Por que o Ocidente Não Pode Vencer – De Bretton Woods a um Mundo Multipolar (Why the West Can’t Win: From Bretton Woods to a Multipolar World) do Dr. Fadi Lama*, aborda como os eventos nas três décadas seguintes ao colapso da União Soviética em 1991 levaram a uma reviravolta no equilíbrio de poder mundial, sinalizando o fim de um milênio de expansionismo da Europa Ocidental. Começando com a guerra na Ucrânia visando a mudança de regime na Rússia, os acontecimentos avançaram a um ritmo acelerado.

O Ocidente/OTAN estão perdendo a guerra por procuração na Ucrânia, destinada à mudança de regime na Rússia. Até a mídia tradicional agora insinua que a Ucrânia pode perder essa guerra.

As sanções de choque e pavor do Ocidente falharam, enquanto prejudicam as economias ocidentais.

A desdolarização aparece no horizonte. China, Rússia, Brasil, Índia, nações da ASEAN, Quênia, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos estão agora usando moedas locais no comércio. A Arábia Saudita está vendendo petróleo em yuan; os Emirados Árabes Unidos estão vendendo gás em yuan. Gana (e outros países produtores de petróleo) agora vendem petróleo em ouro em vez de dólares. A França – o aliado mais antigo dos Estados Unidos – agora negocia com a China em yuan. China e Brasil agora negociam nas moedas um do outro. Índia e Malásia atualmente usam a rupia indiana para o comércio. Os BRICS (a aliança econômica de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) estão desenvolvendo sua própria moeda.

A mudança geopolítica tem sido impressionante, com as nações do BRICS ― Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul ― se posicionando como uma alternativa aos fóruns financeiros e políticos internacionais existentes. Quem está se juntando? Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Egito, Argélia, Argentina, México e Nigéria. Até agora.

A análise geopolítica deste livro inclui uma visão histórica, uma compreensão dos sistemas financeiros estabelecidos na conferência de Bretton Woods que continuam dominando a economia global, como eles são usados como um poderoso instrumento geopolítico, uma análise econômica baseada na produção de bens reais, dinâmicas globais de energia, alianças e estratégias dos principais atores globais.

O atual confronto geopolítico global é essencialmente uma luta entre as potências coloniais que desejam preservar o sistema de Bretton Woods, que permite a extração de riquezas das nações, e nações soberanas que lutam por independência e pelo fim de um milênio de opressão. Este trabalho compara as forças geopolíticas desde o início do milênio com o objetivo de fornecer insights sobre suas forças relativas e o provável desfecho dessa luta.


*Fadi Lama é Conselheiro Internacional do Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento (BERD) e parceiro da DNL Strategic Consulting, oferecendo serviços de consultoria nas áreas de geoeconomia, indústria, PMEs e academia. Ele é fundador e gerente geral de uma empresa de fabricação de equipamentos de teste e sistemas de automação industrial. Dr. Lama recebeu seu PhD em Engenharia Mecânica pelo Georgia Institute of Technology, seu mestrado em Tecnologia de Manufatura pela City University of London e seu bacharelado em Engenharia Mecânica pela American University of Beirut.

Subscribe
Notify of
guest

112 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
NBS
NBS
1 mês atrás

A transição em andamento para um mundo multipolar cria novas oportunidades de interação em diversas áreas, como a diversificação de moedas no comércio internacional, o aumento do comércio entre os países do BRICS, a exploração de recursos naturais e energéticos, o fortalecimento das instituições financeiras, alianças geopolíticas estratégicas e o desenvolvimento econômico sustentável. Essas mudanças abrem novas perspectivas para o Brasil. É fundamental que esse debate seja incorporado nas universidades, entre os formuladores de estratégias e nas políticas públicas. O país precisa fazer parte desse novo mundo em formação.

