Home Blindados 15ª Bda Inf Mec testa embarque em composição ferroviária

15ª Bda Inf Mec testa embarque em composição ferroviária

5028
53

Cascavel (PR) – A 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada (15ª Bda Inf Mec) realizou, em 4 de julho de 2018, o teste do embarque em composição ferroviária da Viatura Blindada de Transporte de Pessoal Média sobre Rodas (VBTP-MSR) Guarani.

Durante a atividade, foram realizados testes de embarque em vagões ferroviários da VBTP-MSR Guarani, dotada de Sistemas de Armas REMAX e UT-30 BR, visando à preparação da Brigada para a Operação Atlântico V.

O procedimento de embarque aconteceu no Terminal da Ferroeste de Cascavel (PR) e contou com a participação de militares do Comando da Brigada, do 33º Batalhão de Infantaria Mecanizado e do 15º Batalhão Logístico.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

53 COMMENTS

  1. Sei que nada tem a ver com o tópico mas o Brasil devia acabar com a pouca vergonha da situação na Venezuela pois já está impactando ,e muito, negativamente aqui com retorno de doenças erradicadas e tal,mais gastos em vários setores .
    Gasta um dindin sumindo com Maduro e sua corja social/comunista do mapa de modo aos venezuelanos voltarem pra casa e se reerguerem pois creio que será menos danoso/custoso do que remediar aqui tudo o que pode, e já começou, acontecer com a entrada em massa de pessoas fugindo do grande mal que assola seu país.

    • Voce acredita que o atual governo faça alguma coisa ?
      (lembrando que o atual governo é continuação do governo comunista de Dilma Rousseff, não existe essa de golpe e agora entrou um governo de “direita”)

      • Pois é, aguardemos 2019 em diante, se é que me entende,rs.
        Posso estar viajando na maionese mas, muita coincidência a liberação de tanto equipamento do tio Sam pro EB nestes tempos e como é sabido que se fazem estudos e mais estudos antes de uma ação propriamente dita, creio que num futuro não tão distante veremos alguma atitude por parte do Brasil com apoio do tio Sam.

        • Tomcat não somente com a Venezuela, onde a maioria da população anseia a extirpação deste governo, mas aqui provavelmente a partir de 2019, teremos a lei do abate para meliantes portando armas de guerra, que a meu ver e a de alguns, são terroristas travestidos de traficantes, e antes que venham os movimentos de defesa dos direitos destes, para não serem abatidos, é simples, não utilizem sem permissão armamento de guerra, que aliás se aplica tb aos defensores dos menores inocentes que não sabem o que estão fazendo, não querem ser punidos, não pratiquem crimes, estudem e trabalhem (lógico aos que a lei permitir). abraços st4

    • Olá Tomcat. Discutimos bastante essa questão no post sobre o Trump. Em um dos meus comentários, deixei uma excelente referência escrita por um oficial do EB sobre como a legislação internacional orienta essa questão. Uma intervenção humanitária teria que ter apoio do Conselho de Segurança, além do consentimento do governo venezuelano. Se tiver um tempinho, os sugiro ao menos os dois primeiros capítulos. Sobre o problema de saúde publica na fronteira e em Boa Vista, concordo com você que o governo de Roraima não tem condições de sozinho atender as necessidades. O governo federal precisa ajudar.

      • Camargoer, O conselho de segurança da Onu não abrange os EUA e nem as grandes potências. Estas fazem o que querem e quando querem. abraços st4

    • Olá Fox. Encontrei uma reportagem da BBC sobre a questão da vacinação. O problema na fronteira Brasil-Venezuela e em Boa Vista é principalmente o sarampo, mas o que me deixou mais preocupado são os casos de poliomielite em SP. Em relação ao sarampo, o dado estatístico mencionado diz que a erradicação da doença ocorre quando os níveis de vacinação superam 95% (a reportagem menciona surtos de sarampo nos EUA também, devido a resistência de certos grupos em vacinar suas crianças). O caso da polio, os índices de vacinação estão abaixo de 50% (chagando a 15% em alguns municípios da BA). Parece que o problema é mais grave do que parece e a questão da Venezuela é um agravante sobre o sarampo em RR, mas não pode ser colocado como causa ou fator principal. Procure por “Sarampo, pólio, difteria e rubéola voltam a ameaçar após erradicação no Brasil
      Laís Modelli” (aproveite para verificar a carteirinha de vacinação das sua família. Aqui em casa, temos uma enorme preocupação com isso, inclusive tétano e febre amarela).

