domingo, julho 25, 2021

Saab RBS 70NG

Veteranos de 1932 pedem aumento de pensão

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Governo estadual paga R$ 450 mensais a 55 ex-combatentes e cerca de 600 viúvas

Os veteranos da Revolução Constitucionalista de 1932 que dependem de pensão especial do Estado – são 55 ex-combatentes e cerca de 600 viúvas, quase todos com mais de 90 anos – afirmam passar por privações ou precisar de suas famílias para sobreviver porque recebem apenas R$ 450 mensais de pensão. Segundo eles, o governo paulista reluta em reajustar o valor.

“Essa é a demonstração da importância que nosso governo dá a esses valorosos homens, muitos dos quais foram para a batalha com menos de 18 anos, como foi o caso de meu pai”, diz a professora aposentada Neide Gumbis de Souza Belluco, filha e sobrinha de soldados voluntários. Residentes em Piracicaba, ela e a irmã sustentam a mãe, viúva, de 89 anos, pois a pensão não é suficiente nem para os remédios.

O secretário da Sociedade dos Veteranos de 1932 – MMDC, coronel Mário Fonseca Ventura, cujo pai lutou no Túnel da Mantiqueira, diz que a situação só não é pior porque muitos ex-combatentes pertenciam ao Exército ou à Força Pública (atual PM) e recebem pensões dessas corporações. É o caso do presidente da sociedade, capitão Gino Struffaldi, de 96 anos, que servia como radiotelegrafista no Forte de Itaipu, em Santos, quando as tropas federais de São Paulo apoiaram os constitucionalistas.

“Não sofremos baixas, mas a Fortaleza de Itaipu foi bombardeada pela Aviação Naval, da Marinha do Brasil, que danificou as instalações”, conta o capitão Gino. “Nossa unidade mandou quatro canhões para a frente de batalha e armou com outro canhão um trem blindado construído pelos paulistas”, acrescenta. Cada canhão saía com cinco ou seis homens, armados de fuzis, o que deixou a guarnição desfalcada.

O soldado Oswaldo Diana, de 101 anos, também não tem pensão especial porque deu baixa na Força Pública para trabalhar como técnico eletricista na indústria. “Eu me aposentei pelo INSS, mas acho que teria direito a receber a pensão, porque lutei no Vale do Paraíba e participei de três combates”, diz. Em 23 de maio de 1932, quando foram assassinados os heróis do MMDC (Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo), ele estava no Quartel General, vizinho de sua unidade, o Batalhão Tobias de Aguiar.

“Aplaudimos nossos heróis no desfile de 9 de Julho, mas não reconhecemos, com essa pensão inferior ao salário mínimo regional (de até R$ 580), o mérito daqueles que lutaram nas trincheiras”, afirma o deputado estadual Sérgio Olímpio Gomes (PDT), major reformado da PM, que há três anos tenta convencer o Executivo a encaminhar à Assembleia Legislativa um projeto de reajuste, cuja iniciativa precisa ser do governador. O Estado não comentou as queixas.

A Sociedade dos Veteranos espera que ao menos o governo equipare a pensão ao salário mínimo. “Seria já uma conquista, embora fosse mais justo dobrar o valor atual”, afirma o coronel Ventura. Como secretário, ele sabe da angústia dos que têm de sobreviver com os R$ 450. “As viúvas são obrigadas a entrar com um processo na burocracia do Estado para comprovar a morte do marido”, diz. Segundo ele, muitas morrem antes.

FONTE: O Estado de São Paulo

- Advertisement -

28 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
28 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
lc
lc
11 anos atrás

O erro destes valorosos homens foi ter nascido à época errada. O destino os fez jovens na década de 30 e os pos em combate.
Se ao invés disto eles fossem jovens nas décadas de 60/70 e houvessem cerrado fileiras à esquerda terrorista patrocinada pelos piores ditadores mundiais e tentassem implantar uma ditadura comuna no país, hoje estariam todos refestelados mamando polpudas indenizações e quem sabe, até mesmo ocupando algum cargo comissionado no guvernu…