Comte. Nogueira
Comte. Nogueira
Reply to  NBS
1 mês atrás

O que está acontecendo hoje é a sombria perspectiva do Ocidente perder suas fontes de matéria prima tanto na América do Sul, quanto na África, pagando o preço que eles queriam pagar, da forma que eles queriam pagar. A expansão das empresas “ocidentais” pelo mundo afora nunca esteve em um ritmo tão lento, ao passo que as empresas chinesas, as do Sudoeste Asiático e do Oriente Médio estão andando a passos largos. Ao mesmo tempo, creio que esse debate passa longe das universidades e de qualquer outro fórum de debate envolvendo à sociedade, porque são assuntos tratados por governos, na… Read more »

leonidas
leonidas
Reply to  Comte. Nogueira
1 mês atrás

Concordo com suas considerações. Sobre a desdolarização eu considerava ela impossível em termos econômicos até quando a questão envolvendo este assunto não fosse conduzida a termos de geopolítica. Ou seja quando o comercio ditava a regra do dólar como moeda reserva era impossível (ao menos durante uns 30 anos a frente) isso ocorrer. Mas o Ocidente resolveu oficializar que ativos de nações consideradas Persona non Grata podem ser simplesmente congelados e pior que isso, aprendidos!!!!! Oras com isso ter ativo em dólar deixa de ser interessante aos países em questão pois no fim das contas significa que eles podem ser… Read more »

Vitor
Vitor
Reply to  leonidas
1 mês atrás

Resumindo roubo na mão grande ! Como faziam nas ex. colônias .

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Comte. Nogueira
1 mês atrás

Realmente quando havia dois lados equilibrados. Dava para perceber como eles jogavam. A facilidade das comunicações e informações levaram a descrença dos regimes. Daí o romantismo acabou. Nada do meu capeta ser melhor que o seu. Aqueles que por orgulho, empáfia soberba e presunção não conversavam de jeito nenhum. Agora estão sendo forçados a aprenderem. O mundo unipolar acabou.

NBS
NBS
Reply to  Comte. Nogueira
29 dias atrás

As transformações em andamento para um mundo multipolar, ao contrário do mundo bipolar da Guerra Fria, ainda não têm uma direção clara. Isso torna as decisões estratégicas e políticas ainda mais complexas e imprevisíveis. Essa situação é uma consequência direta do poderio militar e nuclear da Rússia, que não abrirá mão de se envolver nas questões econômicas e políticas globais, além do retorno de um novo entrante ao seu posto histórico, agora como aspirante a potência global. De um lado, temos um ‘parceiro’ que nos tratava com desdém, sem sequer saber o nome da nossa capital e, jocosamente, entre seus… Read more »

fjuliano
fjuliano
1 mês atrás

Pq o dito ocidente representa menos de 15% da população mundial e o mundo não é um feudo medieval, as coisas evoluíram, inclusive nesses quinze por cento há briga e divergência nas populações. Enfim, luta vã em curto médio e principalmente longo prazo.

deadeye
deadeye
Reply to  fjuliano
1 mês atrás

O dito ocidente, representa 50% do PIB Global, porque são mais eficientes.

JHF
JHF
Reply to  deadeye
1 mês atrás

Isso reflete bem a métrica da economia convencional (pelo padrão ocidental). Caso esteja interessado pelas.metricas não convencionais de economia marginal (calculada com métricas locais e nunca levadas em conta para o cálculo do PIB de países da maioria do sul global) podemos ter uma redistribuição importante na conta. Basta se interessar mais pela economia local. Isso vai acontecer normalmente com o desenvolvimento da multipolaridade. Além do mais, redistribuição do desenvolvimento em países do segundo escalão leva a distribuição de renda global, relaxando a concentração econômica nos países do G20….

Senhor Maskarado
Senhor Maskarado
Reply to  deadeye
1 mês atrás

Países com histórico de hostilidade e exploração de outros povos assim e fácil ser “rico’

Caravaggio
Caravaggio
Reply to  deadeye
1 mês atrás

Ou seja, o não-ocidente é responsável pelos outros 50% da riqueza global. Qual é a eficiência do tal Ocidente aí? Ser igual ao Não-ocidente?

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  deadeye
1 mês atrás

Tudo bem. Representa hoje. Será que representará nos próximos dez anos ?

Orivaldo
Orivaldo
1 mês atrás

E dá-lhe desinformação Russa. Teve uma Operação bem interessante de resgate de Reféns de um certo país, e só aqui não saiu nada. Mas propagando Russa não faltq

Nilo
Nilo
Reply to  Orivaldo
1 mês atrás

A fonte? Da informação.

Faver
Faver
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Acho que a triologia tem matérias com com assuntos diversificados. Que atendem torcidas diversas. Acontece que quando a informação não é de seu interesse ou torcida este pessoal fala mal do veículo que informa. Cultura atual da lacração.

Last edited 1 mês atrás by Faver
Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Da cabeça de torcedor.

