Home Defesa Antiaérea Mercadores russos

Mercadores russos

137
60

O Ministério do Desenvolvimento acertou a visita de uma grande comitiva empresarial russa, que desembarcará em Brasília no início de outubro. O pacote de ofertas na área militar inclui um novo lote de 18 helicópteros de combate MI-35M, além de três baterias antiaéreas Tor-M2. Os russos trazem na mala o direito de fabricação de mísseis portáteis Igla, que o Brasil já tentou produzir. Dentre os negócios na área civil, Moscou vai oferecer satélites de comunicação para aviação comercial e reatores nucleares. O governo brasileiro aproveita para tratar do embargo russo à carne brasileira.

FONTE/FOTO: Isto é /EB

Subscribe
Notify of
guest
60 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vader
9 anos atrás

Ministério do Desenvolvimento???

André
André
9 anos atrás

Estranho mesmo, Vader.

Invincible
Invincible
9 anos atrás

Pois é Vader… Bizarro!

Mas neste caso acho que o erro foi da Isto é.

Mineiro
Mineiro
9 anos atrás

A reportagem tem tanto um cunho militar quanto civil. O que explicaria a nota via Ministério do Desenvolvimento. Ou foi digitado errado mesmo. hehehe!!!
Cordialmente.

Pedro Rocha
Pedro Rocha
9 anos atrás

Olá senhores! Uma noticia tanto surpreendente como esperada! Finalmente o EB receberá seus helicópteros de ataque puro? Eu acho que a FAB já tem sua dotação completa do tipo e acredito que está satisfeitíssima com o mesmo! Aqui deixo uma observação: Os Sabres são atualmente os helicópteros que possuem a suíte eletrônica mais avançada do inventario da FAB! Já quanto ao TOR-M2 dispensa comentários! Eu quero ver se utilizaram as plataformas (sobre lagartas ou sobre rodas) russas ou adaptaremos algum chassi nacional Eu particularmente prefiro sobre rodas com sua agilidade e capacidade de utilizar rodovias. Mesmo sabendo que da grande… Read more »

Darkman
Darkman
9 anos atrás

Importante que esse pacote vem para o EB.
E isso vai acontecer e será fechadoa compra dos MilMI35 para o EB.
Que poderia vim tb o Mi17 seria ótimo.

Abs.

Colt
9 anos atrás

Não me parece interessante a compra de mais equipamento russo. Sem contar que as FAs, acabam tendo material de várias procedências. Imagino que a logística da coisa fica mais complicada. Tá bom que, não depender de somente um fornecedor é bom, e desenvolver e fabricar aqui é o ideal. Mas tem outros fornecedores no mercado, EUA e Europa, e uma certa padronização também é desejável. Tenho visto as notícias de aumento de preço pago pela Índia nos equipamentos militares comprados da Rússia, com custos maiores do que o previsto inicialmente; acho que o porta-aviões e caças SU. Talvez, uma padronização,… Read more »

RtadeuR
RtadeuR
9 anos atrás

Mi 35 para os Fuzileiros Navais do Brasil também, por favor. Os FN à tempos sentem falta de equipamentos e pessoal específicos só para eles. Que seja desta vez.
Quanto à que ministérios entram na jogada, não tenho ciúmes, fiquem à vontade. Mas operem e façam operar.

The_mal_voltou
The_mal_voltou
9 anos atrás

ótima notícia!
o mais interessante ai mesmo é o igla produzido por essa bandas.

Cláudio
Cláudio
9 anos atrás

Interessante….

Os Russos deveriam permitir a montagem e a manutenção dos MI-35 no Brasil.

Estranho
Estranho
9 anos atrás

Alguém sabe porque não saiu a fábrica de blindados russa no Rio Grande do Sul?
Já faz ums 2 anos e nada.

luciano35
luciano35
9 anos atrás

Estranho disse:
20 de setembro de 2010 às 16:47

“Alguém sabe porque não saiu a fábrica de blindados russa no Rio Grande do Sul?
Já faz ums 2 anos e nada.”

tbm gostaria dessa resposta!!!!alguem tem?

Raptor
Raptor
9 anos atrás

O problema de negócios com os russos é o estilo, por assim dizer, “poderoso chefão” de ser… Os italianos tentaram uma integração das indústrias, pelo ocorrido, nem a famiglia conseguiu dar jeito… Os franceses estavam a tentar e há sinais que não vinga… Os indianos estão as turras, trocando de fornecedores e nacionalizando o máximo possível… Não se trata apenas de ter uma indústria de defesa com bons produtos, é necessário uma base confiável de logística e atendimento global confiável e estável… Coisas que não combinam com este tipo de administração… Precisam modernizar a rede de poder e industrial, ou… Read more »

Juarez Castro
Juarez Castro
9 anos atrás

Será que já combinaram com os sistemas de radar, C2I e Datalinck as voltagens, ciclagens e tensoõies dos sistemas russos??

