Em reunião que durou mais de cinco horas, José Mucio Monteiro pediu ajuda aos membros da CREDN para que as Forças Armadas não paralisem seus projetos estratégicos. Ele também cobrou previsibilidade orçamentária

Brasília – O ministro da Defesa, José Mucio Monteiro, pediu ajuda aos membros da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN) para que as Forças Armadas não paralisem os seus projetos estratégicos e chamou a atenção para a necessidade de se conferir previsibilidade ao orçamento da pasta. Para tanto, apontou a aprovação da PEC 55/23, fundamental para que haja aumento no orçamento das Forças Armadas.

Nesta quarta-feira, 17, o ministro José Mucio participou de reunião da CREDN, em atendimento aos requerimentos do presidente do Colegiado, Lucas Redecker (PSDB-SP) e do deputado Albuquerque (REPUBLICANOS-RR) e esteve acompanhado dos Comandantes do Exército, general Tomás Miguel Miné Ribeiro Paiva; da Marinha, almirante Marcos Sampaio Olsen; e da Aeronáutica, brigadeiro Marcelo Kanitz Damasceno.

“O Brasil é o maior exportador de produtos de defesa da América do Sul. Em 2023, as exportações autorizadas foram de US$ 1,4 bilhão, sendo cerca de 125% a mais que em 2022, segunda melhor posição desde que iniciamos essa série histórica. Temos expectativa de dobrar esses resultados em 2024”, explicou.

O ministro informou, também, que o Brasil investe em torno de 1,1% do seu PIB em defesa, enquanto que a média mundial é de 2,3%. Apenas no ano passado, as grandes potências investiram cerca de US$ 2,2 trilhões em armamentos. “É muito difícil num país como o Brasil, com tantos problemas, pedir dinheiro para a Defesa. Mas, hoje, compramos sem a certeza de podermos pagar”, advertiu.

Em sua exposição, Mucio reconheceu que há riscos de demissões no setor, como por exemplo, de funcionários que trabalham nos projetos dos submarinos e fragatas. “Estamos com aviadores sem aviões, marinheiros sem navios e soldados sem equipamentos”, afirmou.

Forças Armadas

O diagnóstico foi corroborado pelos respectivos comandantes. Segundo o general Tomás, Comandante do Exército, a força necessita modernizar vários sistemas para poder exercer o seu papel na proteção das fronteiras. Ele citou o caso de um sistema de defesa aéreo de média altura, bem como a aquisição de helicópteros norte-americanos Black Hawk. “Uma bateria antiaérea de média altura da Ucrânia impediu a destruição de Kiev”, revelou.

Já o Comandante da Marinha, almirante Olsen, assinalou que, “nos últimos 20 anos, a esquadra desmobilizou 50% dos seus meios e até 2028, mais 40% serão desmobilizados dos 50% que sobraram”. Ele salientou que a indústria naval do Brasil já foi a segunda do mundo e que apenas o projeto dos submarinos emprega em torno de 63 mil pessoas e envolve 700 empresas.

Em 2023, a Aeronáutica investiu R$ 1.8 bilhão em seus projetos estratégicos, mas o cenário não é diferente das demais forças. De acordo com o brigadeiro Damasceno, “não estamos voando a quantidade de horas necessárias para mantermos os pilotos adestrados e atender todas as demandas”, disse. Hoje, a FAB conta com 458 aeronaves ativas. Em 2014, eram 576. O déficit anual para a manutenção dos meios da Força Aérea é de R$ 1.31 bilhão.

Assessoria de imprensa – CREDN

Ministro da Defesa pede apoio orçamentário aos deputados em debate na Câmara

O ministro da Defesa, José Múcio Monteiro Filho, disse aos deputados da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, nesta quarta-feira (17), que pretende ter uma relação mais próxima com os parlamentares do colegiado para que eles atuem no sentido de melhorar o orçamento das Forças Armadas. Múcio explicou que o mundo está diferente com vários países se armando e muitas áreas em conflito.

O ministro disse que o País está gastando 1,1% do PIB com defesa enquanto o mundo gasta 2,3% em média. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55/23, em análise no Senado, garante pelo menos 2% do PIB para a área da defesa. No Programa de Aceleração do Crescimento, estão previstos R$ 52,8 bilhões até o final de 2030, mas isso precisa ser confirmado nos orçamentos anuais.

O almirante Marcos Sampaio Olsen, comandante da Marinha, disse que o Brasil é a nona economia do mundo, mas a 25ª em defesa marítima. “Me surpreende ver a Rússia como o 11º PIB, sustentando um conflito há dois anos e meio e mantendo todos os programas estratégicos que tem, seja no espaço, no Ártico, na pesquisa”, exemplificou.

Já o general Tomás Paiva, comandante do Exército, disse que o País não tem, por exemplo, defesas para uma altura de 3 a 15 mil metros do chão. Ele disse que estão sendo feitos esforços para minimizar isso, mas contou que a demanda mundial por equipamentos militares está muito alta.

O tenente-brigadeiro Marcelo Damasceno, comandante da Força Aérea, afirmou que o Brasil está buscando agora a compra de drones para uso militar, mas também está preocupado em ter sistemas que combatam esse tipo de armamento.

Para o ministro José Múcio, é preciso reverter a queda de 48% no orçamento da Defesa verificado após o governo Dilma Rousseff. “Nós não temos previsibilidade orçamentária, dependemos da responsabilidade de quem faz o orçamento. Nós compramos sem ter certeza de que vamos pagar”, disse o ministro. “Encomendamos aviões anos atrás e, nos últimos, pedimos que viessem peças de reposição, dado o tempo de defasagem entre a encomenda e o recebimento”, relatou.

Depois que os comandantes falaram sobre as ações sociais nas quais as forças atuam, alguns deputados como Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PL-SP) contestaram os gastos que não são da área de defesa. “Eu estou vendo discurso aqui de ajuda e auxílio, uma coisa muito boazinha. Força de defesa é força de defesa. Eu gostaria de ver um discurso e a alocação de recursos vinculados à defesa.”

