domingo, outubro 24, 2021

Saab RBS 70NG

China expressa seu apoio ao acordo nuclear entre Irã, Turquia e Brasil

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Governo, que se opõe às sanções do Conselho de Segurança, elogia solução diplomática

vinheta-clipping-fortePEQUIM – O governo da China expressou nesta terça-feira, 18, seu apoio ao compromisso nuclear que Turquia e Brasil firmaram na segunda-fera com o Irã para que o país mande seu urânio para o exterior, o que abre uma possibilidade de solução diplomática para a crise desencadeada por Teerã.

“Damos muita importância e congratulamos o acordo firmado entre Brasil, Irã e Turquia para o fornecimento de urânio para o Reator de Pesquisa de Teerã” (TRR em inglês), afirmou nesta terça o porta-voz do Ministério dos Assuntos Exteriores da China, Ma Zhaoxu, em uma conferência de imprensa.

“A China sempre apoiou a estratégia da via de mão dupla”, afirmou Ma, em referência à aplicação de sanções leves contra o regime iraniano ao mesmo tempo em que se busca uma solução negociada e pacífica.

Neste sentido, o porta-voz chinês expressou o desejo de seu governo de que o compromisso entre os três países “ajude a promover uma solução pacífica no conflito nuclear iraniano através do diálogo e da negociação.”

De acordo com o compromisso alcançado na segunda, o Irã aceita enviar antes de um mês 1.200 quilos de urânio enriquecido a 3,5% à Turquia, e em troca receber no prazo de um ano 120 quilos de urânio enriquecido a 20%.

Sanções

O Irã já foi alvo de três rodadas de sanções no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) por se recusar a interromper o enriquecimento de urânio. Os membros permanentes do órgão – EUA, França, Reino Unido, Rússia e China – negociam uma quarta rodada de sanções à República Islâmica. Chineses e russos, porém, mostram-se desfavoráveis às resoluções devido à boas relações comerciais que mantêm com os iranianos.

Diplomatas ocidentais próximos à AIEA, órgão regulador das atividades nucleares mantido pela ONU, afirmaram que o acordo não elimina as chances de serem aplicadas novas sanções, já que o Irã se recusa a interromper o enriquecimento de urânio. O pacto, porém, pode dificultar a ação do Conselho, já que Rússia e China podem se distanciar das negociações.

O Irã é um dos três maiores provedores de petróleo da China, o segundo maior consumidor de produtos energéticos depois dos EUA, ainda que o país asiático tenha reduzido suas importações de petróleo iraniano em cerca de 37% em janeiro e fevereiro chegando a apenas 2,53 milhões de metros cúbicos.

FONTE: Estadão / EFE

- Advertisement -

4 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Floresteiro
Floresteiro
11 anos atrás

Antes de criticarem, respontam.

Por acaso sansões é sinônimo de desistência de bomba atômica??

Tenho minhas dúvidas sobre a boa vontade do Irã, más com certeza, é mais provável conseguir algo com a diplomacia, que com as simples sancões.

Coréia do Norte é o melhor exemplo.

Francoorp
Francoorp
11 anos atrás

Agora que a China entrou de vez neste acordo ASSINADO pelo Irã, acabou para as sanções Yankees para o Irã !!

A china tem poder de veto na ONU, e enquanto o Irã respeitar, ou os chineses acharem que eles estão respeitando este acordo entre Irã-Turquia e Brasil, eles vetarão todas as instâncias contrárias ao program nuclear iraniano… realmente o poder dos Yankees no mundo está se reduzindo, esta indo ladeira abaixo mesmo, enquanto os BRIC’s estão bombando !!

Valeu !!

Tito
Tito
11 anos atrás

Agora eu fiquei tranquilo, se os Chinesios acham que tá bacana, é que o trem é bom mesmo.

Um viva a China, a democracia e aos direitos humanos.

Galileu
Galileu
11 anos atrás

O que os “Xeroq” ganham indo contra o Tio San?? ahahahh

Últimas Notícias

Recife (PE) sediará a nova Escola de Formação de Sargentos do Exército

O CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO INFORMA: Na 339ª Reunião do Alto Comando do Exército, realizada de 18 a...
- Advertisement -
- Advertisement -