Operação Taquari II: Mais de dois mil militares trabalham no resgate e no apoio da população do Rio Grande do Sul

51

Brasília (DF) – O Rio Grande do Sul já contabiliza 273 municípios afetados pelas fortes chuvas na região, segundo dados da Defesa Civil divulgados no início da tarde deste sábado, dia 4 de abril. Nesse contexto, mais de dois mil militares trabalham em resgates, apoio logístico e desobstrução de acessos no estado. Já passam de oito mil pessoas resgatadas pelas equipes do Comando Conjunto Taquari 2, composto pelas Forças Armadas, órgãos federais, estaduais e municipais.

Em reunião realizada no final da manhã de sábado, no 3º Regimento de Cavalaria de Guarda, em Porto Alegre, onde funciona o Comando Conjunto da Operação Taquari 2, a região metropolitana de Porto Alegre foi definida como prioritária, uma vez que recebe boa parte das águas que correm para o litoral. O foco da operação continua sendo o resgate de pessoas em situação de risco, a logística na distribuição de alimentos e a reconstrução e liberação de acessos.

Um Hospital de Campanha do Exército Brasileiro está sendo montado no município de Estrela, localizado a cerca de 100 quilômetros da capital, e tem previsão de entrar em funcionamento ainda na noite deste sábado, dia 4. A estrutura tem capacidade de 40 leitos e mais de 20 militares estarão no atendimento da população.

A utilização de helicópteros tem sido fundamental para o resgate rápido de moradores em situação de risco. Para atender no socorro dessas vítimas, o Comando de Aviação do Exército enviou nessa sexta-feira, dia 3, mais três aeronaves para reforçar o resgate aéreo no estado.

O município de Rio Pardo é uma das localidades que conta com o apoio de militares do Exército Brasileiro. Em Bom Retiro do Sul, o resgate de uma família realizado por um helicóptero do Exército mostra o importante trabalho dos militares que salvaram cinco pessoas, incluindo um bebê. Em Taquara, no interior do estado, caminhões do Exército levam água, alimentos e equipamentos de resgate.

Nesta semana, militares do Exército também apoiaram agentes de saúde do SAMU no transporte de pacientes em Santa Maria, interior do estado. Devido aos alagamentos, as viaturas civis ficaram paradas na BR-392, a cerca de 50 km da cidade. Com a utilização das viaturas 5ton, de grande capacidade, pacientes do pós-cirúrgico e de tratamento de hemodiálise, oriundos de São Sepé, chegaram em Segurança no Complexo Hospitalar Astrogildo de Azevedo.

Operação Taquari 2

O Exército Brasileiro atua desde o dia 30 de abril no apoio à população gaúcha que sofre com as chuvas torrenciais no estado. Entre as principais ações do Exército Brasileiro estão resgate e transporte de desalojados e de ribeirinhos.

O Exército faz parte do Comando Conjunto da Operação Taquari 2, desencadeado pelo Ministério da Defesa, composto também pela Marinha do Brasil e Força Aérea Brasileira, uma força-tarefa em prol dos atingidos pelas enchentes. A atuação conjunta foi denominada de Operação Taquari 2.

A operacionalidade e o adestramento constante das tropas do Exército facilitam o apoio terrestre, aquático e aéreo mesmo sob condições climáticas adversas.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

LEIA TAMBÉM:

Marinha do Brasil intensifica ações de resgate e suporte na Região Sul após temporais

Força Aérea Brasileira inicia campanha de donativos para distribuição às vítimas das enchentes no RS

Força Aérea Brasileira resgata atingidos pelas enchentes no Rio Grande do Sul – RS

Operação Taquari II: Força Aérea Brasileira transporta 18 toneladas de materiais do Grupamento de Apoio Logístico de Campanha

Subscribe
Notify of
guest

51 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nilo
Nilo
23 dias atrás

O uso do Guarani em situação de alagamento em ambiente de risco, ruas alagadas que barcos não podem circular, acesso a estradas cobertas de água, mostra a qualidade excepcional deste carro e é mais um equipamento com que podemos contar quando dessas calamidades.
Não tenho outra palavra é lindo essa primeira foto, os trabalhadores já fazendo manutenção no sistema de energia, o Guarani capacitado a levar vários trabalhadores, material para manutenção ofertando segurança necessária a esses homens realizarem seus trabalhos.

