Acompanhe o seminário ‘4ª Revolução Industrial: Desafios para a Defesa, Segurança e Desenvolvimento Nacional’

7

Evento do BNDES começou nesta Terça-feira, 26, às 9h30 no teatro do BNDES – Av. República do Chile, 100, Centro, Rio de Janeiro

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) promove nesta terça-feira, 26, em parceria com o Ministério da Defesa, o seminário “4ª Revolução Industrial: Desafios para a Defesa, Segurança e Desenvolvimento Nacional”.

O evento, no Teatro do BNDES, no Rio de Janeiro, aborda estratégias para o fortalecimento da Base Industrial de Defesa (BID) sob uma ótica multidisciplinar. A abertura ocorre às 9h30, com o presidente do Banco, Aloizio Mercadante, e o ministro da Defesa, José Mucio Monteiro.

Acompanhe aqui a abertura:

A programação se completa com conferência do professor doutor Vinicius Mariano de Carvalho, do King’s College London, seguida de painel que reunirá nomes como o diretor de Transição Energética e Sustentabilidade da Petrobras, Maurício Tolmasquin; o presidente da FINEP, Celso Pansera; e a presidente da Academia Brasileira de Ciências, Helena Nader (confira a programação completa abaixo).

Na ocasião, o BNDES anunciará novas operações com a Embraer, empresa aeroespacial global com sede no Brasil, com negócios nas áreas de Aviação Comercial e Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola e importante exportadora nacional de bens de alto valor agregado.

O seminário terá sequência na tarde de terça e na quarta-feira, 27, com fóruns de trabalho fechados sobre “Ciência, tecnologia e inovações para a Base Industrial de Defesa”, “Segurança energética, hídrica, ambiental, alimentar e sanitária” e “Segurança digital, cibernética, marítima, aeroespacial e capacitação”.

SERVIÇO:

O quê: Abertura do seminário “4ª Revolução Industrial: Desafios para a Defesa, Segurança e Desenvolvimento”

Quando: terça-feira, 26 de setembro, 9h30

Local: Teatro do BNDES (Av. República do Chile, 100, Centro, Rio de Janeiro) e ao vivo pelo canal do Banco no YouTube: youtube.com/bndes

PROGRAMAÇÃO:

09h30 – 10h00 – Abertura:

Aloizio Mercadante Oliva – Presidente BNDES
José Mucio Monteiro Filho – Ministro de Estado da Defesa

10h00 – 10h30 Conferência de Abertura: “Reflexões sobre uma Grande Estratégia para a Base Industrial de Defesa”

Professor Doutor Vinicius Mariano de Carvalho – King’s College London

10h30 – 10h40 – Intervalo

10h40 – 12h40 – Painel: Defesa & Segurança e Desenvolvimento Nacional – CT&I”

Moderador: Professor Doutor Glauco Arbix – IA e Chatgpt. USP.

Painelistas:

Professor Doutor Carlos Henrique Costa Ribeiro – ITA – Robótica / IA / Aprendizado de Máquina.
Professora Doutora Helena Nader – Presidente da Academia Brasileira de Ciências.
Professor Doutor Uallace Moreira – Secretário de Desenvolvimento Industria, Inovação, Comércio e Serviços e Conselheiro do BNDES (a confirmar).
Professor Doutor Celso Pansera – Presidente da FINEP.
Professor Doutor Maurício Tolmasquin – Diretor de Transição Energética e Sustentabilidade da Petrobrás.
Doutora Izabella Teixeira – Ex-Ministra de Meio Ambiente e Conselheira do BNDES.

12h40– 13h00

Homenagens

Subscribe
Notify of
guest

7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antonio Cançado
9 meses atrás

______

COMENTÁRIO APAGADO.

5 – Não use o espaço de comentários como palanque para proselitismo político, ideológico, religioso, para praticar ou difundir posturas racistas, xenófobas, propagar ódio ou atacar seus desafetos. O espaço dos comentários é para debate civilizado, não para divulgação, propaganda ou interesses pessoais;

https://www.forte.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
9 meses atrás

Discutir sobre Base Industrial de Defesa Nacional é legal, é bom, é bonito e talz, mas….

Nada disso importa se, na hora H, as FA’s BR comprarem meia dúzia.pra pagar em 20 anos, e depois cortar o n° de pedidos, e ainda atrasar o pagamento.
Numa matéria do PN, a Turquia encomendou, de uma vez, 10 OPV’s, e as recheou com tecnologias nacionais.
Aqui, compramos ToT a peso de ouro, pra comprar 4 unidades recheadas de tecnologia importada passíveis de embargo.
Qual dos dois exemplos acima realmente leva em frente a “Base Industrial de Defesa”?

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

A abertura do seminário está interessante e discutindo nesse momento, justamente, quais os projetos e estratégias nesse sentido, visando sair da mera “palestra” e ir para ações.

Pesquisador / professor da USP acabou de falar nisso, no contexto também da discussão sobre inteligência artificial, e agora um pesquisador e professor do ITA está abordando o tema.

Se não der para ver agora, o vídeo deverá ficar disponível para assistir em outra hora.

Augusto
Augusto
9 meses atrás

4a Revolução Industrial é um tema dos países desenvolvidos. O Brasil se ilude mas mal conseguiu entrar na 1a. Se formos desenvolver uma caldeira à vapor, é capaz de termos que fazer parceria “com transferência de tecnologia”.

Sulamericano
Sulamericano
Reply to  Augusto
9 meses atrás

Posso te garantir que existe tecnologia e conhecimento técnico para se fazer uma caldeira a vapor no Brasil. Caldeiras a vapor e muito mais.
O que falta é vontade política (criar incentivos e remover barreiras para o desenvolvimento).
E para além disso identificar e anular as ações da quinta-coluna que atua diuturnamente para que as coisas deem errado nesse país.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
9 meses atrás

OFF – A Avibras e a espanhola NTGS firmaram um consórcio para participar da licitação do Exército da Espanha para a compra de artilharia de foguetes, mas no acordo se ganharem a licitação a Avibrás vai repassar toda a tecnolocia do Sistema Astros e toda a produção que atenderá ao exército espanhol paraa NTGS! Vamos colocar o pé na OTAN, mas vamos repassar toda a tecnologia que penamos para desenvolver!
https://www.defensa.com/espana/ntgs-avibras-presentan-consorcio-ibermisil-como-candidato-silam

Makarov
Makarov
9 meses atrás

Que história é essa da AVIBRAS repassar 100% da sua tecnologia (bancada com dinheiro público) a uma empresa Espanhola? Isso não existe. Vai ter materia sobre?