Grande abraço

Seal
Seal
9 anos atrás

Mais 18 Mi-35? então acho que os Sabres foram aprovados pela FAB. Será que agora também teremos um sistema de baterias de defesa aérea de respeito? Bem que os russos podiam trazer também na mala alguns misseis de cruzeiro similar ao projeto do MT-300 Matador,que eles venderão para a Síria. A Rússia anunciou que venderá à Síria mísseis de cruzeiro Yakhont, apesar da oposição de Israel e dos EUA . “Damasco espera receber ao menos dois sistemas. Tendo em vista que cada um desses sistemas pode levar até 36 mísseis Yakhont o volume da provisão é considerável”, informou neste domingo… Read more »

marujo
marujo
9 anos atrás

Os russos ainda tem bons sistemas de canhoes AA para oferecer ao EB Quais sao eles Os Sabres aprovaram na FAB

arlei
arlei
9 anos atrás

RtadeuR,

Para o CFN, provaelmente os russos ofereceriam os Mil Mi-28 Havoc, mais leves e que melhoe serveriam para a Marinha operar em Fragatas ou em navíos de desembarque de tropas

J. MessiaH
J. MessiaH
9 anos atrás

Pessoal mudando de assunto mas ainda dentro do Exército, não vi nenhuma nota nos blogs comunicando a morte do General Roberto de Pessoa, o criador do nosso paraquedismo militar. Acho q ele merece né…
Quanto a esse boatos exepcionais tomara q os produtos não fiquem só na mala.

RtadeuR
RtadeuR
9 anos atrás

arlei

É ótimo MI-28, mas o MI-35 ataca e transporta tropas, o que é doutrina do Clanf , só que voando.

Ramasses
Ramasses
9 anos atrás

Eu creio que Muito em bréve poderemos desenvolver e construir nosso proprio sistema de defesa . A Industria de equipamento de defesa Russa é uma das mais modernas existente no Mundo . Acordos nessa área pode nos tirar de um atrazo de décadas . Não só na industria , mais em todo o sistema fragilizado de defesa . Eu creio que agora estamos no caminho certo. Não vamos esquecer tambem de acordos muitíssimos importantes com a China tambem na área militar . Um Abraço Meu Brasil .

Fabio ASC
Fabio ASC
9 anos atrás

Como é possível falar que a FAB aprovou os Sabres? Nem os armamentos foram entregues ainda. Como aprovar um Heli de ataque sem os armamantos?!?!?!?!?!

Gosto muito dos produtos russos, mas como já disseram, nem só de bons produtos viem uma FA.

Galileu
Galileu
9 anos atrás

Será que veremos a mesma novela? compra armas russas em troca de fim de embargo a carne.

Sou fã de armas russas, mas como eu disse na época da compra dos Mi35, a Força deve demonstrar interesse e não o “DEUS” amorim e garcia.

Olha aí se não é a vez do EB receber seus Mi e talvez o TÃO ESPERADO Tor……

Freire
Freire
9 anos atrás

Sempre bem vindo novas aeronaves para o EB.

Brasil

Galileu
Galileu
9 anos atrás

ahhh esqueci, bem que a russia podia cortar relações com o brasil, assim o amorim ia lá negociar, voltava com SU35, PAK, S500……até umas ogivas e parceria com o glonass ahahahahhaha

RL
RL
9 anos atrás

Tinhamos que adquirir os S-300 e não os Tor-M2.

Além dos S-300 deveriamos firmar acordos com os Russos para auxilio no desenvolvimento do trinômio nacional – SABER-M200 + A-Darter + (Avibras Viaturas).

Quanto aos Mi-35, demoro. Acho que 30 ainda seriam poucos, no entanto, antes essa quantidade do que nada.

Vamos ver o que mais virá.

Baschera
Baschera
9 anos atrás

Sobre a fábrica de blindados russos no RS: Só factóide…. e politicagem….. de concreto, nada !! Sobre os Igla no EB: Uns gostam, outros não…. disseram-me que quando a MB mostrou os Mistral ao pessoal do EB… estes “marejaram os olhos”… Sobre os MI-35M2 (Sabre) da FAB: Também há quem fale bem… e quem fale mal…. minha opinião é que ainda é cedo para conclusões, em todos os aspectos. Sobre a possiblilidade de MI-35 no EB: Acho que ficarão melhor aqui no Exército, pois são unidades de ataque ….. mas realmente um ponto há que se considerar: o EB teria… Read more »