O tenente-brigadeiro Marcelo Damasceno respondeu que, geralmente, os gastos sociais são custeados pelo ministério correspondente. Por exemplo, o transporte de órgãos para transplante é pago pelo Ministério da Saúde, que não tem aviões.

O deputado Marcel van Hattem (Novo-RS) reclamou do que ele chamou de “falta de solidariedade” das Forças Armadas com os oficiais que estão sendo investigados e presos pelo 8 de Janeiro. “Membros da reserva e membros da ativa que não podem ser presos, salvo em flagrante. Inclusive Mauro Cid. Cadê a solidariedade institucional?”, indagou.

O comandante do Exército, Tomás Paiva, disse que as Forças não podem ir contra decisões judiciais e que as prisões de oficiais são legais. “Em 2006, por exemplo, houve uma prisão preventiva dentro de uma unidade militar, onde o comandante foi preso no local. Foi uma operação de desvio de recursos. Então, ordem de prisão preventiva é o tempo todo.”

Ação dos militares

Logo no início da audiência, José Múcio mostrou a ação dos militares em 2023 nas calamidades naturais, repatriação de brasileiros, segurança nas fronteiras e combate ao garimpo ilegal. Foi destacado, o total de R$ 824 milhões de prejuízo ao crime organizado desde 2023 com o combate do Exército ao contrabando de madeira, tráfico de drogas, entre outros delitos.

Somente no território Yanomami, foram destruídas 88 balsas de garimpo ilegal, além da distribuição de cestas de alimentos aos povos indígenas. O brigadeiro Marcelo Damasceno destacou a criação de um novo campus do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em Fortaleza.

FONTE: Agência Câmara de Notícias

NOTA DA REDAÇÃO: Acesse as apresentações dos Comandantes das Forças Armadas clicando aqui.

Subscribe
Notify of
guest

107 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Scudafax
Scudafax
1 mês atrás

Os Comandantes das Forças Armadas vão ao Congresso expor situações técnicas e necessidade de investimentos no orçamento, são recebidos com perguntas sobre militares que cometeram crimes, militares que, ao invés de estudarem as tecnologias críticas atuais, vão para motociatas e planejam golpes de estado.

Alguns deputados da comissão devem bater continência para bandeira estrangeira, literalmente.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Scudafax
1 mês atrás

Os nomes dos integrantes das comissões são indicados pelos partidos, que possuem um determinado número de assentos em função do tamanho da bancadas.

Ainda tem os interesses do deputados e senadores. Os mais influentes escolhem as comissões de seu interesse… dai vai sobrando político e cadeiras nas diversas comissões… dai vira jogo de empurra empurra….

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Scudafax
1 mês atrás

Mas o cara fez perguntas pertinentes: Militares só podem ser presos pela polícia do exército, em outras situações somente em flagrante.

O general foi questionado do porquê de o exército ter deixado membros seus serem presos de maneira ilegal e não ter se pronunciado.

Fora isso também acho que precisamos focar na defesa do Brasil, do contrário vamos acabar em nada.

PS: Há deputados que fazem parte de uma tal de “bancada dos interesses da China”, a dica é que são de esquerda.

Mig25
Mig25
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Quem é que decide o que é “ilegal”? Esse Van Hatten aí? Desde quando ele é Juiz, desembargador, ou Ministro de Tribunal Superior? Cada um com suas respectivas competências…

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

Não. Se um militar cometer um crime comum, por exemplo, assaltar uma padaria, roubar o carro do vizinho ou bater na esposa, ele pode ser preso tanto pela PM quanto pela polícia civil, Aliás, se um civil testemunhar ele cometendo o crime poderá dar voz de prisão, imobiliza-lo até chegar uma viatura de PM ou da polícia civil

Agora, se o militar cometer um crime militar, como por exemplo, roubar metralhadores ou fuzis do paiol do quartel, ai tem que responder para a justiça militar.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

E tais perguntas foram respondidas! Não houve nenhuma prisão ilegal!.

Mig25
Mig25
Reply to  Scudafax
1 mês atrás

Esses 2 aí que aparecem na reportagem acham que militar é inimputável. São defensores de bandidos, desde que sejam aliados. Cometeu crime, os rigores da Lei, seja quem for.

Caerthal
Caerthal
Reply to  Scudafax
1 mês atrás

A isso chama-se democracia. Representantes da população.

Daniel
Daniel
Reply to  Scudafax
1 mês atrás

Procura no YouTube o video oficial da Câmara sobre o assunto e você vai entender o porquê dessas perguntas. Depois me fala se não são justamente esses deputados que estão preocupados com os rumos que esse país está tomando . . .

Alexandre
Alexandre
Reply to  Daniel
1 mês atrás

O futuro do país obrigatoriamente está continuará a estar vinculado às Leis e a Democracia! Não houve ilegalidades nas prisões. Quem diz o contrário ou desconhece a a lei ou não tem nenhum compromisso com ela! Estar “preocupado” com o futuro do país nunca foi e nunca será justificativa para atacar as instituições estabelecidas e assentadas no Estado Democrático de Direito! Repito, não houve uma única prisão que tenha sido ilegal! Quem pensa o contrário recorra a justiça! Apresente provas das ilegalidades ! Fora isso é apenas retórica dos frustrados e imaturos que tem desprezo por tudo que o submeta… Read more »

Jose
Jose
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

Qual justiça?

Alexandre
Alexandre
Reply to  Jose
1 mês atrás

A Justiça estabelecida pela Constituição Federal da República Federativa do Brasil cujo Fulcrum é a Democracia e o Estado Democrático de Direito! Uma justiça que pode e deve ser defendida e aprimorada por vias legais! Uma justiça laica e republicana! Nada nem ninguém pode ou deve estar acima do ordenamento jurídico democrático!

Jose
Jose
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

Tá, mas essa justiça citada por você não está disponível nesse momento, tem outra opção fora essa que está em vigência atualmente, já que está que está disponível atualmente não é a que está estabelecida na constituição federal?

