sábado, outubro 23, 2021

Saab RBS 70NG

Várias cidades na Líbia mergulhadas no caos após fuga de militares e polícias

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Várias cidades na Líbia estão mergulhadas no caos, com relatos de edifícios públicos em chamas, incluindo o do Parlamento em Trípoli, e unidades militares e policiais em fuga face o avanço dos manifestantes pró-democracia

Bengasi e Sirte estarão já ambas sob o controlo das multidões que exigem o fim do regime de Muammar Khadafi – no poder desde o golpe militar de 1969 –, inspiradas pelas revoltas populares que conduziram à deposição dos chefes de Estado na Tunísia e Egipto e que se propagam actualmente por diversos países do Norte de África e do golfo.

A Federação Internacional de Direitos Humanos, segundo a qual se registam já entre 300 e 400 mortes desde a eclosão dos protestos da semana passada na Líbia, descreve que os manifestantes ganharam o controlo daquelas duas cidades após a retirada do terreno de algumas unidades do exército.

O jornal líbio “Quryna” reporta entretanto na sua edição online que protestos anti-Governo estão a decorrer em Ras Lanuf, cidade no Norte da Líbia onde se localiza uma das maiores refinarias petrolíferas do país, com capacidade para produzir 220 mil barris por dia. Segundo o “Quryna” os trabalhadores formaram comités especiais de segurança nas instalações para evitar que as mesmas sejam destruídas pelos manifestantes.

Nas últimas horas chegaram igualmente relatos de a polícia ter fugido da cidade de Zawiyah, a Oeste de Trípoli, depois de esta ter submergido no caos. Residentes naquela região estão em fuga para a vizinha Tunísia, reporta a AFP citando testemunhas locais.

A situação em todo o país está a tornar-se cada vez mais “confusa”, descreve o correspondente da BBC no Cairo, Jon Leyne, avançando que correm cada vez mais persistentemente rumores, não confirmados, de que Muammar Khadafi terá saído de Trípoli, possivelmente em direcção a Sirte, sua cidade natal, ou para a base que possui no deserto, em Sabha.

Desde as primeiras horas da manhã têm-se sucedido notícias de ataques a edifícios públicos, incluindo o do Parlamento em Trípoli e de uma esquadra em Souk Al-Jamma, nos arredores da capital, supostamente lançados em fogo por activistas pró-democracia.

“Consigo ver a Assembleia do Povo a arder. Estão lá bombeiros a tentar apagar o fogo”, descreveu o jornalista, quando o país entra hoje no oitavo dia consecutivo de contestação ao regime autoritário de Muammar Khadafi, de que resultaram já mais de 230 mortos (segundo a Human Rights Watch). A Assembleia do Povo é o edifício onde reúne o Congresso Popular, o Parlamento, quando está em sessão na capital Líbia.

O correspondente da BBC relatava que as ruas de Trípoli “para já” estão de novo sob o controlo das forças de segurança líbias, muito embora continue a ser reportado que são ouvidos disparos em zonas dos arredores da cidade. Ao mesmo tempo, organismos e associações pró-Khadafi estão a distribuir gratuitamente carne, peixe, e frutos secos a todos quantos se juntem às manifestações a favor do regime.

Moussa diz que reivindicações são “legítimas”

Cada vez mais vozes se juntam hoje às críticas à acção das autoridades na repressão dos protestos: mais recentemente a do secretário-geral da Liga Árabe, Amr Moussa, o qual descreveu as reivindicações dos manifestantes como “legítimas” e instou o regime de Khadafi a pôr termo à repressão violenta das manifestações.

A noite de ontem para hoje fora de novo muito turbulenta nas ruas de Trípoli, com relatos de tiros a serem disparados em várias zonas da cidade pouco após a transmissão nas televisões do discurso do filho do líder líbio. Nessas declarações, Saif al-Islam Khadafi avisou que o país está em risco de guerra civil, caso os protestos não cessem.

Segundo a Al-Jazira, ouviram-se constantes disparos, incluindo de armas pesadas, junto à Praça Verde, epicentro da contestação na capital líbia e onde os manifestantes anti-Governo foram brutalmente reprimidos.

Uma testemunha contou àquele canal, com sede no Qatar, que as forças de segurança que dispararam contra os manifestantes na praça eram da “milícia especial que protege Khadafi”, a chamada guarda pretoriana, maioritariamente formada por mulheres.

Testemunhas relataram ainda que, durante a noite, grupos de manifestantes entraram e saquearam o edifício da televisão estatal, já após o discurso de Saif al-Islam Khadafi, o que forçou a interrupção das transmissões temporariamente. Esta manhã a televisão estava já a operar normalmente.Ainda em Trípoli, os familiares dos funcionários da embaixada do Reino Unido, que pediu protecção às autoridades líbias para retirar os seus cidadãos do país, já saíram da Líbia através de voos comerciais. A Turquia, um dos países com mais cidadãos e negócios naquele país, terá visto hoje um dos seus aviões impedido de aterrar em Bengasi.