Fabio
Fabio
9 anos atrás

Em relação ao Mi-35, só vale a pena um lote para o Exército depois de realmente aprovado pela FAB, o que ainda não aconteceu. Em relação ao direito de fabricação de mísseis portáteis Igla é uma boa idéia, desde que as FAs comprem lotes anuais com o objetivo de manter uma linha de fabricação funcionando…caso contrário não vale a pena gastar um centavo. Em relação aos misseis de média altura, não acredito que o Brasil vai comprar sistemas russos, simplesmente porque a mentalidade de logistica/manutenção russa é muito diferente da ocidental. O Brasil não vai criar 02 ou 03 grupos… Read more »

Marco antonio Lins
9 anos atrás

Ilmo

No mundo mercantilizado, quem vai querer falhar na logistica. É questão de ganhar mercado. Acho que agora vamos fazer bons negocios.

Bosco
Bosco
9 anos atrás

O exército precisava de um helicóptero de ataque mais convencional. Tudo bem que já me acostumei com a idéia do Mi-35 na FAB operando na Amazônia, mas pro exército um heli de ataque “puro” acho mais adequado. Quanto ao TOR, ele é um sistema de alta mobilidade e com proteção blindada, sobre rodas ou esteiras, o problema é: precisamos de um sistema desses para cobrir a baixa e média altitudes (incompleta)? Não seria melhor apostarmos nos Iglas para baixa altitude, desdobrados em veículos e com apoio de radares (Saber) e investirmos num legítimo míssil de média altitude? Uma combinação de… Read more »

Fabio ASC
Fabio ASC
9 anos atrás

Para o EB queria o KA 52

Marco Antonio
Marco Antonio
9 anos atrás

Eu tenho a convicção de que, apesar de haver a questão do custo elevado para manutenção de equipamentos de diversas procedências, é estratégico termos acesso às diferentes tecnologias, tanto para que se evite a dependência de um fornecedor, quanto para que possamos obter as melhores tecnologias para cada segmento (inegavelmente os russos são os melhores em equipamentos anti-aéreos). Portanto, sou favorável à diversificação, com a ressalva de que isto aconteça em segmentos diferentes (não sou favorável a que tenhamos MBT’s ou sub’s de procedências diferentes, por exemplo). Enfim, sou contra a adoção de um único fornecedor para as 3 FFAA… Read more »

Yasser
Yasser
9 anos atrás

@Fabio ASC, eu gostaria de ver tb os Hokums aqui no Brasil, porém o “Helicoptero do Rambo” é mais eficiente para um cenário na amazônia. Ele além de ter um ataque de fogo bem semelhante ao Hokum ele transporta tropas.

Pedro
Pedro
9 anos atrás

Acho que a compra do Tor é uma excelente noticia. Desde a aposentadoria dos Roland II em 1990, não temos muita coisa alem dos Igla, que é o melhor missel da categoria, e os poucos canhões AA de 35mm e 40mm. Para um país do tamanho do Brasil, isso é nada! Agora, acho que para ter algo eficaz, temos que pensar como foi feito o sistema Tor. Ele é operado sempre junto ou proximo do Buk, sendo complementado pelo sistema SA-19/22 nos Tumguska e agora no Pantsyr. Ao contrario de muitos, acho melhor e mais eficaz um sistema que venha… Read more »

jose
jose
9 anos atrás

ola galera sou de PVH, tenho 13 anos e ja consegui tirar foto os AH-2 sabre, eu pude entrar na cabine e e demais uma perfeita máquinas de guerra!!!
todo dia vejo ele sobrevoando a minha casa e tenho orgulho de morar numa cidade que tem o melhor helicoptero de ataque do Brasil!!!

se quiserem ver minhas fotos no orkut so adds: jose7797@hotmail.com

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Como digo, sempre..

Se é para fazer compras na Rússia por que trazer a velharia do Hind ?

Tem coisa melhor e mais moderna por lá.


O Hind não opera full com carga de pax e armado, esqueçam esta fantasia do videogame.

O SAM e AAA tem mais é que pegar mesmo, não existe parâmetro semelhante aqui, então começar a adquirir prática desde o início com o equip. russo, não vai ser traumático.

Bosco
Bosco
9 anos atrás

Jose,
Valeu!
Vou lá no orkut dar uma espiada.
Um abraço.

Darkman
Darkman
9 anos atrás

Caro Bashera,
O que eu mas queria era ver os Mi17 no EB junto com os Mi35.
Espero que só venha mesmo os 16 EC725 previsto e que não venha mas nenhum, somente os Mi17.

Abs.

Galileu
Galileu
9 anos atrás

Bosco
Concordo com você, mas no caso Pantsir Vs Tor, eu fico com os Tor, como você mesmo disse são bem mais avançados…..