    • Olá Tomcat. Encontrei outra reportagem da BBC Brasil de agosto/2017 com dados obtidos do Ministério da Saúde. O problema realmente é bem sério mas tem pouco a ver com a crise na Venezuela. Isso significa quee temos que trabalha duro convencendo nossos amigos e conhecidos para retomarem suas preocupações com as campanhas de vacinação (será que o pessal esqueceu?). Procure por “Vacinação em queda no Brasil preocupa autoridades por risco de surtos e epidemias de doenças fatais”

        • Olá Tom. (riso) Olá a sua carteirinha também…. por parecer coisa insignificante mas o sogro da minha irmã morreu de tétano, morando em uma cidade do Grande ABC. Um abração.

          • Que brabo hein!!!
            A antitetânica tomei ano passado(pisei em prego).
            Abraço e bom fim de semana pra nós, no meu caso no trabalho.rs

    • Tomcat para o Brasil vai poder militar, e claro vontade política, ninguém quer um abacaxi estrangeiro se já tem varios internos.
      Mas no futuro se o Brasil não fizer nada a situação lá vai trazer um serio problema de segurança nacional, podemos ter um estado falido, Rogue State, com suporte chines e russo nas nossas fronteiras, um absurdo.
      Deveríamos pressionar até o talo a Venezuela inclusive fazendo uma coalizão diplomatica com os paises da AL, até o maduro e seus estado boliviariano ir embora.

      • Sim sim, uma coalisão sul americana encabeçada pelo Brasil seria o ideal, nos consolidaria de vez como maior player da AL e mostraria a força que se pode agregar ao se juntarem países da América do Sul em prol de um bem comum.
        Já ficaria a mostra para futuros e prováveis aventureiros que podem vir a ter planos de passear ,sem convite, por estas bandas.

    • Se isso acontecer, eu espero que seja você ou seus filhos a irem para a guerra.
      Espero também que seja a empresa da qual você é dono ou empregado que sofra com a crise econômica que vai se agravar, em razão dos gastos com a guerra. Porque guerra não é barato.

      • Olá Wilson. Essa história de invadir a Venezuela para derrubar o Pres. Maduro é apenas boato. Existiriam poucas alternativas. 1) uma intervenção humanitária com aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU (neste caso, ela tem que ser solicitada pela Venezuela). 2) uma intervenção militar aprovada pelo Conselho de Segurança (isso só ocorreria caso a Venezuela tivesse provocado um conflito). 3) uma intervenção militar estrangeira em caso de guerra civil sem aprovação do Conselho de Segurança mas com apoio internacional (mas tem que ter a guerra civil) 4) uma intervenção estrangeira sem o apoio do Conselho de Segurança ou apoio internacional seria um fracasso e resultaria em fortalecimento de Maduro (como ocorreu com Chavez quando ocorreu a tentativa de golpa de estado).

        • A verdade é que ninguém de respeito, respeita estas regras. Nem os EUA, nem a Rússia ( vide Crimea) nem a China ( vide Tibet) nem qualquer outro player de respeito. Estas tais regras servem apenas para os estados fracos, submissos e dependentes. Bonito no papel, mas inexequível na prática para quem realmente interessa-se em defender seus interesses.

          • Por que você não monta uma milícia armada e vai lutar contra o Maduro?
            Sem dinheiro dos meus impostos.

          • Caro Wilson. Semana passada li um excelente estudo escrito por um militar do EB “O direito internacional dos conflitos armados e a ética profissional militar nas pequenas frações:instrumentos fundamentais da força terrestre para o combate do século XXI”. Mas também existe o Art.4 da CF88 que diz que as relações internacionais do Brasil serão regidos (entre outras coisas) pela IV – não-intervenção. Achei interessante o seu comentário sobre quando menciona que não concorda que usem seus impostos para uma intervenção na Venezuela. O Maj Grala também discute como a mídia e a opinião pública podem crias o sentido de guerra justa ou não na população, o que pode até determinar o sucesso ou fracasso de uma ação militar. O tema é bem complexo e poderia ser debatido com grande profundidade.

        • É isso aí, Camargoer.
          Mas aqui nesse fórum pipocam pessoas que acham que, por que o tema central é militar, o que importa são demonstrações de macheza, bradar que bom é resolver tudo na força e impor a vontade à margem das leis. É como se defendessem o regresso a um estado natural, como descrito por Hobbes ou Locke, em que cada um impõe sua vontade pela força e prevalece o mais forte, coisa de macho.
          Quando o contrário seria muito melhor. Se cada vez mais pessoas e países respeitassem as regras estabelecidas, que são fruto da evolução humana, fruto do aprendizado de duas guerras mundiais, melhor seria o convívio e a vida.
          Mas, enfim, isso aqui é só um fórum de internet. Falar é uma coisa, fazer é outra. Duvido que um décimo dos comentaristas se enfiaria na selva venezuelana para lutar contra o Maduro.

