segunda-feira, agosto 2, 2021

Saab RBS 70NG

Exército manda que general Heleno se cale sobre 64

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Palestra com o tema ‘A contrarrevolução que salvou o Brasil’ é cancelada por ordem do comandante da força

O Comando do Exército abortou na última hora uma palestra com potencial explosivo do diretor do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT), general Augusto Heleno, cujo tema seria “A contrarrevolução que salvou o Brasil”, em referência ao 31 de março de 1964, data que marca o início da ditadura militar.

A apresentação do general estava confirmada até as 17 h de quarta-feira, quando chegou a ordem do comandante do Exército, Enzo Peri, determinando o cancelamento do evento. A apresentação ocorreria no mesmo dia em que Heleno, liderança expressiva na caserna, foi para a reserva.

Primeiro comandante brasileiro no Haiti, o general Heleno preferiu silenciar sobre o conteúdo da palestra e também sobre os motivos pelos quais o evento foi cancelado. Disse apenas que cumpriu ordem superior:

— Recebi ordem. Sou militar, recebo ordem. Hierarquia e disciplina. Recebi a ordem ontem, no final da tarde. Tem uma frase famosa: nada a declarar — afirmou Heleno.

O general Heleno se limitou a dizer que a abordagem seria exclusivamente “31 de março de 1964”, mas não quis entrar em detalhes sobre o contexto histórico que seria levado aos colegas de farda.

Nas redes sociais, militares se preparavam para o “desabafo de Heleno”. Um oficial ouvido pelo GLOBO disse que o depoimento era aguardado com “grande expectativa”.

Nesta semana, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, determinou aos comandantes das três Forças que não houvesse qualquer ato que exaltasse a data que deu início ao regime militar.

Entretanto, como Heleno é general de quatro estrelas com grande destaque na tropa, coube ao comandante Enzo Peri a tarefa de impedir sua manifestação, às vésperas de sua aposentadoria.

Quanto às comemorações nos clubes militares, o ministério avalia que não tem como evitar ou tentar coibir manifestações de oficiais da reserva que estavam na ativa naquele período.

FONTE: O Globo

- Advertisement -

3 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vader
10 anos atrás

Lamentável…

Observador
Observador
10 anos atrás

Esta notícia complementa a última: http://www.forte.jor.br/2011/03/31/exercito-abole-comemoracao-do-golpe-de-64-mas-clubes-militares-prestam-homenagem-a-data/ É, a PaTrulha só vai aumentar. Daqui a pouco, vão incomodar até aqui na Trilogia (rsrs). … Sobre oque o general ia dizer, só podemos imaginar. Como coloquei antes, se os militares não tomassem o poder, provavelmente Leonel Brizola teria sido eleito na eleição presidencial seguinte e teria transformado o Brasil em uma Grã-Venezuela Bolivariana. Se ele fosse eleito, sofreria um golpe com um apoio ainda maior dos EUA, que não iria aceitar uma nova Cuba nas Américas. Talvez houvesse até mesmo uma intervenção militar direta. E o que faria a URSS neste caso?… Read more »

Baschera
Baschera
10 anos atrás

Bah….. que medo da palestra…. tem gente que prefere que as pessoas saibam só uma parte ou uma versão única de 64, a dos derrotados.

Eu não sabia que o Gen. Heleno se aposentaria agora.

Lamentável perda para o EB.

O Gen. Heleno poderia ser um colaborador do FORTE.

Saudações General.

Sds.

Últimas Notícias

Rússia e China realizarão treinamento conjunto no exercício Zapad/Interaction 2021

A Rússia deve se juntar a um exercício militar no noroeste da China em agosto com o tema de...
- Advertisement -
- Advertisement -