Last edited 23 dias atrás by Nilo
Castelani
Castelani
Reply to  Nilo
23 dias atrás

Nota-se na primeira foto, os trabalhadores com capacete e os soldados sem…

Nilo
Nilo
Reply to  Castelani
22 dias atrás

Rsrs meu caro vc é Eng com especialização em Seg. Do Trab. Ou tem formação como Tec. Seg. Trab.👍

Castelani
Castelani
Reply to  Nilo
20 dias atrás

Farmacêutico! Hehehe

paulop
paulop
23 dias atrás

Essa situação só demonstra o quanto a aviação de asas rotativas é imprescindível para as nossas FAs e para as forças de segurança federais e estaduais.
Fica a dica para a União, em parceria com os Estados, fazer uma boa compra dessas aeronaves. A qualidade dos operadores é ímpar, mas a quantidade de material também é muito importante.

Guacamole
Guacamole
Reply to  paulop
23 dias atrás

Ontem estava ouvindo uma reposrter da Zero Hora que falou exatamente isso.
Que tinha apenas 16 helicópteros do exército para todo o estado e que se o Brasil tem mesmo tão poucos helicopteros para uma situação dessa, não venceria nem mesmo o Haiti numa guerra.

Nunca vi um comercial entrar tão rápido depois de um comentário.

Joao
Joao
Reply to  Guacamole
23 dias atrás

O repórter esquece que tem He sendo empregados em outros locais. Inúmeras populações ribeirinhas são resgatadas em suas emergências médicas por Anv das FFAA. Inúmeras penetrantes fluviais na Amazônia são imediatamente adentradas por narco guerrilha com objetivos profundos em nossas comunidades ribeirinhas, quando sabem que não há capacidade de resposta rápida das FFAA na região. Essas comunidades são roubadas em tudo e seus jovens se unem a eles ou são mortos ou estupradas, se não concordarem. Há ainda a responsabilidade de SAR no oceano, que vemos constantemente sendo empregada. Enfim, há inúmeros compromissos. Na guerra, há $$, compra e mobilizações… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Guacamole
23 dias atrás

Por isso dou graças a Deus pela iniciativa privada, que enviou helicópteros e aviões para ajudar o povo, mais uma vez mostrando o quanto o Estado é desnecessário, sem ela a situaçāo estariam muito pior.

Joao
Joao
Reply to  Allan Lemos
23 dias atrás

Como ocorreu no RS, SC, MG etc, em breve, bem breve, a iniciativa privada vai cuidar de seus assuntos, e os agentes do Estado permanecem por semanas e até meses, mas ninguém mais olha. As manchetes de jornal serão outras.

francisco
francisco
Reply to  Joao
22 dias atrás

Ao contrário da iniciativa privada, é obrigação do poder público cuidar do povo, não é favor. Aliás é para isto que pagamos tanto imposto.,

LUIZ
LUIZ
Reply to  Allan Lemos
23 dias atrás

O estado desnecessário em caso de tragédias? O Estado nesse momento está trabalhando pra ajudar as pessoas atingidas pelas enchentes. A iniciativa privada não tem suporte pra operações dessa magnitude. São operações complexas que exige total coordenação entre o gv federal,estadual e municipal.

Alexandre
Alexandre
Reply to  LUIZ
22 dias atrás

Tem gente que se esquece que as forças armadas ( um dos principais agentes atuantes no local) é exatamente o Estado agindo! Tem gente que nem nas horas mais críticas , não são capazes de se abster de falar bobagens!

