Home Ajuda Humanitária Brasil vai ficar ao menos mais cinco anos no Haiti, diz Jobim

Brasil vai ficar ao menos mais cinco anos no Haiti, diz Jobim

155
45

vinheta-clipping-forteO ministro Nelson Jobim (Defesa) informou neste sábado que o Brasil deverá ficar por ao menos mais cinco anos no Haiti, já que os brasileiros deverão colaborar com a reconstrução do país caribenho após o terremoto que o devastou na terça-feira.

Segundo Jobim, é certo que o Brasil permanecerá mesmo após terminar o período pelo qual o país se comprometeu a compor a Minustah (Missão de Paz da ONU no Haiti), que se encerra em 2011.

“Não vejo menos de cinco anos [de extensão da permanência das tropas], tem que se reconstruir o país”, disse o ministro durante visita ao Ciop (Centro de Instrução de Operações de Paz) da Vila Militar, na zona Oeste do Rio, onde se encontrou com militares que estão em treinamento para poderem embarcar para o Haiti.

Jobim afirmou ainda que vai propor ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva aumentar as atribuições das tropas brasileiras no Haiti. Jobim citou como exemplo aumentar as atribuições de engenharia das tropas, para que possam ajudar no processo de reconstrução do país após o terremoto de magnitude 7 que devastou a capital Porto Príncipe e matou milhares de pessoas, incluindo 17 brasileiros.

O ministro disse que as tropas brasileiras no país, cerca de 1.300, precisam de maior poder de ação para execução de obras no país caribenho. Ele não citou quais seriam outras atribuições que as tropas brasileiras ganhariam, mas disse que não há previsão para o envio de mais soldados ao Haiti –mesmo diante do anúncio de Washington de que enviará entre 9.000 e 10 mil militares para trabalhar na distribuição de medicamentos e na manutenção da ordem pública no país –uma tarefa que estava, até então, a cargo das tropas da ONU e sob o comando dos militares brasileiros.

“Se houver a mudança no mandato, a parte de engenharia terá muito mais atribuições”, explicou Jobim. “O orçamento da Minustah é voltado para a segurança, e uma das alterações que vamos pedir na ONU é pela destinação de verbas para obras de engenharia. Queremos participar do processo de reconstrução.”

Segundo previsões feitas pela CICV (Comitê Internacional da Cruz Vermelha) e pelo governo haitiano, entre 70% e 75% das edificações de Porto Príncipe foram destruídas pelo terremoto.

Comando

Jobim (Defesa) disse disse que, a despeito do envio de 10 mil militares americanos, o Brasil permanecerá no comando da missão de paz no Haiti.

Ele admitiu que as tropas americanas têm como princípio não aceitar ordens de outro país, mas ressaltou que um memorando firmado com os Estados Unidos reitera o Brasil no controle da missão de pacificação no Haiti.

“Nossas tropas seguem coordenando, embora os americanos não aceitem ser comandados por outro país. Isso foi definido no memorando. O Brasil mantém o controle”, disse.

O ponto que mais irritou os brasileiros em relação à ação americana foi o controle do aeroporto de Porto Príncipe. Os EUA controlam o local desde quinta-feira –ontem o governo haitiano repassou oficialmente o controle aos americanos– e desde então os pousos no local foram restringidos.

Devido ao problema, cinco aviões da FAB (Força Aérea Brasileira) que chegariam ontem ao Haiti com mantimentos não receberam autorização para pousar –três deles ficaram em Santo Domingo (República Dominicana), enquanto outros dois ficaram em Boa Vista (RR). Apenas hoje eles conseguiram chegar a Porto Príncipe.

FONTE: Folha Online

45
Deixe um comentário

avatar
45 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
32 Comment authors
Celso CruzFrancisco AMXGervasio GalanteTiago Lucasvazmarcoantonio Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Icaro
Visitante
Icaro

Ingenuidade brasileira, quem prestar um pouquinho de atenção no historico de ações americanas deduz,pelo menos, que uma das primeiras ações americanas é a tomada dos aerodromos.

