segunda-feira, agosto 2, 2021

Saab RBS 70NG

Soldado da Legião Estrangeira acusado de assassinato ‘seria brasileiro’

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Imprensa francesa afirma nacionalidade do militar acusado

Um soldado da Legião Estrangeira acusado de matar quatro pessoas no Chade seria brasileiro, segundo informações da imprensa francesa, que cita “fontes do Exército francês”.
O jornal francês Le Figaro afirma que esse soldado já havia sido punido por deserção em outro país africano no ano passado e que a missão no Chade seria “uma segunda chance” dada pelo exército francês ao integrante da Legião Estrangeira.
Depois de dois dias foragido, o soldado supostamente brasileiro foi detido nesta quinta-feira pela polícia militar do Chade nos arredores de Abéché, no leste do país, enquanto tentava beber água em um poço.
Ele teria um irmão que serve na Legião Estrangeira e que também está em missão no Chade atualmente.

‘Loucura’

O soldado supostamente brasileiro, de 27 anos, teria tido um “acesso de loucura” e matado, na terça-feira, em Abéché, dois outros soldados da Legião Estrangeira, um militar togolês e também um camponês chadiano, de quem roubou o cavalo para fugir.
O jornal Le Figaro afirma que o soldado acusado de quatro mortes já teria causado problemas, em junho do passado, em uma missão da Legião Estrangeira em Djibuti, no leste da África.
Segundo o coronel Benoît Royal, do serviço de comunicação do Exército francês, citado pelo jornal, a missão em Djibuti havia sido a primeira desse soldado.
“Ele se queixava de estar deprimido e fugiu para a Etiópia. Ele foi preso três dias depois e repatriado à França. Ele foi sancionado durante trinta dias”, disse o coronel ao jornal.

“O soldado obteve, no entanto, uma segunda chance, após ter sido transferido para outra companhia da legião”, afirmou Royal.
O soldado supostamente brasileiro havia chegado ao Chade no mês passado. Na terça-feira, ele teria tido uma violenta briga com colegas de seu grupo e teria sido convocado por seus superiores, afirma o Le Figaro, citando “um oficial militar francês”.
Ele teria ido dormir para se acalmar e, ao acordar, teria pego seu fusil e começado a atirar, escreve o Le Figaro.

Segundo a revista francesa Le Point, que cita “fontes militares”, o soldado acusado das mortes havia realizado, há dois anos, os testes psicológicos exigidos para ingressar na Legião Estrangeira, além de “exames psicotécnicos em sua língua materna”.
“Ele era considerado um bom elemento e tinha um bom nível geral, oficializado no Brasil por um diploma equivalente ao certificado técnico superior” francês, escreve o Le Pointem seu site na internet.
O soldado, preso pela polícia militar do Chade, deverá ser entregue às autoridades francesas para ser julgado pelo Tribunal Militar de Paris.

FONTE: Agência Estado / BBC Brasil

- Advertisement -

10 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marine
Marine
12 anos atrás

Caso muito serio esse, seria bom saber a qual regimento pertencia e um pouco mais sobre o soldado. Esse tipo de caso e raro mas pela severidade deve ser entendido “o porque” para que nao se repita.

Sds!

Hornet
Hornet
12 anos atrás

Pelo o que foi noticiado ontem nas TVs aqui do Brasil, ainda não se sabe exatamente o que este soldado tinha (ou tem), mas certamente não estava no seu normal…algum problema psicológico não detectado inicialmente (pelos testes feitos quando entrou para a Legião Estrangeira) é quase certo que ele tinha (tem). Resta investigar, agora, que tipo de problema é.

abraços a todos e parabéns ao Cinquini pela “estréia” no blog

Vassili Zaitsev
Vassili Zaitsev
12 anos atrás

Acho que o soldado brasuca francelico não aguentou o tranco. Acho que ele ficou com medo dos escorpiões do Chade, os mais venenosos do mundo. Ou o clima, vai saber.

Ou ele era meio “lelé” desde o começo, e os psicólogos que fizeram es testes tb deveriam pagar o pato.

Flamenguista
Flamenguista
12 anos atrás

Alguns veem a legiao estrangeira como uma forma de os franceses não mandarem seus “filhos” para o front, ou ao menos diminuir a quantidade destes em áreas de conflito. Ninguém é obrigado a servir na legião estrangeira mas talvez o fato possa reascender tal debate.

Marine
Marine
12 anos atrás

Flamenguista,

A Legiao e muito pequena, sao menos de 8.000 homens, entao essa ideia de que ela “salva” os jovens franceses em nao servir e equivocada, nao se pode dizer que 8.000 homens serao a salvacao da juventude francesa em um exercito com mais de 100.000.

No bem da verdade, qualquer um pode fingir o suficiente para passar num exame psicologico de uma ou duas horas. Esse soldado deveria ter sido melhor observado pela sua propria cadeia de comando, talvez, talvez assim isso poderia ter sido evitado.

Sds!

Hornet
Hornet
12 anos atrás

Uma coisa que me chamou a atenção, ao ler a matéria no próprio Le Figaro, é que no jornal francês o soldado não está sendo tratado como culpado, mas sim como suspeito. Acho que precisamos ter um pouco de calma nessa hora, para não condenar este legionário antes da hora. O que o Le Figaro diz é que o caso foi noticiado por um jornal local do Chade (um diário chamado O Progresso) e que não sabe se as fontes são confiáveis. O Le Figaro não entrevistou diretamente ninguém, nem o legionário suspeito e nenhum dos oficiais franceses que estão… Read more »

Hornet
Hornet
12 anos atrás

A história de quantos mortos vai de acordo com o gosto do freguês. Virou bagunça. O Jornal do Brasil, tal como o Le Figaro, diz o seguinte: “O legionário francês de origem brasileira que matou na terça-feira dois companheiros – um soldado togolês e um camponês chadiano em Abeche, no leste do país – “estava farto de sofrer provocações de seus colegas”, de acordo com o jornal chadiano Le Progrès.” e o JB também confirma a versão do Le Figaro sobre o problema das fontes: “O principal jornal do país (Le Progrès) não diz se chegou a falar diretamente com… Read more »

Hornet
Hornet
12 anos atrás

Só pra complementar minha investigação do caso (já virei Sherlok Holmes): acho que o problema com as informações diferentes está na pontuação.

vejam:

matou dois companheiros – um soldado togolês e um camponês chadiano (aqui, são duas mortes)

matou dois companheiros, um soldado togolês e um camponês chadiano (aqui são 4 mortes)

O que uma vírgula não faz, né? Uma vírgula pode acrescentar mais 2 mortes nas suas costas, especialmente se vc é o suspeito.

abraços a todos

Flamenguista
Flamenguista
12 anos atrás

Marine.
Concordo com vc. e não compartilho da idéia que a legião estrangeira salve os jovens franceses de irem ao front. Tenho prá mim que (guardadas as devidas proporções) ela seja como um MBA para vários militares ao redor do mundo. Mas como vc sabe, esse pensamento existe!

trackback
12 anos atrás

[…] de origem brasileira Josafá de Moura Pereira, 26, da Legião Estrangeira -preso anteontem sob acusação de matar três militares e um civil no Chade- disse ontem por telefone a seus familiares que agiu em legítima defesa após cair em uma […]

Últimas Notícias

Rússia e China realizarão treinamento conjunto no exercício Zapad/Interaction 2021

A Rússia deve se juntar a um exercício militar no noroeste da China em agosto com o tema de...
- Advertisement -
- Advertisement -