domingo, agosto 1, 2021

Saab RBS 70NG

Mesmo com acordo, EUA indicam que vão manter pressão sobre o Irã

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

vinheta-clipping-forteOs Estados Unidos mantém o alerta e as ameaças de sanções contra o Irã, mesmo depois do acordo negociado hoje (17) pelo Brasil e a Turquia. Para os norte-americanos, os iranianos devem provar por meio de “ações” e “não apenas palavras” que cumprirão as regras internacionais para fins pacíficos da energia nuclear, segundo o secretário de Imprensa da Casa Branca, Robert Gibbs. Mesmo assim, ele considerou positiva a atuação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do primeiro-ministro da Turquia, Tayyiq Erdogan, em busca do acordo para encerrar o impasse

“Os Estados Unidos continuarão a trabalhar com nossos parceiros internacionais, por meio do Conselho de Segurança das Nações Unidas, para deixar claro ao governo iraniano que deve demonstrar, em ações – e não apenas palavras – a sua vontade de viver de acordo com as obrigações internacionais ou enfrentar consequências, incluindo sanções”, disse Gibbs, no site da Casa Branca.

Em seguida, o secretário de Imprensa afirmou: “Os Estados Unidos e a comunidade internacional continuam a ter sérias preocupações.” Segundo Gibbs, elas são motivadas pelo fato de interlocutores do governo iraniana informarem que o enriquecimento a 20% de urânio será mantido no Irã, apesar do acordo firmado hoje.

Os Estados Unidos lideram uma campanha internacional para impor sanções ao Irã. O assunto será discutido pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas. Para os norte-americanos, os iranianos manteriam de forma secreta a produção de armas atômicas. O governo do Irã nega as acusações.

Segundo Gibbs, o governo do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, deve adotar medidas que dêem segurança à comunidade internacional de que seu programa nuclear se destina a fins pacíficos. Para o secretário, é fundamental que ocorra cooperação também com os inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea).

“O Irã deve tomar as medidas necessárias para assegurar à comunidade internacional que seu programa nuclear se destina exclusivamente a fins pacíficos, inclusive cumprindo as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas e cooperando plenamente com a Aiea [Agência Internacional de Energia Atômica]”, disse o secretário de Imprensa.

Porém, Gibbs elogiou a atuação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do primeiro-ministro da Turquia, Tayyiq Erdogan, em busca do acordo para encerrar o impasse. “Reconhecemos os esforços que têm sido feitos pela Turquia e Brasil. A proposta anunciada em Teerã deve agora ser transmitida com clareza e autoridade à Aiea antes de ser encaminha à comunidade internacional”, disse ele.

Para o secretário de Imprensa da Casa Branca, os termos do acordo firmado são vagos e não respondem a algumas dúvidas presentes na comunidade internacional. Segundo Gibbs, no passado o Irã também havia feito compromissos para enriquecer externamente o urãnio e não os cumpriu.

“A declaração conjunta emitida em Teerã [com termos do acordo] é vaga sobre a disposição do Irã em se reunir com os países do P5 1 [que reúne os cinco integrantes do Conselho de Segurança das Nações Unidas: Estados Unidos, Rússia, China, França e Inglaterra, além da Alemanha] para resolver as preocupações internacionais sobre seu programa nuclear, como fez em outubro passado”, disse ele, mencionando o parágrafo nono do documento.

FONTE: Agência Brasil, via Correio Braziliense

- Advertisement -

5 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

E agora José?

Só fica uma pergunta: quem são os USA, depois do Iraque com suas armas de destruição em massa, para garantir e até mesmo acusar um país, mesmo que ditatorial, de ter ou não alguma coisa? que crédito teria os USA nisso? eu acho que eles devem é ficar quietos e aguardar pela ONU.

Sds!

Francisco AMX
Francisco AMX
11 anos atrás

Agora… considerando que a França tenha continuado com a linha dura contra o Irã… o problema seria isso ou a “inocência” do Brasil? só pq teríamos uma aliança estratégica com alguém não significa que podemos fazer qualquer coisa! Quando os USA agem assim conosco, muitos aqui criticam nosso governo, e com razão, mas e agora? só pq a França fez não pode? isso se realmente ela fez! O fato é que vejo elogios ao Brasil e ceticismo ao acordo ao mesmo tempo… logo estaríamos nós tão errados? mesmo o Irã tendo outras intenções? este não ficaria totalmente Isolado? o Mundo… Read more »

Tito
Tito
11 anos atrás

E alivia a pressão pra ver.

Rogério
Rogério
11 anos atrás

A questão não são os EUA, mais Israel, com ou sem acordo, para os israelenses é inaceitavel um Irã nuclear, questão de sobrevivencia que eles levam muito a sério.

[]s

diego
diego
11 anos atrás

o que eles querem é ter mais um motivo para roubar petroleo na asia, e isso ai é tudo que eles nos proximos anos vão usar para invadir o Irã…

Últimas Notícias

Rússia e China realizarão treinamento conjunto no exercício Zapad/Interaction 2021

A Rússia deve se juntar a um exercício militar no noroeste da China em agosto com o tema de...
- Advertisement -
- Advertisement -