Home Análise Imaturidade diplomática

Imaturidade diplomática

93
15

dilma_obama_ae

Visão do Correio

vinheta-clipping-forte1O governo brasileiro acaba de dar mais um passo para ampliar a coleção de equívocos com que tem conduzido sua política externa. O cancelamento e, principalmente, o alarde com que se cercou a decisão de não cumprir o compromisso de uma visita de Estado a Washington, em outubro, significou mais uma perda de oportunidade de obter vantagens para o país, objetivo claramente ultrapassado pela busca de efeito no público interno.

Nem de longe se trata de minimizar o malfeito patrocinado pelo governo de Barack Obama. Ninguém de mediano bom senso pode aceitar a prática de espionagem por país estrangeiro de atos, decisões e conversações da chefe do governo do Brasil e de informações, estratégicas ou não, de organizações públicas e privadas brasileiras, muito menos da Petrobras, estatal envolvida na pesquisa e exploração de importantes jazidas de petróleo.

É, portanto, natural que as informações divulgadas no Brasil, com base em documentos vazados por Edward Snowden, ex-analista de inteligência da NSA (agência de segurança dos EUA), ao jornalista Glenn Greenwald, tenham causado indignação no comando do Planalto e a imediata reprovação da sociedade brasileira. Não importa a mando de quem se fez a espionagem, ela tem de ser repelida.

Mas ninguém é ingênuo o suficiente para esperar que os Estados Unidos, maior potência militar e tecnológica do planeta, país assediado pelo terrorismo dos inimigos que vem colecionando desde o fim da Segunda Guerra Mundial, vão parar de usar os recursos avançados de que dispõem em favor do que ele mesmo classifica como “defesa nacional”. Tampouco é seguro esperar que a ONU tenha forças para impedir essas práticas, que, a propósito, ninguém garante serem exclusividade dos norte-americanos.

Posto o problema, o mais produtivo teria sido tirar partido do constrangimento que o Brasil vinha conseguindo criar em Washington. O mundo, como se sabe, está na antessala de um novo período de aceleração da economia, quadro que já começa a ser visível no horizonte dos próximos dois ou três anos. Também se sabe que será um período de grande disputa entre blocos poderosos que estão se formando em torno dos EUA e da Europa, de um lado, e da China e países do Pacífico, do outro.

Novos modelos de protecionismo deverão prevalecer, incluindo os parceiros e excluindo os “de fora”. O Brasil, líder do subcontinente sul-americano, tem interesses próprios e de seu grupo a defender e não pode perder tempo nem oportunidades. É hora de marcar posições e exigir aberturas comerciais, antes que as portas se fechem e tornem tudo mais difícil.

As visitas de Estado só são promovidas pelo governo dos Estados Unidos duas vezes por ano. Em nada lembram as secas recepções de rotina dadas a chefes de Estado. São cercadas de pompa, cerimônia e, principalmente, compromissos. Do Brasil, somente foi dada essa oportunidade ao presidente Fernando Henrique Cardoso, em 1995.

Acima das irritações pessoais e certo de não haver nada relevante ou comprometedor a ser revelado por eventuais novos vazamentos de Snowden, o governo brasileiro ainda pode rever o comportamento parecido com o de vizinhos como Bolívia e Argentina, de quem, aliás, tem aceitado desaforos de toda ordem, cometidos contra o “imperialismo brasileiro” para ganhar aplausos da torcida local. É hora de retomar a maturidade e objetividade com que o Brasil sempre tratou suas relações exteriores.

FONTE: Correio Braziliense via Resenha do Exército

15 COMMENTS

  1. Senhores,

    Primeiro equivoco do texto, a visita não foi cancelada, foi adiada.

    Segundo, Obama é um politico logo sabe que não haveria condição politica para esse encontro visto que o mala sem alça jogou Shit no ventilador em horario nobre nacional, portanto ele ira relevar sim esse adiamento.

    Sim, a espionagem vai continuar, alias sempre houve espionagem, quem não sabe disso é um inocente cordeiro em um mundo de lobos.

