sábado, outubro 23, 2021

Saab RBS 70NG

Irã reage à pressão do Conselho de Segurança

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Renata Giraldi

vinheta-clipping-forteBrasília – O governo do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, reagiu hoje (19) à decisão dos integrantes permanentes do Conselho de Segurança de intensificar a pressão em favor das sanções econômicas contra o país. O assessor sênior de Ahmadinejad, Mojtaba Samareh Hashemi, disse que esta posição, incluída no esboço de resolução definido ontem (18), não tem “legitimidade”.

Para o assessor, a expectativa é que o chamado G 5+1 – composto pelos permanentes das Nações Unidas: Estados Unidos, França, Inglaterra, China e Rússia, além da Alemanha reconsidere a disposição de adotar as resoluções e avalize o acordo que determina a transferência de urânio levemente enriquecido para a Turquia.

As informações são da agência oficial iraniana de notícias, Irna. “A elaboração de uma resolução por parte das potências que têm poder de veto no Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre o programa nuclear iraniano não tem legitimidade”, disse Hashemi, referindo-se à disposição dos Estados Unidos, da França, da Inglaterra, da Rússia e da China em aprovar medidas punitivas ao Irã.

Hashemi ressaltou que o Irã é signatário (participa de forma atuante) do Tratado de Não Proliferação de Armas, portanto, isso comprova que a intenção do programa nuclear do país é para fins pacíficos. O assessor de Ahmadinejad disse ainda que o governo autoriza a fiscalização constante dos especialistas da Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea).

“Há um monitoramento de todas as instalações nucleares iranianas como um relógio em conformidade com as salvaguardas referidas pela agência e o tratado [de não proliferação de armas], afirmou o assessor. “O Irã e a AIEA assinaram um plano de modalidade para remover as questões pendentes sobre o programa nuclear nacional e a agência verificou que não se fez qualquer desvio da finalidade civil.”

Ontem (18) os integrantes permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas – Inglaterra, França, Estados Unidos, Rússia e China sinalizaram que estão dispostos a endurecer na adoção de resoluções punitivas contra o Irã apesar do acordo firmado na presença do Brasil e da Turquia. Pelo acordo, o Irã se compromete a transferir o urânio levemente enriquecido para a Turquia. Em seguida, receberá o produto enriquecido a 20%.

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou que o Brasil vai reagir a esta disposição ao enviar um comunicado conjunto com o governo da Turquia para todos os membros do conselho. O objetivo é indicar que há razões para a comunidade internacional confiar no acordo firmado na última segunda-feira (17), em Teerã.

FONTE: Agência Brasil

- Advertisement -

27 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
27 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
piada
11 anos atrás

o lula tá igualzinho aos direitos humanos…só defende os bandidos e os que não presta!!!

Vader
Vader
11 anos atrás

Hehehehe, olha só o acordo do Lulla entrando água exatas 24 horas depois, rsrsrsrs…

Meu Deus, q m. que é ter bolivarianos escrotos no poder…

lc
lc
11 anos atrás

Mico, papelzinho de quinta categoria. A isso que a diplomacia do bananal se prestou.

A meu ver não passa de promoção pessoal de um megalomâno, orientado por um assessor mau caráter, que mais parece uma criança fazendo birra querendo chutar a canela dos americanos.
Nem nossa “aliada estratégica” esta dando a mínima.
Pois é, na melhor das hipóteses só passamos vergonha.

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezados,

Mas a culpa nesse caso não é do Irão… mas sim das outras nações que, mesmo havendo um acordo, não querem aceitá-lo…
Acho que agora se dá o inverso: o Irão busca a conversa mas o resto do mundo não quer ouvi-los…
Sinceramente acho nisso tudo, mais um desculpa para um conflito armado.

Sds.

