sexta-feira, julho 30, 2021

Saab RBS 70NG

Seis pelotões serão instalados em RR

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Terra indígena Raposa Serra do Sol terá mais dois Pelotões Especiais de Fronteira.

Conforme a Estratégia de Defesa Nacional, está prevista a instalação de seis novos Pelotões Especiais de Fronteira (PEFs) em Roraima dentro e fora de terras indígenas. Atualmente já existem seis unidades no Estado, localizadas em locais estratégicos para a manutenção da soberania brasileira.

Na Raposa Serra do Sol, ao norte do Estado, estão previstos dois pelotões, sendo um na comunidade do Contão e um na Serra do Sol, em Uiramutã, além de outro na terra indígena Jacamim, na região da Serra da Lua, em Bonfim. Essas áreas fazem fronteira com a Guiana, a nordeste de Roraima.

Na reserva Yanomami serão construídos um em Ericó e outro em Uaicás, regiões que fazem fronteira com a Venezuela, ao norte. Fora das terras indígenas, mas ainda dentro da faixa de fronteira, será construído um PEF na região de Entre Rios, sul do Estado. A estimativa é que os seis pelotões sejam construídos até 2021.

Para este ano a previsão é de início das obras na região do Contão, em Uiramutã. O comandante do 7º Batalhão de Infantaria de Selva (7º BIS), coronel Guerra, explicou que a Estratégia de Defesa Nacional é um programa do governo para o Ministério da Defesa com aproximadamente 20 anos para sua conclusão.

Existe a previsão ainda de implantação de outro Batalhão de Infantaria de Selva (BIS), de uma Bateria de Artilharia Antiaérea e de um Colégio Militar em Boa Vista para atender não somente militares, mas também civis.

O Exército em Roraima já conta com seis Pelotões Especiais de Fronteiras em Bonfim, Normandia e Uiramutã, fora de área indígena. Além de Pacaraima, na terra indígena São Marcos, e em Surucucu e Auaris, na terra indígena Yanomami.

CALHA NORTE

Na vertente militar do programa Calha Norte, o 7º Batalhão de Infantaria de Selva recebeu aproximadamente R$ 1 milhão para manter a infraestrutura das unidades já instaladas no Estado.

O coronel Guerra informou que o programa havia sido contingênciado no início do ano, mas nos meses de outubro e novembro foram descontingenciados todos os recursos e o BIS recebeu praticamente 100% do que necessitava.
O montante foi todo empenhado e já está sendo executado. As obras dos PEFs de manutenção, pintura, reforma de casas, pavilhões e de reservas de armamento devem durar aproximadamente seis meses.

Ontem o comandante do 7º BIS esteve reunido com os principais fornecedores da unidade militar para tratar dos serviços que serão realizados durante este ano e mostrar o que foi feito em 2011.

FONTE: Vanessa Lima – Folha Web via Resenha do Exército

- Advertisement -

2 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
fabioCrescenti
fabioCrescenti
9 anos atrás

Excelente notícia!!

Off: em fevereiro fará 01 ano da morte de outro Cel Guerra, este Veterano da FEB, instrutor na AMAN, etc. Saudades dos longos papos!!!

Mauricio R.
Mauricio R.
9 anos atrás

OFF TOPIC…

…mas nem tanto:

Afinal, eles podem precisar:

Pontes Bailey.

(http://feedproxy.google.com/~r/ThinkDefence/~3/uHZFWyp7TTo/)

Últimas Notícias

Rússia e China realizarão treinamento conjunto no exercício Zapad/Interaction 2021

A Rússia deve se juntar a um exercício militar no noroeste da China em agosto com o tema de...
- Advertisement -
- Advertisement -