FONTE: publico.pt

- Advertisement -

9 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vader
10 anos atrás

Bem, uma coisa é certa: mais uma venda do Rafale que vai pro vinagre, rsrsrsrs… 🙂

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Não vai demorar muito e o no Caubi Peixoto da Líbia, vai ter que ir cantar Conceição em outra freguesia.

Parabéns ao povo líbio e pau no Caubi!

Vader
10 anos atrás

Consta que o cabra já se mandou… pra Venezuela!!!

Nem precisa falar mais nada né? O cara manda bombardear a própria população com caças supersônicos… e foge pra Venezuela…

Recordar é viver: Parabéns aos pilotos. Uma atitude que exige coragem: só Deus sabe o que as famílias irão sofrer por conta de sua deserção.

Usar caças contra população civil desarmada é um crime inominável.

Interessante para onde Kadhafi teria fugido: para a Venezuela. Isso diz muito…

No mais, recordar é viver: http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,lula-ataca-midia-e-chama-kadafi-de-amigo-e-irmao,396684,0.htm

E, como disse acima, mais uma “venda certa” que o Rafale perde… 🙂

Observador
Observador
10 anos atrás

Vocês estão enganados.

O Kadafi comprou o Rafale sim.

Um só. Biposto. Para fugir.

Wagner
Wagner
10 anos atrás

Vader, para sua tristeza profunda, o Kadafi não foi para a Venezuela. Seria um Prato cheio para vc que tem tanto ódio contra quem pensa diferente de vc, como os tais bolivarianos, não é mesmo ? Acho engraçado que vc tenha comentado sobre todo o apoio que sseus amados norte americanos deram para o Mubarak durante 30 anos, o qual foi tão cruel quanto o Kadafi. E acho estranho vc não comentar a hipocrisia americana, que NÃO CONDENOU as mortes que o Mubarak promoveu no Egito, mas agora condena o que o Kadafi faz. Mubarak e Kadafi são iguais, mudam… Read more »

Vader
10 anos atrás

Wagner disse: 22 de fevereiro de 2011 às 11:06 Wagner: 1. Realmente uma pena que o Kadafi não fugiu, ou foi de qualquer maneira para o raio que o parta, parando de assassinar seu próprio povo. Mas seria mesmo engraçado ele ir para a Venezuela… Se tem alguém que com certeza o receberia de braços abertos é seu “irmão” Chavez… 2. Não tenho ódio de bolivariano não: essa palavra é muito forte para eles merecerem-na. Apenas os desprezo. Odeio é o relativismo axiológico de que eles se utilizam tão faceiramente para justificar seus crimes em nome da “causa”. 3. Bolivariano… Read more »

Vader
10 anos atrás

Ah sim, só completando: falei do Chavez, mas não tenho dúvida alguma que se o Kadafi viesse pra Pindorama ganharia de presente asilo político, apartamento funcional e um carguinho numa “Secretaria da Pesca” qualquer por aí…

Fazer o que né? País-valhacouto de marginais é assim… já é tradição nossa já.

Wagner
Wagner
10 anos atrás

Vc sabe que quem instalou a maioria dos ditadores do oriente médio e vendeu armas para eles foram os EUA, isso é histórico, não adianta negar isso. Isso os faz cachorrinhos de Washington… Essa escório tipo Mubarak ( 300 pessoas morreram no Egito isso o torna tão cruel quanto Kadafi. Não morreram mais pessoas pq os militares egípcios se recusaram a obedecerm enquanto que os militares líbios são mais subvernientes ao ditador)) foi mantida pelos EUA para proteger Israel e hostilizar Irã, Síria e Líbia. Noutras palavras, o que estou querendo dizer é: uma dos grandes culpados do sangue que… Read more »

Vader
10 anos atrás

Wagner disse: 22 de fevereiro de 2011 às 15:58 “Vc sabe que quem instalou a maioria dos ditadores do oriente médio e vendeu armas para eles foram os EUA, isso é histórico, não adianta negar isso.” Mas quem está negando? E antes dos EUA foi a GB. E antes, os otomanos. E antes, os persas. E antes, os mongóis, os árabes, os romanos, os sassânidas, os macedônios, os assírios, os hititas, os egípcios… Naquele pedaço de chão os ditadores, monarcas, califas, sultões e imperadores se revezam há 6000 anos! A pergunta que cabe é a seguinte: e aí, e quando… Read more »

Últimas Notícias

Recife (PE) sediará a nova Escola de Formação de Sargentos do Exército

O CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO INFORMA: Na 339ª Reunião do Alto Comando do Exército, realizada de 18 a...
- Advertisement -
- Advertisement -