Fabrica KMW em Santa Maria-RS
Foto: Gabriel Haesbaert / A Razão

por Fabricio Minussi

Clipping“Nos coloquem a prova. Façam suas encomendas”. A frase proferida pelo CEO da Krauss-Maffei Wegmann (KMW) e repetida pelo diretor da empresa no Brasil, Christian Böge, marcou a cerimônia de inauguração, em Santa Maria, da primeira subsidiária da gigante alemã fabricante dos blindados Leopard e Gepard na América do Sul. O ato ocorreu nesta quarta-feira, na sede da KMW erguida em terreno de 180 mil metros quadrados, às margens da BR 287, no Distrito de Boca do Monte. Anunciada em escala mundial no Rio de Janeiro, durante a LAAD 2011 Defence & Security. A construção do complexo, que representou investimento da ordem de R$ 40- milhões, teve início em 2014. Durante a cerimônia também houve a entrega ao Exército Brasileiro (EB) do primeiro blindado Gepard, totalmente modernizado no Brasil. Trata-se da primeira das oito viaturas de combate que estão sendo modernizadas pelas instalações em Santa Maria, que serve de Base para 16 dos 34 veículos adquiridos pelo EB. A partir de agora a KMW oferece oficialmente, em território brasileito, a manutenção de 220 blindados da família Leopard adquiridos pelo EB, conforme contrato de cinco anos celebrado em 2011 e que será renovado por igual período. O serviço é realizado por um grupo de 30 colaboradores, sendo que três trabalham exclusivamente na elaboração de softwares. Muitos receberam treinamento em unidades da KMW na Alemanha e estados unidos.

“Queremos muito mais. Vamos fortalecer a indústria de defesa desenvolvendo mais viaturas e simuladores de combate. Para isso, queremos atingir a marca de 100 colaboradores para o mercado brasileiro e mundial e Santa Maria será a nossa base de exportações”, disse Frank Haun.

KMW inauguração
Ato ocorreu na sede da gigante alemã fabricante dos blindados Leopard e Gepard, às margens da BR 287 (Gabriel Haesbaert / A Razão)

POLO DE DEFESA ABRE AS PORTAS

“Hoje Santa Maria dá um gigante passo para se firmar como um polo de defesa, impulsionado pelo conhecimento formado pelas nossas universidades, da mão de obra qualificada e da transferência de tecnologias que esse processo representa. Do ponto de vista industrial, Santa Maria será dividida entre antes e depois da KMW. O projeto da empresa para a América do Sul é significativo e passa por Santa Maria. O futuro vai demonstrar que essa data será um marco na nossa história”, disse o prefeito Cezar Schirmer, em seu discurso perante as autoridades. Schirmer recebeu elogio especial do CEO Frank Haun. “Agradecemos o esforço do senhor prefeito, que sempre esteve ao nosso lado, estabelecendo a confiança necessária para que hoje possamos estar todos aqui”, afirmou Frank Haun.

O secretário Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Fábio Branco, representou o governador José Ivo Sartori no ato. “Esse momento para a cidade tem seu cenário industrial motivado. A KMW é um divisor de água para Santa Maria e para o Rio Grande do Sul”, comentou.

O comandante Militar do Sul, general Edson Leal Pujol, representando o comandante do EB, general Eduardo Villas Bôas, lembrou da aproximação do Exército com a KMW ainda no início dos anos 90, quando adquiriu os primeiros carros de combate. “De lá para cá houve um grande salto intelectual, técnico e de recursos humanos e, claro, ao nosso polo de defesa e à economia da cidade e da nossa cadeia logística. O sucesso da empresa está ligado ao sucesso do EB”, afirmou o oficial.

BUNDESHEER

A entrega, nesta quarta-feira, do primeiro Gepardo modernizado em Santa Maria, coloca o blindado empregado pelo Exército Brasileiro (eb) no mesmo nível dos atualmente em uso pela Bundesheer (Exército Alemão). Os Gepard serão usados nas operações de segurança dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.

FORNECEDORES

Segundo o gerente financeiro da KMW, Altair Moraes, disse que a KMW do Brasil, com sede em Santa Maria, possui aproximadamente 100 fornecedores de peças, materiais para blindados, de escritório e prestadores de serviços. Cerca de 80% dos contratos são com empresas de Santa Maria. A expectativa é de que o número de empresas colaboradoras possa aumentar ao longo dos próximos anos.

BUROCRACIA

A estrutura da KMW em Santa Maria começou a ser construída às margens da BR-287 em janeiro de 2014, passando por muitos entraves burocráticos que acabaram atrasando o cronograma das obras e a conclusão do complexo. A dificuldade de obtenção da licença ambiental do Governo do estado foi lembrada durante discurso do CEO.

EXPANSÃO

Segundo o diretor da KMW no Brasil, Christian Böge, a partir de 2018, o projeto de expansão prevê uma linha de produção de um novo carro de combate, o Leopard BR. A empresa alemã também pretende atender o mercado civil, com a fabricação de veículos 4×4, além de blindados para as polícias Civil e Militar.