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Orivaldo
1 mês atrás

Que mania de o pessoal ficar cutucando os editores da trilogia, como se eles fossem parte de uma maldita conspiração!!!!

Raios, vamos discutir o assunto.

Pragmatismo
1 mês atrás

Aguardando os phd’s em negação.

Elintoor_--
Elintoor_--
Reply to  Pragmatismo
1 mês atrás

E ainda podemos ver (de novo) aqui em Banárnia junto com seu almirantado e generalato no reino perdido da fantasia, perdendo o bonde da história…

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

Duas coisas: 1- a quantidade de países que simplesmente ignoraram as sanções ocidentais e continuaram a fazer negócios com os russos, com o detalhe da maioria dos países que sancionaram, oficialmente, os russos, continuam a fazer negócios com eles por via de terceiros. Isso é algo que, até os anos 80, era simplesmente impensável. 2- “Começando com a guerra na Ucrânia visando a mudança de regime na Rússia, os acontecimentos avançaram a um ritmo acelerado.” Não, isso não começou com a Ucrânia. Começou com os EUA invadindo o Iraque com base numa mentira deslavada ( ou aqueles “armas de destruição… Read more »

Senhor Maskarado
Senhor Maskarado
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Mais incrível e as relações de Saddam Hussein na época que era o queridinho dos EUA com apoio financeiro total e após a guerra irã X Iraque do dia pra noite virou um inimigo um demônio a ser extirpado pelos EUA . O mais engraçado e que a mídia não cita muitas informações tem pessoas que até hoje não sabem que Osama Bin Laden veio de uma família bilionária fora as ligações deles com a família real Saudita e na época de George W Bush e do mesmo e suas empresas com ligações com os sauditas e a família de… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Senhor Maskarado
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Senhor Maskarado
1 mês atrás

Além de tudo que você disse, ainda tem o “pequeno detalhe” de que os mujahedins do Afeganistão foram criados e treinados….

Pela CIA.

Mas esse tipo de coisa não aparece na CNN pro “grande público” americano…

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Willber, Eu tenho mais de 50 anos, e leio, ou lia, muito jornal, e as informações estavam/estão lá. Saiu na grande mídia na época, eu li isto logo que os EUA invadiram o Afeganistão. O problema não é a “Grande Mídia” não falar do assunto, é o leitor médio não dar bola para este assunto, “não é problema meu!” Depois as coisas acontecem e ele fica perdido na história. Temos que parar de culpar agentes externos, somos nós (cidadãos) que não prestamos atenção as informações. E hoje é pior, o pessoal não tem paciência nem para ver videozinho com mais… Read more »

Chris
Chris
Reply to  Senhor Maskarado
1 mês atrás

Dominio geopolítico…

Cara… O único território que os EUA pegaram pra si… Foi o Alaska… E foi “comprado”.

“Curiosamente”… Todos os anti-americanos… São ditaduras !

De resto… So se “vendeu” quem quis.. E ainda ganhou boas compensações por isto. No Japão, se tem ate F-22 e não compraram nenhum.

Agora se o resto do mundo foi incompetente em nem ter tecnologia própria como o celular, gps ou computador que você esta usando…

Não culpe os americanos ! Você é livre pra jogar tudo no lixo e comprar mapa da Editora Abril na banca e papel e caneta brasileiros.

Last edited 1 mês atrás by Chris
JUJU BERTULINA
JUJU BERTULINA
Reply to  Chris
1 mês atrás

M-é-x-i-c-o…estude História.

JUJU BERTULINA
JUJU BERTULINA
Reply to  JUJU BERTULINA
1 mês atrás

Posso acrescentar H-a-v-a-í?

Comte. Nogueira
Comte. Nogueira
Reply to  JUJU BERTULINA
1 mês atrás

Honduras, El Salvador… E pela Doutrina Monroe, não precisa nem invadir. É só não resistir.

