Home Noticiário Internacional Grupo quer lei islâmica em cidade alemã

Grupo quer lei islâmica em cidade alemã

447
18

Police-arrest-Sharia-Police-in-Wuppertal-Germany

ClippingUm grupo de muçulmanos radicais na cidade de Wuppertal, na Alemanha, se autoproclamou guardião da moral pública e começou a operar como “Polícia da Sharia”, numa tentativa de impor a estrita lei islâmica aos muçulmanos locais.

De acordo como jornal israelense Haaretz, cerca de doze jovens muçulmanos, vestindo coletes de segurança laranjas com as palavras “Polícia da Sharia”, foram vistos na última semana na porta de discotecas, bares e patrulhando as ruas da cidade. Segundo relatos, eles distribuíram panfletos incitando os muçulmanos a observar as restrições islâmicas contra o álcool, as drogas, os jogos de azar, a pornografia e a prostituição. Em vídeos na internet, o grupo afirma que está tentando implementar uma “zona controlada de sharia”.

Um fenômeno parecido foi relatado em Londres, com radicais islâmicos que lutam pela imposição da sharia em diversas áreas da cidade.

O líder do grupo alemão é Sven Lau, de 33 anos, um ex-bombeiro convertido ao islamismo, que também dirige uma organização radical chamada “Convite para o Paraíso”, que se identifica com o movimento salafista, corrente ultraconservadora do Islã com forte apoio no Oriente Médio.

As acusações de reunião ilegal e uso de uniforme em público foram feitas contra onze membros do grupo na semana passada. Recentemente, a polícia alemã também teve de lidar com duas acusações de assédio contra muçulmanos radicais na cidade de Bonn. Em um dos casos, o grupo tentou forçar uma menina muçulmana a usar o véu. A outra acusação foi de terem agredido um jovem que havia ingerido bebida alcoólica.

Membros da extrema direita em Wuppertal responderam ao aparecimento dos salafistas com um grupo chamado “Cidade de Defesa”, dedicado a devolver a segurança e restabelecer a ordem na região.

O ministro do Interior alemão, Thomas de Maizière, prometeu que o governo não tolerará os vigilantes da sharia. “Ninguém terá permissão para manchar o bom nome da polícia alemã”, disse em entrevista ao tabloide Bild, no fim de semana.

FONTE: Estadão

18 COMMENTS

  1. Que beleza! Esses b@b@c@s adoram o Islã, mas não a ponto de deixar a dolce vita na Europa e viver na Arábia Saudita.

    Sugestão para o controle dessa praga: cortem-lhes o seguro-desemprego.

  2. O que eles querem é a islamizar o mundo quero ver quando esses cortadores de cabeça chegarem ao Brasil o que a direita Americanizada e a esquerda Comunista-Socialista Brasileira vão fazer…..?

    Afinal lutar contra essa corja não pode eles são pobres coitadinhos o que os Fascistas e Nazistas Europeus estão fazendo contra eles é crime contra a republica a democracia etc.

    E enquanto isso as cabeças estão rolando e são muitas…….

  3. Srs
    Aqui no Brasil eles não virão, aqui “só” tem bolsa familia! (baixo para os padrões europeus) além disto, até mesmo estes grupos de radicais islâmicos, se vier para cá, “avacalha”.
    Abs

  4. A Europa nos séculos da expansão marítima e mesmo depois tinha uma força vital surpreendente, principalmente quando verificamos como eram poucos os que partiram para colonizar o mundo.

    A Austrália é um país gigantesco e… inglês !
    Assim como a Nova Zelândia, sendo que ambos estão do outro lado do planeta em relação a ilha britânica.

    A Índia de certa forma deve sua a unidade aos danados dos ingleses.

    A Espanha colonizou boa parte das américas, sendo freada ao norte pelos anglo dessedentes (misturado com irlandeses, alemães e sabe mais o que) e na margem do Atlântico Sul pelos portugueses, nossos patrícios.

    E por falar na terrinha, que energia louca ‘descobrir’ o Brasil, colonizar, impor religião, cultura e manter unido este gigante, inclusive contra aspirações do então poderosos franceses de Napoleão.

    Mas a Europa (e os europeus) não são mais os mesmos.

    Se acomodaram no ‘welfare state’, na tolerância excessivamente correta e na busca desavergonhada de mão de obra barata para fazer o serviço que não lhes interessava.

    Milhões de emigrantes invadem a Europa, mas não se misturam, até porque os europeus queriam apenas a mão de obra, sem buscar introduzir estes novos cidadãos na cultura, no jeito de ser dos seus países.

    Pior. Tinham que ir buscar ali pertinho, na África ou no Oriente Médio, economizando transporte e mantendo-os isolados. Para os emigrantes tudo bem, pois não queriam se aculturar, apenas um trabalho honesto, bem como educação e saúde de graça para os seus.

    Agora começou… ou já faz algum tempo.

    Pior ainda. Estes tolos do velho continente tinham mão de obra barata, com uma cultura cristã semelhante, logo aqui, nas Américas, seus descendentes… magnificamente misturados e, quem sabe, mais fortes.

    Novecentos milhões de americanos.
    Metade rica, principalmente no norte e nas classes mais abastadas da América Latina. Mas ainda muitos pobres que precisam de oportunidades. Era nas américas que os europeus tinham que buscar a força vital que estava se esvaindo… mas queriam apenas conforto.

    Agora criaram um problema, com cidadania e direito a voto.