Alexandre
Alexandre
Reply to  Jose
1 mês atrás

Ela está sim senhor! Agora se as pessoas insistem em tentar encaixar a constituição em uma interpretação autocentrada de fato se torna o quadrado dentro do redondo! No caso em tela tudo, absolutamente tudo está dentro das leis do Estado Democrático de Direito estabelecido e ordenado pela constituição! Quem pensa o contrário é por desconhecimento ou por pura não aceitação do que o contraria!

Jose
Jose
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

KKKKKK, melhor nem debater, afinal a justiça/lei é interpretativa por quem exerce essa atividade profissionalmente, agora imagine por quem torce, não á toa existe um velho ditado popular que diz ” da cabeça de juiz e da bunda de neném…”, no meu trabalho durante 10 anos vi muitos absurdos por parte do judiciário, contudo, lhe garanto que quem tem o mínimo de noção de como funciona o rito legal do judiciário certamente tem se surpreendido com os acontecimentos.

Camargoer.
Camargoer.
1 mês atrás

Olá. Começando com uma brincadeira…. Talvez, os F16 usados da FAB eram aqueles que a Argentina comprou. As imagens do F16 foram suprimidas…. … feita a brincadeira, tenho a impressão que as forças armadas continuam atoladas em uma visão anacrônica e perdulária. A redução do efetivo é apresentada como sinal de deterioração das forças armadas, sendo que deveria ser visto como parte fundamental da modernização de sua estrutura. Aliás, as apresentações deixaram um grande vazio sobre qualquer processo de modernização da estrutura militar. As apresentações da FAB e da MB conseguem destacar o desafio da defesa do país, mas a… Read more »

Paulo Sollo
Paulo Sollo
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Você levantou o ponto crítico. Obviamente que todos nós defendemos um aumento no aporte para desenvolvimento e aquisições, mas no geral as forças armadas continuam sustentando uma postura intransigente em relação às absolutamente necessárias reformas estruturais a nível organizacional bem como continuarem sem apresentar a sociedade projetos estratégicos verdadeiramente relevantes em relação às reais demandas que temos na área de defesa para além daquela conversinha fiada do “precisamos de mais verbas para podermos defender o país e suas riquezas. O eb não não se dá ao trabalho de apresentar nada. Mas o que eles tem? Reforma do jurássico Cascavel, compra… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

Obviamente que todos nós defendemos um aumento no aporte para desenvolvimento e aquisições,´´ Com todo o respeito, mas não defendo isso. Não enquanto as FA´s manterem essa estrutura do jeito que está, estruturas perdulárias e ineficientes. Defendo, SIM, a continuidade de aquisições e manter o mínimo de continuidade de verba, sem que haja cortes constantes. Mas aumento pra eles, por enquanto, NÃO. Dar mais dinheiro pro EB pra quê? Pra ele levar mais 30 anos pra terminar aquele ATGM deles? Pra eles recauchutarem´´ 100% da frota de Cascavéis, e jurar por Deus que isso é uma boa idéia? A mb… Read more »

DanielJr
DanielJr
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

Eu não concordo em aumentar as verbas para as FFAA. A estrutura de funcionamento delas é um sorvedouro infinito de recursos.

Enquanto não provarem que usam a verba que já possuem de forma racional, e aí sim requisitar mais, não daria nada em acréscimo.

Samuel Asafe
Samuel Asafe
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

seria muito mais pedagógico se ele falasse o seguinte: “Senhores deputados, se a venezuela decidir invadir o brasil hoje a noite, nós não temos equipamentos suficientes para responder a ameaça, a FAB não conseguiria voar na região, e os navios da marinha são basicamente aço flutuante”.
Os caras não conseguem explicar pra um leigo a situação crítica da parada. Poderia dar um exemplo de que se 1 único míssil balístico fosse disparado contra qualquer cidade do Brasil n ia ter nada a ser feito além de avisar o corpo de bombeiros e esperar o impacto.

Mig25
Mig25
Reply to  Samuel Asafe
1 mês atrás

Exatamente!

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

A redução do efetivo é apresentada como sinal de deterioração das forças armadas, sendo que deveria ser visto como parte fundamental da modernização de sua estrutura.´´ Teve, recentemente, uma nota de um cmdt. do EB informando que eles precisam de MAIS PESSOAL pra defender nossas fronteiras´´. Isso responde sua pergunta? Aliás, o EB sequer apresentou os seus programas estratégicos. A FAB e a MB foram bem mais assertivas.´´ Talvez, apenas talvez…porque o EB não os tenha. Ah sim, tem aquele Matador que está quase pronto´´ a mais de 10 anos, tem aquele projeto do Cascavel NG aquele supra-sumo tecnológico… Os… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Caro. A fronteira do Brasil é tão grande que mesmo que toda a população brasileira fosse convocada, ainda teria buraco.

Fronteira se fiscaliza com sistemas remotos. Drones, satélites, aviões equipados com sistemas de radar e inteligência miltiar para saber das potenciais ameaças. Assim, é possível deslocar a força adequada para a região.

Segurança pública é responsabilidade da PF. Se precisa de gente para fiscalizar fronteira, então tem que aumentar o efetivo da PF

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Se os EUA, vejam bem, os Estados Unidos da América, não dão conta de fiscalizar a sua fronteira com o México, imagine a gente, patrulhando algo que faz fronteira com 9 países. Fronteira se fiscaliza com sistemas remotos. Drones, satélites, aviões equipados com sistemas de radar e inteligência militar para saber das potenciais ameaças.´´ Isso é óbvio, mas vai falar isso pro oficialato BR…eles devem achar que patrulhamento de fronteira se faz apenas com patrulhas de infantaria a pé, percorrendo a fronteira pra cima e pra baixo. Nesse sentido, a cooperação entre a PF e a FAB dá muito mais… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

“Aliás, o EB sequer apresentou os seus programas estratégicos. A FAB e a MB foram bem mais assertivas.”
.
Então você não viu a apresentação do comandante, pois ele citou Defesa Antiaérea, ASTROS, Forças Blindadas, SISFRON e a renovação da Aviação do Exército…

Pedro Fullback
Pedro Fullback
1 mês atrás

Não vejo os militares dizendo que não temos condições de garantir a segurança marítimas do nossos produtos no exterior, de buscar brasileiros no exterior em situação de risco de forma independente, não vejo militares dizendo que a parceria Embraer-FAB pode ser um modelo para outras empresas, não vejo os militares batendo na tecla que investir em nacionalização e desenvolvimentos de produtos de defesa gera emprego e educação. como também, não vejo os militares falando em bem estar social.