Chris
Chris
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

A gente não vê nem iraquiano reclamar dos EUA… E você quer reclamar ? Se um presidente americano ou europeu aparecer com algum problema de demência, ou mesmo bêbado… Ele não consegue atirar nenhuma bomba nuclear sozinho. O mesmo não se pode dizer das ditaduras.. E esta é a questão ! O que se combate são ditadores e expansões territoriais… Como a praticada ate pelo Iraque sobre o Kwait. Pois o mundo ja aprendeu no que isso resulta… Ate a Venezuela ja se animou a invadir o vizinho ! A novidade é a percepção clara de que se você tiver… Read more »

Hamom
Hamom
Reply to  Chris
1 mês atrás

Os iraquianos não reclamam?
Os caras até fizeram um sapato como monumento público, comemorando os sapatos que um jornalista iraquiano jogou nele…

Diga-se que Bush teve ótimos reflexos e desviou dos dois sapatos 😂

No Youtube: “Bush é alvo de ataque no Iraque”

Quirino
Quirino
Reply to  Chris
1 mês atrás

“A gente não vê nem iraquiano reclamar dos EUA… E você quer reclamar ?”
Aff..
Com certeza os iraquianos que foram bombardeados e mortos pelos Estados Unidos realmente não reclamam dos americanos (Ironia)
Se seu comentário tivesse mil deslike ainda seria pouco.

Last edited 1 mês atrás by Quirino
Carlos
Carlos
1 mês atrás

Sem mais nenhum comentário e apenas deixando um para debate, Todo o mundo sem consultar o cambio do dia sabe que mil reais correspondem a menos de 500 USD porque todo o mundo associa 1 USD a 5, … reais, e continuando sem nenhuma consulta, quem saberá quanto corresponde mil reais em renminbi? Apenas penso que quem muito estuda e estuda demais, demonstra que nada sabe de coisas simples do mundo.

Carlos
Carlos
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Correção: menos de 200USD e não de 500 como é referido no comentário

Underground
Underground
Reply to  Carlos
1 mês atrás

De fato!
É plausível que em algum momento o dólar seja substituído por outra moeda para transações internacionais, porém, contudo, etc, essa moeda ainda não é o Yuan, simplesmente porque a primeira tem livre negociação no mercado e a segunda, não.
Doutor Lama cita os negócios em diversas moedas em andamento, mas esquece que as trocas ainda são feitas em dólar como referencial.

MauricioFC
MauricioFC
Reply to  Underground
1 mês atrás

Na verdade, não. As transações entre dois países utilizando suas moedas são baseadas nos seus termos de troca, e NÃO se usando o referencial do dólar. Assim, Se BR e CN transacionam em suas próprias moedas, não se trata de uma simples troca do meio de pagamento. Isso, por si só, já tem um impacto grande, mas é mais que isso. Os termos de troca, ainda que tenham uma definição simples (vbpX/vbpM: valor exportado sobre valor importado), requerem cálculo complexo onde, para a calibragem monetária, utiliza-se uma cesta de moedas (e não apenas o dólar), mas outras variáveis devem ser… Read more »

Last edited 1 mês atrás by MauricioFC
Sulamericano
Sulamericano
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Caro Carlos,
Todo mundo sabe a cotação do dólar, porque essa é a moeda de comércio interacional.
A questão do texto é justamente essa. Começou uma lenta transição do comércio internacional pra outas moedas que não o dólar.

O que mais me surpreende é a arábia saudita vender petróleo em outra moeda.

A pouco tempo atrás isso derrubava uma ditadura qualquer. Muammar Gaddafi que o diga (se estivesse vivo).

JHF
JHF
Reply to  Sulamericano
1 mês atrás

Vamos acrescentar o Sadam na lista. Ele começou a vender petróleo em Euro e rapidamente foram procurar nukes no deserto dele….

Carlos
Carlos
Reply to  Sulamericano
1 mês atrás

No mercado ninguém consegue impor uma moeda como moeda de troca no mercado internacional, como tal só assim se poderá mudar a moeda de troca se houver confiança na moeda e ninguém tem confiança em moedas ditadas por ditadores e que podem alterar o valor cambial das moedas conforme o interesse da propaganda. Tu és um empresário e vendes o teu produto para o exterior, vais querer receber numa moeda que te dê garantias de troca. O petrodolar sempre foi uma moeda forte como tal dificilmente a Arábia Saudita irá mudar porque pega nesse dinheiro e compra o que necessita… Read more »

Carlos
Carlos
Reply to  Carlos
1 mês atrás

A transição para outra moeda tem os dias contados até ao primeiro problema cambial que surja

Sulamericano
Sulamericano
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Se você acha que nenhuma nação consegue impor uma moeda, então sugiro então uma pesquisa sobre a crise do petróleo no governo Nixon.