  5. Perfeita sua colocação Ivan!

    Mas é engraçado como para nós latinos americanos era difícil buscar oportunidades melhores na Europa, sempre nos foram negados oportunidades naquela terra e quem conseguia chegar la era marginalizado pela sociedade, perguntem para os brasileiros que foram para a Alemanha morar longe de Berlin, ou para aqueles que foram para a Espanha sobre suas dificuldades. Nos negaram voltar a terra de origem mas abriram a porteira para velhos inimigos e povos que nunca tiveram uma relação histórica com o velho continente.

    Me lembra o Japão que tem visto sua taxa demográfica despencar e se tornar um país de idosos, uma nação que esta perdendo sua força de trabalho a passos largos e vendo sua divida pública atingir incríveis 200% do PIB para manter os benefícios de seus aposentados, mas mesmo assim quando os jovens descendentes nipônicos brasileiros vão para la se oferecer para os serviços braçais são tratados como lixo.

  6. Se a Europa nao começar a botar esse povo para correr, o mundo entrara em guerra total novamente, podem ter certeza disso.

  7. Os europeus merecem se danar, pela soberba com que sempre trataram o resto do mundo, e particularmente seus parentes e descendentes desgarrados nas Américas.

    Em duas gerações já serão minoria.

    Em duzentos anos serão história.

    Agora, na Alemanha nego andar uniformizado enchendo o saco de outro é mato desde o ano 1000…

    O alemão moderno é um povo frouxo…

  8. Em breve a turma pró-suástica, que lá na Alemanha tem de monte, dá um jeito nisso. Infelizmente esse briga ai vai ser entre “coisas ruins”.

    Movimentos como o Aurora Dourada da Grécia vão se tornar padrão na Europa nos próximos anos…

  9. Deveriam colocá-los em algum “passeio turístico” para conhecerem o Estado Islâmico na Síria, na verdade, conhecerem como serão os bombardeios americanos com esses coletes bem vistosos mesmo, ótimos alvos.

    Se puderem mandar os neonazistas também, ótimo. ….

  10. O problema europeu é bem mais grave, e infelizmente foi criado por eles mesmos.

    A Europa é um continente em acelerado processo de envelhecimento. Em 2030, mais de 20% do continente estará com mais de 65 anos. Em países como a Alemanha, 28% da população será idosa.

    Soma-se a isso a baixa taxa de fecundidade européia. Na Alemanha, a questão da imigração está sendo tratada como questão de estado. A taxa de fecundidade das alemãs está inferior a 1, enquanto que das muçulmanas está superior a 3. Cerca de 4 milhões de muçulmanos vivem hoje na Alemanha, o que significa que essa população, no espaço de tempo de duas a três gerações, poderá triplicar – o que causará problemas políticos sérios.

    Diga-se de passagem, o mesmo fenômeno acontece na Inglaterra, França, Espanha, Holanda e Escandinávia.

    Isso me lembrou o livro de Monteiro Lobato “O Presidente Negro”. Nele, Lobato prevê a internet, a eleição de um presidente negro, a televisão, entre outras tecnologias. Isso em 1926.

    Monteiro Lobato também previu o problema da imigração européia em seu livro. Só errou a etnia. No livro do taubateano, a Europa era dominada pelos amarelos. Nos nossos dias, a ameaça são os muçulmanos.

    Com a palavra, Miss Jane:

    – (…) No ano 3.527, por exemplo, vi na população da França evidentes sinais de mongolismo. Os trajes não lembravam nada do que usam hoje as criaturas em parte nenhuma da Terra, nem sequer pude perceber de que seriam feitos (…). Ficamos, eu e meu pai, perplexos ante aquele mongolismo da França. Só depois, fazendo cortes menos recuados e combinando uns com os outros, conseguimos decifrar o mistério. Tinham-se derramado pela Europa os mongóis e se substituído à raça branca.

    Tudo isso espanta o Sr. Ayrton, que exclama:

    – Que horror! Vai então acontecer essa catástrofe?

    A jovem sábia responde com serena impassibilidade:

    – Por que catástrofe? Tudo que é tem razão de ser, tinha forçosamente de ser; e tudo que será terá razão de ser e terá forçosamente de ser. O amarelo vencerá o branco europeu por dois motivos muito simples: come menos e prolifera mais. (…)

    Diante dessas palavras, não há como ficar mais uma vez espantado com a capacidade visionária do escritor taubateano.

  11. Rafael M. F.

    Ótimo texto….

    Mas pode ser também no futuro os Chineses invadam a Europa e deem uma rasteira nos Árabes….pode ser quem sabe????.

  12. A Alemanha não voltaria a falar grosso tão cedo.

    Existe um coeficiente para que eles possam fazer isso e, no momento, a única coisa que pode levá-los a chegar nesse coeficiente de maneira mais rápida, é terem as mesmas motivações dos americanos para poderem se armar até os dentes. Ou seja, terror islâmico.
    Outra possibilidade seria se, eles desgarrassem economicamente na frente do resto da Europa ao ponto de ficarem com capacidade industrial próxima da norte-americana. Porém, isso está longe de acontecer porque os EUA deram uma forcinha para amarrar a Alemanha na crise europeia.

    A Alemanha tem contas pra acertar com os russos, isso é fato. Se será o terror islâmico que vai reativar a industria de defesa alemã, bom, acho que sim.

    Save Ferris!

  13. Bosco,

    como sempre …. a culpa é …….. dos Judeus !

    Mas o Bibi já avisou, caso cheguem as margens do Jordão na Síria, será kabum …. kabum …. e mais kabum ….

    kkkk rsrsrsrs

    Não chegarão nem a fazer “cosquinhas” ….. rs.

    Shana Tova

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here