Tito
Tito
11 anos atrás

Agora que as fotos já foram batidas, volta-se a realidade.

muscimol
muscimol
11 anos atrás

“…Acho que agora se dá o inverso: o Irão busca a conversa mas o resto do mundo não quer ouvi-los…”

mas sera que o Irao nao busca somente conversa e ganhar tempo?!!

se as intencoes sao apenas pacificas entao que convidem os inspectores da ONU a darem uma vista de olhos por la!!

o resto do mundo quer ver e nao ouvir…faz anos que ouvimos!! … aquele gajo e louco…pior …os lideres religiosos por tras dele sao ainda mais loucos.
aquilo e um ninho de vespas!!

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezados,

Lembrando que o Irão nunca estartou conflito algum. Sempre sofreu ataques, mas nunca atacou primeiro.
Me preocuparia mais com um outro estado nessa região do que com o Irão.
Como falei, isso é mais uma desculpa para um conflito.
Vejam o que está nas entrelinhas senhores…

Sds.

lc
lc
11 anos atrás

Alexandre Grs,

Você afirma que o Irã não estartou nenhum conflito.
E o hammas e o hizbolah (sei lá se é assim que se escreve esta porcaria)?

Sds.

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezado Ic,

Até onde eu saiba, Hezbolah e Hamas são grupos fundamentalistas libanês e palestino, respectivamente.

Sds.

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezados,

Lembrando que, tanto um quanto outro, foram criados depois de ações de um outro país.

Sds.

lc
lc
11 anos atrás

Alexandre GRS,

Só falta dizer quem os patrocina.

Sds.

quatzy
quatzy
11 anos atrás

Alexandre GRS , concordo com você. EUA estão querendo fazer a mesma coisa que fizeram com Iraque. Que é invadir o país e dominar os seus recursos naturais, princaipalmente o petróleo.

Não sei se os EUA serão capaz de invandir o Irã , pois é um dos maiores paíse de Oriente Médio e o maior potência política e militar de Oriente mèdio.

Marcos.T
Marcos.T
11 anos atrás

O engraçado é que quando são impostas sanções, é o povo que morre de fome e sofre não os governantes.E se sanções realmente funcionassem não teria acontecido a invasão do Iraque e a Coréia do Norte já seria uma democracia.

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezado Ic,

Até que não hajam provas concretas, nada de pode provar com relação a isso.
Lembra-se das armas quimicas? onde estão?

Sds.

Rodrigo Marques
Rodrigo Marques
11 anos atrás

A única coisa que eu quero saber é quando choverão bombas no Irã.

lc
lc
11 anos atrás

Alexandre GRS disse: 20 de maio de 2010 às 13:11 Prezado Ic, “Até que não hajam provas concretas, nada de pode provar com relação a isso.” Notícias referentes às ligações citadas, vc pode encontrar aos montes no noticiário internacional, basta procurar. De qualquer forma vou te dar uma dica. Pesquise sobre uma entrevista concedida à TV Al Jazeera, por um cabra chamado Ali Akber Velayah ou algo parecido com isso. Pois bem, o carinha aí é conselheiro do Khamenei, este eu sei que vc sabe quem é. Procure também um discurso ( TV Al Manar ), do Sheikh Qassem, este… Read more »

Tito
Tito
11 anos atrás

lc disse:
20 de maio de 2010 às 17:54

“Se ainda persistirem dúvidas, sugiro observar in loco indo até a faixa de gaza.”

Ô mardade, rsrsrsrs

Abs

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezado Ic,

A questão é que eu já estive na faixa de gaza, junto a uma comitiva do Itamaraty. Te garanto que a problemática e os “players” envolvidos são muito maiores do que imaginamos.
No mais, ainda que essas pessoas tenham de fato alegado da intervenção do Irão nos grupos fundamentalistas palestinos, a discussão prossegue muito mais além.
Sugiro que, se possível, o Sr. possa ir até a zona em questão e converse com todos que lá estão, isento de quaisquer pré-conceitos.
Verás, meu caro, o quanto o jogo do poder é atróz.