Last edited 1 mês atrás by Sulamericano
Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Estamos em uma fase de transição.
E eu acho que não haverá 1 (uma) moeda de troca, exatamente pelo que vc expos, as trocas se darão diretamente entre moedas nacionais.
A tecnologia facilitou e muito isto.
O que o futuro nos reserva, esta é a incógnita.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Carlos.. quando ficou claro que a Alemanha perderia a guerra, foram iniciadas várias discussões sobre como seria o pós-guerra. Duas das mais importantes foram a ONU e o acordo de Bretton Woods. Uma das mais interessantes discussões foi sobre a adoção de uma moeda de referência para o comércio exterior e a implementação de uma instituição internacional que atuaria para evitar crises cambiais, que se tornou o FMI. Sobre a moeda, havia duas propostas. O Secretário de Tesouro dos EUA defendia a adoção do dolar como moeda de comércio exterior que estaria lastreada em dolar em uma cotação fixa. Keynes… Read more »

Carlos
Carlos
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Não vou entrar em debate mas quero dizer duas coisas e a primeira é que contaste uma história muito mal contada já que falas que os países árabes deixaram de fazer reservas em dólares e passaram a fazer em ouro e que Nixon mandou imprimir moeda e que esta medida não teve repercussão nenhuma no comercio externo, mas eu quero te lembrar da lei da oferta e da demanda se aumentou a oferta de dólares tendo origem nas reservas e na impressão de moeda e mantendo a demanda, logo o valor do dólar desce, como tal existe algumas coisa nessa… Read more »

Sergio Machado
Sergio Machado
1 mês atrás

Aguardando a choradeira nas viúvas em 3…2…1..

Vitor
Vitor
1 mês atrás

O mapa não engana ! vermelho é a polícia do mundo … e muitos floristas insiste que somos ocidentais.

Joanderson
Joanderson
Reply to  Vitor
1 mês atrás

Esqueceram de pinta Coreia do Sul, Singapura e Taiwan e Israel.

Last edited 1 mês atrás by Joanderson
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Vitor
1 mês atrás

Este mapa mostra o risco que o mundo ocidental está correndo… os mapas estão em vermelho.. sabe o que isso significa? è o fim do ocidente capitalista,.,

Já tentaram fazer isso com a bandeira do Brasil;;; agora querem fazer isso com os EUA e a Europa…

comment image?quality=90&strip=info&w=720&h=440&crop=1

cerberosph
cerberosph
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Isso é a bandeira do Brasil junto com a bandeira do Japão num layout, não tem nada de bandeira do Brasil vermelho bando de desinformados.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  cerberosph
1 mês atrás

Caro Cer…

Eu sei.. isso é um painel comemorativo do centenário da imigração japonesa… sem dar spoillers, procure o vídeo desta senhora… dai você vai entender a piada…

Carlos
Carlos
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Camargoer, meu caro, vais ter de começar a explicar as piadas…kkk

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Carlos
1 mês atrás

RIso…. geralmente em alemão elas ficam mais engraçadas…

Yuri
Yuri
Reply to  Vitor
1 mês atrás

Somos orientais?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Somos “Cucarachas”

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Pra uma parcela significativa do mundo, somos latinos ( mas não americanos, americanos “mesmo” só tem 2 países ) e não ocidentais.

Ou seja, somos uma sub-classe que ocupa uma realidade alternativa paralela no próprio planeta Terra.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Pois é. O Darcy Ribeiro definia o Brasil como uma outra coisa.. nem ocidental nem oriental… Ele duzia que o Brasil era uma civilização mestiça, a primeira civilização mestiça que surgiu na história, e que teve a sorte de ser também tropical… Ele nunca conseguiu incluir o Brasil nas definições e sistemas internacionais. Ele duzia que nossa herança ibérica, de Portugal, um passinho pequeno que aprendeu a se virar entre os grandes, que encontrou o indígena que não tinha a culpa cristã e que tudo isso foi elevado para outro patamar com a vinda do negro escravo.. e temperado com… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

O Brasil é o lugar do Universo aonde tudo se mistura e, daí, se cria novas coisas.
Deveríamos nos orgulhas disso, mas preferi-mos dizer que isso é errado e odioso, e ficar “babando” pra cultura norte-americana ou européia ( as piores partes disso, diga-se de passagem ) e chamar isso de “patriotismo”.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

O Livro do Darcy Ribeiroé muito bom… Vale a pena ler

Natan
Natan
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Tu é trabalhista afinal?

