Índia confirma compra do SAM SPYDER

O Ministério da Defesa indiano confirmou que assinou um contrato com a empresa Rafael de Israel para o fornecimento do sistema SPYDER de defesa antiaérea de reação rápida.
Foi informado também que o desenvolvimento do SAM indiano Trishul foi encerrado, devido à sua incapacidade de cumprir determinados requisitos operacionais críticos.
Segundo algumas fontes, serão adquiridos 18 baterias SPYDER por  US$ 260 milhões, com entregas entre 2011 e 2012.
A Rafael e a Elta Radar Division da Israel Aircraft Industries criaram o SPYDER (PYthon 5 e DERby Air Defence Missile System), sistema que emprega caminhões equipados com mísseis ar-ar de última geração adaptados para a função superfície-ar.
Os lançadores empregam mísseis ultra-ágeis Python 5, guiados por calor, e Derby 4, guiador por radar.
Na versão SPYDER-SR, cada unidade móvel leva quatro mísseis para pronto uso, que podem ser lançados em dois modos: lock on before launch (LOBL) e lock on after launch (LOAL). O alcance é de 15km, contra alvos a altitudes de 20m até 9.000m.
Na versão que está em desenvolvimento, a SPYDER-MR, o lançador leva 8 mísseis. O alcance será maior, de  50km a até 16km de altitude, graças ao emprego de boosters nos mísseis.
Uma bateria SPYDER típica consiste de um unidade móvel de comando e controle (CCU) e quatro unidades móveis de disparo (MFU). A CCU móvel está equipada com um radar de vigilância e duas estações de operação, com um link de dados com os quatro MFUs.

NOTA DO BLOG: No Brasil, noticia-se que serão gastos mais de R$ 1 bilhão nos Jogos Mundiais Militares, enquanto não existe por aqui nenhum sistema antiaéreo semelhante a esse da notícia. Nosso país de dimensões continentais e com imensas vulnerabilidades estratégicas, depende ainda de mísseis de curto alcance, lançados de ombro, para sua proteção antiaérea.

Subscribe
Notify of
guest

23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Invincible
Invincible
14 anos atrás

Não sei nem o que dizer… É tão absurdo! Quem diria… O ministério da defesa promovendo o turismo. Vamos pedir para o Carlos Minc comprar uns caças para a FAB. Ou melhor!!! Quem sabe o Henrique Meireles não compra um Sub… Acho que to começando a acreditar na histório de que o Lula não sabia de nada sobre o mensalão… Consigo concluir uma coisa. – Alguns países desenvolveram o seu sistema político-econômico baseados no capitalismo. – Outros países desenvolveram-se baseados no socielismo. – Agora o nosso país conseguiu algo nunca visto na história moderna da humanidade. O Brasil conseguiu implantar… Read more »

Corsario-DF
Corsario-DF
14 anos atrás

Esse sim é um sistema interessante, pois poderíamos montá-lo no chassi do Astro, o míssil mais caro (Derby) já é operado pela FAB, enquanto poderíamos adaptar o MAA-1B Piranha, ou mesmo o futuro A-Dart, no lugar do Phinthon 5 (nada contra esse míssil, pelo contrário o admiro muito, mas para economizar e manter a tecnologia nacional), aí sim teríamos um sistema de defesa AA de mais respeito, pois do jeito que tá até “teco-teco” sai inculome de um ataque a uma base aérea. Mas eu acho mais importante do que isso é “REALIZAR AS OLIMPÍADAS MILITARES” pois a nossa política… Read more »

Corsario-DF
Corsario-DF
14 anos atrás

Ótimo comentário Invinvible, eu concordo plenamente com você. Estamos igualzinhos a bússola do nosso amigo Jack Sparrow…