Getulio - São Paulo
Visitante

É verdade, os americanos como superpotência tem objetivos próprios de suas ações. O governo americano vislumbrou que o Haiti dá ibope melhor que a guerra do Afeganistão, é uma forma de compensar a boa mídia e eles estão certos. Estavamos vendo a açào de uma superpotência em ação, jogam pesado, de cara 10.000 soldados! Nós vamos ficar chupando o dedo nesta. Acho melhor sairmos de lá e deixarmos os americanos com a reconstrução do Haiti, pois nós temos muitas reconstruçòes por aqui, enchentes, desabatamentos, gastar lá só se fosse estratégia geopolítica, mas acho que americanos já levaram essa, com porta… Read more »

Baschera
Visitante
Baschera

Icaro em 16 jan, 2010 às 16:52

Muito bem lembrado, os yankes ficaram donos da porteira para controlar quem entra e quem não entra no curral. Poderiamos controlar os portos, isto se os franceses já não o fizeram.

Quanto a ficar no Haití, concordo eaho que agora poderiamos mandar mais tropas, principalmente para ajudar na reconstrução da infraestrutura. Dinheiro tem….. só para exemplificar, o governo federal comprou aqui na minha cidade, e já começou a receber, 230 retroescavadeiras de uma empresa local.

Sds.

KLS
Visitante

OS AMERICANOS NÃO ACEITARAM ORDENS DE OUTRO PAÍS! Que isto e outros episódios, é que o Brasil deve comprar os Caças da França, e reformular a atual política externa, pois, quem não aceita ordens e desrespeita o comando de um país que está no comando, é para causar problemas disfarsado de ajuda. Acredito que não devemos nos impater com quem quer seja agora, mas que isso nos sirva de lição, que COMANDO, não é apenas estar a frente e coordenando, mas se fazer compreender a todos que estar no COMANDO. Lamentável este epsódio, o Brasil DEVE PARTICIPAR, com mais soldados,… Read more »

Garreau
Visitante

meio fora de tópico e aparentemente um detalhe menor, mas não é inadequado o uso de uniformes pelo min. Jobim?

Manoel
Visitante
Manoel

ate Cuba reconheceu a necessidade de apoio a ação americana.
é claro que o brasil chefia as forças da ONU, mas apenas os americanos tem realmente condições de ajuda imediata.
e mesmo assim vão precisar de um esforço enorme.
então é hora de unir forças e deixar de lado algumas pendencias politicas,etc,etc…

Mtcezare
Visitante

Toda a resposta rápida do EUA mostra que o Brasil nao tem até hoje um preparo adequado para lidar com uma situacao como essa, preparo de país que sonha em ser parte de um Conselho de Seguranca da ONU. A diferenca entre eles e nós é muiiiiito grande, sem comparacao. Me pergunto, para que estamos no Haiti realmente… se de uma hora pra outra os EUA despeja no Haiti 10.000 soldados e varios barcos de guerras e rouba todo o protagonismo do Brasil?. Quando que o Brasil poderia fazer isso? Estava pensando nessa diferenca, enquanto eles mandam seus C17 Globemaster… Read more »

Seal
Visitante
Seal

Os americanos tem tradição de ficar no Comando,seja nos grandes conflitos como na 2º grande guerra,como nas grandes catástrofes. Pelo que a gente assiste nos telejornais e na rede mundial de computadores,o terremoto no Haiti causou um estrago imaginável,parece uma cena de guerra.Com certeza vai precisar muito mais que 10 000 soldados.Existe muita gente debaixo dos escombros,falta de organização para distribuição de alimentos,água e kits de 1ºsocorros. O Brasil,pela grande quantidade de seu efetivo militar,tinha que enviar mais soldados.1200 soldados para comandar a missão de paz da Onu,é muito pouco.Um país com reservas internacionais de mais de U$$ 200 bilhões… Read more »

Claudio
Visitante
Claudio

O Brasil comanda a missão de paz, os Norte Americanos não fazem parte da missão de paz e sim ajuda humanitária.

Que eu saiba, o ultimo estrangeiro a comandar forças Norte Americanas foi o Marechal Montgomery.

E não e demérito deixar os EUA comandarem a ajuda, colocaram US100M de ajuda inicial, um navio hospital, CV e muito mais, na pista do aeroporto tem mais Blackhawks do que toda a frota Brasileira, meia dúzia a de C-17, diversos C-130, somente no Haiti eles tem mais capacidade de transporte do que toda a FAB.

Mabill
Visitante
Mabill

Os americanos deram um show, mostraram ao molusco como superpotência decide no momento de crise em duas oportunidades; primeiro em Honduras e agora no Haiti; por enquanto somos apenas uma promessa, respeito não pode ser comprado com “propinas” é preciso ter força e inteligência; lamento apenas pelas FAs que no comando do Minustah estava realizando um belo trabalho,mas…, na hora que o mundo virou os olhos para o haiti vão ver e ter de pedir permissão para os americanos !!!

