Home Tecnologia Orbisat fecha contrato para entregar seis radares para o Exército e Sipam

Orbisat fecha contrato para entregar seis radares para o Exército e Sipam

458
33

A Orbisat fechou contrato com o Exército Brasileiro e com o Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM) para entregar seis radares de vigilância aérea e terrestre a baixa altura até o final de 2009. O radar SABER M60 foi desenvolvido em parceria com o Centro Tecnológico do Exército, para atender a defesa antiaérea de baixa altura e o projeto Amazônia Protegida — cuja estratégia prevê o reaparelhamento dos pelotões de fronteiras com equipamentos que permitam realizar o monitoramento do território brasileiro de forma mais ampla e precisa.

O radar identifica o alvo desejado e as informações são processadas em tempo real e transmitidas simultanemente a um Centro de Operações de Artilharia Antiaérea, integrante do Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA). O radar fornece a localização exata de cada aeronave sobrevoando a área vigiada, bem como sua identificação.

Com tecnologia 100% brasileira, o sistema de acompanhamento de alvos aéreos permite rastrear alvos em um raio de até 60 quilômetros e a uma altitude de até 5 mil metros. Isso auxilia, de forma eficaz, no trabalho de proteção a pontos e áreas sensíveis, como indústrias, usinas, instalações governamentais e locais de eventos importantes, como conferências de chefes de Estado ou competições esportivas internacionais. Com essa tecnologia, o Brasil está entre os cinco países do mundo que dominam o desenvolvimento desse tipo de equipamento.

O mercado brasileiro tem potencial para adquirir inicialmente de 40 a 60 radares na categoria do SABER. O projeto é expandir as unidades do radar e entre os futuros clientes está a Aeronáutica, que também tem planos de comprar radares para equipar os Batalhões de Infantaria da Aeronáutica (BINFA) visando à proteção de bases aéreas.

Segundo o sócio diretor da Orbisat, João Roberto Moreira Neto, o Brasil ainda não possui radares que operem em baixa altura (até cinco mil metros) e, dependendo da região, algumas aeronaves clandestinas, de pequeno porte, podem voar sem serem detectadas. Os radares de controle de tráfego aéreo instalados em aeroportos, segundo Moreira Neto, conseguem detectar aviões em baixa altura, mas somente até 100 km de distância. “Se a aeronave está sobrevoando algumas áreas isoladas na fronteira entre o Brasil e outros países amazônicos, por exemplo, haverá locais sem nenhum radar próximo que possa detectá-la a baixa altura”, afirma Moreira Neto.

Sobre a Orbisat

A Orbisat da Amazônia SA é uma empresa de base tecnológica de capital fechado 100% brasileiro, especializada em sensoriamento remoto, radares de vigilância e produtos eletrônicos de consumo. A empresa tem como missão fornecer soluções eletrônicas e de mapeamento para o setor privado e agências governamentais de todo o mundo.

A empresa também atua no segmento de receptores de sinais de TV via satélite, com uma produção mensal de 40 mil unidades. Outra área de atuação da Orbisat são os radares que fazem mapeamento cartográfico — voltado para uso civil e capaz de fazer o mapeamento de uma floresta, sem a interferência de nuvens e mesmo durante a noite.

A Orbisat tem sede administrativa e a divisão de sensoriamento remoto em São José dos Campos (SP). A produção de equipamentos é feita em seu complexo industrial, localizado em Manaus (AM). Em 2002, a empresa instalou ainda uma unidade em Campinas (SP), onde é desenvolvida a tecnologia de radares.

Subscribe
Notify of
guest
33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Zero Uno
Zero Uno
11 anos atrás

Ótima notícia. Equipamento 100% nacional equipando nossas FFAA’s.

Jacubão
11 anos atrás

Putz, só seis para um país continental…

Sopa
Sopa
11 anos atrás

“O radar identifica o alvo desejado e as informações são processadas em tempo real e transmitidas simultanemente a um Centro de Operações de Artilharia Antiaérea”.

Artilharia Antiaérea, onde, qual ,quando ????
Igla, meia dúzia de conhões anti-aéreo ????

Sds.