Invincible
Invincible
14 anos atrás

Corsario-DF, Você disse bem… Pq não investir em um sistema de míssil anti-aéreo feito no Brasil. Aproveitar o Piranha. Já é alguma coisa. Sobre essa notícia de Jogos Militares to começando a achar que é contra-informação. Talvez alguém queira saber o alcance do tema ou talvez alguém queira provocar o governo. TOMARA QUE SEJA ISSO! Foi a única opção que me venho na cabeça. Agora se isso for verdade eu jogo a toalha. O PIOR É QUE O PESSOAL NÃO SABE FAZER CONTA. JUSTIFICANDO QUE O EVENTO TRARIA 7 MIL TURISTAS PARA A CIDADE. ORAS! AO CUSTO DE 1,3 BI… Read more »

RL
RL
14 anos atrás

Gente, temos tudo ai na mão para fazer um sistema no minimo a altura dos demais no mercado.

Radar:
SABER M60 ou futuramente SABER M200.

Veículos lançadores, municiadores e de estações de comando:
AV-VBL – AV-VCC ou mesmo o Guará.

Misseis:
Piranha MAA-1B e futuramente o A-Darter.

Carecemos apenas de um software designidor de alvos, algo que acredito a Eletroeletronica, Atech, Mectron e a própria Avibrás tem total capacidade para desenvolver.

Por último que deveria ser o primeiro tópico, ficamos com a maior carência de todas.

VONTADE POLITICA.

Claudio
Claudio
14 anos atrás

Segundo o site Área Militar a compra pelo Paquistão do MAR-1 visa anular estas futuras baterias antiaéreas.

Tóna
Tóna
14 anos atrás

Acho que a nota do blog fala por todos nós que aqui nos expressamos!

XR
XR
14 anos atrás

Há algum tempo vem sendo noticiada uma provável parceria brasileira no desenvolvimento do míssil VL Umkontho-R cujo alcance seria da ordem de 20 km, sem a presença de bossters.Se tal fato realmente se consumar (acho que a maioria torçe para isso) poderíamos desenvolver um sistema similar ao Spyder, utilizando tal míssil mais o A-darter,ou mesmo o Umkontho-IR, que seriam mais ágeis que o MAA-1B.Talvez a melhor plataforma na seja a do sistema ASTROS, mas sim uma de menor porte, de menor custo e maior mobilidade(caminhões WV Worker militarizados,por ex.),uma eventual futura adição de boosters elevaria a efetividade do sistema.Isso, claro,… Read more »

DaGuerra
DaGuerra
14 anos atrás

Viva a MOTHER RUSSIA! TOR,BUK e S300/400, só por precaução,já que interesses são…digamos,mutáveis.

Magick One
Magick One
14 anos atrás

“O Piranha foi concebido para fazer parte de uma família de mísseis. Ele também teria versões superfície-ar lançadas de terra ou navios além da versão ar-ar. O Exército e a Marinha parecem ter desistido destas versões. A versão terrestre seria montada no blindado sobre lagartas Charrua e usada para defesa de colunas blindadas em movimento. Uma versão mais atual foi proposta para equipar o blindado sobre rodas Urutu. O Exército achou duvidoso o uso de um sistema ainda não testado. Uma versão rebocada seria usada para defesa de alvos importantes como bases aéreas, postos de comando, pontes, usinas elétricas etc.… Read more »

RT
RT
14 anos atrás

Precisamos de um sistema defesa anti-aérea decente urgente, seja ele de concepção 100% nacional, 50% ou até mesmo todo adquirido no exterior, o que não dá é no seculo 21 com caças modernos voando por todo mundo e o brasil com baterias anti-aéreas ultrapassadas (sucatas).

Paulo Taubaté
Paulo Taubaté
14 anos atrás

Não se preocupem.

Nossos atletas do lançamento de dardo estão em ponto de bala.

Seu alcance (dos nossos “atretas”) está na casa das centenas de quilômetros, batendo em muito os PAC-3 e S-300.

Já para a defesa de curta distância, na categoria do Spider, Chaparral, SA-8, SA-9, Rapier, Crotale, temos os atletasdo arco e flecha e/ou balestra.

Sendo assim, o investimento estaria mais que justificado.