WDIas
Visitante
WDIas

Num primeiro momento, a tese de que “as tropas também foram atingidas” era até compreenssível, mas torna-se inegável que já no dia “D + 4” o Brasil, em que pese os esforços de seu contingente militar, está se mostrando aquém das necessidades que o cenário requer. Não se está defendo a tese de projeção de força bélica num cenário de miséria, não ! Mas de controle do caos, até mesmo para desencorajar oportunistas violentos num país recém saído da anarquia, para que se possa trazer segurança e organização às forças civis de resgate, socorro e reconstrução. O contigente da ONU,… Read more »

WDias
Visitante
WDias

Num primeiro momento, a tese de que “as tropas também foram atingidas” era até compreenssível, mas torna-se inegável que no dia “D” + 4 o Brasil, em que pese os esforços de seu contingente, está se mostrando aquém das necessidades militares que o cenário requer. Nãoi se está defendo a tese de projeção de força bélica num cenário de miséria, não ! Mas de controle do caos, até mesmo de oportunistas violentos, para que se possa trazer segurança e organização para as forças civis de resgate, socorro e reconstrução. O contigente da ONU, liderado pelo Brasil, não está dando sinais… Read more »

WDias
Visitante
WDias

Num primeiro momento, a tese de que “as tropas também foram atingidas” era até compreensível, mas torna-se inegável que já no dia “D + 4″ o Brasil, em que pese os esforços de seu contingente militar, está se mostrando aquém das necessidades que o cenário requer. Não se está defendo a tese de projeção de força bélica num cenário de miséria, não ! Mas de controle do caos, até mesmo para desencorajar oportunistas violentos num país recém saído da anarquia, para que se possa trazer segurança e organização às forças civis de resgate, socorro e reconstrução. O contigente da ONU,… Read more »

Felipe Cps
Visitante
Felipe Cps

Quanta bobagem e patriotada inútil, coisa mais ridícula. Se fosse uma tragédia no Uruguai (por exemplo), é claro que teríamos mais condições de ajudar, mas a coisa aconteceu do lado dos EUA, é óbvio que eles tem mais condições de ajudar do que a gente. Um dos principais elementos avaliativos de qualquer logística (de um simples armazém até um exército) é DISTÂNCIA! E mais, essa competiçãozinha idiota Brasil X EUA é completamente sem sentido: numa hora de necessidade o que conta são as “divisões” e, “quem tem competência se estabalece”: tanto é que foi o próprio governo haitiano que entregou… Read more »

Icaro
Visitante
Icaro

Naum entendo pq se doer pelos americanos naum aceitarem nossas ordens lah.Eles taum pelos eeuu e ñ pela onu, se tivessem pela onu e naum aceitassem eu diria o contrario. Qnto criticarem a posição brasileira de naum enviar reforços, pq as tropas vaum ser substituidas, com atraso, ate onde acompanhei. Axo q tem q ver o negocio q por aki tbm num tah mto bom, relacionado a desastres naturais, e as tropas brasileiras taum mal equipadas,na minha opniaum, pra irem agir lah, alem da possibilidade de ter q comprar mais caixões pra transladar os corpos de mais soldados brasileiros… Q… Read more »

Ivan
Visitante
Ivan

Amigos, O Haiti, que já era o país mais pobre e sofrido das Américas sofreu um terrível desastre natural, que resultou, entre outras coisas, na destruição da sua capital, matou cerca de 100.000 pessoas (não se sabe o número correto ainda) e deixou milhões desabrigados. Todo mundo sabe disso… Então qual é a prioridade? Socorrer estes irmãos que sofrem agora. Se a ajuda vem dos EUA, da França ou do Brasil, não interessa… Se o comando da ONU é do Brasil e o comando das Forças Americanas é do EUA, qual o problema? É para ajudar? ‘Tá valendo’. Se há… Read more »

carl94fn
Visitante

Não é muito comum eu concordar com o Felipão, mas ele tem razão deixa essa briguinha pra lá, os EUA tem uma outra realidade veja seu PIB, o Brasil não esta no mesmo nível deles, melhor juntar forças para salva vidas humanas e pronto. Competição agora não.