A menos claro que o EB tenha intenção de dar cobertura a cavalaria….ai claro os Pantsir seria o escolhido.

abraço

Galileu
Galileu
9 anos atrás

Bosco
Tira uma dúvida minha fazendo favor.

Como você sabe, o sistema Tor M2 tem um alcance menor, mas é mais eficiente ou avançado. Você acha que no cenário Mundial os Tor sairiam melhor contra as conhecidas “contra-medidas eletrônicas”?? E no fim o alcance maior do Pantsir por ex, “cairia por terra”, visto que sua engenharia é mais suscetível a interferência….

valew

MA
MA
9 anos atrás

Colt, o maior problema, a meu ver, para a logística seriam apenas as peças de reposição e armamento… As peças de reposição, não sei se foi confirmado, mas lembro de terem dito que seria aberto no Brasil uma oficina licenciada da Mil, sendo inclusive um negocio potencial realizar a manutenção de aeronaves russas operadas por nossos vizinhos, já que instalação semelhante seria a única na América. Eu acho relativamente complicado, mas sabendo que inúmeros países, inclusive membros da OTAN, possuem diversos fornecedores diferentes e não possuem graves problemas operacionais, eu acho viável. Quando ao Tor-M2, como já foi dito nós… Read more »

Fabio ASC
Fabio ASC
9 anos atrás

Além de carne, o que mais poderia entrar no negócio para gerar mais interesse nos russos?

E mais, será que eles chegaram a pensar no Super Tucano?

Bosco
Bosco
9 anos atrás

MA, Na FAB eu entendi a “doutrina” de se usar um helicóptero “de transporte” com maior poder de fogo tendo em vista o possível enfrentamento com traficantes e o fato de operar isolado, independente. Mas no exército, pra que um heli de ataque, com ênfase na capacidade antitanque, precisa levar tropa? No exército da antiga URSS ou da atual Federação Russa eu até entendo a doutrina deles, que inclusive preconizava o rearmamento desses helicópteros em campo, como se faz com um veículo de combate. Na verdade o Mi-24 era um “veículo de combate de infantaria” voador, mas desconheço se essa… Read more »

Bosco
Bosco
9 anos atrás

MA,
Eu não sou a favor do Mi35 na FAB. Eu “entendi” e aceito. srsrsrsr
Mas pra mim a FAB estaria melhor servida com um utilitário armado com duas metralhadoras nas portas e no máximo, um par de lançadores leves de foguetes.
Acho que a FAB tem que ter bons aviões de ataque e apoio tático (Super Tucano está ótimo), mas aviões de “asa fixa”. Deixa os “aviões de asa rotatória” de ataque para o exército.

Um abraço.

Andre Luis
Andre Luis
9 anos atrás

Será que essa compra de AAA pelo EB não deixa o SH cada vez mais distante da FAB e MB?
Será que titio gostaria de ver uma aeronave sua sendo exposta aos montes em testes de artilharia russa?
Sei não…acho que uma decisão vai acabar influenciando a outra.

Ou leva SH e esquece AAA russa ou leva AAA russa e esquece SH.
Alguém em Paris deve estar torcendo loucamente pelos russos.

ps: sei que o papo não é avião, mas acho que a duvida é pertinente. e como tudo é politica…

Galileu
Galileu
9 anos atrás

Valew Bosco

jose
jose
9 anos atrás

ja pode ver as fotos!!!

Colt
9 anos atrás

MA disse:
21 de setembro de 2010 às 14:52

Entendo o que diz, mas acho tem a questão das peças, medidas, ferramental, treinamento, eletrônica, manuais; penso que as coisas “andariam melhor” com uma estrutura mais definida com material ocidental.
Abço

Bosco
Bosco
9 anos atrás

Jose,
Tem certeza que consigo te achar no orkut com esse e-mail?
Não consegui não.

Leandro RQ
Leandro RQ
9 anos atrás

Vou colocar um pouco de “pulgas” atrás de nossas orelhas…

Será que aquele conhecido ex- militar brasileiro de alta patente, que trabalha em parceria com um famoso “senhor da guerra” está por traz desse negócio?

Se a resposta for positiva, podem se preparar para noticiar a veracidade desses boatos.

O “homem” tem as costas quentes em Brasília.

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Andre Luis disse:
21 de setembro de 2010 às 16:50

Não tem relação, vários países usam aviões americanos e ADS russos.

Este papo foi ventilado via MD e a Boeing fez questão de desmentir.

—————————————

Leandro RQ disse:
22 de setembro de 2010 às 15:11

Não sei dizer, mas tem muita coisa boa na Rússia que seria muito bem aproveitada aqui, principalmente para a turma de verde.