Os militares só batem na tecla de segurança pública e gastos.

Pedro Fullback
Pedro Fullback
Reply to  Pedro Fullback
1 mês atrás

Ademais, não falam dos problemas crônicos das FFAA > Efetivo alto e previdência totalmente irreal.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

““Uma bateria antiaérea de média altura da Ucrânia impediu a destruição de Kiev”, revelou” O cmdt. do EB que diz isso é do mesmo EB que esta a Deus sabe quanto tempo decidir a escolha de algum sistema pra essa área que SEMPRE foi uma lacuna no EB? “Já o Comandante da Marinha, almirante Olsen, assinalou que, “nos últimos 20 anos, a esquadra desmobilizou 50% dos seus meios e até 2028, mais 40% serão desmobilizados dos 50% que sobraram”” Agora pergunta pro almirante quantos navios-patrulha de 500 ton. os antecessores deles colocaram na água… Ah não, desperdiçaram bilhões da grana… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Uma medida que teoricamente seria boa mas que foi nefasta para a Marinha: a autorização para que operasse aeronaves de asas fixas. Desde então a Marinha enterrou bilhões em duas aeronaves, A4 e Trader, sendo que a última sequer voou. E se levarmos em conta que essa autorização estimulou a MB a adquirir, manter e tentar manutenir o NAe São Paulo, a conta chega em muitos bilhões (gastos com manutenção, energia e pessoal). Se isso tivesse sido investido em navios, teríamos NaPa, NaPaOc e Corvetas novas em número adequado. Bem que poderiam proibir a MB de operar aeronaves de asa… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Sempre critiquei o fato da MB ter jogado nas costas da FAB a responsabilidade pela aviação de patrulha marítima.

Mas, parando pra pensar no que você disse, talvez…apenas talvez…seja melhor manter do jeito que está.
Tomando como exemplo o que a MB fez quando recebeu o direito´´ de ter asas fixas, eu tenho até medo de imaginar o que a MB aprontaria ( com a grana do contribuinte ) se ela recebesse a incumbência de operar a aviação de patrulha…

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Caro. Não foi a MB que transferiu a aviação de patrulha para a FAB. Foi a criação da FAB que absorvei a aviação militar do EB e da MB. Naquele momento, foi preciso concentrar os meios aéreos existentes para criar uma estrutura mínima para a criação da FAB.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Talvez o Wilber esteja se referindo a fatos recentes em que a FAB supostamente teria tentado repassar a aviação de patrulha para a a MB e esta não quis.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Sempre critiquei o fato da MB ter jogado nas costas da FAB a responsabilidade pela aviação de patrulha marítima.”

Não jogou nas costas. Isso passou para a FAB na sua criação em 1941, quando a então Aviação Militar (EB) e Aviação Naval (MB) passaram para a FAB. Nos anos 50 a MB voltou a ser autorizada (mas acabou restrita a asas rotativas nos anos 50 e mais tarde ainda o EB.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 mês atrás

Utilizei o termo errado, peço desculpas por isso.
Deveria er falado sobre o fato das tentativas da FAB em repassar isso pra MB, mas a MB se recusar, ou fingir que não é com ela´´.

O que me causa curiosidade, pois a MB que não quer assumir a responsabilidade da aviação de patrulha ( e duvido muito que a FAB causa empecilhos pra isso ), e a mesma MB que gastar tempo em dinheiro no VF-1…

DanielJr
DanielJr
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

O problema aí não é autorizar a MB a operar asas fixas, mas sim a competência da administração da MB. Eles não são crianças que precisam de cuidados extremos o dia todo. Precisam saber administrar a força com seriedade e mostrar isso. O problema é que o discurso e os atos que eles fazem ainda são os mesmos de 20 atrás, só que agora isso aparece mais com a internet, as pessoas lembrar de coisas do passado e resgatam agora. Imagina o comandante da MB ir lá pedir dinheiro, e alguém colocar uns slides mostrando o programa dos Turbo Traders,… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  DanielJr
1 mês atrás

Sim, a incompetência foi da MB. O que eu quis dizer é que sem a autorização teria sido evitada a demonstração de incompetência da MB e o péssimo uso do dinheiro do contribuinte.

E concordo plenamente que seu houvesse pelo menos um deputado qualificado no assunto na CREDN, ele teria feito perguntas sobre esses programas que consumiram bilhões e não resultaram em nada.

Mas no final, e não é de agora, fica só nisso: ministro e comandantes pedindo dinheiro e deputados sugerindo uma ou outra liberação de recursos.

Augusto
Augusto
1 mês atrás

Vejo pelos comentários dos colegas acima exatamente o que também observo: as forças armadas, principalmente o exército, querem manter uma estrutura inchada, anacrônica, engessada, elitista e clubista.

Só pedem dinheiro publico para manterem tudo como está. Não se fala em eficiência de gastos, redução de contingente, saneamento da previdência militar.

Nativo
Nativo
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Perfeito comentário.
Enquanto não houver uma reforma que garanta transparência e qualidade nos gastos das forças armadas, da dinheiro pra elas é o mesmo que dá dinheiro pra crianças.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Augusto
1 mês atrás

O EB é o exemplo perfeito pra isso.
Sonham com Leo2A7, ao mesmo tempo em que fazem de tudo pra manter uma Instituição cuja estrutura é perdulária, antiga e ineficiente.
Sonham com Centauro II, ao mesmo tempo em que o grosso de suas tropas ainda usam FAL.
Nem pra equipar todas as suas tropas com o IA2 o EB consegue.