Sds.

lc
lc
11 anos atrás

Alexandre GRS, Se já estiveste na faixa de gaza e és do corpo diplomático, ou de alguma forma está ligado a ele, você deve saber muito melhor que eu que o Irã é sim, patrocinador de grupos terroristas. Isto posto meu caro, penso que você não deveria afirmar, como fizeste em comentário anterior, que não existem provas desta ligação. Agindo desta forma fica parecendo que você ou desconhece o fato, mesmo tendo participado de uma missão à região, ou nega-se a aceitá-lo e faz uma afirmativa falsa. Como afirmar que não há provas se os próprios dirigentes do hezbollah admitem… Read more »

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezado Ic, Imagina. Eu que peço desculpas. De fato, vi e ouvi muitas coisas… concordo que existam grupos fundamentalistas que de fato insitam a beligerância de ambos os lados. O problema, eu diria, é muito mais de cunho social, e sempre o é, do que puramente religioso militar… a história da região é deveras complicada… fica difícil você afirmar com certeza quem é o algoz e quem é a vítima.. creio que todos são algozes e vítimas em determinadas circunstâncias. Por isso, creio que o melhor caminho para aquela região seja de fato a diplomacia.. ao preço de estarmos iniciando… Read more »

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezado Ic,

No mais, é muito difícil você afirmar que essa “ajuda” aos grupos fundamentalistas é de alguma forma “institucionalizada”… até porque a própria sociedade Iraniana, não é de toda ela homogênia, tendo sim grupos liberais que vem ganhando cada vez mais, ganhango respeito e consequentemente maior espaço de atuação, inclusive, no próprio clérigo religioso.
O que vejo é que não podemos simplesmente pinta-los de “diabos” e com isso insitar provocações beligerantes.
Enfim. Esperemos e confiemos.

Sds.

lc
lc
11 anos atrás

Alexandre, Também acho esta discussão prazerosa. Região com história deveras complicada é pouco. Concordo com você, solução diplomática é sempre preferível à guerra. Só não creio que o Ahmadinejad também a prefira, este cidadão é insano. E no final nós sabemos quem vai pagar a fatura da insanidade dele. Além do mais, continuo não concordando com a atuação brasileira no caso, má orientada ideológicamente, alicerçada num anti-americanismo infantil e inútil, somando-se ainda à megalomania de alguns. Também vejo, conforme é noticiado, que grupos liberais iniciam uma tentativa de modificar o status quo iraniano, sendo esta uma atitude corajosa e louvável.… Read more »

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezado Ic,

“Como disse um amigo meu soldado da IDF, combatente do último conflito no Líbano, de forma simplista mas coberto de razão:
Quer iniciar um processo de paz? Comece exterminando os radicais religiosos, de ambos os lados.”

Foi o que eu ouvi de ambos os lados…
No fim, que deus nos ajude, já que essa é a sua terra.

Sds.

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezado Ic,

Sempre um prazer “teclar” com você. Me tenha como um admirador de você.

Sds.

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezado Ic,

No mais, um pouco da cultura de um país que muitos templários fugiram e de certo modo enriqueceram.

http://www.youtube.com/watch?v=zpOAnWEyzt8&feature=related

Sds.

lc
lc
11 anos atrás

Alexandre GRS,

Como você disse, sendo este território berço das três grandes, que Ele nos ajude.
Foi um prazer debater com você. Obrigado pelo link.

Sds.

Yurgen Haltz Von Vienna
Yurgen Haltz Von Vienna
11 anos atrás

E agora José?

Eis uma questão que vai ter que ser explicada pelos EUA e pela Europa: O renomado e sério jornal britânico The Guardian acabou de publicar uma reportagem em que afirma ter a Africa do Sul comprado diversas ogivas nucleares de Israel, portanto, Israel não só possue armamento nuclear desobedecendo as “normas” quanto ainda disemina tais artefatos de destruição em massa vendendo-os a Africa do sul.

O que a comunidade internacional e seu Conselho de Segurança fará contra estes dois países então?

Últimas Notícias

Recife (PE) sediará a nova Escola de Formação de Sargentos do Exército

O CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO INFORMA: Na 339ª Reunião do Alto Comando do Exército, realizada de 18 a...
- Advertisement -
- Advertisement -