Home Ajuda Humanitária BRABATT 2 realiza escolta e segurança de militares dos EUA

BRABATT 2 realiza escolta e segurança de militares dos EUA

765
24

Porto Príncipe (Haiti) – Em 19 de maio, o BRABATT 2 realizou escolta e segurança para uma comitiva de militares do Exército dos EUA, acompanhados pelo Force Commander da MINUSTAH, General Paul Cruz, e pelo Deputy do Force Commander, General Mezano, em visita a Porto Príncipe.

Durante a atividade, foi realizada a segurança e balizamento para aterragem de 03 helicópteros (Black Hawk) na base do porto (Região portuária de Bel Air) e escolta para o deslocamento ao Palácio Nacional e ao Forte Nacional, área de operações do BRABATT 2.

americanos2
americanos1
americanos4
americanos3

FONTE/FOTOS: Exército Brasileiro

24
Deixe um comentário

avatar
24 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
15 Comment authors
PauloVitorLeandro RQVaderBob Coldman Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Bruno Rocha
Visitante
Bruno Rocha

Nossos soldados são tão pequenos perto dos soldados americanos.
Na casa do tio sam tem algum critério com relação a altura mínima?
Sei que no Brasil gente com 1,60 entra para o exército. Será que lá a altura mínima é 1,70?

Então nós tivemos que fazer escolta para eles? Não é um tanto ridículo escoltar veículos blindados em um país de pobres que estão sem casa? Lá não é o Afeganistão, ou a coisa lá ta mais feia do que passa na mídia.

Bruno Rocha
Visitante
Bruno Rocha

Desculpem se acharam a minha pergunta meio ignorante, mas são coisas que não compreendo.

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Americanos são grandes por natureza mesmo; porém não achei que são tão maiores do que os Brasileiros.

WAR
Visitante
WAR

Tamanho não é documento. Os vietcongs derrotaram o Tio Sam. O tempo do corpo à corpo, em que a espada mandava já passou. Pilotos não podem ser muito grandes… E por aí vai.

MA
Visitante
MA

Bruno, veja que os veículos não são lá essas coisas, não reconheço o modelo mas parece um caminhão pequeno de caçamba aberta!

E é uma comitiva de militares, não dá para esperar que eles rondem por um território hostil sem uma mínima escolta armada!

Luan
Visitante
Luan

Poxa,como o padrão ACU do US Army é feio,o Woodland é lindo.Estragaram o uniforme.

[]’s

João Gabriel
Visitante
João Gabriel

Aquilo lá que estão chamando de caminhões são novíssimos Agrale Marruá,bem superiores a muita coisa ,inclusive aos Land Rovers que eles estão substituindo…
é o Engesa EE-4 porém com algumas modificações e motor MWM 2.8

MA
Visitante
MA

Obrigado João, não conhecia esse novo veículo.
Mas ainda assim não é “nada demais” para uma missão de escolta.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“…são novíssimos Agrale Marruá,bem superiores a muita coisa ,inclusive aos Land Rovers…”

Superiores em que??? Se explodir uma ied, ele aguenta o tranco??? Não!!! E a guarnição sai viva??? Não!!!

vassili
Visitante
vassili

MA, basicamente é um veículo logístico, categoria 750kg. Ele realmente é superior ao Land Rover defender, principalmente por ser mais barato….. e ser nacional, é claro………..

Agora, se o local de operações fosse mais “quente”, a tropa estaria em sérios apuros, pois patrulhar um cenário assimétrico desta forma é um perfeito pedido para sofrer baixas.

Imagine um IED feito por um obus de 155mm explodindo bem ao lado deste veículo, ou embaixo do mesmo……

Bem que algo como o RG-31 faria bem para a Minustah.

Abraços.

Luan
Visitante
Luan

Exato primo,é apenas um veículo logistico tanto é que nas primeiras inscurções adentro das favelas Haitianas,o apoio era com os Urutu.

Nunca ouvi relatos de IED’s no Haiti,dúvido tbm que,no inicio,os rebeldes teriam material pra fazer dispositivos assim.Até por que os insurgentes de fralda na cabeça usam explosivos de bombas ou projeteis de canhões que não foram detonados,e que tenham maior velocidade de detonação,sendo assim mais eficazes contra veículos.

[]’s

Luan
Visitante
Luan

Pensando um pouco mais no assunto IED + Haiti.Não seria muito inteligente da parte dos rebeldes esse tipo de tatica contra nossos veiculos.Já que esses guerrilheiros,assim como os traficante do Rio de Janeiro tomam o englomerado de barracos como uma proteção,o mesmo faziam os gangster Haitianos.

Uma explosão dentro de uma favela Haitiana,em uma rua estreita e cheio de barracos muito perto e encostados botaria meia favela abaixo rs.

[]’s

João Gabriel
Visitante
João Gabriel

Eles podem receber blindagem e armamento como os Guntrucks no Vietnã,é só uma questão de adaptação,agora contra IEDs nem o Urutu escapa…

Frederico Augusto Marques
Visitante
Frederico Augusto Marques

RG-31 Nyala, em um cenário operacional onde nunca houve ocorrência de IDE’S! Qual seria a lógica de uso desse meio no Haiti? Para o fim que se destina, o Marruá, bem como o Urutu e o Mowag Piranha IIIC do CFN são mais que suficientes. O uso de qualquer meio deve seguir a uma lógica operacional de emprego, portanto EB e o CFN estão corretos em sua doutrina no Haiti.

