Home Nota oficial Líbia: o contra-ataque rebelde

Líbia: o contra-ataque rebelde

242
3

Rebeldes informaram ter dominado cidades estratégicas de Ajdabiyah e Brega

As forças do ditador líbio Muammar Gaddafi continuam a atacar Misrata, neste sábado, segundo os rebeldes. Em resposta, caças franceses da coalizão internacional destruíram, na cidade, cinco aviões de combate Galeb e dois helicópteros de ataque Mi-35 das forças do ditador, anunciou, em Paris, o Estado-Maior das Forças Armadas. No resto do país, os rebeldes já conseguiram tomar a cidade de Ajdabiyah e Brega, dois estratégicos enclaves petroleiros do país.

“As forças de Gaddafi estão atacando Misrata a partir do oeste e leste. (Há) bombardeio pesado”, afirmou um rebelde, chamado Saadoun, por telefone à Reuters.

Do oeste, segundo ele, tanques estavam avançando em direção à cidade. “Eles também estão tentando trazer soldados”, disse.

“Do leste, eles estão bombardeando com morteiros e artilharia o porto e áreas próximas. Há no porto o principal tanque de combustível que alimenta a parte central da cidade e (há) também milhares de trabalhadores, em sua maioria egípcios, que fugiram e permaneceram no porto aguardando resgate”, disse.

Caças franceses destruíram neste sábado, em Misrata cinco aviões de combate Galeb e dois helicópteros de ataque Mi-35 das forças de Muamar Kadhafi, anunciou em Paris o Estado-Maior das Forças Armadas.

Nas últimas 24 horas, indicou o Estado-Maior em seu site, os aviões frances realizaram várias incursões nas regiões de Zintan e Misrata.

Rebeldes líbios, apoiados por ataques aéreos das forças aliadas, retomaram neste sábado a estratégica cidade de Ajdabiyah, depois de uma batalha que durou toda a madrugada e que sugere que a maré está mudando contra as forças do líder Muammar Gaddafi no leste do país.

Combatentes dos grupos rebeldes dançaram sobre os tanques, balançaram bandeiras e dispararam para o alto perto de edifícios crivados por balas. Seis tanques danificados ficaram estacionados perto da entrada leste da cidade, e o solo estava cheio de cartuchos de bala vazios.

Havia sinais de intensos confrontos no portão oeste de Ajdabiyah. Corpos de mais de uma dezena de soldados de Gaddafi ficaram espalhados pelo chão. Uma carga de munição abandonada sugeria que as forças do líder líbio tiveram de fazer um rápido recuo.

“Toda Ajdabiyah está livre e todo o caminho até Brega está livre”, afirmou Faraj Joeli, um estudante de ciências da computação de 20 anos que se tornou combatente rebelde.

Havia escassos sinais de destruição no centro da cidade, e os poucos moradores que ainda permaneciam lá começaram a sair de suas casas. Rebeldes dirigiram seus carros disparando para o alto ou distribuíam pão, farinha e água aos habitantes.

Conquistar Ajdabiyah, passagem da líbia ocidental para o reduto rebelde de Benghazi e à cidade petrolífera de Tobruk, é um grande incentivo para os rebeldes após duas semanas na defensiva.

Governos ocidentais esperam que os ataques aéreos, lançados há uma semana com o objetivo de proteger civis, mudarão a balança do poder a favor da revolta popular que resultou em incidentes mais violentos do mundo árabe.

Brega

Os rebeldes líbios também anunciaram a reconquista da cidade de Brega. Abdelsalam al Maadani, que combate com os insurgentes, disse por telefone à AFP que a cidade havia sido retomada. “Estamos no centro de Brega”, afirmou.

“As forças de Gaddafi bateram em retirada, devem estar agora em Al Bisher (a 30 km de Brega), e os rebeldes também estão avançando para esta região”, explicou.

Os Estados Unidos, por sua vez, anunciaram ter lançado 16 mísseis Tomahawk contra alvos líbios nas últimas 24 horas.

Os aviões da coalizão internacional já contam 153 incursões pelos céus da Líbia: 67 com caças americanos e 86 com caças dos outros países participantes, como França, Reino Unido, Itália, Canadá, Espanha, Bélgica, Dinamarca e Qatar.

Segundo o vice-almirante americano Bill Gortney, “Gaddafi já quase não tem mais dispositivos antiaéreos”.

“Sua aviação não pode voar, seus navios estão no porto, seus depósitos de munição continuam sendo destruídos, as torres de comunicação caíram e seus bunkers de comando estão inutilizáveis”, acrescentou.

O regime líbio declarou na sexta-feira que está disposto a aceitar um plano de negociações, estimulado pela União Africana (UA), que propõe um cessar-fogo e o início do diálogo entre os líbios para alcançar uma transição democrática.

FONTE: UOL News, com informações das agências internacionais

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ivan
Ivan
9 anos atrás

Aparentemente os ‘rebeldes’ encontraram forças para avançar e retomar cidades importantes.

Notícia do G1, com informações da Reuters e da AFP:

“Rebeldes líbios tomam cidade exportadora de petróleo Ras Lanuf”
“Forças leais a Kadhafi tinham expulsado insurgentes da cidade em 12/3.
Cidade fica a 210 quilômetros de Ajdabiya, retomada no sábado (26).”

Em um terreno aberto como a árida Líbia, o efeito da superioridade aérea é mais devastador do que qualquer outro.

Sds,
Ivan.

Vader
9 anos atrás

Será que ainda dá tempo? Veremos…

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

Quando eu falo que os franceses lançam a “bomba do dia” falam que eu sou anti-França.

Estão ai os nros, baixíssimos de todos a bem da verdade, mas mostram quem está carregando o piano de verdade apesar da propaganda francesa.

Como sempre digo tem quen fala e tem quem combate.