Home Conflitos em andamento Otan piorou o conflito na Líbia, dizem rebeldes; Qatar enviará armas a...

Otan piorou o conflito na Líbia, dizem rebeldes; Qatar enviará armas a grupos anti-Gaddafi

98
3

Os rebeldes líbios fizeram um acordo com o Qatar para receber o novo armamento que precisam com urgência e estão em negociações com o Egito na tentativa de fechar o mesmo acordo, segundo fontes da direção insurgente em Benghazi, reduto dos opositores do ditador Muammar Gaddafi, entrevistados pela agência de notícias EFE.

As fontes também afirmaram que desde que a Otan tomou o comando da operação aliada a situação “mudou totalmente para pior”, já que seus bombardeios se repetem sobre as mesmas áreas, em vez de serem localizados nos arredores de Misrata e outras regiões onde seriam mais efetivos.

Nesta segunda-feira, confrontos entre os rebeldes e as forças de Gaddafi tiveram como palco pelo quarto dia consecutivo a cidade petrolífera de Brega.

Segundo a correspondente da “Al Jazeera”, SueTurton, os rebeldes conseguiram avançar em direção a oeste com ajuda dos ataques das forças de coalizão, depois de terem recuado devido à ofensiva das forças do governo.

Ainda de acordo com a repórter, os insurgentes estão com receio de avançar pela estrada principal, na costa de Brega, devido às suspeitas de que as forças de Gaddafi teriam colocado minas ao longo da rodovia.

Operações podem durar seis meses

As operações dos aviões britânicos que participam na manutenção da zona de exclusão aérea na Líbia durarão pelo menos seis meses, afirmou o chefe da Real Força Aérea britânica (RAF) em entrevista ao jornal britânico “The Guardian”.

“Estamos planejando com base em pelo menos seis meses e a partir de então veremos”, declarou o marechal Stephen Dalton. Segundo ele, a Líbia é a atual prioridade da RAF e a operação, no momento, era sustentável e não coloca em perigo os esforços britânicos em outros lugares.

Já os Estados Unidos informaram que vão retirar seus aviões do espaço aéreolíbio na tarde de hoje, segundo informações da “Associated Press”, citando um oficial da Otan. Durante a manhã desta segunda-feira, os aviões americanos permanceram na ativa devido a um pedido do órgão. Não foi informado se a retirada será permanente ou temporária.

Itália reconhece conselho de oposição a Gaddafi

A Itália reconhece o opositor Conselho Nacional de Transição (CNT) líbio como “único interlocutor legítimo” e considera que as propostas de saída da crise do regime de Gaddafi “não são confiáveis”, afirmou nesta segunda-feira o ministro das Relações Exteriores italiano, Franco Frattini.

“A Itália decidiu reconhecer o Conselho”, declarou Frattini após um encontro com um enviado do CNT, Ali Al Issawi.

“O regime de Trípoli está enviando pessoas à Grécia para fazer propostas. Estas propostas não são confiáveis. Não é possível aceitá-las”, disse Frattini em referência a uma visita no domingo de um enviado do regime a Atenas para negociar uma saída para a crise na Líbia.

FONTE: UOL

3
Deixe um comentário

avatar
3 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors
ObservadorVaderWagner Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Wagner
Visitante
Member
Wagner

IIhhh

Olha o atoleirão aí gente…

Tipo lamaçal de degelo russo de 42… eeiita desgraça ( para os alemães…).

Vai sair uma jaaca. uma bem grande…

A Alemanha e os Brics sabiam disso. Talvez tenham sido mais espertos…

Vader
Membro
Trusted Member

As pessoas e as nações precisam perder a hipocrisia, o grande mal que assola a civilização ocidental (mal este de que não padecem as ditaduras e países-pária mundo afora). Ou se faz uma guerra pra derrubar o Kadafi de uma vez por todas, ou não se faz nada, e deixa o pau comer. O que não pode é ficar fazendo “drôle de guerre”, coisa tão ao gosto dos franceses. Não existe guerra pela metade. Guerra pela metade é fadada ao fracasso. Ou se invade por terra, põe pra quebrar, até derrubar o ditador ou morrer tentando, como fez os EUA… Read more »

Observador
Visitante
Member
Observador

Senhores: Os Europeus não estão se metendo em um atoleiro. Eles estão metendo os LÍBIOS em um atoleiro. Eles não vão arriscar os traseiros brancos de seus soldados mandando-os para missões em terras líbias. Quando a coisa feder de verdade (ou esfriar), é muito fácil para os europeus mandarem seus aviões e navios de volta para casa. Os rebeldes, por sua vez, também não querem se arriscar avançando até Trípoli, pois acreditam que a OTAN pode mandar seus soldados à Líbia para fazer o trabalho sujo (e perigoso). O que a Europa fará é reconhecer um governo rebelde, por mais… Read more »