Home Debate CPLP: Amorim defende maior auxílio externo à reforma dos setores de defesa...

CPLP: Amorim defende maior auxílio externo à reforma dos setores de defesa e segurança da Guiné-Bissau

91
1


Brasília, 02/12/2011 – O ministro da Defesa, Celso Amorim, defendeu o reforço das ações de assistência externa para auxiliar a Guiné-Bissau a reformar seus sistemas de segurança e defesa. Segundo Amorim, a ajuda de outras nações deve, entretanto, subordinar-se ao controle e adaptar-se às circunstâncias do próprio país africano.

A afirmação de Amorim foi feita esta semana, durante a sessão de abertura da XIII Reunião dos Ministros da Defesa da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), na ilha do Sal, em Cabo Verde.

A Guiné-Bissau vem passando, nos últimos anos, por processo de instabilidade política que dificulta seu desenvolvimento social e econômico. Apesar dos esforços do país, a transição para a democracia sofreu obstáculos, como tentativas de golpe de Estado e atritos internos nos setores político e militar.

Celso Amorim reconheceu o auxílio dos países da CPLP na promoção da estabilidade na Guiné-Bissau, mas ponderou que essa ajuda não foi suficiente. “Em relação à Guiné, é preciso quebrar o círculo vicioso de que não há cooperação porque não há situação ideal, e a situação ideal não se encontra porque não há cooperação”, ressaltou.

Amorim conclamou os países da CPLP a contribuir para quebrar o “círculo vicioso” que classificou como “perverso” e responsável por impedir o “desenvolvimento pleno e a paz” da Guiné. O ministro reafirmou o compromisso brasileiro com o país africano: “Nós não esmoreceremos no nosso empenho em garantir o futuro de paz e prosperidade naquela nação irmã”, afirmou.

A reforma do setor de segurança da Guiné é defendida pela Organização das Nações Unidas (ONU). Em outubro passado, durante visita a Angola, a presidenta Dilma Rousseff assinou comunicado conjunto com o presidente do país, José Eduardo dos Santos, manifestando o desejo de acelerar, conjuntamente com o governo da Guiné, as medidas necessárias à implementação da medida.

Na avaliação de Amorim, essa reforma é fundamental para que as instituições políticas da Guiné alcancem o equilíbrio necessário para a retomada do desenvolvimento na nação. Segundo o ministro, a profissionalização das forças armadas e de segurança do país será beneficiada pelo treinamento do atual contingente e pelo recrutamento de novos quadros.

O Brasil terá papel relevante no treinamento dos integrantes das forças armadas bissau-guineenses, uma vez que fornecerá monitores e instrutores para o centro de formação de oficiais que será reativado no país africano. O Brasil custeará a reforma das instalações da unidade, que deve ficar pronta em 2012. Uma missão técnica do Exército brasileiro esteve na Guiné como objetivo de levantar as necessidades e os custos da obra, que agora estão sendo finalizados pelo Ministério da Defesa. O ministro Amorim prometeu empenhar-se pessoalmente para liberar os recursos necessários ao empreendimento.

Ainda durante o discurso de abertura da reunião de ministro da Defesa da CPLP, Celso Amorim fez um balanço das principais atividades realizadas durante o período em que o Brasil presidiu o fórum, destacando o esforço do país no sentido de ampliar a cooperação entre as nações amigas na área de defesa. A presidência passou a Cabo Verde, que a exercerá durante um ano.

O ministro também defendeu, em seu discurso, a criação de uma zona de paz e cooperação no Atlântico Sul, e disse ser favorável ao posicionamento da ONU de não-introdução de armamentos nucleares e de destruição de massa na região.

Fonte: MD

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Blind Man's Bluff Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Blind Man's Bluff
Visitante
Member
Blind Man's Bluff

Será que essa decisao foi influenciada pelo fato de Guiné-Bissau fazer parte da nova rota da cocaina à Europa?