          • Olá Wilson. Obrigado pelo comentário. Acho interessante que o Direito Internacional sobre guerras nasceu da necessidade de proteger os combatentes no fim do Sec XIX e início do Sec XX e depois da II Guerra para proteger a população civil. Você tem razão quando menciona que não faz mais sentido pensar em uma guerra sem levar em contar o desastre humano (e material) que ela provoca. Acho que uma das vantagens do sistema democrático mundial foi o de limitar a liberdade dos governantes principalmente sobre a guerra. Se tiver um tempinho, sugiro uma leitura rápida do texto do Mal Grala.

          • Cara quer ficar de papo hippie está no blog errado e tbm nem me conhece pra vir com acusaçoes sobre minha forma de pensar, e ao Ken ionar meus filhos na sua falácia fostes bem infeliz, mas, Deus abençoe a vc é sua família. E o dinheiro dos meus impostos tbm estão na conta. Só fiz um comentário pra gerar um debate sadio sobre a questão dos venezuelanos e tal ao q o Camargoer, com maestria, me abriu os olhos .

  2. Achei estranho os veículos sendo embarcados com a ajuda de um guindaste. O normal é usar uma rampa ou terminal de carga para executar este tipo de embarque/desembarque pois nem sempre haverá um guindaste deste porte disponível. Principalmente se houver interrupção de rede.
    A experiência vivida em outros exércitos mostra esta operação sendo executada com os próprios meios das viaturas. Mas,…!

    • Talvez o guindaste foi apoiando o peso aos poucos antes de soltar para garantir que a estrutura se sustentasse… Como dito é um teste e como tal deve ter sido feito para averiguar algumas hipóteses que não, desta vez, uma situação real de emprego! Talvez sabendo agora que se suporta, se treine o emprego…
      .
      Por isso nesse caso foi assim que deve ter ocorrido… Talvez algum especialista me corrija e traga informações melhores…

      • É isso. mesmo. testes são efetuado por partes. Cada aspecto é testado separadamente e depois de validados todos é que se faz um teste integrativo e operacional. O próprio adestramento da força se dá desta forma.

        • Podem me ajudar a entender, pois o guarani pesa quase 15 ton, menos que um contener de 20′, essas composições levam contener de 40 pés com quase 50 ton. Então pq do teste? Não eh meio lógico que a composição iria aguentar? Ou se testam outras coisas fora isso?

  3. Muitos não concordam, mas é bonito esse bichão!!!

    Já vi de perto na LAAD e nas ruas do RJ! Com REMAX, UT-30, de todo jeito. Gostaria de ver a versão com canhão de 90 mm!

    • Também gostaria de ver a torre com o Hit Fact 90 mm da cockeril (acho q é isso mesmo) totalmente no estado da arte q não deixa nada a dever pra um 105mm.

      • O que eu mais gosto no Guarani são as grades colocadas nos encaixes da blindagem.

        Pelo que eu li, foi ideia dos soldados que viram que aquilo não tinha uso quando o Guarani está sem a blindagem adicional. Então fizeram aquilo para carregar as mochilas na lateral.

        Atestado de como o “jeitinho brasileiro” pode ser usado para o bem. A capacidade do brasileiro de achar saídas criativas para problemas.

  4. Boa noite
    O seguinte eu particularmente tenho dó do povo da venezuela mas pelo outro lado temos que pensar o seguinte cada um com seus problemas.
    Não podemos segurar essa barra toda isso tambem ja é de caso pensado desses governantes atuais e dos que saíram, para começar a implantação do comunismo no Brasil.

  5. Meio off topic mas recentemente eu li um artigo, sobre um estudo de um general americano, sobre o grupo de combate, e o que ele aponta, é que o grupo de combate de 9 soldados é ultrapassadoe que com os avanços tecnológicos um comandante pode comandar um número muito maior de soldados.
    Ai me veio na cabeça, o EB tem algum estudo assim?
    O EB usa o poder de manobra até nas ultimas organizações como grupo de combate e esquadra de fuzileiros, como nos EUA, ou só no nivel de pelotão como na 2GM ?
    O EB tem o soldado que carrega a metralhadora em nivel de esquadra como nos EUA tem um com a M249?
    O EB tem o Designated Marksman no grupo de combate ?