Last edited 22 dias atrás by Alexandre
Alexandre
Alexandre
Reply to  Allan Lemos
22 dias atrás

Pensamento medíocre e desnecessário! Demonstração épica de —— EDITADO ——

ATS
ATS
Reply to  Allan Lemos
22 dias atrás

 A estrita observância de rentabilidade pela iniciativa privada privou 273 indivíduos de suas vidas em Brumadinho, reeditando o desastre causado em Mariana pelo mesmo grupo empresarial. Ainda hoje, mais de 5 anos após o ocorrido, o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais ainda está no processo de resgate dos restos das vítimas.  

Jose
Jose
Reply to  ATS
22 dias atrás

ATS tem toda razão, o interessante é que uma das empresas sócia no negócio não age assim na Inglaterra, e não age porque sabe que o judiciário lá funciona, o judiciário lá cumpre seu papel, então chegamos a conclusão de que as empresas aqui são omissas porque o judiciário é conivente com as atitudes desses e outros grupos/empresários/cidadãos/etc…, aliás quem o escritório do qual o presidente do senado era sócio está defendendo nesse caso, a realidade nua e crua, quando a justiça não é feita pelo poder judiciário porque este se omite ou pior por defender interesses de terceiros a… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Jose
22 dias atrás

Samarco e Vale já pagaram bilhões em indenizações e ainda vão pagar outros bilhões.
Em relação à parte criminal, não é tão fácil responsabilizar pessoas por um acidente, principalmente aquelas que não praticaram atos relativos à segurança da barragem. No Direito Penal não se pune alguém porque é diretor da empresa. Tem que provar que ele foi negligente com a segurança da barragem. Se apenas seus subordinados foram negligentes, ele não é punido.

Jose
Jose
Reply to  Rafael Oliveira
22 dias atrás

Caro Rafael não sou advogado mas conheço como funcionam as nossas leis e principalmente nosso judiciário, uma década atuando junto a eles me fez perder completamente a confiança nesse órgão público, quanto as provas acredito que sejam bem robustas, principalmente os relatórios que a anos alertavam dos gravíssimos riscos que essas barragens que se romperam dentre outras representavam, relatórios esses que foram ignorados pelo auto escalão da empresa, ou seja, os diretores sempre tiveram ciência da situação como já comprovado, mas a maior indicação de quão robustas são as provas apresentadas é a contratação do escritório de advocacia desse caso… Read more »

RPiletti
RPiletti
Reply to  Guacamole
23 dias atrás

Em Bento Gonçalves estavam operando com ao menos 5 helicópteros, nenhum do EB, ontem havia um da marinha e outro do CB RJ. Dos 5 de hoje, todos estavam disponíveis, sendo que 1 operou freneticamente a tarde inteira.

BVR
BVR
Reply to  Guacamole
22 dias atrás

Na imprensa e no parlamento está cheio de gente sem noção do que são as forças, suas atribuições institucionais e equipamentos.
Por exemplo, um certo deputado federal que criticou (durante audiência da CREDN) a “Mão Amiga” das forças. Aliás, não só criticou mas desdenhou desse importante papel das forças.
Ao “nobre” congressita, a realidade se apresenta.
Saudações

Heinz
Heinz
Reply to  paulop
23 dias atrás

Que falta faz um Helicóptero de grande porte como o Chinook já deveríamos ter uns 15 destes por aqui, e um número maior de black hawks

Nativo
Nativo
Reply to  paulop
23 dias atrás

Certíssimo.
Sempre achei pouco a quantidade de helicópteros militares para as nossas forças.
Aquela compra absurda de caracal poderiam ter vindo depois de chegarmos a uma centena de uh 60, no mínimo.

Pablo
Pablo
23 dias atrás

Helicopteros fazendo um excelente papel mais uma vez, acredito que as forcas armadas deveriam analisar a aquisicao de unidades de maior porte.

