsável pela coloração amarelada nos rios, o metal líquido contamina a água e o solo, e afeta a alimentação dos Yanomami, baseada em atividades como caça, pesca, coleta de frutos e de raízes.

Força-tarefa do Governo Federal – Com base no Decreto n° 11.575, de 21 de junho de 2023, o Comando Conjunto Ágata Fronteira Norte atua sob coordenação do Ministério da Defesa para prevenir e reprimir delitos transfronteiriços e ambientais na Terra Indígena Yanomami. A operação ocorre por meio de ações de patrulhamento; revista de pessoas, veículos terrestres, embarcações e aeronaves; e de prisões em flagrante delito.

Até o momento, já foram detidos 146 garimpeiros (todos submetidos a exame de higidez física e entregues à Superintendência da Polícia Federal) e apreendidos 40 toneladas de cassiterita, 1.675 gramas de ouro e 808 equipamentos, além da neutralização de acampamentos ilícitos na região da TIY. As ações são realizadas em coordenação com os órgãos de segurança pública.

 

DIVULGAÇÃO: Ministério da Defesa / FOTOS: Imagens dos rios Include material @ 2023 Planet Labs Inc. All rights reserved

Subscribe
Notify of
guest

27 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Samuel Asafe
Samuel Asafe
10 meses atrás

As vezes a gente esquece o tamanho da força que o ministério da defesa e segurança pública tem num país com uma economia do tamanho do Brasil. Com certeza fiscalizar uma área desse tamanho não é tarefa tão simples; tem como fazer, mas precisa ter vontade política pra isso. Parece que essa vontade voltou, o que mudou do ano passado pra cá, será?

L G1e
L G1e
10 meses atrás

Infelizmente.. coitados dos negros, Índios, mamelucos, mulatos e cafuzos… pobres brasileiros que depende da mineração para sobreviver e tentar sair da pobreza extrema… se embreando nas florestas… pegando doenças malária, cólera etc… tentando uma vida melhor… muito triste essa notícia… milhares de brasileiros pobres na miséria…

L G1e
L G1e
Reply to  L G1e
10 meses atrás

Quem vive no RJ, SP, Brasília etc. Não conhece a história desses pobres brasileiros que buscam apenas uma vida melhor. Tentando sair da extrema pobreza… como eu nasci e vivo nos grandes sertão veredas dos confins do interior do Brasil… eu conheço a vida sofrida desses garimpeiros pobres que querem apenas viver melhor… muito triste essa notícia para os pobres negros, Índios, cafuzos, mamelucos, mulatos esquecidos nos confins do Brasil igual Canudos na Bahia foram exterminados em virtude do tal progresso que nunca chega para os mais pobres e sofridos.. ainda bem que conheci canudos… muito triste novamente…

jairo
jairo
Reply to  L G1e
9 meses atrás

“Pena de vagabundo, Matias?”

by Capitão Fábio, tropa de elite 2.

Sequim
Sequim
Reply to  L G1e
10 meses atrás

Basta ver que se sabia dos sofrimentos sofridos e impostos pelo garimpo ilegal aos índios, pois a situação foi relatada via relatório oficial e entregue às autoridades da época, que simplesmente ignoraram. Está tudo historicamente registrado.

L G1e
L G1e
Reply to  Sequim
10 meses atrás

Sabe de nada inocente…..

Renato B.
Renato B.
Reply to  L G1e
9 meses atrás

O PCC também lamenta.

Blits157
Blits157
10 meses atrás

Algumas pessoas esquecem que muitos desses garimpos são financiados pelo crime organizado… Uma ótima noticia essa retomada das operações no atual governo.

L G1e
L G1e
Reply to  Blits157
10 meses atrás

Meu amigo parece que você não conhece o sertão dos confins… canudos também falaram que era financiado pelos monarquia e potências estrangeiras… e os pobres coitados pobres continua a morrer…

Maurício.
Maurício.
Reply to  Blits157
10 meses atrás

Muitos são financiados por políticos, e com muito lobby…

L G1e
L G1e
Reply to  Maurício.
10 meses atrás

Em canudos falaram a mesma coisa na época….

Maurício.
Maurício.
10 meses atrás

Tem que destruir todo maquinário desses criminosos, não deixar nada intacto, é assim que se faz.

L G1e
L G1e
Reply to  Maurício.
10 meses atrás

É a mesma história. infelizmente em canudos os moradores do RJ, SP, salvador, etcetera … falavam a mesma coisa tem que destruir tudo…. matar todos… tem que destruir canudos… no final conseguiram matar os pobres coitados….

Mirade1969
Mirade1969
Reply to  L G1e
9 meses atrás

Tem que prender mesmo, não há coitadinho ai e agora com o governo que realmente faz alguma coisa e não o outro que deixava tudo passar até a boiada. O trabalhador garimpeiro é vitima também de patrões inecrupulosos que não seguem lei alguma manos ainda as normas de segurança e meio ambiente. O governo esta se fazendo presente antes que seja tarde ou deixar para mais tarde não vai sobrar mata, água ou solo.