sds

Ivan
Visitante
Ivan

Carl, É isso aí! “Juntar forças.” As divergências e questões de comando serão resolvidas com um pouco de boa vontade e respeito, mas sempre com FOCO no essencial, que é SALVAR VIDAS. Copio abaixo um trecho de texto do Defesanet, acerca dos contatos do Chanceler do Brasil com a Secretária de Estado dos EUA: “Amorim disse que a secretária de Estado dos EUA esclareceu que as forças americanas vão cumprir funções essencialmente humanitárias, sem interferir na segurança pública do país, já que isso é a função da Minustah. O ministro disse que Hillary reconheceu a liderança do Brasil na recuperação… Read more »

Icaro
Visitante
Icaro

Ivan,
vc tah mais q certu, acabei me pegandu a situações especificas na hora de comentar e esqueci do sofrimento de nossos irmãos haitianos…

Felipe Cps
Visitante
Felipe Cps

Perfeito comentário meu caro Ivan, negadinha entra na discussão política e perde o FOCO. E o foco deve ser o salvamento de vidas e a distribuição correta de víveres. Não dá para, nesse momento, ficar discutindo quem manda em quem.

Sds.

Felipe Cps
Visitante
Felipe Cps

Aliás, excelente texto de Clóvis Rossi, na Folha de São Paulo: “O Brasil mudou de complexo. Antes, abrigava n’alma o de vira-lata, segundo Nelson Rodrigues, o notável escafandrista da alma brasileira. Agora, na crise haitiana, mostra complexo de rottweiler. Pena que não tenha dentes. Refiro-me à ciumeira de autoridades brasileiras em relação a rápida e decidida ação do governo norte-americano. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, reage com pura masturbação diplomática, ao dizer que se trata de “assistencialismo unilateral”. Qualquer pessoa que não tenha perdido o senso comum sabe que os haitianos não estão preocupados com a cor do assistencialismo,… Read more »

Ronaldo
Visitante
Ronaldo

Vou repetir o que disse a pouco no poder naval, se o Brasil quer ser potência, então não existe outro meio, tem que aprender gerenciar dinheiro e recursos, priorizar tecnologia, educação e capacidade de defesa.

Bicudo
Visitante
Bicudo

Os EUA estão preocupados com razões humanitárias? Pra quê tomar um aeroporto dessa maneira? Pra eliminar a concorrência propagandística! Se eles querem mostrar que são os salvadores do mundo, porque não param de invadir outros países produtores de petróleo? Porque não prestam mais atenção às desgraças da Africa? Me desculpa quem fica ofendido com essas críticas, mas é óbvio que a situação no Haiti é pura demonstração de força. O Obama quer mostrar que o governo dele é forte e pode fazer a diferença. Começo de mandato, sabe como é… Agora ficarmos medindo forças com outro país em situação humanitária… Read more »

DaGuerra
Visitante
DaGuerra

Contradição entre o discurso e a ação. O que o governo do Brasil quer no Haiti? Apenas estabilizar a segurança e treinar a polícia nacional conforme resolução da ONU ? Coordenar a ajuda humanitária e a desinteressada reconstrução do país? Quer um porto permanente para sua 2ª frota? Ou quer exportar um utópico paraíso igualitário, pleno em “direitos humanos”, exemplarmente(?) sem nenhum Céu acima ou inferno abaixo de seus infelizes habitantes?

marcos
Visitante
marcos

isto se os americanos não meterem o pé na bunda do brasil, ja viram os noticiarios americanos sobre isto??

Yuri
Visitante
Yuri

Brasil e EUA já entraram em acordo ao que tudo indica, foi decidido que as distribuições de água e alimentos pelos EUA vão ser acompanhados da segurança de militares brasileiros, dividindo assim as responsabilidades.

link : http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u680520.shtml

Bronco
Visitante
Bronco

Tirando a absoluta falta de bom senso do colega de fórum Felipe, alguns comentários merecem reflexão. Não se pode querer comparar a capacidade de atuação (em qualquer frente que seja) americana à brasileira. Aliás, não há parelelo no mundo. Nada que sequer se aproxime disto. Soma-se a isso o fator proximidade e o interesse na estabilização do Caribe, quintal de casa. Quem esperava que o Brasil fizesse queda de braços com os EUA enganou-se amargamente. E engana-se ainda mais que uma situação de interesses conflitantes no Haiti vai ser vencida pelo Brasil. Acho, por outro lado, e independente da massiça… Read more »