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

heheh, lembro da historia de um amigo, nome e sobrenome japonês, com passaporte brasileiro, tentando explicar para a fiscalização na Alemanha, que ele era brasileiro.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Marcelo Baptista
1 mês atrás

Riso… eu tive um colega, descendente de libaneses que teve o mesmo problema, mas acho que foi nos EUA.

Eu passei por uma situação vexatória… eu voltada de Tokyo, voltando para o Brasil. O agente da imigração perguntou porque eu estava indo para o Brasil (com passaporte brasileiro). Expliquei que estudava no Japão e estava indo de férias para o Brasil… dai ele perguntou se eu gostava do Japão….

Respondi que os dois melhores países do mundo eram o Brasil e o Japão…. dai ele ficou bravo comigo.

Last edited 1 mês atrás by Camargoer.
Hamom
Hamom
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Ué? Porque ele ficou bravo contigo?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Hamom
1 mês atrás

Sei lá… Uma coisa que nunca se faz é questionar um agente da imigração nem falar mais do que ele pergunta..

Ele perguntou, respondi e ele ficou enfezado.

Hamom
Hamom
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Bem, foi ele que perguntou se vc gostava do Japão….tu apenas respondeu que sim e acrescentou o Brasil…enfim, pode ser stress ou calores da menopausa…xD

Last edited 1 mês atrás by Hamom
Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

hehe, tem gente que não gosta deste tipo de resposta, ou é “1” ou é “0”.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Marcelo Baptista
1 mês atrás

Riso… Doifera

Senhor Maskarado
Senhor Maskarado
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Por isso Muitos brasileiros dizem isso pra gringa eles vêem com a pergunta assim :você e o que ? e latino ? e branco ? e negro ? (principalmente os EUA com as questões étnico/racial deles bizarra) e simplismente dizemos sou brasileiro e pronto e muitos ficam irritados só ouvir isso .

Last edited 1 mês atrás by Senhor Maskarado
MauricioFC
MauricioFC
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Essa é uma perspectiva que ganhou visibilidade por ter sido formalizada pelo Huntington e tem grande utilidade para vários tipos de análise, mas não significa que seja assim, mesmo. Esteja seguro que, para o chinês, o japonês e o indonésio médios, nós somos ocidentais.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  MauricioFC
1 mês atrás

Tenho muitas dúvidas se um chinês, um japonês e um indonésio médio, eles saberiam apontar o Brasil num mapa, que dirá dizer que somos Ocidentais….

Se bem que:

1- não é demérito não saber apontar um país num mapa, a grande maioria não sabe fazer isso;
2- eles sabem que não somos asiáticos e, por consequência, não somos orientais.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

O japonês médio sabe sim onde é o Brasil. Na Europa também. Já nos EUA a proporção de quem sabe onde é o Brasil é menor

Comte. Nogueira
Comte. Nogueira
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Para isso se tornar realidade, teríamos que enterrar a nossa própria auto estima e adotarmos por conta própria essa condição.

Yuri
Yuri
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Beleza. Mas somos orientais?

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Nem.ocidenral nem oriental… Segundo Darcy Ribeiro somos uma civilização mestiça tropical (em O povo brasileiro, sei último livro)

Yuri
Yuri
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Isso é diferente de ser ocidental ou oriental.

Faver
Faver
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Ocidental na geografia, não na geopolítica. O ocidente da geopolítica é um clube da qual não fizemos parte. Tem farto material na internet e referências bibliográficas que versam sobre isto.

Yuri
Yuri
Reply to  Faver
1 mês atrás

O termo “ocidental” não existe na geopolitica”, quem usa esses termos como ocidente, “sul global”, como termos geopolíticos, está errado.
Ocidente e oriente são termos exclusivamente geografico/culturais.

Last edited 1 mês atrás by Yuri
Alexandre
Alexandre
Reply to  Yuri
1 mês atrás

De fato! O que existe é WASP e o resto do mundo!!!!!!

Yuri
Yuri
Reply to  Faver
1 mês atrás

Não existe “ocidente” e “oriente” quando falamos de geopolitica, são termos exclusivamente geográfico/culturais.

Last edited 1 mês atrás by Yuri
MauricioFC
MauricioFC
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Caro Yuri,
Pelo contrário, a geopolítica usa essas categorizações à larga.

