Home Noticiário Internacional 4º RCB receberá novos Carros de Combate

4º RCB receberá novos Carros de Combate

574
35

Na semana passada, o 4º RCB (Regimento Dragões do Rio Grande) recebeu uma equipe do 4º Regimento de Carros de Combate, que veio a esta Unidade com o objetivo de ministrar um estágio, visando à capacitação do efetivo profissional da OM.

Novas VBC Leopard 1A5 foram adquiridas na Alemanha pelo Exército Brasileiro, e vem para substituir as VBV M-41C. A previsão é de que o 4º RCB receba esses novos meios de combate no final do ano.

O Leoprd 1A5 será o principal carro de combate do Exército nos próximos anos e representa um avanço para a força blindada brasileira. Esta VBC é a versão mais moderna da família Leopard 1. Está equipada com um sistema de controle de tiro EMES 18, com telêmetro laser e visão termal para o combate noturno e o sistema ótico da Zeiss, além de blindagem e suspensão reforçadas. O veículo é capaz de disparar munições mais potentes que a versão 1A1, incluindo do tipo APFSDS (Armoured Piercing Fin-Stabilised Discarding Sabot).

Com cerca de 42 toneladas e um motor de 830 cv, é capaz de atingir até 65 Km/h e tem autonomia máxima de 600 Km. Seu canhão é um 105mm L-7 da Royal Ordnance Factories, capaz de disparar até 10 vezes por minuto e alcance eficaz de até 4 Km.

FONTE: Rádio São Luiz (online) / COLABOROU: Hornet

Subscribe
Notify of
guest
35 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
10 anos atrás
Gustavo
Gustavo
10 anos atrás

o Leopard é um baita tanque!

Wolfpack
Wolfpack
10 anos atrás

Equanto isso no Chile rodam os Leo 2A5, mas o que me animou hoje foi esta nota do Defesa.br ============================================== Se não estiver sentado, por favor sente-se. ============================================== Físico Brasileiro Desvenda a Bomba Termonuclear, a Mais Destrutiva Posted in 8 September, 2009 ¬ 1:55 amh.Roberto Silva55 Comments » Mídia : JB Online Data : 05/09/2009 Brasil já tem tecnologia para desenvolver bomba atômica Vasconcelos Quadros Uma revolucionária tese de doutorado produzida no Instituto Militar de Engenharia (IME) do Exército – Simulação numérica de detonações termonucleares em meios Híbridos de fissão-fusão implodidos pela radiação – pelo físico Dalton Ellery Girão Barroso,… Read more »

MHenrique
MHenrique
10 anos atrás

Ué?! O 1A5 ficarão nos RCCs e os 1A1, ou BEs, nos RCBs, não é verdade???

Sei lá, é tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo…

Antonio M
Antonio M
10 anos atrás

Se pudessem “ressuscitar” o Osório com modificações que pudessem absorver novas tecnologias, seria um carro de combate respeitável também.

luis
luis
10 anos atrás

fiquei feliz com a aquisição dos leopard v5
para o EB tá otimo
já conheço os v1 dos 2RCC

abraço

AL
AL
10 anos atrás

E qual a diferença dos nossos para os do Chile? É que entendo muito pouco de carros de combate. Abraços.

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Já que íamos comprar sem se preocupar com transferência de tecnologias, deveríamos ter comprado os Leopard 2 A4 como o chile também. Eses MBTs deverão ficar aqui por décadas agora. Já são ultrapassados e ainda vamos mantê-los por 2 ou 3 décadas ainda, lamentável…

Os MBTs mais modernos do mundo estão sofrendo nos últimos conflitos ao redor do glogo com os novos armamentos anti-tanque e IEDs, imaginem esse modelo do Leopard aí.

DJ
DJ
10 anos atrás

AL’ cada um entendi mais de uma coisa eu mesmo intendo mais dos onibus de trasporte pessoal das força armandas.flws

DJ
DJ
10 anos atrás

ops ‘força armandas’=Forças Armadas

Jorge
Jorge
10 anos atrás

Alguém sabe porque o EB preteriu os MBT Ariete?

Afinal são do mesmo fabricante do Urutu III. A IVECO.

Ou estou enganado?

Eduardo Infante
Eduardo Infante
10 anos atrás

Temos que olhar as coisas com calma, e não simplesmente meter a boca… A diferença maior, ao meu ver, é o peso dos MBT, a série 1A pesa em torno de 40 a 44 toneladas e a série 2A parte de 60 toneladas… Só que nosso sistema viário é todo projetado e construído para um veículo padrão de 45 toneladas, assim sendo, os da série 1A podem passar por meios próprios nas pontes, viadutos e rodovias, sendo que os séries 2A teriam que usar carretas especiais… Podemos averiguar que a versão 1A5 possui, como características básicas o aprimoramento dos sistemas… Read more »

Lucas
Lucas
10 anos atrás

Realmente, e o EB tem uma coragem gigantesca anunciar com todo fervor a compra de Leopart 1A5, grande coisa com tecnologia dos anos 90 não faz frente a muitos tanques por aí não, que se diga os do Chile, se bem que no contexto atual um esquadrão de helicopteros caça-tanques faz frente a uns 5 batalhões de infantaria blindada, que diga os MIL-MI35 Hind que o Brasil comprou 12 unidades, mais algumas 30~40 unidades deste aqui já daria conta do arsenal de blindados de toda a AL,kkkkkkkkkk.