Dod
Dod
23 dias atrás

Toda força aos nossos irmãos Sulista.

Gustavo
Gustavo
23 dias atrás

Isso mostra como estado forte e preciso,de como exército e preciso, eu sou um dos críticos das forças armadas de adquirir equipamento militares de fora e um problema, não temos projeto para construção de um helicóptero, e para se tampar buracos e começar construir um força armadas com equipamento defesa nacional de caminhão ao helicóptero, de um navio ao míssil balistico.

Bardini
Bardini
23 dias atrás

“Nesse contexto, mais de dois mil militares trabalham em resgates, apoio logístico e desobstrução de acessos no estado.” . Para se ter uma noção do tamanho do esforço das forças armadas, dentro deste número divulgado pelo EB, cabe uma comparação com o evento extremo de mais de uma década atrás, quando a região japonesa de Tōhoku foi atingida por um terremoto e o sequente tsunami. As forças de defesa do Japão empregaram mais de 100 mil militares nas ações de assistência… . Claro, não temos um reator nuclear em colapso, demandando evacuação em massa de comunidades ou milhares de mortos, feridos… Read more »

Last edited 23 dias atrás by Bardini
Kommander
Kommander
Reply to  Bardini
22 dias atrás

Pode ter certeza que EB, FAB, MB vão ficar marcados de maneira negativa nesse acontecimento.

Batalhões inteiros aquartelados, helicópteros que não voam (verdadeiras rainhas de hangares), omissão total das nossas forças de defesa. O efetivo mínimo que tem ali é só pra efeito midiático.

Joao
Joao
Reply to  Bardini
22 dias atrás

A ação das Forças é solicitada pelo Min da Integração e Desenvolvimento Regional. É bancado por ele, e de acordo com as demandas enviadas pela Def Civ estadual, por meio do CENAD. Por “amarras” legais, o emprego de recursos “fora da finalidade”, e Def Civ não está no escopo das finalidades das FFAA, chama-se Improbidade Administrativa, por desvio de finalidade. Ou seja, não é simples e as FFAA nem mesmo tem a possibilidade de enviar “como quer” seus recursos. O GF tem que destinar $$$ especificamente para isso, fora as missões que continuam em outros lugares. Além disso, 2300 militares… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Joao
22 dias atrás

É forçar muito a barra dizer que um comandante que determinasse que os helicópteros de sua base fossem realizar resgates estaria cometendo improbidade administrativa. Nenhum procurador teria coragem de acusá-lo e, se o fizesse, ocorreria a absolvição for falta de antijuridicidade da conduta. O Rio Grande do Sul, se não me engano, tem o segundo maior efetivo do Exército Brasileiro. Então usar 2.000 ou 13.000 militares que estão no estado não é nada demais. Outrossim, o EB tem praticamente de tudo no RS, só não tem helicópteros. Precisar vir de Taubaté, onde estão inexplicavelmente concentrados, atrasou bastante o socorro. Tomara… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Rafael Oliveira
22 dias atrás

“Então usar 2.000 ou 13.000 militares que estão no estado não é nada demais.”

Só para complementar, em notícia divulgada ontem à noite com a atualização dos efetivos empregados, foi informado que só do EB são mais de 9.000 militares atuando na operação Taquari II.

https://www.gov.br/secom/pt-br/assuntos/noticias/2024/05/mais-de-14-5-mil-pessoas-deslocadas-pelo-governo-federal-atuam-diretamente-na-ajuda-ao-rio-grande-do-sul

NEMOrevoltado
NEMOrevoltado
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
22 dias atrás

Até porque o governo e suas informações são muito confiáveis!

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  NEMOrevoltado
22 dias atrás

Faça sua própria checagem então.

É o boletim oficial de ontem à noite, as informações estão sendo centralizadas na Secom.

Acabamos de publicar o conteúdo completo do boletim em formato de matéria.