Yuri
Yuri
Reply to  MauricioFC
1 mês atrás

Quem usa isso está errado.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Faver
1 mês atrás

Então.. se o centro é a Europa, o Brasil está do lado ocidental… Se o centro for o Japão, estamos do lado oriental… Se o centro for o Brasil, nem um nem outro.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Olá Yuri. Pergunte isso para um oriental!!!

Yuri
Yuri
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

E ele vai dizer que não somos orientais.

Senhor Maskarado
Senhor Maskarado
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Não somos europeus isso posso te garantir KKKk

Yuri
Yuri
Reply to  Senhor Maskarado
1 mês atrás

Os canadenses são europeus?

José
José
Reply to  Vitor
1 mês atrás

Não? Você é oriental ? Kkkk

Caravaggio
Caravaggio
1 mês atrás

Se levarmos em consideração o mapa, esse “Ocidente” aí deveria estar entre aspas.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Caravaggio
1 mês atrás

Esse “ocidente” em vermelho JAMAIS considerou o resto do mundo como Ocidente, principalmente a AL, da mesma maneira que jamais considerou a parte européia da Rússia como européia.

Aliás, duvido muito que esse “ocidente” em vermelho considere países como Kosovo, Albânia e Sérvia como “europeus”….

Caravaggio
Caravaggio
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

É por isso q falei do mapa

Bispo de Guerra
Bispo de Guerra
1 mês atrás

Aguardando Odessa cair 😇

Heinz
Heinz
Reply to  Bispo de Guerra
1 mês atrás

Compra um caixão e deita.

Maus
Maus
1 mês atrás

Nenhum país era obrigado a se alinhar com a China, vocês sabem porque Vietnam e India optaram pelo diálogo? É porque a única coisa que o EUA tem a oferecer são bases militares, o EUA é incapaz de financiar uma ferrovia ou porto sem cobrar 500% de juros.

Yuri
Yuri
Reply to  Maus
1 mês atrás

“O EUA é incapaz de financiar uma ferrovia ou porto sem cobrar 500% de juros” e a China é incapaz de fazer isso sem que o país em questão jure submissão completa aos interesses eurasianos.

Digo
Digo
1 mês atrás

O problema é a galera do sul global(isso nem existe, o que mais tem é pais desse eixo odiando uns aos outros) achar que com o crescimento da China vai se abrir um mundo multi-polar. A verdade é que a China vai ser suprema e ditar a regra do jogo assim como os EUA depois de 1991. Sendo o Chinês tão etnocentrista como eles são, eles não vai abrir espaço para outros concorrentes como Índia, Indonésia e etc, Já estamos vendo isso com a Russia, por mais que a Rússia possa se considerar soberana(ao contrário de muitos paises ocidentais em… Read more »

Yuri
Yuri
Reply to  Digo
1 mês atrás

Exato.

Digo
Digo
Reply to  Digo
1 mês atrás

Correção de texto: Eles não VÃO

não percebi o erro durante a digitação.

Ruas
Ruas
Reply to  Digo
1 mês atrás

O quê vai “abrir” será uma “janela de transição” – que para o Brasil poderá ser uma “janela de oportunidade” para aumentar sua influência geopolítica. A China não consolidará seu poder do dia para à noite e nem os EUA perderá – se perder – seu posto do dia para à noite também, portanto, teremos a ascensão de centros grandes e médios de poder irradiados devido a essa quebra de sistemas e jogos de interesses. No mais, por mais que a China seja forte, ela sempre dependerá, mais que os EUA inclusive, do grande fluxo de mercadorias/insumos para o seu… Read more »

NBS
NBS
Reply to  Digo
1 mês atrás

A janela de oportunidade que o mundo multipolar e os interesses do Sul Global oferecem ao nosso país é muito maior do que os benefícios obtidos até agora pela participação secundária nos interesses do ‘Ocidente’. Isso se traduz em vassalagem e subserviência, especialmente influenciando a geração mais velha, que vê os EUA como uma figura paterna. A adesão histórica do Brasil a esses interesses pouco contribuiu para um país mais justo e próspero, perpetuando um complexo de inferioridade que tem muitas explicações históricas e sociológicas. Embora o novo cenário multipolar tenha seus riscos e possa substituir uma hegemonia por outra,… Read more »

Yuri
Yuri
Reply to  NBS
1 mês atrás

Fale isso pra uma pessoa que viveu em uma ex república soviética… vamos ver se ela prefere um mundo dominado por eurasianos ou pelo ocidente.
E sim, “mundo multipolar” é balela.