Bronco
Visitante
Bronco

*maciça

Claudio
Visitante
Claudio

Quanto à irritação por conta da “tomada” do aeroporto por controladores/tropas americanas creio ser descabida, pois uma das primeiras atitudes quando da entrada de tropas em qualquer teatro de operações é justamente o controle de portos e aeroportos. Esta deveria ter sido uma das primeiras atitudes das tropas brasileiras quando da chegada no Haiti (inicio da misão), claro que negociando com o governo local. Vou alem, deveríamos mandar um GCC para o Haiti para ficar de prontidão/apoio em caso de necessidade. Nossa capacidade e sim limitada, mas vejo também uma timidez exagerada, muito melindre, aconteceu o terremoto deveriam ter desembarcado… Read more »

Felipe Cps
Visitante
Felipe Cps

Bronco: desculpe se meu comentário não lhe agradou. Apenas tentei ver as coisas como elas me parecem ser na realidade, não como gostaria que fossem. Também gostaria de ver o Brasil-potência tomando conta do aeroporto, e despejando 10.000 homens 1 NAe, e o escambau por lá. Mas estamos muito, mas muito longe disso.

Sds.

Bronco
Visitante
Bronco

Claudio e demais, Não pretendo justificar nada, mas vamos parar para refletir: Certamente o problema no aeroporto não é má vontade, como se está ventilando. Imagina um aeroporto sem NENHUMA infra-estrutura ter que receber de uma hora pra outra dezenas de aviões carregados de mantimentos e pessoal. É claro que os americanos deram prioridade para seus pousos e suas tropas, afinal são imensamente melhor articulados e tem exatamente em mente qual será sua missão. Daí pra frente provavelmente houve eleição de prioridades e devem ter pousado os aviões cujo retorno era inviável, ou cuja carga era preciosa para ajudar nas… Read more »

Belisário
Visitante
Belisário

Realmente é de se raciocinar o real interesse q temos no Haiti. Somos os bonzinhos tentando reconstruir um país para os outros? Estamos treinando nossas tropas? Estamos em eterna ajuda humanitária para com isto, pela piedade dos outros termos um assento na ONU? Na verdade não temos objetivo nenhum! Se tivéssemos já teríamos grandes empresas lá dentro produzindo com mão de obra mais barata produtos nacionais e dando centenas de empregos, hoteís etc e mais que o dobro do nosso contingente militar. As forças armadas fazem lá o que se recusam a fazer aqui…policiais…meros grupos de policiais combatendo gangues. Acho… Read more »

WDias
Visitante
WDias

Acabamos de ouvir na GloboNews que o ministro Amorim, vulgo texugo…, está sempre pensando em “aumentar o contingente brasileiro no Haiti” (sic), mas que no momento não há nada concreto nesse sentido (sic 2)… Ora, é sabido que nossos recursos bélicos são limitadíssimos para projetar poder numa situação como aquela, e isso está ficando evidente ao mundo. Aí se começa a descortinar a verdade: o Brasil tenta limitar a projeção de poder dos EEUU, alegando questões jurídico-burocráticas…, bem ao nosso estilo, para que não seja evidenciada nossa incapacidade logística. Até quando vamos recalcitrar ante os aguilhões !? O Ministro das… Read more »

claudio alfonso
Visitante
claudio alfonso

Nossa mais como tem puxa-saco de yankee nesse site hein??. Vocês deviam ir morar nos USA e falar inglês! Ah mais cuidado se forem mesmo serão discriminados e talvez morem em algum gueto.

Fly Man
Visitante
Fly Man

Agora somos a mulher da justiça, com uma balança. Um peso de cada lado. Na mão direita temos os “interesses políticos”. Na mão esquerda temos o interesse em ajudar. Ou cada um de nós aqui está 50% correto ou 50% exato. Ou seja, não sabemos exatamente qual o interesse de cada país. Se não podemos saber quem é o moçinho e nem o bandido, não podemos apontar quem é quem la dentro. Não podemos acusar ***** de ter interesses escusos no Haiti, assim como não podemos achar que o Brasil também é santo. Ainda mais depois do FX-2, onde (na… Read more »

Felipe Cps
Visitante
Felipe Cps

Nem todo idiota é antiamericano, mas todo antiamericano é idiota. 🙂

A-Bomb
Visitante
A-Bomb

Acho que o que o Brasil esta fazendo no Haiti e o que esta dentro das nossas possibilidades atuais. Não da para fazer mais que isso. Aliais ja estamos fazendo acima do que podemos. Temos que enviar tropas para cuidar de nossas fronteiras isso sim. O que esta la é o que podemos mandar.É loucura querer competir com os USA e ainda por cima piorar a situação para la de precária do povo Haitiano. Ainda não estamos com essa bola toda. Com o “Sistema Pseudo Comunista” do maluco do norte entrando em Colapso (como na União Soviética.) temos que ficar… Read more »

