Home Data Comemorativa Rússia lembra os 20 anos do fim da União Soviética

Rússia lembra os 20 anos do fim da União Soviética

81
3

A Rússia marcou nesta sexta-feira, de maneira discreta, o 20º aniversário do começo de uma tentativa de golpe de Estado que levou ao colapso da União Soviética. Apenas 100 pessoas se reuniram no local, no centro de Moscou, onde milhares de manifestantes e populares estiveram em 19 de agosto de 1991.

A tentativa de golpe partiu naquele ano da linha-dura do Partido Comunista, que colocou o secretário-geral do partido, Mikhail Gorbachev, em prisão domiciliar, enquanto os tanques foram para o centro moscovita. Milhares de moscovitas, contudo, desafiaram os militares e foram para as ruas de Moscou, liderados por Boris Yeltsin, que ganhou fama mundial quando discursou em cima de um tanque.

O golpe fracassou três dias depois e Gorbachev voltou a Moscou, mas sua credibilidade foi solapada. As repúblicas bálticas da Letônia, Estônia e Lituânia anunciaram a separação da União Soviética em semanas e a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) desintegrou-se em dezembro de 1991.

O colapso da União Soviética levou a um duro período econômico para os 15 países que fizeram parte da URSS, com privatizações, a falta de regras na economia e na organização da sociedade e o surgimento rápido de uma geração de magnatas, às vezes associados a máfias, que tomaram conta das antigas empresas estatais.

Muitos russos que defenderam Yeltsin em 1991 agora dizem que não fariam o que fizeram se soubessem o que aconteceria à Rússia sob a liderança do mandatário. Mas alguns dos que foram hoje ao centro de Moscou lembram daqueles dias como um momento de orgulho na história da Rússia, mesmo com as enormes dificuldades que vieram depois.

“Fizemos a coisa certa” disse Ludmila Skryabina, que estava de passagem por Moscou em 19 de agosto de 1991, voltando de uma viagem para sua cidade de São Petersburgo, e decidiu ficar. “Após a glasnost, pelo menos descobrimos qual era o nosso passado e sei que é muito pior voltar para ele”.

Nem o presidente russo, Dmitry Medvedev, e nem o primeiro-ministro Vladimir Putin fizeram qualquer menção à data.

As informações são da Associated Press.

FONTE: Estadão

3
Deixe um comentário

avatar
3 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
LuisVader Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Vader
Membro
Trusted Member

“Após a glasnost, pelo menos descobrimos qual era o nosso passado e sei que é muito pior voltar para ele”.

Isso dá bem a medida do que é o comunismo para quem vive nele.

Luis
Visitante
Luis

Já acabou tarde! O tanto de desgraças e sangue derramado causado pela ideologia marxista na URSS, Europa e outros lugares para onde os soviéticos tentaram exportar suas idéias não foi pouco, deixando várias cicatrizes e traumas ao redor do mundo. Exemplos não faltam: países bálticos, leste europeu, Alemanha Oriental, África, Cuba, indochina (especialmente o Camboja), China, Coréia do Norte, a própria URSS e os diferente povos que lá habitavam. Os problemas derivados deste fim foi o vácuo de poder central. Cada uma das 15 repúblicas que compunham a URSS teve que seguir seu próprio caminho e se perderam no processo… Read more »

Luis
Visitante
Luis

Plantão da Globo sobre o fim:
http://www.youtube.com/watch?v=1XY7qWbdXe0