Se você tem informações mais confiáveis que desmentem o conteúdo divulgado pela Secom, e que não sejam notícias falsas como as centenas que andam disseminando por aí (só aqui na Trilogia já apagamos várias dezenas de comentários usando o espaço pra propagar fake news), basta comentar lá:

https://www.forte.jor.br/2024/05/06/segundo-a-secom-13-600-militares-das-forcas-armadas-estao-atuando-diretamente-na-ajuda-ao-rio-grande-do-sul/

NEMOrevoltado
NEMOrevoltado
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
22 dias atrás

Você acha que estou sendo exagerado, possivelmente mentiroso no que digo, mas veja isto e me diga o que você acha… https://www.instagram.com/reel/C6nISUStxhF/?utm_source=ig_web_copy_link Quanto as informações… Não tenho estas informações e nem como chegar, mas vejo o que acontece, pois estou bem próximo do desastre e praticamente não vejo presença do estado seja a nível federal ou estadual, quase tudo está sendo feito por pessoas comuns, é incrível a mobilização popular, algo que não imaginária sendo feito com tanta intensidade e dedicação. Eu não acredito em nada que venha do governo federal ou estadual e fico surpreso que ninguêm questione a… Read more »

Last edited 22 dias atrás by NEMOrevoltado
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  NEMOrevoltado
22 dias atrás

Nemo, Eu estou cruzando as fontes governamentais com outras de imprensa. Que bom que você está vendo a mobilização popular, ela é fundamental. Desejo que a situação melhore na sua região o mais rápido possível. Sobre checagem, você mesmo pode pesquisar informações de imprensa local, regional e cruzar com as informações divulgadas pelos governos estadual e federal, assim como pelos municípios, caso tenha tempo e internet disponível por aí. Mas a postura “não acredito em nada que venha do (complete como quiser)” não é um bom início de pesquisa, assim como não seria adequado acreditar piamente nesta ou naquela fonte,… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  NEMOrevoltado
22 dias atrás

Você acha que estou sendo exagerado, possivelmente mentiroso no que digo”

Não escrevi isso em nenhum momento nem te chamei de nada. Não invente nem tente supor o que eu acho ou não, botando palavras na minha boca. Me respeite porque eu estou te respeitando nessa conversa.

Dito isso, veja minha outra resposta, feita a seu comentário, antes de você tê-lo editado para acrescentar essa frase infeliz que eu destaquei entre aspas.

Talisson
Talisson
Reply to  Bardini
22 dias atrás

Nos meses seguintes será imprecindivel a ação dos batalhões de engenharia de construção pra recuperar as pontes. Alem dos de combate para improvisar onde não tem.

J. VICTOR BUENO
J. VICTOR BUENO
23 dias atrás

2 ou 4 MI-26 ou Chinook Fariam grande diferença na logista de ajuda nessas regioões distantes, onde aviões de transportes não podem pousar e os helicópteros pequenos não levam grande quantidade de mantimentos.

Last edited 23 dias atrás by J. VICTOR BUENO
NEMOrevoltado
NEMOrevoltado
23 dias atrás

Sou gaúcho, moro no litoral do estado, felizmente não fui afetado, mas minha irmã e minha tia que moram em locias diferentes na cidade de São Leopoldo perderam tudo devido ao rompimento do dique. A resposta do governo estadual tem sido ruim, mas a do governo federal tem sido terrivel, temos o batalhão de cavalaria de Porto Alegre que não fez nada até receber o amêm das instâncias superiores, o mesmo pode ser dito do batalhão de artilharia de São Leopoldo ou do pessoal da base aérea de Canoas, parecia que os helicópteros tinham alergia a chuva nos primeiros dias,… Read more »

Moises
Moises
Reply to  NEMOrevoltado
23 dias atrás

Tá bom.

Kommander
Kommander
Reply to  Moises
22 dias atrás

Apenas aceite as verdades.

