Home Noticiário Internacional Libertação sob os rotores do Exército Brasileiro

Libertação sob os rotores do Exército Brasileiro

175
19

Na cobertura da TV colombiana da libertação de um refém das Farc, o “coadjuvante alado” do Exército Brasileiro roubou a cena. O Blog das Forças Terrestres transmite os sinceros parabéns aos tripulantes e a todo o pessoal da Aviação do Exército por mais esta importante missão cumprida.

ATUALIZAÇÃO: acrescentamos, a este post publicado ontem, a matéria abaixo que saiu hoje (6/02/09) no jornal O Estado de São Paulo:

Cordilheira e idioma desafiaram brasileiros

Militares são elogiados por missão

João Paulo Charleaux, SÃO PAULO

Os 18 militares brasileiros que participaram do resgate dos seis reféns das Forças armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) enfrentaram várias situações curiosas ao longo dos sete dias de missão na selva colombiana. Como nenhum deles fala espanhol fluentemente, ninguém – nem os funcionários do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) nem os reféns – entendia o que eles diziam em português. Os militares brasileiros ficaram assustados ao sobrevoar a Cordilheira dos Andes, mas ao final tudo deu certo e a experiência foi inesquecível para o grupo.

“As libertações despertaram sentimentos novos e emocionantes para todos”, disse ao Estado a chefe das operações do CICV para a América Latina, a suíça Patrícia Danzi, que esteve no helicóptero durante duas das três operações de resgate.

O coronel Achiles Furlan Neto, que comanda o grupo, disse que a sensação de participar “da libertação de cinco sequestrados que puderam se reencontrar com suas famílias é algo tão bonito que te faz seguir” em frente. Apesar de integrarem um batalhão de elite que atua nas fronteiras, os brasileiros não falavam espanhol. Dois deles se comunicaram com o restante da equipe em inglês e francês. “Mas eles entendiam tudo perfeitamente. Nós é que não conseguíamos entender português”, contou Patrícia.

Segundo ela, um dos momentos mais difíceis para os pilotos foi sobrevoar a cordilheira em direção a Cali, onde os helicópteros tiveram de contornar montanhas de até 5 mil metros – um desafio novo para os pilotos brasileiros, acostumados a voar na selva e em condições meteorológicas adversas. Para evitar problemas de respiração provocados pelo ar rarefeito, um militar especialista em oxigênio foi incluído no grupo.

Patrícia também revelou que os três policiais e o militar libertados no domingo, na primeira das três etapas da operação, foram pegos de surpresa. “Eles foram informados de que quatro pessoas seriam soltas naquele dia, mas não sabiam que seriam eles”, disse Patrícia.

O Brasil cedeu 18 tripulantes e 2 helicópteros modelo Cougar do 4º Batalhão de Aviação do Exército, com base em Manaus, para auxiliar na operação. Enquanto uma aeronave partia para os resgates, a outra esperava em solo, de reserva, com os outros 13 militares a postos.”O envolvimento do Brasil deu uma dimensão internacional à missão”, disse Patrícia. “A tripulação brasileira foi muito profissional. Eles fizeram um tremendo trabalho, apesar da pouca familiaridade com a área onde estavam voando.”

Patrícia se disse contente com a missão, mas lembrou dos “milhares de colombianos cujo paradeiro é desconhecido”, entre eles militares colombianos que há dez anos são mantidos em poder da guerrilha. O CICV não descartou a possibilidade de um acordo que permita outras libertações no futuro, mas não fez menção a um possível papel do Brasil, elogiado pela discrição na atual missão.

Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rodrigo
Rodrigo
11 anos atrás

emocionante,o Brasil aos poucos vai se firmando como líder da região.
sem alarde sem propaganda, assim que deve ser feito, hugo chaves deve ta morrendo de raiva.

RL
RL
11 anos atrás

Precisou de “Tom Autoritário’? Precisou de “Ceninha de Exibicionismo’? Precisou de “Voz ditatorial’? Precisou de “Anti-imperialismo’? Precisou de “Fundamentalismo”? Nâo precisou de nada disso. Bastou exercer sua influência de forma diplimática tendo como base o diálogo de mediador dentre as partes para que uma cena como esta seja realizada. Concordo com o amigo Rodrigo. Aos poucos vamos nos firmando como lideres, e sem alarde, sem propaganda, aliás, a propaganda foi feita pelos próprios locutores que por várias vezes elogiaram e mencionaram a cooperação de nossos “rapazes” nesta empreitada. Chavez, realmente vc é um lixo que não serve nem pra intermediar… Read more »

Democracia
Democracia
11 anos atrás

RL,

concordo plenamente, acho que todos, inclusive os que são contra as nossas FAs, devem humildemente elogiar esta ação, que eu espero ser a primeira de muitas.

Viva ao Exercito Brasileiro !!!

Viva a Republica !!!

Patriota
Patriota
11 anos atrás

Simplesmente uma atuação fantastica do Brasil
realmente uma demonstração da competência de nossos militares
se nos tivessemos um aparelhamento digno das nossas forças armadas
estas seriam as mais competentes do mundo.
saudações

Rodrigo
Rodrigo
11 anos atrás

O Brasil cumpriu papel de gente grande…

Parabéns!!!