    E por ultimo vamos parar com esse mimi que já esta cansando, que tal discutirmos alguma noticia importante como o abate pela Turquia do Helicoptero Sirio ?

    Afinal como já falei o Carnaval esta chegando e daqui a pouco a massa nem vai lembrar quem é o Snowden (isso só sera falso se o mesmo não virar enredo de escola de samba ou virar astro do BBB).

    Vida longa e prospera a todos.

  2. Dar uma de dura com Obama é fácil, quero ver é fazer isto com Evo Morales ou Fidel Castro. Os EUA é o Império do Mal do Norte. A Bolívia o coitadinho da América do Sul que todos querem explorar e Cuba é o farol do mundo.

  3. Edurval ,seu comentário é um fato e concordo plenamente.
    Da um abraço na galera romulana por mim e que a força esteja com você !!rs

  4. Só me envergonho dos adiministradores da naçao, por mim o Exército tomava o poder até aparecerem políticos menos corruptos que até se apodrecerem já daria tempo pra comprar,negociar e fazer de tudo que os podríticos (nao sao todos) impedem a todo custo .

  5. De vez em quando, muuuuito de vez em quando, o CB diz algo que presta.

    Mas à PeTralha interessa é que o país fique mesmo é na m.

    Nada de novo no fronte ocidental…

  6. Hã tá bão maturidade é ser sacaneado e fingir que não é nada e fazer a viagem pomposa como um bom dirigente do quintal do patrão… “Caseiro”…

    Blind se está tão envergonhado em ser brasileiro paga uma passagem só de ida para Miami e pede asilo ao Obama…

  7. giltiger

    O que se tem até agora pelo lado do Snowden e seus vazamentos é uma monte de “talvez”. Ninguém de fato sabe se espionaram alguma coisa. Obviamente eu acho que espionaram, como espionam chineses, britânicos, alemães, etc.

    Bom mesmo é fingir que o Índio Cocalero não fez nada, mas os governantes continuam a se esfregar com ele.

    Quanto ao ir embora…. se eu pudesse já teria ido.

    De resto é aguardar Madame fazer biquinho.

  8. Oi pessoal! Essa é minha primeira participação no blog, mas antes de prosseguir no acalorado debate de idéias, acredito que o Editor do Trilogia deveria afirmar textualmente sua posição editorial, ou exercer mais debate também incluindo outras visões sobre o mesmo tema. Isso chama-se afirmação democrática.

    Eu pessoalmente não concordo com a ótica adotada para a construção deste artigo, mas respeito e entendo os motivadores por trás de tal posição.

    E quando o blog não fornece uma dicotomia no debate, a impressão que fica é que esta matéria expõe a posição do editorial. E francamente espero que não seja essa.

    Forte abraço a todos!

  9. Se fosse a Rússia, Irã ou China nos espionando, os críticos da Dilma estariam xingando esses países até não poder mais.

    Como foram os USA, os seus adoradores preferem deixar o fato de que os USA cometeram no mínimo um ato cretino ( embora isso não seja novidade) e focam sua atenção em xingar o PT.

    Estranho que os americanofilos, que se dizem brasileiros patriotas, não condenem a espionagem norte-americana, ao invés disso, xingam o próprio governo.

    NÃO VI UM ÚNICO AMERICANOFILO ADMITINDO QUE O QUE OS USA FIZERAM, EM TESE, FOI ERRADO.

    Claro que eles fazem isso faz décadas, mas, em tese, sob ponto de vista legal e moral, está errado.

    Nossos patriotas direitistas deviam no mínimo se indignar com o fato…

    Mas em tese o PT está certo : os norte-americanos nos espionaram e o Brasil no mínimo tem que dizer ” EPAAAAA ! EEEPAAAAAAA !!” KKKKKKKK !! 🙂

    Porém…

    Poderíamos aproveitar, chegar aos USA e dizer : ” olha, esqueceremos isso se vcs nos derem um descontão para 48 células de F 16 estocados no Arizona, incluindo desconto na modernização deles !!” .

    Pronto. Todo mundo sai ganhando. Mas a ideologização de nossas relações externas nos tirou mais uma oportunidade…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here