NBS
NBS
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Acredito que esteja falando de um tipo de governo ‘comunista’ que, na verdade, não era. A Rússia é um país capitalista, onde imperam as leis de mercado, com todas as inconsistências próprias desse modelo de produção. O movimento de ultradireita que está tomando os países capitalistas do Ocidente, o G7, é fruto dessas inconsistências, onde a população desses países não consegue auferir os benefícios do sistema. Contudo, de forma equivocada, atribuem o problema econômico a questões de imigração, nacionalismo e proteção econômica. Todos esses elementos, como sabemos, levarão essas nações à guerra.

Yuri
Yuri
Reply to  NBS
1 mês atrás

A Rússia, na prática, não é capitalista.

Digo
Digo
Reply to  NBS
1 mês atrás

Se o Brasil não tem peso geopolítico na conjuctura atual, não vai ser com um novo panorama que isso vai mudar, 50% da população brasileira não tem tratamento a redes de esgoto, temos que resolver muitos problemas antes que querer brincar de potência. O brasil não tem nada a oferecer a outros paises comparado aos EUA, China e Rússia, e isso não vai mudar.

ln(0)
ln(0)
Reply to  Digo
1 mês atrás

A Índia tem os mesmos problemas ou piores, mas não deixa isso interferir em sua política externa e no que ela aspira ser no mundo. Problemas de subdesenvolvimento interno não é desculpa para enterrar a cabeça na areia.

NBS
NBS
Reply to  Digo
1 mês atrás

O Brasil certamente não está onde gostaríamos que estivesse. Entretanto, ele está em seu melhor momento no cenário internacional. Somente no encontro de paz promovido pelo Ocidente, Zelensky se viu compelido, por duas vezes, a falar da posição do Brasil que não o agrada. Alguém que não tem peso geopolítico nem é lembrado. O mesmo se deu com o governo sionista de ultradireita de Israel. Os dois reconheceram a importância do Brasil. Muito desse protagonismo está centrado na imagem do nosso presidente no exterior. Se fizermos o dever de casa, devemos aproveitar esse mundo multipolar para sermos líderes deste momento,… Read more »

naval762
naval762
1 mês atrás

Dar pitaco todo mundo pode. Inclusive engenheiros.

Tutor
Tutor
1 mês atrás

Não acho que quem ganhar ou quem perder, nem quem ganhar nem perder, vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder”.
ROUSSEFF, Dilma.

Zoranm
Zoranm
1 mês atrás

Vc tem de ser parceiro de quem também te oferece alguma parceria.

Por que os dois últimos governos (este e o ultimo), mesmo sendo de lados opostos, se recusaram a ajudar a Ucrânia?

Acabou a conversa. A resposta está aí

Comte. Nogueira
Comte. Nogueira
Reply to  Zoranm
1 mês atrás

Talvez porque a Ucrânia tenha dado um calote imenso no Brasil, no conto do vigário do foguete Cyclone.

deadeye
deadeye
1 mês atrás

Pix na conta do professor, 1000 rublos depositado

Jagder
Jagder
1 mês atrás

Piada pronta: o cara trabalha no Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 mês atrás

Esperando a edição em português.

As vezes o obvio é visto como modo avestruz.

Tiago
Tiago
1 mês atrás

Interessante, não sabia que a França negociava com a China na moeda deles.

J-20
J-20
1 mês atrás

Basta entender a forma básica de geração de riqueza: trabalho. Quando se retira a coerção do países Ocidentais sobre o resto do mundo, o que sobra se não um aristocrata roliço que nunca tocou numa enxada?

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

O grande déficit do livro parece ser imaginar o Oeste ou Ocidente como uma entidade monolitica teleologicamente expansionista. O Ocidente não é monolítico, assim como a Ásia e mesmo a China não o são. O capitalismo é a entidade monolitica que moveu o expansionismo de todos os povos e nações nos quais incubou (das cidades de Veneza e Florença, passando por Espanha, Portugal, Flandres, Inglaterra, França até Estados Unidos, Itália, Japão e Alemanha (a expansão Russa na idade moderna não faz parte disso)- ele, sim, é uno em todos os seus avatares (mercantil-comercial, industrial e pós-industrial ou neoliberal). Do ponto… Read more »