BOSS
BOSS
10 anos atrás

Obviamente que a ENGESAER (uma nova empresa em participação da EADS) aprimorará essa máquina, adquirindo know how, e poderá a médio prazo iniciar um projeto para construção de carros de combate bo Brasil.

Marino
Marino
10 anos atrás

O Leo 2 A, para uso pelo Brasil, exigiria novas pontes e viadutos, tanto rodoviários como ferroviários, no caso de túneis ferroviários, alargamento dos mesmos ou novos traçados ferroviários.
Para a realidade do Brasil, não se aplicam.
O deslocamento normalmente em caso de conflito,exige rapidez, não poderia ser feito no rítmo de transporte de cargas especiais por carretas idem, nem há grande número desses equipamentos disponíveis.

Carlos Ivan
Carlos Ivan
10 anos atrás

Não é o melhor, mas já é um grande avanço. Afinal eles vão substituir os “dinossauros” M-41C da década de 60!!!

“Novas VBC Leopard 1A5 foram adquiridas na Alemanha pelo Exército Brasileiro, e vem para substituir as VBV M-41C.”

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Não adianta o Brasil ficar comprando grande quantidades de tanques… tem que comprar um montante e iniciar a construção e desenvolvimento de tecnologia nacional.

Produzir um MBT não é tão cara quanto um caça ou submarino… E o Brasil com paciência e investimento pode fazer toda uma família de blindados… Já fez isso antes e pode fazer de novo…

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
10 anos atrás
Lerner
Lerner
10 anos atrás

Concordo com o amigo Rodrigo.

Não é difícil para o Brasil produzir um MBT 100% nacional. Nessa nova estratégia de defesa nacional, isso deveria ser um dos princípios.

Wladimir
Wladimir
10 anos atrás

Os 1A5 jé estão de bom tamanho para a AL. Não vamos entrar em conflito com os EUA, RU, França… Temos um bom veículo para enfrentar qualquer país da região. Até por que, não são apenas os MBT que vencem um conflito.

Jonas Rafael
Jonas Rafael
10 anos atrás

Falando sério, tirando os do Chile, país com o qual não temos fronteiras, qual outro vizinho na AS tem algo superior a esse?

Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
10 anos atrás
Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
10 anos atrás
Lucas Calabrio
Lucas Calabrio
10 anos atrás
Carlos Ivan
Carlos Ivan
10 anos atrás

Melhor 01 Leopard 1A5 operacional, do que 10 M-41 estacionados na oficina por falta de peças de reposição ou sucateados pelos “vários anos nas costas”.
Fala sério.
Com certeza o destino dos M-41 é o museu ou ferro-velho. Não dá pra doar nem pro Paraguai.

Danilo José
Danilo José
10 anos atrás

Marino, tem toda a razão o outro modelo nem caberia em carretas de transporte comuns, e nem dentro dos tuneis apertados de cidades como são paulo e rio de janeiro, no caso do brasil a agilidade e mobilidade contam mais que poder de fogo, não adiantaria voce ter um super tanque só que lerdo e pesado de mais para se locomover furtivamente.

Parabéns exército pelos VBC Leopard 1A5.

Sds.

Felipe Cps
Felipe Cps
10 anos atrás

Uma boa compra do EB. Melhor que nada (com certeza melhor que os M-41, rsrs) e, pra nossa realidade, está de bom tamanho. Pelo menos a Cavalaria já tem seu vetor principal, agora pergunto: E A INFANTARIA BLINDADA? R: A Infa Bld morreu…

Sds.

Don D
Don D
10 anos atrás

Em uma doutrina moderna, pelos meus conhecimentos, em qualquer teatro de operações, acho que um blindado como o 2A4 não terá lugar no futuro, um blindado mais leve e mais móvel com munição adequada como o 1A5 é mais adequado, pq com o avanço das armas antitanque e helicópteros de ataque, um 2A4 será um alvo bem fácil, está correta a opção do EB, devemos investir em veículos ágeis de infantaria blindada também, tanto rodas como lagartas.

WAR
WAR
10 anos atrás

Ta de bom tamanho. Com o Urutu III, eletronica moderna à vontade, astros, misseis anti tanque, soldado do futuro e muitos helicópteros como os russos que estão chegando, além de 50000 homens na Amazonia logo, logo (junto com o povo de lá, sempre) não tem pra ninguem.

URUTAU
URUTAU
10 anos atrás

Caros Senhores Moderadores Como no caso do amigo PróPatria tenho um comentario censurado préviamente neste blog comentario este postado em diversas matérias desta mesma pagina por ser cabivel logicamente a todas comentario tecido com respeito sem ofensas alias coisa que nunca o fiz nem aqui nem em outro lugar qualquer pois não é do meu perfil ofender pessoas ou despespeita-las seja la de qualquer forma em assim sendo compartilho da indignação do caro amigo PróPatria principalmente lembrando nos que o blog ………… blog este pelo qual sempre tive o maior respeito e admiração ter sido montado e administrado por um… Read more »

URUTAU
URUTAU
10 anos atrás

Observação a pagina referida é no blog aereo onde não consigo postar comentario algum parece que me bloquearam …………… espero com sinceridade estar errado

Mauricio R.
Mauricio R.
10 anos atrás

Aos desvisados e desatualizados, o parque industrial que possibilitou á Engesa conceber a metade de baixo do Osório, ou o casco, já não existe mais.
Qnto á metade de cima, ou a torre, boa parte das empresas envolvídas tb se foi, qndo a industria de defesa européia se consolidou.
ENGESAER não será uma empresa, mas tão somente a holding dos negócios da EADS no Brasil.