Antonio M
Visitante
Antonio M

Eu queria vem um antiamericano que estive no Haiti soterrado e aparecessem soldados americanos e ele primeiro pergunta qual era a nacionalidade da tropa e confirmando serem dos EUA, se negando a receber ajuda e ainda dizer que esperaria a chagada de alguma tropa ou médico cubano ou venezuelano. É o que já foi dito aqui, nessas horas a ajuda não tem cor não !!!! E o Brasil mal cuida de seus cidadãos, vide o nosso sistema público de saúde, educação, transportes, infraestrutura, aposentadoria etc onde pequenas concentrações de “Suécias” estão cercadas por legiões de “Haitis”. Como podemos querer ajudar… Read more »

fabio
Visitante
fabio

acho q chegou a hora de sair !!!!!!! aproveitar q o império esta todinho lá, e aprender com q esta acontecendo

Ivan
Visitante
Ivan

Antônio M., Palavras sensatas. Todos sabemos que há interesses políticos de todos os americanos… Do americano dos EUA pela oportunidade de voltar a cena da América Latina como líder internacional incontestável, que talvez até seja mesmo. Do americano do Brasil que deseja um espaço maior no cenário internacional, começando pela América Latina, buscando um reconhecimento como potência regional ou maior. ‘E daí?’ Qual o problema? Cada um com seus objetivos políticos. Eu inclusive acho que são muito obtusos (para não chamar de coisa pior) tanto o Departamento de Estado Americano como nosso Governo Federal. O próprio Obama reconheceu a oportinidade… Read more »

vazmarcoantonio
Visitante
vazmarcoantonio

Acredito que poderíamos discutir aqui no blog as necessidades de aparelhamento e modernização das FA’s brasileiras frente à situação de apatia demonstrada qdo a hora de agir surgiu. Da mesma forma, outra discussão interessante seria o papel geopolítico brasileiro e como deveríamos nos preparar e atuar. Eu vejo problemas de planejamento do alto comando como um limitador da atuação brasileira nesta situação. Eu esperava que as FA’s contassem com comandantes que saberiam agir rapidamente em uma situação como esta, mesmo levando em conta a limitação em termos de equipamento e pessoal. Concordo com alguem que comentou aqui: o PENSAMENTO nas… Read more »

Tiago Lucas
Visitante
Tiago Lucas

O Governo Norte Americano esta se aproveitando da situação para ocupar o país novamente.Olha que o Haiti neim é produtor de petróleo.Mas dá Ibope né!!!!

Gervasio Galante
Visitante

As patrulhinhas da ONU, não têm força e nem competência para lidar com este tipo de catástrofe, os americanos foram lá e tomaram a frente, precisavam recuperar a imagem diante do mundo, nada melhor que SALVAR VIDAS e mostrar quem pode resolver o problema….

Francisco AMX
Visitante
Francisco AMX

Queriam que a FAb comandasse um aeroporto? rsrsrsr tão de brincadeira! Queriam que um General Brasileiro comandasse uma divisão americana? tá apra nascer um general daqui que já tenha lidado com multiplos meios que se encontram agora no Haiti! um general nosso só teve acesso a isso em livros e olhe lá! ele não saberia o que fazer com tantos recursos meio ao caos que se instalou lá, alem do mais paises estão mandando ajuda humanitária, não é força de paz! como esperar que os USA tenham sucesso colocando no comando da operação um general que sabe comandar os cacos… Read more »

Celso Cruz
Visitante
Celso Cruz

comunicado conjunto USA – Haiti: “…a longa história de amizade entre os povos do Haiti e dos USA e seu respeito mútuo pela respectiva soberania…” É pra rir? 🙂 Qto de cinismo pessoal foi necessário para assinar este documento? Os USA ocuparam o Haiti de 1915 a 1941, sustentaram a ditadura do Papa Doc, sequestraram o único presidente eleito Bertrand Aristides… Mais? :p Em 1915, o então secretário de estado Robert Lansing afirmava sobre os haitianos “… uma tendência inerente à vida selvagem e uma incapacidade física de civilização… ” Será esta a “longa história de respeito e amizade” de… Read more »