    • Bom dia
      Todos os níveis manobram.
      Há maneabilidade até o GC. A esquadra, comandado pelo Cb, também pode manobrar dentro dela, mas é bem simples.
      No EB, utiliza-se o FAP na esquadra, assim como no RU utiliza-se o L86.
      Com a chegada do IA2, e adoração do 5,56, versão semelhante ao FAP ou L86 não deverá acontecer. O M-249 deverá ser adotado.
      Para operações de guerra(diferente de GLO), a M-249 está como a prevista.
      O Pel Fuz utiliza um atirador de escol. Não se utiliza o termo sniper no EB. Este é chamado de caçador, e não é a mesma coisa, pois, assim como o DM atira mais curto.
      Com a entrada do IA2, um homem por GC pode ser preparado assim.
      Antes, podia ser preparado um por GC, mas se utilizava um por pelotão.
      Nas antigas SUOPES, constituídas por PELOPES para, principalmente CG, era comum q cada GC tivesse um atirador de escol.

  6. Em Cascavel a 15ª já tem 6 unidades do Guarani com UT-30BR e esse ano era pra receber mais 6 isso se já não recebeu faz um tempinho que eu não passo na frente e senão tô enganado pelo que eu vi estacionadas no quartel tem mais 5 ou 6 com a REMAX é o resto e com reparo simples é com a Blindagem modular eu só vi uma é já faz um tempo o que mostra que por essas bandas o EB tá bem equipado e a coisa mais legal ver na BR aquela coluna blindada de mais de 20 Guarani e mais uma fileira de caminhões e veículos de apoio indo pra treinamento, único ponto que ainda falta por aqui e armar todos os batalhões com o IA2 porque uma parte ainda carrega o FAL.

  7. Da pra desdobrar por trem de Santa Maria até Boa Vista? Ou outro modal que não seja caminhão… com um país do tamanha do Brasil? Ideal seria trem.

    • Prezado
      De Cascavel até Boa Vista, com vários modais, a distância mais próxima é de 4.470 Km.
      De Lisboa até Moscou, com vários modais, a distância é de 4.561 Km.
      Percebe a complexidade da defesa no Brasil?
      Percebe como as coisas não são simples para um único exército como acham Q é em outros de realidades diferentes?
      Sds

      • O pessoal esquece que o Brasil e maior que toda a Europa claro tirando a parte europeia da Russia que sozinha corresponde a 40% do território, a Europa mesmo tem um pouco menos de 7 milhões de km² enquanto nosso Brasil conta com mais 8,5 milhões km², o pessoal não entende que no Brasil tem dezenas ecossistemas e relevos diferentes não é uma solução simples construir ferrovias de fora a fora cortando um território 15 vezes maior que a França como também não e impossível o que manda e se tem Money e em quantidade pra isso.

      • Justamente por isso, não seria interessante ter um esquadrão de cavalaria permanente em BV? Já é complicado chegar em tempo de paz por conta desses problemas todos, imagina em tempo de guerra.

        Mas uma coisa é verdade: o território dusamericanu tem 9.800.000 km2 e tem ferrovia pra tudo quanto é lado, mais de 200 mil km. O Canadá tem 9.900.000 km2 com 80.000 km de ferrovias. A gnt tem 8.500.000 km2 com 30.000km de ferrovias, e nenhuma cruza o país com a mesma bitola. A questão nesse caso é pensamento estratégico nacional, de se fazer o que precisa pro país crescer quando é oportuno.

        • Como eu citei o que manda e dinheiro o principal seguido de engenheiros de qualidade, seguido de licenças ambientais o que é mais difícil por causa de tanta ONGs ferrando o sistema, seguido de mais dinheiro pra desapropriação de propriedades e terras agrícolas, seguida de mão de obra qualificada é toda uma cadeia sem fim de logística e burocracia, isso tudo aliado ao nosso território de diversos relevos e biomas e condições climáticas adversas o território nacional em sua maioria não é plano e desértico como o território americano, esses dias eu lia um texto sobre as dificuldades de implantação de novas ferrovias no Brasil e no texto apontou que a dificuldade de se construir linhas férreas no Norte do Brasil era praticamente faraônica uma região com umidade abundante, solo arenoso e encharcado, rios caudalosos, clima extremo entre meses de chuva constante e meses de seca escaldante é no texto afirma que as regiões brasileiras onde linhas férreas podia funcionar plenamente eram a Região Sul, Sudeste, parte do Centro-oeste e uma grande parte do nordeste.

          • A China fez ferrovia sobre o “permafrost”!
            Será que não conseguiríamos mesmo?
            E a Madeira-Mamoré?
            Parece-me pura má vontade e não falta de tecnologia ou de capacidade.

  8. Fora do tópico

    Mas a música, o estilo e a cadência de marcha dos soldados de “La Légion Étrangèrea” são muito bonitos.
    Vive la France!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here