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

E o PND? cadê? onde?… 6 unidades de um radar que muitas viaturas equipadas com sistemas AA tem, umas até superiores a este!? Este radar deveria ser equipamento de toda brigada de infantaria, para auto-defesa contra ataques de helis e aviões menos capazes! só! não pode ser considerado como parte integrante de um sistema de defesa aérea moderno! pq não investir mais nesta empresa e financiar um radar de maior capacidade integrando este com mísseis BVR??? li que um BVR como o R-darter, lançado por terra, pode atingir 40Km de alcance! o que o Brasil está esperando para começar a… Read more »

Antiaéreo
Antiaéreo
11 anos atrás

Tive a oportunidade de servir em uma bateria de AAAé do EB, e pensei que quando do desenvolvimento do SABER, o mesmo seria no mínimo disponibilizado para estas unidades, que hj como na época, operam com superados reparos de .50, canhões 40mm com mira manual, e observadores espalhados por uma área passando informações via rádio para uma central de comando. Espero que em breve estas unidades passem a contar com este radar, e armamentos que justifiquem a sua utilização.

COMANDANTE MELK
COMANDANTE MELK
11 anos atrás

Senhor Francisco AMX,

só para informar o amigo, pelo que sei, já esta em desenvolvimento um radar SABER com alcance estendido, coisa de 200 km de alcance.

Grato.

Caipira
Caipira
11 anos atrás

“…O mercado brasileiro tem potencial para adquirir inicialmente de 40 a 60 radares na categoria do SABER. O projeto é expandir as unidades do radar e entre os futuros clientes está a Aeronáutica, que também tem planos de comprar radares para equipar os Batalhões de Infantaria da Aeronáutica (BINFA) visando à proteção de bases aéreas…”

Poxa gente, vcs querem que as coisas aconteçam de uma vez só?
Reaparelhar nossas FAs armadas é um processo lento…
Pelo menos algo está sendo feito…e o melhor a tecnologia segundo o post é 100% nacional…

Abraço aos amigos

jose adelino
jose adelino
11 anos atrás

Ninguem começa uma caminhada sem dar o 1o. passo.

Carlos
Carlos
11 anos atrás

Vocês nunca estão satisfeitos com nada, bem que vocês poderiam compra uns 100 desses radares e doarem para nossas forças armada

Valtinho
Valtinho
11 anos atrás

Já é um começo!!!

Sopa
Sopa
11 anos atrás

Era só nossos amados( pra não falar Filhos D@ #&%*) políticos, se preocupar mais com a nação e não com o próprio bolso, que nossas FAs seria á melhor do mundo, ou quase né!!

Sds

Jacubão
11 anos atrás

Duvido que em algum momento da história atual e futura da humanidade, algum político brasileiro deixe de se preocupar com o bolso e passe a se preocupar com a nação brasileira.
Lamentável…

Bosco
Bosco
11 anos atrás

Sem querer ser estraga prazeres mas tomara que os dados sobre este radar não estejam um pouco “exagerados”. O Sentinel, que é da mesma classe, e padrão no USA e USMC para busca de alvos em baixo e médio nível, tem um alcance operacional de 40 km e altitudes de 4 km, sendo de tecnologia aparentemente superior, sem falar no “shape” do bicho, que é mais “marombado”, além de ser de varredura eletrônica e 3D com elo de dados via fibra óptica ou RF. Será que estamos tão bonitos assim na foto?rsrs… Para efeitos táticos, detectar um “Jumbo” a 60… Read more »

RL
RL
11 anos atrás

Calma galera. Pra que gastar cifras de dinheiro com o SABER-M60 inicialmente sendo o que desenvolvimento do SABER-M200 esta a todo vapor. Primeiro faz-se o teste-drive do equipamento para avaliar todas as suas reais potencialidades. Iniclamente o PAN-Americano no rio foi um teste, depois algumas feiras de armamentos no Rio, a vinda do Papa enfim. Agora ele vai para testes reais na Selva e será empregado em diversas situações, diversos cenários. Então, 6 unidades para estes testes esta mais do que de bom tamanho. As 40, 60 unidades virão certamente mas com o SABER M200. Não dúvido nada de que… Read more »

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

RL, Deus te ouça!

