Home Artilharia 10º GAC SI apoia a Operação Carcará VI

10º GAC SI apoia a Operação Carcará VI

587
17

10gacsl18

Dando continuidade às atividades da Operação Carcará VI, o 10º GAC SI (Grupo de Artilharia de Campanha de Selva – Boa Vista/RR) apoiou a realização de uma Marcha para o Combate Terrestre executada por 01 (uma) Bateria de Obuses do 20º GAC L (Amv). O exercício aconteceu ao longo da BR 401 e encerrou-se na Serra do Tucano com a execução do Tiro Real.

10gacsl15

O Grupo apoiou a execução de uma Marcha para o Combate Fluvial realizada pelo 20º GAC L(Amv), como parte das atividades da Operação Carcará VI. Na ocasião, foram ocupadas diversas Regiões de Procura de Posição (RPP) ao longo do Rio Branco.

FONTE: EB

SAIBA MAIS:

17
Deixe um comentário

avatar
17 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
9 Comment authors
andre souzaMauricio R.fullcrumSamuel Henriquelucas lasota Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
fullcrum
Visitante
fullcrum

Gostaria de ver mais obuses light gun em serviço. Mas é sempre bom ver unidades em treinamento…A propósito temos três obuseiros de 105 mm em serviço-acho, será que o EB num pensa numa padronização ou como sempre a grana tá curta. E não seria bom operar os morteiros nacionais também!!!

lucas lasota
Visitante
lucas lasota

Fulcrum estes obuseiros da foto sao os Oto melara M56 de 105 mm. Foram baseados na concepcao de artilharia paraquedista, sendo uma evolucao natural do americano m-116 de 75mm. Acontece que este obuseiro possui um alcance maximo muito pobre de apenas 10 km. Ou seja, o acance normal fica na casa dos 6-7 km. O seu peso e de 1300 kg, tornando uma arma pouco eficaz nos dias de hoje. O light gun que vc citou e uma arma boa e possui um alcance normal de 11 km com a mesma mobilidade daquele. Entretanto, entrou em servico no EB um… Read more »

Jacubão
Visitante

Realmente. Tudo está defasado no EB e nas outras fôrças…

Francoorp
Visitante
Francoorp

POW que tristeza esta aí… só pra treinamento até que vai, mas eu prefiro que os soldados sejam treinados com as mesma armas que sejam operativas em caso de conflito, e estes Otto Melara já estão muito atrasados mesmo !!

Valeu !!

MA
Visitante
MA

Ao menos os camaradas estão treinando com algo… O equipamento pode sujar, enferrujar, ficar defasado, mas se isso ocorre ao guerreiro aí teríamos um verdadeiro problema.

Uma pergunta, existe algum obús auto-propulsado no EB? Obrgd

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Temos 32 M-109 de 155mm de esteira,e antigos 105mm,75 unid sobre esteira tambem.A Sabiex Belga tinha um kit de modernização para o M-114 por US$100 mil dolares a peça.Acredito que em breve serão atualizados.

lucas lasota
Visitante
lucas lasota

MA

Sim, existem dois tipos de obuseiros auto-propulsados no EB:

o M-108 e o M-109.

O primeiro foi concebido nos EUA na decada de 50 para a substituicaos dos Priest que estavam em servico desde a segunda guerra, mas logo viu-se a sua deficiencia e iniciou-se o projeto do M-109.

A nossa versao e o M-109 A3. Foi adquirido de 1999 a 2001 37 unidades remanescentes da belgica.

Ja os m-108 ja tao na idade de se aposentar e devemos ter uns 37, mas com a operacionalidade bem baixa

Um abraco

Samuel Henrique
Visitante
Samuel Henrique

Bom… o Oto melara têm como proposta ser leve e facil de transportar. Ele pode ser transportado desmontado e montado rapidamente no ambiente operacional. Na selva, onde o tiro de longo alcance é muito prejudicado pela vejetação em si, não sei se um alcance de 10 Km seria inadequado. Concordo que nosso morteiro Nacional é uma excelente pedida para este ambiente, e acredito que este já deveria estar bem difundido em nosso EB e FN! É fundamental um apoio preciso e eficiente no ambiente de selva! Muitos combates no Vietnam foram decididos mais pelo poder da “poderosa” do que por… Read more »

fullcrum
Visitante
fullcrum

Valeu Lucas!!!