TECNOLOGIAS

A presença da KMW em Santa Maria proporciona uma transferência de novas tecnologias muito intensa, o que é determinado pelo Plano Nacional de Defesa elaborado pelo Governo Federal. Da mesma forma, a KMW qualifica uma mão de obra especializada, diferenciada para o nosso mercado.

FONTE: A Razão

39
Deixe um comentário

avatar
32 Comment threads
7 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
23 Comment authors
KMW do BrasilgabrielmanccineFabianoCarlos Alberto SoaresW.K. Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
wwolf22
Visitante
Member
wwolf22

R$ 40 milhões pra abrir uma mecânica com funilaria/pintura ?!?!?!?!
ta sobrando EURO pra KMW…
Mais uma empresa que caiu no conto dos vermelhos…

MOSHE DAYAN
Visitante
MOSHE DAYAN

fabrica pra fabricar o quê ???

Francis Schonarth
Visitante
Francis Schonarth

Fabrica que não fabrica? Mas tudo bem, não custou nem 10 milhões de euros mesmo.

Zoreia
Visitante
Zoreia

Alguém sabe explicar por que Santa Maria e não uma cidade mais perto do centro do Brasil?

KMW do Brasil
Visitante
KMW do Brasil

Porque na região de Santa Maria existe o maior contingente blindado do exército brasileiro

Ocidental Sincero
Visitante
Ocidental Sincero

O investimento da KMW faz total sentido em relação aos gastos que o EB irá realizar nos próximos anos. Tem gente querendo fábrica, mas nao pensa que nao temos orçamento para comprar. Essa funilaria já está de bom tamanho para o cenário atual.

Luiz Campos
Visitante
Luiz Campos

Só não pode faltar encomendas. Do contrário não dura 2 anos. Torço que o polo de defesa se desenvolva, apesar do histórico de abandono de muitos projetos viáveis por falta de uma política de defesa séria.

Alfredo Araujo
Visitante
Alfredo Araujo

“wwolf22 15 de março de 2016 at 14:17″
Mais uma empresa que caiu no conto dos vermelhos…”
.
3 dezenas de Guepard e mais de 3 centenas de Leo 1 para manutenir… Não ta bom para vc ?
.
Ta na cara que 99% dos que comentam aqui nos blogs, tem aquela sede incontrolável de criticar, de reclamar… de falar uma boa bosta.
O bom senso está perdendo de lavada para o ódio e …

Bardini
Visitante

“R$ 40 milhões pra abrir uma mecânica com funilaria/pintura ?!?!?!?!” . Quanta inocência… Compre um terreno do mesmo porte que o da KMW, retire a papelada e licenciamentos infindáveis, projete uma planta, construa esta planta, compre o ferramental, equipamentos de locomoção e movimentação, veículos e demais insumos necessários… 40 milhões não é nada absurdo para uma planta no estado da arte nos dias de hoje. E se engana quem pensa que a fabrica não irá fabricar… Muitos componentes para manutenção podem ser fabricados por aqui, seja pela KMW, seja por terceiros. . “Alguém sabe explicar por que Santa Maria e… Read more »

Alan
Visitante
Alan

zoreia foi para santa maria por que ela é alemã,e ela prefere lá por que o resto do brasil não é alemão entende?

KMW do Brasil
Visitante
KMW do Brasil

Veio para Santa Maria pois na região tem o maior contingente blindado do Brasil

Roberto F Santos
Visitante
Roberto F Santos

Uma oficina de bairro tipo aquelas que conserta fusca tava de bom tamanho, mas de besta Alemão não têm nada, vai prestar serviço para as sucatas que conseguimos por ai…..

Bardini
Visitante

Alan,
.
Se isso fizesse algum sentido, ela teria ido para algum polo industrial do nordeste de SC…

KMW do Brasil
Visitante
KMW do Brasil

Logisticamente é mais barato para o Brasil se a empresa se instalasse onde possui maior quantidade de blindados, não?

clovisarrue
Visitante
clovisarrue
alexandrefontoura2013
Visitante
alexandrefontoura2013

Concordo com o Bardini. O pessoal não está vendo como os alemães estão pensando à frente. O futuro MBT do Exército Brasileiro, substituto dos Leopard 1A5, poderá ser desenvolvido em termos similares ao do contrato do EB com a Iveco, para o desenvolvimento do Guarani. Não há crise que dure para sempre. Os alemães sabem disso. Fincaram um pé antes no Brasil…

leandro moreira
Visitante

Vcs sabem aquela pessoa invejosa que nao se aguenta qdo quem é alvo de sua inveja e odio conquista algo de bom? Este blog esta cheio deles kkkkkkk bom foi qdo um certo mandatario comprou dois tipos diferentes de blindados e logo muitos estavam indisponiveis por ter duas linhas de logistica para administrar e falta de pessoal qualificado para manutenir, isto causa neles um profundo sentimento de frustracao e suas reacoes sao de criticar e falar mal de cada conquista, pra mim tem sido divertido ve-los se remoer de inveja.

joao batista mattos
Visitante
joao batista mattos

Caros, foi dito na reportagem que 8 gepardos serão modernizados para uso nas olimpíadas. Alguém sabe dizer que modernização é essa, quais os componentes foram substituidos? Abraços

KMW do Brasil
Visitante
KMW do Brasil

Essas informações são sigilosas, abraço.

wwolf22
Visitante
Member
wwolf22

Alfredo,

sou realista…
quero ver so se toda essa quantidade ” absurda” de blindados que vc mencionou será atualizada !!!!
mas nem metade….
espere e veras…
a realidade eh bem diferente de números em papel !!!