Abraço

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

Valeu Melk! não sabia! tomara que ele seja bem capaz! e que póssamos integrar alguns BVRs num sistema de lançamento por terra, este sim seria um passo importatante!

Abraços

Bosco
Bosco
11 anos atrás

Só para ilustrar, o exército americano usa o Sentinel (40 km/4km) e o Improved Sentinel (80km/10km), que são os responsáveis pela vigilância aérea de baixo e média altitudes e dão apoio aos sistemas antiaéreos Avenger, Stinger (Mampads) e Slamraam.
Já a vigilância em grande altitudes é dada pelos radares do sistema Patriot e THAAD.
Os Fuzileiros contam com o Sentinel (e o Improved Sentinel) para baixo e médios níveis e com um radar de vigilância de longo alcance (TPS-59), já que operam com caças, a fim de vetorar os mesmos para interceptação.

Caipira
Caipira
11 anos atrás

Bosco fala verda mano véio, tu é especialista…deve trabalhar no ramo…num é possível…rsrsrs

João Curitiba
João Curitiba
11 anos atrás

RL

Ótima ponderação. Este está sendo mais um passo.

Abraços

Igo
Igo
11 anos atrás

Não se esqueçam que esses radares irão completar a futura estrutura AA brasileira. AA de médio alcance vem aí!!

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

Mto oba-oba por um equipamento que não se sabe ao certo qnto custa e quais suas reais capacidades, em relação ao que está disponível na mercado.
Pior ainda é o excessivo ufanismo demonstrado, pelo que é simplesmente a “reinvenção da roda” em termos de um equipamento de radar tático.
No mto é somente novidade no próprio Brasil e na América Latina se tanto.

luis
luis
11 anos atrás

só 6

Marco Antonio Lins
11 anos atrás

MEUS AMIGOS TENHAM CALMA! NOSSAS FORÇAS ARMADAS ESTÃO EM RECUPERAÇÃO, NOSSA INDIUSTRIA BELICA DA SINAL DE BONS VENTOS. FIZEMOS BOBAGEM NO PASSADO QUANDO DEIXAMOS NOSSAS INDUSTRIA FALIR.MAS VAMOS ACREDITAR NÃO DEIXA A PETECA CAIR( Dito popular)Vejamos!..Fx2,Urutu III,Navios Parulha fabricado pela INACE,240 LEOPARD MODERNIZAÇÃO DOS F-5 ,e A-I, Skihorks da Marinha,100-Tucanos, Radar SABER, 3000 lanchas rapidas que deverá ser fabricada pela Marinha, mais 30 Tipo Catamerã( para estudante mas em caso necessidade poderá podera deslocar nossos soldados.Misseis Terra Terra antitanque,Fuzil Tavor,MD-7(IMBEL),protocolo com a frança para construção de nossos submarino,e fragatas,P3- Orion , Aviões para os presidentes como Airbus e outros da… Read more »

Cantarelli
Cantarelli
11 anos atrás

Marco Antonio o exercito comprou só 12 unidades do astros pelo que me lembro e fas algum tempo ja , eu acho que deverian ter comprado ums 60 + .

J Roberto
J Roberto
11 anos atrás

O nosso radar 100% brasileiro é muito parecido com o Elta israelense. Características gerais do Radar Saber M60 alcance de detecção: 60Km Identificação amigo/inimigo:modos 1,2,3/A e C (alcance 75Km) Guarnição:…. Peso máx: 200Kg Altura de detecção de Alvos: > 5Km Classificação de alvos: asa fixa e rotativa Identificação de helicópteros: através do rotor principal Velocidade mínima de detecção de alvos:asa fixa-32Km/h asa rotativa-voo pairado Acuidade:Alcance:50m Azimute:1º Altura: 2º Resolução em alcance:75m Acompanhamento e designação de alvos:automática ou manual/40alvos Dados para até 08 unidades tiro Banda de frequência de operação:…. Espectro: entre 1 e 2 Ghz Elta EL/M-2106NG Israelense detecção automática… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