ALDO GHISOLFI
ALDO GHISOLFI
11 anos atrás

É… o azar deles foi não terem sido terroristas, estariam recebendo milhares de reais de ndenizações, polpudas pensões, seriam prestigiados, candidatos à Presidência, à Câmara de Deputados, ao Senado, poderiam integrar o Grupo dos Mensaleros,dos Cuequeros etc. Lástima… são apenas veteranos de ’32…

rats
11 anos atrás

o valor a coragem de nosso nobres soldados que derão seu heroico sangue pela patria não vale nada para essa cammbada de cominista que estão no governo! se fossem terroristas ou asassinos e ladrões com certeza eles não mexerião e nem diminuirião suas penções.o homem de valor para eles hoje é o corrupto ladrão e bandido este é os que tem mais valores para nossos nobres e eticos congressistas.

Paulo Andrade
Paulo Andrade
11 anos atrás

Se a pensão vem do governo do estado de São Paulo nada a se estranhar.
Basta ver o salário que policias da ativa recebem desse mesmo governo. Uma verdadeira vergonha.
Caberia aos deputados federais de São Paulo enviarem uma proposta de lei destinando não só um aumento do valor das pensões mas também indenizações àqueles que já morreram.
Que se passe para o âmbito federal também essa questão

Andre_Oliveira
Andre_Oliveira
11 anos atrás

É uma vergonha isso..Esses valores devem ser revistos..E para quem não entendeu, eles recebem suas pensões do GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO…Que preza tanto a memória de glória da sua gente..Certamente o GOVERNO FEDERAL paga bem melhor aos veteranos de Segunda Guerra do que aos nobres paulistas..

Mauricio
Mauricio
11 anos atrás

Até onde sei, quem paga essa “esmola” de pensão aos veteranos da Revolução de 32 é o governo do PSDB, que aliás dirige o estado de São Paulo desde 1994 com extremo respeito e zêlo a diversas categorias importantes do funcionalismo como policiais, professores, etc. O governo paulista se orgulha tanto de ter um salário mínimo regional de 580 reais mas comete um ato de tremendo descaso ao fornecer essa pensão vergonhosa de 450 reais a hérois que lutaram ostentando a bandeira de São Paulo mas que na verdade carregavam os ideais de liberdade que beneficiaram toda a nossa Nação.… Read more »

Vader
Vader
11 anos atrás

Paulo Andrade disse: 10 de julho de 2010 às 18:11 Concordo. Uma lástima o salário dos policiais no Brasil inteiro. Uma lástima as pensões de ex-combatentes no Brasil inteiro. Uma solução seria a equiparação dos salários das policias no Brasil todo. Um piso salarial único. Equiparação dos combatentes da Revolução Constitucionalista com os da FEB, e o aumento das pensões, até porque estes últimos também não ganham nenhuma maravilha. Mas pergunta: o governo federal se movimenta para aprovar isso no Congresso? Mesmo com toda a cooptada base aliada? Mesmo com apoio do Sarney e tudo o resto? Não. Para o… Read more »

Andre_Oliveira
Andre_Oliveira
11 anos atrás

Nem a pau Juvenal, o salário de delegado de polícia no Estado de São Paulo é o pior do país !! o atual governo destruiu a segurança pública de São Paulo, haja vista o PCC, cria predileta da turma.. http://www.conjur.com.br/2010-mai-27/melhora-policia-depende-melhores-vencimentos-delegados Eu trabalho com policiais militares e civis e eles nunca estiveram tão desmotivados, humilhados e desmerecidos, e isso está gerando uma ampliação sem precedentes nos casos de corrupção dentro dessas forças..Lá os ruins prosperam e os bons são jogados para escanteio.. Querem comparar os salários do Polícia Federal aos salários da Polícia Civil de São Paulo..??? O salário de um… Read more »

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezados,

Esse infelizes serviram à interesses maiores que suas convicções. Serviram à interesses que nem mesmo eles tinham conhecimento. Não pensem os Sr. que a sociedade paulistana se preocupa por eles porque não se preocupa. As mesmas famílias que na época os incentivaram, logo viraram suas costas e hoje, renegam suas existências.
No fundo, tenho profunda compaixão por esses soldados.

Sds.

PS: Onde está ou onde estão os operadores de lei formados pelo Largo do São Francisco nessas horas? talves fazendo algum “pindura” por ai.
Repugnante.