Rodrigo
Rodrigo
11 anos atrás

Só um detalhe…

Fica evidente que os militares fizeram um bom trabalho.

Mas como o nosso governo realizou contatos com a FARC para libertar reféns, pois isso foi negociado…

Leiam o artigo do defesanet: http://www.defesanet.com.br/pensamento1/villamarin.htm

Ele ajuda a elucidar alguns fatos.

Porque o nosso governo não agiu em conjunto com o governo do Uribe?

Existem questões que estão acima desta ação e que são suas verdadeiras razões.

No entanto, engrandeço o grande trabalho desta equipe do exército brasileiro que se mostrou profissional e competente.

Será que o Marco Aurélio Garcia ligou para seus CAMARADAS da FARC?

Roberto
Roberto
11 anos atrás

O que nós oferecemos e continuaremos oferecendo nessas ações humanitárias é a infraestrutura de logística que nós dispomos. O Brasil tem expertise e aparelhos capazes para atuar nos Andes”, declarou o ministro da Defesa, Nelson Jobim, no Rio de Janeiro. Diferentemente da Venezuela no ano passado, o Brasil deu a ação um enfoque técnico, não político – uma opção adequada já que o conflito com as Farc é um tema bastante delicado na Colômbia e o objetivo da operação é estritamente humanitário.Parabéns ao EB e a diplomacia brasileira por esse grau de competência. Abaixo um vídeo da Aviação do Exército… Read more »

angelo
angelo
11 anos atrás

Amigos, vamos deixar a ingenuidade de lado. Em política não existe nada gratuito. O trabalho de nossos militares foi bem feito, sem dúvida. Perigo não correram pois as FARC, pertencem ao mesmo matiz ideológico de nosso atual governo. Eles nunca atacariam aliados do Foro de São Paulo e de Marco Aurélio Garcia, comunista notório. Acredito que o único perigo, foi voar nestes helicópteros nem sempre confiáveis. Contribuimos mais uma vez para enfraquecer o governo Colombiano, aliado do grande satã americano.

fuzileiro
fuzileiro
11 anos atrás

Como assim “helicópteros nem sempre confiáveis”. Explique-se, não jogue acusações ao vento, mostre ao menos uma relação de acidentes ocorridas por falhas mecânicas ou de manutenção com as aeronaves da AvEX desde a sua criação, antes de fazer uma afirmação desta.

André
André
11 anos atrás

O que seria um militar especialista em oxigênio???
Sds a todos!

angelo
angelo
11 anos atrás

Caro fuzileiro, quando falo “nem sempre confiáveis”, me refiro aos nossos equipamentos, o qual todos sabemos não são os melhores, na maioria das vezes obsoletos, por falta de vontade de nossos políticos. Falhas de manutenção, não foi a isso que me referi, pois possuo a maior admiração por nossos mecânicos, pois senão não seria possível voar nessa geringonça de F 5E, navegar no Nae São Paulo ou trafegar em M113, jeep Willys ou M60. Moro em Santa Maria, e testemunho a abnegação e competência de nossos mecânicos, que ainda fazem voar velhos Bell, sem nenhuma modernização importante. Militares do EB,… Read more »

DaGuerra
DaGuerra
11 anos atrás

Que chato né? “Alguns” devem lamentar muito o fato de nós falarmos o português! Um entrave irritante à tão sonhada integracion de latino-américa, coompaadre…

Nunão
Nunão
11 anos atrás

Por supuesto, DaGuerra…

Vassili Zaitsev
Vassili Zaitsev
11 anos atrás

Enclave esse que eu tenho tremendo orgulho de pertencer. E ai de qualquer nação com lingua ibérica que tente nos sobrepujar: Pego meu ancião Mauser 1908 7mm e fogo neles.

Tenho imenso orgulho de ser brasileiro.

abraços.

Jacubão
11 anos atrás

Essas são umas das poucas situações em que eu tenho um pouco de orgulho de ser Brasileiro.

Viva ao Brasil.

João-Curitiba
João-Curitiba
11 anos atrás

Até hoje não entendo porque nós entendemos com relativa facilidade o espanhol e eles não entendem o português. E não estou falando por ouvir dizer. Já vivi tal situação.

Marco Antonio
Marco Antonio
11 anos atrás

Deve ser porque nos somos mais inteligentes.

Noel
Noel
11 anos atrás

João-Curitiba, a pouco tempo um italiano, meu conhecido, explicou que essa dificuldade no entendimento entre as linguas, seria pela derivação das mesmas, tipo: o italiano deriva diretamante do latim; o espanhol deriva do latin, mas um pouco mais distante; e o português deriva do espanhol, portanto as linguas derivativas tem mais facilidades de entenderem as linguas originarias que o inverso.
Se essa teoria procede, não sei, porém foi a única que eu ouvi até hoje.
Sds

Icaro
Icaro
11 anos atrás

E além de derivar do espanhol, o português brasileiro ainda é um misto de dialetos de navegantes e indigenas do litoral.Segundo um profº. drº. aposentando da ufrj com o qual tive a oportunidade (mal) aproveitada de ter aulas.