Tem a cabeça no novo, mas querem manter a realidade do jeito que sempre esteve a centenas de anos.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Será que sonha mesmo com o Leo2A7?

Vejo mais planos de reformar o Leo1, colocar a torre do Centauro, dentre outras opções.

Às vezes acho que o pessoal do EB é membro de clubes de veículos antigos. Tendo uma fábrica produzindo o Guarani moderno ele inventa de modernizar o Cascavel. Vão gastar uma fortuna que seria melhor investida em Guarani com UT30BR e míssil anticarro.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Pensando melhor…

Mais fácil o EB achar que colocar a torre e canhão de um Leo1 num Cascavel é uma boa ideia, e gastar anos e milhões de reais tentando provar que isso é uma coisa viável…

Parece absurdo, mas estamos falando de um EB em que teima gastar milhões da grana do contribuinte reformando´´ Cascavel…

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Pelo histórico do EB não dá para apostar contra mesmo.

Kommander
Kommander
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Olá, Augusto, boa tarde!

Faço das suas as minhas palavras! Não estão preocupados com a defesa do Brasil, digo e repito, não estão preocupados com a defesa do Brasil, estão preocupados em manter os altos salários e privilégios. Militares se acham acima do bem e do mal (os de alto escalão) assim como o judiciário.

LucianoSR71
LucianoSR71
1 mês atrás

Caros editores, creio que seria interessante uma matéria p/ esclarecer as recentes informações veiculas na imprensa de cortes de R$ 280 milhões no orçamento da Defesa.

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  LucianoSR71
1 mês atrás

Correção: veiculadas

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  LucianoSR71
1 mês atrás

Boa TARDE !!!!

fico na dúvida, se o congresso concede o aumento e o governo vai lá, corta, contingencia etc….

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Saldanha da Gama
1 mês atrás

No orçamento uma parte do que é aprovado pelo Congresso é feito como despesa discricionária e condicionada a ter o dinheiro em caixa. Então pode ser cortada pelo Executivo, principalmente se não tiver dinheiro.

ODST
ODST
Reply to  LucianoSR71
1 mês atrás

Dificil aparecer uma noticia dessas aqui. Sabemos que alguns aqui tem lado ideológico que impede certas criticas tanto em matérias quanto nos comentários.

Last edited 1 mês atrás by ODST
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  ODST
1 mês atrás

Dificil aparecer uma noticia dessas aqui”

Difícil é a sua afirmação parar de pé.

https://www.forte.jor.br/?s=Cortes

ODST
ODST
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 mês atrás

Cadê a matéria sobre os cortes feitos esses dias? Não vi nada aí. Keep trying.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  ODST
1 mês atrás

Não foi publicada ainda. Será publicada quando os editores decidirem publicar e quando tiverem tempo para isso.

O problema é você afirmar que alguma coisa impede que matérias do tipo sejam publicadas, o que é mentira.

Repito: mentira.

O link que postei mostra que nunca houve qualquer impedimento deste site para publicar matérias sobre cortes de orçamentos de defesa, desde que ele existe, em 2008. Tem matéria todo ano sobre isso. Dezenas de matérias.

Sobre “keep trying”, não lhe dou o mesmo conselho pois quanto mais você tentar mentir, mais vai passar vergonha por ser pego na mentira.

ODST
ODST
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 mês atrás

Ahhhhh, então bastava você dizer “a matéria ainda não foi publicada”. Simples assim. E não se e exima de culpas também, são vocês mesmos quem causam essas confusões todas. Esses dias mesmo eu critiquei o Itamaraty pelo posicionamento pró Irã (em uma matéria sobre isso) sem falar absolutamente nada D+ e meu comentário foi simplesmente excluído. Não queira então que não haja essa desconfiança.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  ODST
1 mês atrás

Não bastava, pois você foi categórico ao inventar que ideologia impedia publicação de matéria sobre corte orçamentário, coisa que nunca aconteceu aqui. E você não fez qualquer pergunta que levasse à resposta “ainda não foi publicada”, e sim escreveu uma mentira. Sobre comentários serem excluídos, a resposta é simples: são excluídos quando infringem as regras do blog. Elas valem para todos. Sugiro que leia e pare de se fazer de vítima após atacar o site, truque velho e que não funciona. Regras para comentários 1 – O conteúdo dos comentários é de responsabilidade de seus autores, não do site; 2… Read more »

ODST
ODST
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 mês atrás

Li todas as regras e não passei por cima de nenhuma delas. Mas você nunca vai admitir erros, como é de seu costume. Não vou continuar perdendo meu tempo com suas justificativas tortas e esfarrapadas.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  ODST
1 mês atrás

Continua a mentir.

Espero apenas que não minta na parte em que diz “não vou continuar perdendo meu tempo”.

BraZil
BraZil
1 mês atrás

Parabéns ao Ministro. Sou oposicionista desse atual governe, mas é a primeira vez que vejo um titular dessa pasta baixar as calças – no bom sentido, perante esses bonecos da CREDN, que aliás, nos últimos anos, foi relevante em que para as FFAA?. Terminada uma sessão dessas, com muito cafezinho e bla bla bla, tem representante que nem lembra mais o que falou ao Ministro e outros que acham que o EB ainda uma Caxias e a Força Aérea Mirrage. Tem horas em que precisamos descer do palanque e falar de realpolitik e se mais ministros fizessem isso a administração… Read more »

Jagdv44
Jagdv44
1 mês atrás

Lembro quando o baiano J. Wagner era ministro da defesa.

Emmanuel
Emmanuel
Reply to  Jagdv44
1 mês atrás

Tá. E?

Jagderband#44
Jagderband#44
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

E não tinha essa choradeira por dinheiro.
Ele fazia.