Dworkin
Dworkin
Reply to  NEMOrevoltado
22 dias atrás

Tabom amigao, vai avisando ai.

Alexandre Costa
Alexandre Costa
Reply to  NEMOrevoltado
22 dias atrás

Quanta besteira.

Talisson
Talisson
Reply to  NEMOrevoltado
22 dias atrás

Nos primeiros dias de tempo ruim nenhum helicoptero voou.
FFAA, PRF, PM, PC, Bombeiros, civis etc. Quando o tempo permitiu, aí sim. E de noite foram só os que tinham NGV.
Aqui em Veranópolis ta uma ponte aérea intensa de aviões particulares. Mas só depois que o tempo melhorou, o que é óbvio para qualquer pessoa que não quer ser tendenciosa.
Os aeroclubes estão recebendo Pix para ajudar nas despesas. Faça tua parte.

Last edited 22 dias atrás by Talisson
NEMOrevoltado
NEMOrevoltado
Reply to  Talisson
22 dias atrás

Helicópteros militares não podem voar com chuva?

Alexandre
Alexandre
Reply to  NEMOrevoltado
21 dias atrás

Sua retórica traduz exatamente , não o povo gaúcho, más somente a si mesmo! Seu discurso não vai colar ! Tenha o mínimo de h@nestidade intelectual!

Jefferson B
Jefferson B
23 dias atrás

A atuação das Forças Armadas nessa tragédia é nota ZERO.
Que bizarro falar em 2000 mil militares.
Tem mais helicópteros civis de SC ajudando os gaúchos do que das Forças armadas.
É inacreditável o despreparado dos militares e o desdém dos políticos com essa tragédia.

Joao
Joao
Reply to  Jefferson B
22 dias atrás

Falácias
Se informe direito

Joao
Joao
Reply to  Jefferson B
22 dias atrás

Só a título de curiosidade, já são mais de 13.000 operando. Na ponta da linha, fora a logisitica.

Talisson
Talisson
Reply to  Jefferson B
22 dias atrás

Moro em Veranópolis. Não vi nenhuma imagem de militares do 6° BCom de Bento Gonçalves na serra do rio das antas. Em dias normais, o quartel do EB fica cerca de 20 minutos (de carro) dali. Quem desceu a pé, transpondo barreiras, na ponte Ernesto Dorneles, foi a PRF, Brigada Militar e Bombeiros. Isso pra falar nas instituições, pois os trilheiros e jipeiros foram verdadeiros heróis. Nem sinal do BCOM ali na serra. A unica imagem que eu vi, vários dias depois, foi de uma 5Ton no aeroporto de Bento Gonçalves.

Last edited 22 dias atrás by Talisson
CEMM
CEMM
23 dias atrás

Tenho familiares com barco na água nesse momento ajudando nos resgastes. 90% das pessoas recolhidas durante a noite nos bairros mais atingidos foram resgatadas por civis, em barcos, lanchas e jet skis. Isso Não Se Trata de falta de ação das instituições militares, mas sim pela movimentação das águas que está transpondo barragens que historicamente Nunca haviam sido superadas. Como exemplo cito a casa da minha família, que em quase 60 anos nunca alagou e Agora está com 2m de água. Isso aconteceu em menos de 24h e o avanço principal das águas ocorreu durante a madrugada pegando muitas famílias… Read more »

Marcos
Marcos
22 dias atrás

Lula troca Embraer por Airbus de maior porte em 2ª visita ao Rio Grande do Sul( isso sim é importante.)

NEMOrevoltado
NEMOrevoltado
22 dias atrás

Quero corrigir um erro de meus comentários anteriores, embora as ações a nível federal e estadual sejam pífias. Tenho que reconhecer as ações das forças de outros estados, que nenhuma obrigação tem em vir para cá; bombeiros do Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais, Rio de janeiro, Bahia sem contar a defesa civil de são Paulo que muito tem feito por nós.

Obrigado a estas pessoas.