“FIZEMOS BOBAGEM NO PASSADO” Será??? Creio eu que continuamos a faze-las: “Navios Parulha fabricado pela INACE” Fizeram um serviço tão porco, que a MB se viu obrigada a construir outros 6 navio-patrulha na Alemanha… Alem do que parece haver uma certa preguiça em capacitar outros estaleiros, o que criaria concorrência e consequentemente maior competividade no mercado. “Misseis Terra Terra antitanque” A tecnologia deste é de 25 anos atrás, mas como a industria se nega terminantemente a por do seu din-din em pesquisa e desenvolvímento, preferindo o do governo, eis que recentemente o EB viu-se compelido a adquirir um lote p/… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

“também nas diretoras de tiro dos canhões antiaéreos Oerlikon de 35mm e Bofors de 40mm.”

O radar é 3D, não há a necessidade de iluminação-radar do alvo.
Isto somente seria necessário se o vetor empregado não fosse “fire and forget”.

Bosco
Bosco
11 anos atrás

Maurício,
será que é mesmo 3D? Tenho dúvidas.
Mas mesmo que seja, eu acho que para usar com AAA seria necessária uma diretora de tiro já que, diferente de navios, o radar pode estar a quilômetros dos canhões.
Já para mísseis com atualização por data-link e orientação terminal não deve ser necessário, como você disse.

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

“Para desenvolve-lo,foi mobilizado uma expressiva equipe técnica composta de doutores,mestres,engenheiros e técnicos do CTEX,que contaram ainda com a colaboração de especialistas nas diversas áreas do conhecimento do IME,Centro de desenvolvimento de sistemas(CDS),Centro Integrado de Guerra Eletrônica(CIGE),Comando 1º BGD AAA,pesquisas de integrantes de Universidades brasileiras.” Me diz o seguinte, o que esse povo tdo supracitado manja da tecnologia de radar 3D??? Nada!!! O conhecimento existente deriva da operação e de alguma manutenção feita no Brasil, que em boa medida é feito por subsidiárias de multínacionais e que não são assim tão cooperativas em transferir tecnologia. E só. Da tecnologia necessária ninguem… Read more »

J Roberto
J Roberto
11 anos atrás

O Radar Saber M60 destina-se a defesa aérea de baixa altura,tendo como principal característica o fato de ser tridimensional,isto é,apresentar informaçõews de distância,azimute(direção) e altura de cada alvo.Sobre as diretoras de tiro,adicionalmente,o sistema deverá ser integrado ao Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro(SISDABRA),uma vez que a Artilharia AAA do EB dele participa como elo permanente. Esse radar foi testado,Para desenvolve-lo,foi mobilizado uma expressiva equipe técnica composta de doutores,mestres,engenheiros e técnicos do CTEX,que contaram ainda com a colaboração de especialistas nas diversas áreas do conhecimento do IME,Centro de desenvolvimento de sistemas(CDS),Centro Integrado de Guerra Eletrônica(CIGE),Comando 1º BGD AAA,pesquisas de integrantes de Universidades… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

“Mas mesmo que seja, eu acho que para usar com AAA seria necessária uma diretora de tiro já que, diferente de navios, o radar pode estar a quilômetros dos canhões.”

Bosco,

Bem lembrado, é um pto a se considerar, pois a EDT Super Feldermaus não tem capacidade autonoma de aquisição da alvos como a EDT Fila.

Solaris
Solaris
11 anos atrás

Aos críticos da “qualidade” do produto, talvez devessemos sugerir parar com esta brincadeira de desenvolver tecnologia sensível aqui, continuar comprando coisas lá fora e torcer para que estas não sejam “misteriosamente” desabilitadas em caso de conflito. Aí pediríamos socorro ao coelhinho da páscoa e ao papai noel.

Ten Mir
Ten Mir
10 anos atrás

Pelo visto, esse comentarista J Roberto, defendendo a “tal” tecnoligia como o fez, deve ser, nada mais nada menos que o conhecido Dr. João Roberto Moereira, que por sinal, é sócio diretor da empresa que está desenvolvendo o radar M-60. Qdo citada matéria de entrega em dez/09 de 6 radares, até onde tenho info’s, NENHUM radar foi entregue. O que sabe-se por aqui, é de que, pra variar, muito dinheiro já foi investido, e até agora NADA …