domingo, abril 11, 2021

Saab RBS 70NG

Teste real para o MRAP

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

RG-31_Mk5E_BAE_Systems_MRAP_mine protected_ambush_vehicle_United_States_US_American_army_news_06_March_2010_001

Um veículo MRAP (Mine Resistant Ambush Protected) RG-31 Mk5E do US Army foi atingido por uma bomba na estrada, quando fazia a liberação de uma rota para um comboio de entrega de suprimentos à uma base remota da Marinha dos EUA na província de Helmand, sul do Afeganistão em 6 de março de 2010. As fotos tiradas são da mesma data.

RG-31_Mk5E_BAE_Systems_MRAP_mine protected_ambush_vehicle_United_States_US_American_army_news_06_March_2010_002

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

15 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Caipira
Caipira
11 anos atrás

Cumpriu a missão? Qual o “estado” dos militares que estavam no veículo ?

Galileu
Galileu
11 anos atrás

resta saber o tamanho da ied, mas com certeza o RG-31 é bem mais resistente que os hammer…

tem uma versão mais nova do RG se nao me negano é o rg-35, não tenho certeza

Vassili
Vassili
11 anos atrás

APARENTEMENTE, a blindagem resistiu à explosão do artefato. O casco em “V” cumpre bem a função de defletir a energia liberada pela explosão para os lados, bem diferente dos blindados tradicionais, onde o casco reto, ou chapado recebe toda a energia, fazendo o veículo levantar…..

abraços.

ezeca
11 anos atrás

e como fica o nosso sonhado URUTU 3 (guarani)
com aquela blindagem plana e as helices se for como
aquele apresentado nem tem proteção contra de tiro quanto
mais de explosão
os modelos da avibras divulgam ter Efetiva proteção Antiminas
mas nunca entendi alem da altura como eles tem essa capacidade
será que e somente uma blindagem plana no piso?
desculpa se fugir do tema
mas algem sabe me explicar como fuciona a blindagem do Guará

Leandro
11 anos atrás

Segundo se sabe, todos dentro do MRAP sobreviveram.

Marine
11 anos atrás

O blindado pelas fotos agiu da forma como foi planejado, perdeu sei eixo mas o compartimento de transporte parece intacto!

Sds!

bulldog
bulldog
11 anos atrás

Sobrviver é uma vitória, sempre…mas o veículo está fora de combate…efeito psicológico para a tropa tem…e bom…mas na arena é peça fora do jogo. Compensa porque salva vidas…mas muda o panorama da guerra? Não tenho certeza. Parece que esperam desempenho melhor do modelo 35… é isso mesmo?
sds

RoLoUcO
RoLoUcO
11 anos atrás

na boa!!! aquele carro quebrou foi a ponta da carcaça, nao teve nada de bomba!!!
e so olhar que nao rancou nada do carro, so a ponda do eixo.
ta certo que o compartimento de transporte resiste, mais tem muita coisa fragil ali, como os amortecedores, molas e a propria roda do lado direito!

Nick
Nick
11 anos atrás

Ezeca,

Realmente, será que os VBTP Guarani são capazes de oferecer essa proteção contra minas?? Além do que em um dos lados dele existem grades que parecem ser onde fica o motor.. me parece bem vulnerável ali também …

[]’s

Antonio M
Antonio M
11 anos atrás

Me incomocou também ver a Urutu III/Guarani com aquelas hélices ao invés de hidrojatos. Dá impressão de projeto antigo.

Outra coisa, por que não usam a suspensão “boomerang” que a Engesa desenvolveu para o Urutu e Cascavel?! Se mostrou problemática? Há alguém em posse da patente por causa de processo na justiça por dívidas e sairia muto caro comprá-la? Agradeço se alguém tiver explicação.

miro
miro
11 anos atrás

o blindado guarani pertence a outra categoria de blindados , do tipo pandur , piranha , stryker e o boomerang certamente e muito inferior a suspensao individual e as helices sao mais silenciosas que os hidrojatos

ezeca
11 anos atrás

são mais silenciosas sim
mas a que custo?
um blindado que pode ter sua função
aquática inutilizada por um rifle
qualquer sou leigo mas pq não utilizamos
os dois sistemas com um hidrojatos e duas hélices
laterais de menor porte
combinando velocidade e aproximação furtiva.
ou algum tipo de blindagem
nas hélices?

lucas lasota
lucas lasota
11 anos atrás

Antonio A suspensao boomerang dava muitos problemas e sua manutencao era dispendiosa e complicada. Interessante notar que os Ied`s possuem diversos modelos e um que esta muito em voga e o chamado EFP (explosively formed penetrator)que o perfurante age por energia cinetica e nao quimica como nas cargas ocas. Portanto, tem-se visto que a blindagem dos modernos blindados dao mais enfase nas defesas passivas do que ativas. Os sistemas ativos de protecao (como o shtora russo e o trophy israelense) sao uteis contra as municoes explosivas porque inutilizam o detonador antes da distancia necessaria para que o explosivo principal seja… Read more »

Antonio M
Antonio M
11 anos atrás

Obrigado pelas explicações (boomerang) !!!

Fabiano
Fabiano
11 anos atrás

Pois é, era uma indústria brasileira que criava essas belezas mortíferas.
Usadas para o bem ou mal, não nos cabe julgar, mas temos que ter orgulho por ser uma empresa brasileira pena que hoje não exista mais.
Porque o governo brasileiro não relança a Engesa?
Faturamos com a Petrobras, Vale, Embraer, mesmo algumas privatizadas dão excelentes lucros ao Brasil então porque não empreender novamente em um projeto Engesa?

Guerras Modernas

O gigantesco número de helicópteros dos EUA perdidos na Guerra do Vietnã

Durante a Guerra do Vietnã, milhares de aeronaves dos EUA foram perdidas para a artilharia antiaérea (AAA), mísseis superfície-ar...
- Advertisement -
- Advertisement -