RT
RT
14 anos atrás

Paulo, vc tem toda razão e se tudo isso falhar os nossos soldados podem ser municiados com estilingues, com pedras ou bolinhas de vidro (isso se não ferir nenhuma convenção ou acordo internacional).

XR
XR
14 anos atrás

RT e Paulo Taubaté, só temos que torçer para que nossos “atretas” sejam bons de mira tanto no arco quanto no estilingue!!!rs
Abs

Baschera
Baschera
14 anos atrás

Caros Colegas, Este sistema israelense SPYDER estava sendo negociado pela India desde 2006 e parece que foi rapidamente cocluído após a notícia da venda dos MAR-1 ao Paquistão. Quanto há um sistema similar “nacional”, vou colacar aqui parte de um artigo de abril de 2007, postado no Defesanet e assinado por Alexandre Beraldi, os que o conhecem sabem que o mesmo dispença apresentações. Eis a parte do texto : “A Mectron foi procurada pelas três forças para projetar um míssil terra-ar de defesa aérea que será de uso comum ao Exército, Marinha e Força Aérea. Os requisitos estão sendo elaborados… Read more »

Vassily Zaitsev
Vassily Zaitsev
14 anos atrás

Paint Ball tb. Como os nossos “atretas” são bons de mira, põe tinta preta nas bolinhas. O piloto, ao ver as manchas pretas, acha que foi atingido, entra em desespero, ejeta e é capturado, pronto, ganhamos todas as guerras.

abraços.

Baschera
Baschera
14 anos atrás

Senhores, O sistema SPYDER israelense estava sendo negociado desde 2006 pela Índia e Israel. A recente confirmação da venda de míssil MAR-1 ao Paquistão, parece ter acelerado e destravado as negociações. Para os que não tem “memória de elefante” lembro que o Brasil já tem em andamento um sistema de míssil anti-aéreo em andamento. A notícia é de abril 2007 (LAAD 2007) e em artigo de Alexandre Beraldi para o DefesaNet, o mesmo já mencionava…. “A Mectron foi procurada pelas três forças para projetar um míssil terra-ar de defesa aérea que será de uso comum ao Exército, Marinha e Força… Read more »

XR
XR
14 anos atrás

Baschera, não sei se estou correto, mas acho que li em algum lugar, não sei aonde, que o MSA-1 seria um manpad, isto procede?

Bosco
Bosco
14 anos atrás

Num passado recente caças voando a baixíssimo nível buscando proteção do relevo ou do horizonte radar, só eram passíveis de serem engajados por outro caça com capacidade de ver e disparar para baixo, e de preferência com apoio de um sistema AWACS. A menos é claro que tivessem o azar de passarem sobre um AAA ou um SAM em prontidão disposto num “corredor” de caças. Hoje, os mísseis com capacidade LOAL e ligados em rede podem efetivamente abater caças nessas circunstâncias fora da linha de visada. Desde é claro, que possuam um sensor aerotransportado dando apoio e atualizando a posição… Read more »

XR
XR
14 anos atrás

Bosco, obrigado pelo esclarecimento.
Abs

Bosco
Bosco
14 anos atrás

XR, na realidade meu comentário foi em sentido geral mas com certeza tem a ver com sua pergunta. Se o Brasil estiver antenado com o resto do mundo ele deve projetar um míssil sup-ar com características avançadas. Poderíamos resumi-las como: Ser feito de preferência a partir de uma estrutura de míssil ar-ar Com sekeer automático, seja IIR ou radar ativo, ou os 2 modelos como no caso do sistema Spyder Capacidade LOAL (travamento após o disparo) Lançamento vertical Capacidade NLOS (fora da linha de visão) Motor foguete com baixa emissão de fumaça Alta capacidade de manobra (proporcionada por um sistema… Read more »

Bosco
Bosco
14 anos atrás

Correção: “sekeer” não e sim “seeker”

XR
XR
14 anos atrás

Bosco,
Viajou não.
Completamente pertinente seu comentário.
Abraços