Home Armas de Fogo Estatuto do Desarmamento: Lei para ser cumprida

Estatuto do Desarmamento: Lei para ser cumprida

142
7

Por Alberto Dines em 15/4/2011

Comentário para o programa radiofônico do OI, 15/4/2011

Para acabar com o comércio e o uso de armas ilegais não é necessária uma nova consulta popular. Nem votar às carreiras uma nova legislação. O que falta é implementar imediatamente o Estatuto do Desarmamento. A mídia foi na onda demagógica do veterano senador José Sarney, hoje chefe do Poder Legislativo, o que mostra o quanto ambos estão defasados em matéria de procedimentos legais.

É extremamente perigosa a banalização do sistema de consultas diretas, a onda plebiscitária vai fazer do Brasil uma Venezuela. De acordo com os maiores especialistas no assunto, o Estatuto do Desarmamento é bom, não precisa ser refeito, falta-lhe apenas ser obedecido.

Saúde e votos

A fúria legiferante é própria de sociedades que não acreditam na sua capacidade de acatar leis, por isso produzem quantidades incríveis de códigos – raros os factíveis e viáveis.

A função do Legislativo não consiste apenas em criar leis, também lhe cabe fiscalizar seu cumprimento. Acontece que nossos parlamentares preferem o caminho mais rápido e mais cômodo para chamar a atenção, sobretudo em situações de grande comoção como agora, quando a mídia está ávida por notícias.

Fiscalizar é um processo lento, cansativo, que nem os políticos ou a mídia têm paciência para acompanhar. A chacina do Realengo exige menos demagogia e mais eficácia. E também uma atitude mais holística e mais humanitária para encarar a violência.

Sem armas de fogo o criminoso cometeria a mesma barbaridade simplesmente porque era um doente mental. E discutir saúde pública e saúde mental não traz votos. Nem produz manchetes.

FONTE: Observatório da Imprensa

Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wagner
Wagner
9 anos atrás

Esse cara está falando M. Consulta popular é um instrumento usado periodicamente no mundo inteiro, e não tem nada a ver com a Venezuela. Está prevista na CF de 88, e é um legítimo instrumento de democracia. Foi exatamente a consulta popular que permitiu aos brasileiros manterem o direito as armas, o que é que o cara está criticando ?? Porque ele acha que o povo não é sábio o suficiente ?? Ahh táá, agora o povo é burro é vítima da imprensa suja. OK. Engraçado que quando os críticos dos EUA falam que muita gente é vitima da manipulação… Read more »

desastreBR
desastreBR
9 anos atrás

Bom, não sei se você leu a matéria inteira, mas que essa consulta popular é desnecessária isso é.
Esse dinossauro não perde uma, impressionante.
Abraços.

Observador
Observador
9 anos atrás

Caro Wagner: Consulta popular só rima com democracia quando é feita UMA ÚNICA VEZ a cada geração sobre determinado assunto. Quem convoca dois, três, dez plebiscitos esperando que a população mude de idéia é que não gosta de democracia. Estão tratando o eleitor brasileiro como MOLEQUE. Você sabe quanto custa um plebiscito destes? Não? Procurei pesquisar. Custa o mesmo que uma eleição normal. As últimas eleições (2010) custaram 490 MILHÕES DE REAIS. Mas claro, vivemos em um país desenvolvido, sem nenhuma deficiência! Educação, infra-estrutura, segurança, FAs são TODAS de primeiro mundo! Por isto, podemos jogar dinheiro pela janela para obter… Read more »

Luis
Luis
9 anos atrás

O Estaburro do desarmamento já foi implementado, mas na verdade deveria é ser revogado. Esta lei é absurda e não resolve o problema da violência.

E fazer um referendo sobre o mesmo assunto duas vezes em um relativamente curto intervalo de tempo é burrice, desperdício de tempo e dinheiro.

Observador
Observador
9 anos atrás

À propósito:

Segue abaixo-assinado CONTRA a realização do referendo:

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=REF2005

Quem é contra o desperdício de dinheiro público deve participar.

Aos editores fica a sugestão de apoiar este ou outros abaixo-assinados CONTRA mais esta bobagem da nossa classe política,

Vader
9 anos atrás

Democracia direta é sempre válida, desde que respeitados os direitos fundamentais e as regras do jogo (Constituição Federal), bem como o direito das minorias e das oposições. O que não pode é fazer a mesma consulta em menos de dez anos. O que mudou de 2005 pra cá? A violência acabou? Subiu? Mudou? Os assassinos estão usando armas legalizadas para cometerem seus crimes? Mas deixem virem de novo. Irão perder de novo e dessa vez por margem ainda maior. O povo não é idiota. Agora, quero também um plebiscito pela reforma política, voto distrital, fim do financiamento público de campanha,… Read more »

Marco Antônio
Marco Antônio
9 anos atrás

Eu também, em 2005, votei com um NÃO e continuo com a mesma opinião. Há poucos dias houve uma pesquisa aqui no RS e deu 86% NÃO. Aqui será uma lavada novamente. Em um debate na TV, um promotor argumentou que nunca viu um sequestro ou roubo cometido com fuzil e, portanto, as armas utilizadas na maioria dos crimes são aquelas de venda permitida. Enviei pergunta (que não foi lida) em que questionava o promotor sobre (1) o video em que centenas de criminosos corriam da polícia no RJ portando fuzis; (2) frequentes assaltos à carros fortes utilizando fuzis e… Read more »