Paulo Sollo
Paulo Sollo
Reply to  Jagdv44
1 mês atrás

J. Wagner é carioca, nascido no RJ/RJ em1951. Eu sou da Bahia.

E daí? Qual é o problema em ter nascido na Bahia segundo o —— EDITADO ——

Last edited 1 mês atrás by Paulo Sollo
Jagderband#44
Jagderband#44
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

Não vejo problema algum em ser baiano, carioca, etc.
Você vê?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Jagdv44
1 mês atrás

Boa memória… Também lembro do Aldo Rabelo, do Jobim, do vice presidente… Teve também o embaixador Viegas durante o governo FHC.

Teve outros.

Emmanuel
Emmanuel
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Eu ri alto agora….kkkkkk

Jagderband#44
Jagderband#44
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Lembro deles também.

BraZil
BraZil
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Bom dia. Camargo, não sei sua opinião, mas aproveitando sua lista, considero o Rabelo o mais entendido de todos no assunto. Já vi várias entrevistas com ele e o cara manja de defesa e parece gostar do tema. Quanto a realizações é até difícil dizer quem fez mais ou menos, todos apagam incêndio na verdade…

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  BraZil
1 mês atrás

Uma coisa que precisa ser lembrada é que o Ministro da Defesa é o representante do gabinete da presidência dentro das forças armadas, nunca o contrário. Levantei este ponto quando se tornou comum indicar generais para o cargo de ministro da defesa, o que na minha opinião invertia a função. Braga Neto se tornou o representante dos militares dentro do gabinete, se tornando praticamente um ministro com “estabilidade funcional”. O ou a presidente deve ter liberdade de substituir qualquer ministro sem criar uma crise interna. Talvez o ministro da defesa mais preparado tenha sido Jobim, que foi um destacado parlamentar,… Read more »

Daniel
Daniel
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

O Aldo foi um ótimo ministro. Uma pena que não tem força política para ser presidente.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Daniel
1 mês atrás

mas é comunista….

Daniel
Daniel
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Era. Mas ele é acima de tudo, um patriota. Muitos comunistas “raiz” abandonaram os partidos de extrema esquerda como PT, PCO e PSOL e foram para partidos mais ao centro. O Aldo é um deles.

Airton Antonio Carboni
Airton Antonio Carboni
1 mês atrás

Tem que investir em educação, saúde e segurança pública.
É muito dinheiro gasto a toa com as tais ffaas, principalmente com salários do alto escalão.
Gastos desnecessários.

Welington S.
Welington S.
Reply to  Airton Antonio Carboni
1 mês atrás

Existe a Pasta da Educação, a Pasta da Saúda e a pasta da Segurança. Uma coisa não tem relação alguma com a outra. Elas não se interligam. Cada pasta possui o seu orçamento próprio.

DanielJr
DanielJr
Reply to  Airton Antonio Carboni
1 mês atrás

A pasta da saúde, educação e segurança pública também desperdiça dinheiro da mesma forma que a pasta da defesa. Não é necessário tirar dinheiro de um para colocar em outro. Tem verbas para ser torradas a toa para todos.

Daniel
Daniel
Reply to  Airton Antonio Carboni
1 mês atrás

Aposto que os ucranianos pensaram a mesma coisa. 😁

IntenseMX
IntenseMX
1 mês atrás

Não entendi, porque meu comentário foi apagado ?

Nota da moderação:
Você leu as regras para comentários?
https://www.forte.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Mauro Cambuquira
Mauro Cambuquira
1 mês atrás

Off-topic ou não… Argentina pede para fazer parte da NATO? Isso é muito estratégico não para os Argis, mais sim para o Norte. E agora, quero ver o que ajuda vamos pedir, caso isso venha se desenrolar para ir acontecendo…

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Mauro Cambuquira
1 mês atrás

Pra fazer parte da NATO, você precisa, primeiro, fazer parte da Europa.

O máximo que a Argentina pode sonhar é em ser Major non-NATO ally´´, mas eles já são isso desde 98, e em que isso os beneficiou mesmo?

Mauro Cambuquira
Mauro Cambuquira
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

É… Mais já te notícias sobre isso e saiu hoje.
Em postagem no X, Petri compartilhou fotos do encontro com Geoana em Buenos Aires e disse que “apresentou a carta de intenções que expressa o pedido da Argentina para se tornar um parceiro global” da OTAN. Ele prometeu “continuar a trabalhar para recuperar ligações que nos permitam modernizar e treinar as nossas forças de acordo com os padrões da OTAN”.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Mauro Cambuquira
1 mês atrás

Vamos ver quanto tempo esse pedido dura, quando os argentinos começarem a soltar sua famosa frase las Malvinas son Argentinas´´
Tenho certeza que a Inglaterra vai aprovar isso, e vai adorar´´ ter a Argentina no clubinho…

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Wilber.

“Major non-Nato ally” é uma relação exclusiva com os EUA.

O que os Argentinos querem é ser aliados da Otan e não apenas dos EUA. Se vai conseguir é outra história.

Curiosamente, poucos anos após a Guerra das Falklands, argentinos e britânicos “lutaram juntos” na Guerra do Golfo. Aliás, no governo de Carlos Menem a Argentina vendeu a FadeA para a Lockheed e comprou aviões A-4 modernizados dos EUA sem grandes questionamentos britânicos.
As coisas voltaram a degringolar com os Kirchner. Talvez melhorem agora, mas será necessário algum tempo de estabilidade na política dos hermanos.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Wilber. “Major non-Nato ally” é uma relação exclusiva com os EUA. O que os Argentinos querem é ser aliados da Otan e não apenas dos EUA´´ Ok, erro meu, agradeço a correção. Mas a questão continua: quando o primeiro argentino começar com aquela historinha de las Malvinas son Argentinas´´, vamos ver o que os ingleses, um dos fundadores da OTAN, acham disso… Aliás, no governo de Carlos Menem a Argentina vendeu a FadeA para a Lockheed e comprou aviões A-4 modernizados dos EUA sem grandes questionamentos britânicos.´´ Não questionaram, porque sabiam que esses A-4, assim como os prováveis futuros´´ F-16,… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Também acho improvável que o Reino Unido concorde que a Argentina se torne aliada da Otan. Só acho que a relação ARG-RU pode melhorar um pouco, pois já foi melhor.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Rafael Oliveira
1 mês atrás

Pode melhorar.