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Já não passou da hora de jogar esses M-56 no lixo???
M-777 neles!!!

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“O light gun que vc citou e uma arma boa e possui um alcance normal de 11 km com a mesma mobilidade daquele.”

No Exército britânico, o Light Gun é o substituto do M-56.
O alcance máximo do Light Gun não seria de 17.200m??? E /c munição base bleed, 20.600m???

“…entrou em servico no EB um morteiro de 120 mm nacional, projetado pelo Parque regional de manutencao 2, chamado de M2 que tem-se mostrado muito funcional, tendo em vista que possui um alcance normal de 10 km e com municao assistida 13 km…”

Mudaram a propriedade intelectual do morteiro frances Thomson-Brandt MO-120???

lucas lasota
Visitante
lucas lasota

Mauricio R. Com relacao ao light gun, seu comentario e bem pertinente. O alcance maximo, de fato, alcanca essa margem, mas o alcance normal fica na casa dos 11 km. Eu mencionei que o morteiro foi projetado nacionalmente porque de fato foi, sob a manta da transferencia de tecnologia. No tocante a gerencia do projeto: http://www.eceme.ensino.eb.br/portalcee/arquivos/2008/adm/Romaguera.pdf Caracteristicas: http://www.ecsbdefesa.com.br/defesa/fts/MORTEIRO.pdf Nessa historia toda do projeto do morteiro de 120, uma arma com relativa tecnologia acumulada, demorou 20 anos para ser considerada operacional, mesmo sendo atraves da transferencia de tecnologia. A absorcao da tecnologia depende de varios fatores, incluindo a gerencia operacional e… Read more »

lucas lasota
Visitante
lucas lasota

Mauricio

A respeito do M-777, creio que nao seja o ideial para nos, apesar de ser um otimo obuseiro.

Devido as enormes deficiencias mais urgentes do nosso EB em outra area, creio que a modernizacao dos M-114 seria a melhor pedida.

A modernizacao consiste em trocar o cano de 24 calibres por um de 45, bem como todas as pecas ja gastas.

lucas lasota
Visitante
lucas lasota

Mauricio

Outra coisa que esqueci de comentar tambem a respeito do morteiro nacional.

A Franca era detentora dos direitos de propriedade intelectual, mais propriamente dito a patente de modelo de utilidade, tendo em vista ela nao ter inventado o morteiro, mas apenas melhorado o sua aplicacao. O prazo vigora por quinze anos e, para que seja protegido este modelo no Brasil, deveria ter sido registrado aqui um ano apos a publicacao da sua fabricacao la na franca.

Portanto, podemos dizer, que o morteiro M2 e totalmente nacional.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Essa é boa, o M-777 não nos serve, mas trocar o cano e mais algumas peças de uma arma de 60 anos, ah isso serve…

“Portanto, podemos dizer, que o morteiro M2 e totalmente nacional.”

Não muda o fato de que a base tecnológica do morteiro nacional é um modelo de morteiro de origem francesa.
O mesmo se aplica ao morteiro inglês RO, que o EB diz ter “melhorado”.
Ou se o EB fosse bem sucedido em fazer um “missíl anti-aéreo” a partir de engenharia reversa como tentou aplicar no Roland franco-alemão, mas foi flagrado no ato.

lucas lasota
Visitante
lucas lasota

Mauricio

Pois é, é uma boa mesma. Voce acha sensato gastar 1,5 milhao de dolares em uma peça de artilharia sendo que nao temos um sistema antiaereo decente? Pra voce ter uma ideia, cada Leopard que compramos, custou 300.000 dolares….

A modernizacao dos m-114 ja serviu mto bem outras nacoes e existe bastante literatura a respeito na internet advinda da ESAO, ECEME, CFN e tambem de alguns academicos estrangeiros e brasileiros.

andre souza
Visitante
andre souza

a artilharia aqui em roraima ,tem 10 obuseiros e 5 morteiros,estamos sempre em operações e utilizamos esse material,