Cleiton
Cleiton
Reply to  Maurício.
10 meses atrás

Pois é cara eu moro em outro centro garimpeiro do Brasil e te digo que não é bonito e nem nada ecológico o resultado da garimpagem mais não é nada diferente de uma grande mineradora multinacional que tbém ocupa a mesma região . Engraçado é que ela pode e o brasileiro não pode . Ai uns sem noção acham lindão meter fogo em maquinário de brasileiros enquanto maquinário gringo deita e rola em nossas terras e os abobados de nós brasileiros só falta baixar as calças para elas.

Bernardo
Bernardo
Reply to  Cleiton
9 meses atrás

Pois é amigo não adianta discutir com um povo que que só vê um lado, sei que o garimpeiro faz muita merda, mas proteger “Índios” fabricados por ONG é de lascar o facão. É a mesma coisa que expulsar o comando vermelho e deixar a milicia tomar conta pois “Índio de ONG” não vai lutar pelo Brasil se estourar uma guerra, Índio de ONG vai reivindicar essas futuramente como estado sem pagar impostos, Índio de ONG vai futuramente pedir soberania, Índio de ONG vai vender suas terras em forma de proteção a outra nação e esse bando de especialista acha… Read more »

sub urbano
sub urbano
10 meses atrás

Um duro golpe nas organizações criminosas (dentre elas o CV) q investiram pesado nos garimpos ilegais da amazonia, tudo sob a chancela de vcs sabem qm. O inominavel miliciano carioca e seus patetas amestrados.

O primeiro ja foi julgado 17 anos de xilindró, saiu caro ser burro

L G1e
L G1e
Reply to  sub urbano
10 meses atrás

Calma. Calma. Calma. Você está muito nervoso. Tem que tomar um Rivotril. Lexotan. Calma. Calma.

Cleiton
Cleiton
Reply to  sub urbano
10 meses atrás

Esquenta não que só sobrou os que conseguem pagar a propina certa para as pessoas certas. E segue a festa.

fewoz
fewoz
9 meses atrás

Isso prova que, quando há vontade política, tudo é possível. O Brasil regrediu nos 4 anos anteriores, em todos os sentidos. E levará algum tempo para normalizar o país… No mais, ótimo trabalho do atual governo.

Emendando aqui, duas perguntas aos entendidos:
1. Quantos militares operam na Amazônia?
2. Se o número for baixo, o ideal não seria retirar tropas das outras áreas do país e concentrá-las mais nesta região, dado os enormes desafios por lá?

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  fewoz
9 meses atrás

Recentemente alguém aqui no blog me respondeu que seria dificílimo reduzir significativamente o tamanho do EB porque “grande parte do efetivo do exército está em regiões de fronteira e na Amazônia”. Como achei uma afirmação estranha, me fiz a mesma pergunta que você e solicitei a informação – via Lei de Acesso à Informação – ao Comando do Exército.

A resposta foi de que, dos 212962 militares do EB:

1) 68591 (32,2%) estão no Sudeste;

2) 48729 (22,8%) estão no Sul;

3) 40676 (19,1%) estão no DF e Centro-Oeste;

4) 29014 (13,6%) estão no Norte;

5) 25952 (12,1%) no Nordeste;

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Bruno Vinícius
9 meses atrás

P.S. infelizmente, por razões de segurança nacional, eles não me forneceram a informação de quantos exatamente estão em zona de fronteira. Mas claramente o “grosso” da força está concentrado no Sul, Sudeste, DF e Centro-Oeste (74,1%), com uma parcela comparativamente pequena da força (13,6%) no Norte do país.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Bruno Vinícius
9 meses atrás

E o Centro -Oeste é inflado pelo DF e Goiás. Mato Grosso e Mato Grosso do Sul devem ter uma parcela pequena do efetivo na região e mais ínfima ainda na região fronteiriça.

fewoz
fewoz
Reply to  Bruno Vinícius
9 meses atrás

Obrigado, Bruno. Muito interessante conhecer estes dados.

Bernardo
Bernardo
9 meses atrás

Pois é mais uma vez o Brasil fazendo “brasiliise” você tira os Garimpeiros de lá em torno de 10 mil, por baixo? E manda eles pra onde? Como eu disse Brasil fazendo coisas que só aqui acontece

Renato B.
Renato B.
Reply to  Bernardo
9 meses atrás

Serra Pelada também empregava milhares e só deixou um buraco. Afora alguns bem apessoados a maioria voltou pobre como saiu. De qualquer modo, O PCC e o CV também empregam um monte de gente, mas nunca vi ninguém comemorar. Quem contrabandeia ouro também faz isso com armas e drogas.

Renato B.
Renato B.
9 meses atrás

Impressionante como deixar as instituições funcionarem muda o cenário, não?