O problema é que esse pode melhorar´´ só é válido até algum político argentino começar a abrir a boca pra soltar o Las Malvinas son Argentinas´´, pois essa é a carta Uno´´ que todo político argentino lança toda vez que algo dá errado no país.
E como sempre tem algo errado acontecendo naquele país…aí volta tudo a estaca zero, e recomeça o ciclo.

Mig25
Mig25
Reply to  Mauro Cambuquira
1 mês atrás

Isso não passa de mais uma bravata de puxasaquismo do Mijei. Mais fácil a Argentina reconquistar as Malvinas do que ser aceita na OTAN. Mas todos sabemos que ele vive numa realidade paralela. Provavelmente foi um conselho do espírito do seu cachorro morto.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Mauro Cambuquira
1 mês atrás

Então… o Atlântico Sul está longe do Atlântico Norte… seria preciso organizar uma SATO/OTAS

Rodrigo
Rodrigo
1 mês atrás

É simples a Solução para se ter mais dinheiro para defesa (ou pelo menos que não se tenha mais cortes e contingenciamento) é só reduzir ou cortar os 4,96 bilhões que serão destinados ao Fundo eleitoral para as eleições municipais deste ano e acabar com os bilhões de verbas destinados aos deputados ai sobra dinheiro para defesa e para outras pastas também, se analisarmos de forma pragmática o Poder legislativo não precisaria receber verba nenhuma ele não executa nada… Mais no Brasil tudo é ao contrário.. No mais boa sorte ao ministro ele vai precisar.

Marco Aurélio Tavares Sampaio
Marco Aurélio Tavares Sampaio
1 mês atrás

É simples a comparação. Basta acabar com os programas asistecialismo e de compra do voto dos eleitores brasileiros para poder ter um superavit do orçamento. A segurança é prioridade do estado. Assim é na Rússia que financia uma guerra e ainda cresce.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Marco Aurélio Tavares Sampaio
1 mês atrás

Caro. Superavit ou deficit não tem importância alguma. Superavit adiando investimentos em infraestrutura ou prejudicando o bem estar e desenvolvimento social, deixando os sistema de saúde, educação, segurança pública e ciência e tecnologia fracassando em suas funcionalidades é um erro. Deficit decorrente de gastos com juros elevados da dívida com ou gastos com o custeio da máquina pública são também um erro. Gastos em infraestrutura que representam em um primeiro momento deficit resultam em médio e longo prazo em ganhos econômicos. Gastos com educação, saúde, segurança pública…. resultam em redução de despesas futuras e aumento da atividade econômica. EUA, Japão,… Read more »

Santamariense
Santamariense
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Sempre isso?! Déficit é importante em qualquer lugar! Por que você acha que ocorreram cortes no orçamento da Defesa! Por que teve superávit? Por que a arrecadação federal aumentou?

“ EUA, Japão, países europeus possuem deficit público crônico sem que isso signifique problemas econõmicos.”

Ah, esses países são “iguaizinhos” ao Brasil! Aham! Você sempre usa essa comparação, só que esquece que tem uma “diferençazinha”: ou eles são credores de países como o Brasil ou são empresas e investidores desses países que investem aqui. Portanto, o déficit lá e aqui tem conotações e efeitos completamente diferentes!

Oficial da Reserva Straggo, Cândido Borsollini
Oficial da Reserva Straggo, Cândido Borsollini
1 mês atrás

Minha Nossa!!! Porque tanto incômodo com as manifestações sobre os deputados da CREDN? Acaso não é o Parlamento soberano e uma comissão legítima do mesmo?Alguns deputados foram incisivos e na jugular da questão, com perguntas e questionamentos mais do que necessários. Vamos, pois: Politicamente, é necessário reconhecer o que está acontecendo no país e a omissão ou não, das FFAA. Só após a normatização política, será possível discutir orçamentos e programas estratégicos. Lembrando que os deputados que os foristas aqui criticam são representantes populares de parcela expressiva do eleitorado e da classe que tradicionalmente mais apoia as forças e preenche… Read more »

Mig25
Mig25

Não cabe às FFAA ou a deputado nenhum descumprir ordem judicial. Ponto. Isso se chama GOLPE, aprendam isso de uma vez por todas. Não é previsto na Constituição.FFAA são instituições de ESTADO, aprendam isso e uma vez por todas. Não é para se meter em política partidária, tomar partido de Direita ou Esquerda.
Ruptura da Democracia e Golpe de Estado, tentado ou consumado, são CRIMES previstos e tipificados no ordenamento jurídico.

Oficial da Reserva Straggo, Cândido Borsollini
Oficial da Reserva Straggo, Cândido Borsollini
Reply to  Mig25
1 mês atrás

Ordem ilegal não se cumpre. E sabemos muito bem que não houve golpe algum. Tudo isso é apenas um artifício para calar quem se opõe a esse estado de coisas lastimável.

AVISO DOS EDITORES A TODOS: VOLTEM AO TEMA DA MATÉRIA.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues

Cumpre-se de apurar e resolver essa situação – que diga-se de passagem, está nas atribuições constitucionais das FFAA. Ou não?´´ E desde quando é atribuição das FA´s sequer questionar ou fiscalizar isso????? É lógico que é de interesse das FFAA manter o prestígio – que perderam´´ Ah, e perderam porque mesmo? Refresque minha memória… São cruciais para definirmos Forças Armadas na Tradição de Caxias e com o olhar para o futuro.´´ Aham, o EB tá com a cabeça no futuro sim, tá bom, percebe-se… Vamos deixar uma coisinha bem clara aqui: Não é tarefa das FA´s fazerem fiscalização de eleições,… Read more »

ODST
ODST
1 mês atrás

O governo cortou 400 milhões do ministério da defesa, PF e ABIN e gastou um bilhão com viagens de luxo que não trouxeram nenhum grande investimento ao país. É isso.