Francisco AMX
Visitante
Francisco AMX

War, o vietcong, não derrotou o soldado americano! na forma tática… no combate… muito menos teria sido pelo seu tamanho… apesar de ajudar com a camuflagem e os túneis… os números mostram um valor de 55mil americanos mortos contra mais de 1 milhão de “inimigos”… destes uns 600mil deveriam ser de “Charlies”… logo, o que derrotou os americanos, foi a opinião pública lá nos states!

Sds!

Bob Coldman
Visitante
Bob Coldman

Aproveitando o gancho do colega ali, os americanos não apenas são ligeiramente maiores que os brasileiros, mas também tem um aspecto melhor. Já notou, por exemplo, como os rostos deles apresentam menos imperfeições, menos… maus tratos?

Sem viadagem, é claro.

Vader
Visitante
Vader

Realmente esse padrão de camuflagem americano é muito feio. Parece nosso “uniforme de ralo”, ahuahuahuahua… 🙂

Sds.

PS: pra quem não sabe, no EB não se costuma(va) usar o uniforme camuflado novo que a gente recebe (2 jogos por ano, em “aluguel”) para “ralo da boina”, acampamentos, exercícios de campo, etc. Uniforme novo é para tirar serviço e para parada. Para campo a gente usa uniforme velho, de turmas anteriores, já desgastado e descolorido, que fica numa tonalidade meio acinzentada, como a desse ACU do US Army…

Leandro RQ
Visitante
Leandro RQ

Vader

Lembrou bem!

No meu tempo a gente usava aquelas fardas verde oliva, que viviam todas duras por causa da goma que a gente era obrigado a usar.

As que iam para a ralação eram literalmente podres… hehehehheheh

Leandro RQ
Visitante
Leandro RQ

Sobre as fotos… Acho que o uso do Marruá para a escolta se deu porque o Haiti deve estar mais pacífico hoje do que alguns anos atrás. No episódio do terremoto os soldados brasileiros ajudaram muita gente, e o povo de lá sabe disso, por isso creio que o ambiente não é de tensão. Como os colegas já falaram, na época dos conflitos contra as gangues, usavam URUTUS para esse tipo de missão. Se hoje o fazem com Marruás é porque o ambiente permite. PS: Acho que a intenção dos editores do blog era mostrar o uso dos Marruás pelo… Read more »

João Gabriel
Visitante
João Gabriel

Queria levantar uma questão…
Por que os brasileiros escoltaram os americanos sendo que estes têm tropas no Haiti desde o terremoto? Porque não solicitaram escoltas deles próprios?
Será cortesia dos brasileiros,ou bajulação?

MA
Visitante
MA

Pessoal, obrigado pelo complemento sobre o uso do Marruá e sobre os uniformes no EB! Muito instrutivo, algumas coisas definitivamente não sabia. Mas meu comentário se deriva disso que o Bruno disse: “Então nós tivemos que fazer escolta para eles? Não é um tanto ridículo escoltar veículos blindados em um país de pobres que estão sem casa? Lá não é o Afeganistão, ou a coisa lá ta mais feia do que passa na mídia.” Afinal, como explicado, o Marruá é simplesmente um veículo leve de logística! Não há sequer grande ostentação nele! Obrigado mais uma vez. João, os americanos não… Read more »

Vitor
Visitante
Vitor

Respondendo aos amigos acima: Na American Army deve ser obrigatorio o uso de cremes e loçoes pós barba por isso a pele de bebe.
auhahuahuahuaauh mas q coisa nem da pra ve o rosto dos caras e o pessoal falando disso. Vcs q nao viram os mexicanos da american army. E principalmente os guatemaltecos, esses sao anoes, nao devem conseguir entrar.

vassili
Visitante
vassili

Pessoal, Não sei pq um RG-31 MRAP não seria perfeito para patrulhar o Haiti. SEria por causa do maior consumo de diesel??????????? se o Brasil estiver com medo de gastar seu precioso dinheirinho, que começe REpensando o provável destino do FX-2………. ou que se implante uma Previdência menos onerosa para as Forças Armadas………… O Marruá é bom???????? claro que é………… mas como veículo de quartel, na função de ligação, carregando material ou cargas leves em serviços administrativos. Agora, colocar ele na linha de frente, com 6 soldados na carroceria sem proteção alguma, totalmente vulneráveis eu não concordo mesmo………….. O Haiti… Read more »

Paulo
Visitante
Paulo

Estou muito orgulhoso de ver NOSSOS Maruá em uso no exterior. Se os soldados dos EUA toparam ir neles, é porque a situação assim o permite.
Ficaria preocupado é se, após tantos anos lá, nosso pessoal ainda não tivesse pacificado aquele país. Pelo jeito a Força de Paz está cumprindo com o objetivo.
E feliz do País que pode ter Marruá para levar tropas amigas para passear. Muitos poucos países do mundo possuem este recurso.