Felipe Cps
Felipe Cps
11 anos atrás

Alexandre GRS disse: 11 de julho de 2010 às 0:15 “As mesmas famílias que na época os incentivaram, logo viraram suas costas e hoje, renegam suas existências.” Caro Alexandre GRS, se com sua intervenção você quer dizer que o povo paulista não encarnou aquela guerra, e que ela foi uma guerra da “zelite”, impopular, lhe adianto que vc está errado. Muita gente que não combateu participou do conflito direta ou indiretamente. Minha avó, criança, entregava marmita que a mãe dela preparava (de graça) para as tropas acantonadas perto de sua casa. Um de seus irmãos chegou a se alistar, e… Read more »

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezado Felipe CPS, De fato, quando os meus avós chegaram da Europa, se depararam com o conflito já em andamento. Por parte do meu pai, minha familia é oriunda da Austria e Alemanha, por parte de minha mãe, descendo da aristocrácia Russa, expulsa de seu país pelos bolcheviques. Logo, quando eles em São Paulo chegaram, ainda que com uma carga de estudo e conhecimento muito superior, foram logo considerados cidadãos de segunda classe. Eles viveram de perto o que aconteceu e tentaram mesmo ajudar mas suas idéias não se coadunavam com as das lideranças paulistanas, lideranças essas, encabeçadas pelas familias… Read more »

cláudio alfonso
11 anos atrás

Parabéns José Serra!! Você ajuda a matar de fome nossos heróis.

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezados,

Somente relembrando que à época, eramos um país que, sua base intelectual era formada majoritariamente por Advogados, Engenheiro e Médicos e a base econômica era a agricultura de commodities.
Observem os interesses que permeavam o contexto.

Sds.

Vader
Vader
11 anos atrás

Alexandre GRS disse: 11 de julho de 2010 às 11:23 Alexandre: a minha avó é filha de camponeses italianos, e nesta condição jamais foram considerados cidadãos de segunda classe, até o advento do Brasil na SGM (quando lamentavelmente passaram a ser segregados, por motivos óbvios). De maneira que acho muito estranho que o povo paulista, sempre acolhedor aos que para cá vem, tenha considerado sua família como de “segunda classe”. Claro que entre as “classes altas” talvez tenha existido um certo preconceito, mas entre o povão era tudo igual. Tanto que minha avó casou-se com um mineiro “da gema”. No… Read more »

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezado Felipe CPS, “Enfim, eu felizmente tenho a fortuna de ainda ter na minha família quem se lembre das coisas como elas se deram, e não como alguns pseudo-historiadores oriundos da lavagem cerebral esquerdista dos anos 60 querem fazê-las ficar na história.” Como supra citei: descendo da aristocrácia Russa, torturada e expulsa de sua terra amada. Portanto, também me baseio na experiência daqueles que tiveram ceifado o direito a liberdade. Como falei: nunca fui e nunca serei massa de manobra, justamente pelo fato de ter crescido em um meio permeado de criticidade. Quanto ao “trololó revisionista” fico com meu Bisavô… Read more »

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezado Felipe CPS,

E quando me refiro a Escola de Direito, me refiro não somente aos estudantes mas sim, todos aqueles que fizeram e fazem parte da história daquela instituição.
Onde estão eles?

Sds.

dante caleffi
dante caleffi
11 anos atrás

Serra deixou esse pepino para o vice. Tem mais : quem questioná-lo sobre esse assunto e for jornalista pode procurar outro emprego.O homem é truculento e não admite contestação. Os veteranos de 32 , deve estar arrependidos,pois lutaram do, lado errado.

Alexandre GRS
Alexandre GRS
11 anos atrás

Prezado Dante Caleffi,

É justamente nesse ponto que questiono a não intervenção da Escola de Direito e da própria OAB.
Enfim, como dizia um certo político: interésses… interésses…

Sds.

Cassio
Cassio
11 anos atrás

rats isso não tem nada haver com o Governo Federal,e sim com o Estadual!

Leandro
Leandro
11 anos atrás

Hummm…
O lado que perde eh sempre o prejudicado…
Será que os veteranos da Waffen-SS recebem pensão do governo da Alemanha?

Galileu
Galileu
11 anos atrás

Sempre haverá injustiça. E não só com os que participaram e suas famílias, tem muito aposentado que é injustiçado.