Last edited 1 mês atrás by ODST
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  ODST
1 mês atrás

Então… A lei de responsabilidade fiscal determina que o governo dever gastar no limite da arrecadado. O orçamento total é dividido por 12. Se a arrecadação mensais for igual ou superior a este valor, o governo tem a autorização inclusive de adiantar gastos. Se a arrecadação do mês for inferior a 1/12 avós do valor do orçamento previsto para o ano, o governo tem que contingenciar no limite deste valor, podendo recompor no próximo mês caso ocorra aumento da arrecadação Entendeu? Isso aconteceu com todos os governos desde a promulgação desta lei durante o governo FHC. A diferença de um… Read more »

ODST
ODST
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

1 bilhão gastos com viagens e zero centavos (isso mesmo, zero centavos) gastos com projetos de alfabetização durante todo o ano passado. A questão nem técnica é, mas sim moral.

Entendeu?

Last edited 1 mês atrás by ODST
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  ODST
1 mês atrás

Em 2020, foi aprovada uma PEC que tornou o Fundeb permanente, por meio do Art.212. O Valor Anual por Aluno Total (VAAT) definido no Fundeb de 2023 foi de R$ 8.196,52. Em 2023, o Fundeb deve ter repassado para os estados e municípios cerca de R$ 270 bilhões, usados para para custear as despesas no ensino, desde o ensino infantil, fundamental e médio. Cada ente federativo recebe um valor proporcional ao número de estudantes de sua rede de ensino. Municípios com mais estudantes recebem mais que os com menos estudantes, mas todos recebem o mesmo valor por estudante Os recursos… Read more »

Henrique A
Henrique A
1 mês atrás

A “Nova República” é um sistema político baseado na acomodação; basicamente nada de transformador pode acontecer pois mudaria drasticamente o balanço do poder acabando com a estabilidade política.

Por isso não importa o falatório; não haverá mudança significativa nas FFAA como também não haverá na Saúde ou Educação; “tudo como dantes no quartel de Abrantes”.

Afonso Bebiano
Afonso Bebiano
1 mês atrás

Em breve resumo, o diagnóstico de nossos militares é que os problemas de defesa são apenas quantitativos, e podem ser resolvidos com mais dinheiro, mais pessoal, mais equipamento.

O problema é que a conta não fecha.

Ah, esses rigores aritméticos…

Ninguém cogitou propor transformações qualitativas, que mexam com aspectos estruturais das FFAA.

Parece que estamos trilhando um caminho virtuoso, nesse reino do faz-de-conta.

Last edited 1 mês atrás by Afonso Bebiano
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Afonso Bebiano
1 mês atrás

Olá Afonso. Você tem razão, De uma lado há uma pressão contra os impostos, pelo superávit e por juros altos, além das demandas por gastos sociais em saúde, educação, segurança pública… etc.

Do outro, existe esta pressão para elevar os gastos militares.

A conta não fecha, principalmente quando se compara o efetivo das forças armadas brasileiras, tipo e quantidade de armamento em relação á outros países com gastos militares parecidos.

O peso do pessoal inativo é um dos maiores entraves, além da estrutura perdulária e anacrônica das forças armadas.

Rosi
Rosi
1 mês atrás

Estou sem entender está audiência na CREDEN..
O Atual governo cortou aproximadamente 500 milhões da pasta da Defesa e o seu ministro vai no dia seguinte só corte pedir ajuda apoio para CREDEN liberar verba?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rosi
1 mês atrás

Pelo que entendi foi a co.issao que fez o requerimento para o ministro e os comandantes irem lá. A comissão tem está prerrogativa

francisco
francisco
1 mês atrás

EDITADO:
5 – Não use o espaço de comentários como palanque para proselitismo político.

francisco
francisco
1 mês atrás

O Código de Processo Penal Militar- CPPM, estabelece que a instrução criminal, estando o acusado preso, deve ser concluída em 50 dias, a contar da denúncia A Lei 6.880/1980. Dispõe sobre o Estatuto dos Militares . Art. 74. Somente em caso de flagrante delito o militar poderá ser preso por autoridade policial, ficando esta obrigada a entregá-lo imediatamente à autoridade militar mais próxima, só podendo retê-lo, na delegacia ou posto policial, durante o tempo necessário à lavratura do flagrante. § 1º Cabe à autoridade militar competente a iniciativa de responsabilizar a autoridade policial que não cumprir ao disposto neste artigo e a… Read more »

felipe
felipe
1 mês atrás

Nossa Força Aérea já chegou a ter mais de 700 aviões, nossa Marinha já chegou a ter 16 escoltas e nosso Exercito já chegou 368 carros de combate ativos, todos estes números caíram drasticamente.

naval762
naval762
1 mês atrás

Pires na mão.

Daniel
Daniel
1 mês atrás

Engraçado como as forças armadas falam sobre o aumento do orçamento mas não falam sobre a diminuição de gastos com pagamentos e pensões que consomem 80% do dinheiro que recebem. Deve ser “Alzheimer Seletivo”.

Como disse o deputado Luiz Phillipe, “Ter metralhadora, helicóptero e tudo para distribuir cesta básica . . . A Legião da Boa Vontade faz isso com muito mais eficiência e mais barato”. KKKKKKK

Daniel
Daniel
Reply to  Daniel
1 mês atrás

Não adiante ficar pedindo mais dinheiro se não consegue fazer o básico. Tem que diminuir o efetivo e dar mais ênfase aos reservistas. Como a Suíça e Israel fazem, por exemplo. O pessoal ativo é relativamente pequeno, mas todo cidadão é treinado e armado para defender o país em caso de necessidade.

Outra mudança que seria bem vinda, seriam os militares focarem apenas na defesa nacional e repassando para outros órgãos tudo o que não fosse essencial à essa função. Poderia ser criada uma guarda costeira para tirar essa função da MB, por exemplo.