KMW do Brasil
Visitante
KMW do Brasil

Amigo, foram atualizados todos os carros, abraço!

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Leandro aprenda a falar com conhecimento de causa para não falar asneiras. Aqui o comportamento usual de falar meias verdades para incautos não funciona. Que que voce sabe sobre a disponibilidade dos Leo 1A1 e M-60? Tu é cavalariano ou de Mat Bel por acaso?

Alfredo Araujo
Visitante
Alfredo Araujo

“wwolf22 16 de março de 2016 at 8:42”
.
Quem falou em atualizar ? Eu escrevi manutenir…

wwolf22
Visitante
Member
wwolf22

enfim…

Bueno
Visitante
Bueno

Aos conhecedores do blindado Gepard, o que foi modernizado ?

KMW do Brasil
Visitante
KMW do Brasil

Essa informação é sigilosa, abraço.

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Bueno, a versão que recebemos, ao contrário da que adquiriu o Chile, foi convertida para o padrão digital ainda na Alemanha.

KMW do Brasil
Visitante
KMW do Brasil

Chile não tem gepards.

wwolf22
Visitante
Member
wwolf22

Off-topic…
deixando as diferenças de lado, excelente video mostrando o treinamento paraquedista nos anos 70…
https://www.youtube.com/watch?v=Xt1p9H5YOag
a parte 02 da reportagem eh muito interessante… mostra os desafios na Amazonia naquela época…

Bueno
Visitante
Bueno

muito obrigado Colombelli. Pensei que seria a implantação de misseis de curto alcance, iguais ao do vídeo, já que não fechou com Pantsir.
https://www.youtube.com/watch?v=R7HUrrTDxQQ
Seria uma ótima oportunidade para implanta-los nesta modernização, justificando a falta do Pantsir na proteção das áreas nos jogos Olímpicos

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Bueno considerando o curto envelope de engajamento dos misseis que poderiam ser usados acoplados ao Gepard não haveria significativo incremento ao seu poder de dissuasão. Os canhões com sistema digital cobrem bem este alcance. A questão é que não temos hoje sistemas de média e grande altitude, e bombas de planeio podem ser disparadas a mais de 40km e 10.000 metros, fora da capacidade de nossa defesa. Este gap ficará sério quando outros paises da AL começarem a por em operação estas capacidades ofensivas como ja temos no Chile, Peru ( limitadamente), Colòmbia, e venezuela (so pra desfiles)

Mauricio R.
Visitante

Essa fábrica é uma forma de impedir que o EB faça no “Leopard”, aquilo que se fez no M-41. Somente. Se vierem a fazer, os “tedeschi” querem fazer parte do esforço.

Mauricio R.
Visitante

“…coloca o blindado empregado pelo Exército Brasileiro (eb) no mesmo nível dos atualmente em uso pela Bundesheer (Exército Alemão).”
.
O “Gepard” deu baixa no Bundesheer, em 2010. Err…

W.K.
Visitante
W.K.

Considerando que no Sul temos justamente as maiores concentrações de forças blindadas, seria de se esperar que eles construiriam a fábrica aqui.

Vai construir a fábrica onde? RJ? MG? Pra quê? Por que?

E é justamente em Santa Maria que fica a sede da 3ª divisão de Exército.

Luiz Campos
Visitante
Luiz Campos

Ótima notícia, porém sem ufanismos, por favor. Do contrário vamos nos igualar aos bolivianos e demais bolivarianos em contar vantagens e supervalorizar pequenos ganhos. Essa oficina não nos faz uma superputenphia.

Bueno
Visitante
Bueno

Colombelli, m,ito obrigado pelo esclarecimento. Entendi sua explicação, os misseis no Gepard seriam superdimensionados já que é para curto alcance e os canhões da uma boa saturação com sistema digital melhora mais o acerto do alvo e com custo menor. Sistemas como o Pantsir é para média altitude.
Bacana, muito obrigado!

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Muito bom, sejam bem vindos.
Localização muito adequada.
Que venham mais Guepard’s (Não custa nada sonhar).
Defesa de colunas, desdobramentos etc ….

Fabiano
Visitante
Fabiano

Bardini 15 de março de 2016 at 19:24 Concordo 100% ,parabéns belo comentário.

gabrielmanccine
Visitante
gabrielmanccine

Pessoal, essa fábrica aí abriu não somente com o intuito de manutenção de blindados do EB, mas também do projeto do novo tanque a KMW vai desenvolver para o EB, li em um artigo que o EB e a KMW firmaram um acordo para o desenvolvimento de um novo tanque ( mais ou menos a parceria que o EB tem com a Iveco no desenvolvimento do Guarani), o desenvolvimento desse novo tanque, deve começar no ano de 2017.