Um outro exemplo. A atriz Maite Proença, recebe uma aposentadoria do pai falecido que era policial se nao me engano……..além de não sofrer reajuste, ela não precisa. Mas a lei é cega!

Manock
Manock
11 anos atrás

Alexandre GRS: Essa aristocracia russa da qual vc tanto se orgulha de descender é a mesma que manteve a Russia atrasada e povo Russo faminto até a eclosão da revolução? Chega de hipocrisia! Quem não gosta de bairrismo não se considera superior por vir de outro bairro. Governo Lula do PT ou governo Serra do PSDB todos mantem o país em frangalhos, por defenderem apenas seus interesses. Farroupilha, Revolução de 32, Cabanagem, Balaiada, Inconfidência, todas estas revoltas ou serviram às elites da época de seus respectivos lugares ou substituíram as elites locais por outras elites quem após ascenderam ao poder… Read more »

Gustavo
Gustavo
11 anos atrás

Bom, para ilucidar um pouco o caso e diminuir as contradições que vi nos comentários, sugiro que vejam o documentário “A GUERRA DOS PAULISTAS” de 2002 com direção de LAIS BODANSKY. Muitos não sabem, mas toda a história começa com a Revolução de 30 que derrubou a velha política do café com leite. O PRP (Partido Republicano Progressista) de SP representava a velha aristocracia Paulista e ditava as regras na polítca nacional naquela época. Após rompimento com a política mineira e a indicação do próprio candidato para presidente da república, há um racha no PRP e dissidentes criam o PD… Read more »

Paulo Andrade
Paulo Andrade
11 anos atrás

Boa tarde Vader, sempre um prazer discutir com vc mesmo não concordando, como agora, com algumas de suas posições. Mas como se diz por aí, o que seria do Palmeiras se todos gostassem do Crinthians, não é mesmo? Veja meu caro, realmente os salários dos policiais do Brasil todo são ruins, mas desculpe meu amigo, os de São Paulo chegam a ser vergonhosos e sou paulistano de mais de 4 décadas… O mesmo se aplica na questão educacional, mas não vamos nos estender nessas questões. Realmente concordo que uma saída seria uma equiparação nacional. O problema é se tomarem os… Read more »

Andre_Oliveira
Andre_Oliveira
11 anos atrás

Discordo de você Giap. A revolução de 32 teve a participação decisiva da oligarquia cafeeira, mas foi, em grande parte, um movimento popular. Se não houvesse adesão da população não teria ocorrido nada. Isso é fartamente documentado. A grande colaboração dos revolucionários de 30 para esta mobilização foi a atuação desastrosa dos interventores revolucionários federais em São Paulo. Tempos depois Getúlio se reconciliou com os oligarcas paulistas comprando os estoques de café e colocando fogo nos estoques acumulados para manter as cotações, além de uma série de ações complementares. Sou a favor de pagamento de pensões a pessoas vítimas dos… Read more »

Mikhail Aleksandrovitch Bakunin
11 anos atrás

O sujeito é voluntário, e depois exije pensão? Se não morreu ou ficou inválido em combate, não deve haver pensão nenhuma, pois não houve recrutamento obrigatório.

marialidia
marialidia
11 anos atrás

srs,meu pai lutou bravamente na rev de 32,e recebe 450,00, quais seriam os outros beneficios,que pode 1 viuva,usufruir,e como enterra-lo na praça dos revol. de s.carlos.poderiam me dizer,e onde estam os processos das familias que lutam por 1 aumento…..podem me enviar via imail,vou lhes agradecer. marialidia….

Rosangela
Rosangela
10 anos atrás

gostaria de saber quando que os governantes vão lembrar de dar aumento para as viuvas dos EX COMBATENTES 450,00 é um absurdo, o que adianta fazer desfile em homenagens aos Ex Combatentes se as viúvas não podem fazer nada com essa miséria de salário que é abaixo do mínimo.

Últimas Notícias

1ª Brigada de Infantaria de Selva é certificada como Força de Prontidão

BOA VISTA (RR) – No dia 23 de julho de 2021, a 1ª Brigada de Infantaria de Selva –...
- Advertisement -
- Advertisement -