Home Comunicações Omnisys fornece intercomunicadores para equipar veículos do Exército Brasileiro

Omnisys fornece intercomunicadores para equipar veículos do Exército Brasileiro

318
1

Grupo Thales transferiu tecnologia à subsidiária para vencer concorrência nacional

 

A Omnisys, empresa brasileira de alta tecnologia sediada em São Bernardo do Campo (SP), entregou o primeiro lote de intercomunicadores SOTAS para equipar veículos do Exército (Urutu, VBTP-MR Guarani e M113). O contrato entre a subsidiária do Grupo Thales e o Centro de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército (CCOMGEX) foi assinado em setembro de 2011. Trata-se da estreia deste produto no mercado brasileiro, cuja demanda estimada é de cerca de três mil unidades.

“Este contrato é muito importante, pois decorre de uma concorrência nacional, onde a Thales está transferindo a tecnologia para a Omnisys, estando totalmente em linha com a estratégia do governo brasileiro no que se refere ao desenvolvimento da indústria de defesa no Brasil”, explica Laurent Mourre, Diretor Geral do Grupo Thales no Brasil.

O Comandante de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército Brasileiro, General Antonino dos Santos Guerra, garante que o SOTAS foi testado nas diversas possibilidades onde se faz necessário o equipamento, correspondendo a todos os rigorosos requisitos estabelecidos pelo CCOMGEX.

“Ficamos muito satisfeitos por a Omnisys ter vencido a licitação realizada para a venda do intercomunicador para nossas viaturas militares. O fato de uma empresa brasileira estar envolvida no processo de fabricação nos enche de orgulho. São engenheiros brasileiros que se capacitam numa tecnologia de ponta, permitindo desdobramentos interessantes para o mercado de defesa”, afirma o Gal. Santos Guerra. “Reconheço ainda, com satisfação, como o contrato junto ao Exército Brasileiro vem sendo cumprindo, dentro dos prazos e com total assistência ao Exército, nos aspectos da capacitação do uso do SOTAS, prazos, entre outros”, completa.

SOTAS é um sistema completo para intercomunicação em campo de batalha digital. Ele integra roteadores, estações de usuário e outros dispositivos que fazem parte de uma completa família de produtos. Trata-se de um sistema de arquitetura flexível que proporciona suporte total de informações desde o centro de operações até o combatente no campo. O SOTAS confere aos combatentes uma percepção situacional conjunta e, com seu conceito modular, pode ser facilmente adaptado e expandido a qualquer momento, sem interferir na instalação inicial.

Sobre a Omnisys

A Omnisys é uma empresa brasileira de altíssima tecnologia, sediada em São Bernardo do Campo (SP). Subsidiária integral da Thales no Brasil, a Omnisys integra sua rede internacional de centros de excelência em Pesquisa e Desenvolvimento, com competência técnica e gerencial em áreas estratégicas de aplicação civil e militar tais como defesa aérea e controle de tráfego aéreo, guerra eletrônica naval e, no mais alto grau de desenvolvimento tecnológico, áreas espaciais e de aviônicos, além da prestação de serviços.

Sobre a Thales

A Thales é líder mundial em tecnologia nos mercados de Defesa, Segurança, Transportes e Aeroespacial. Em 2011, a empresa gerou uma receita de mais de 13 bilhões de euros, com 68 mil funcionários em 50 países. Com seus 22.500 engenheiros e pesquisadores, a Thales tem a aptidão única de projetar, desenvolver e implantar equipamentos, sistemas e serviços adaptados aos mais complexos requisitos de segurança. A Thales tem um alcance internacional excepcional, com operações em todo o mundo, trabalhando diretamente com clientes como parceiros locais.

DIVULGAÇÃO: CDN Comunicação Corporativa / FOTO: Thales Group

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
erabreu Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
erabreu
Visitante
erabreu

“Este contrato é muito importante, pois decorre de uma concorrência nacional, onde a Thales está transferindo a tecnologia para a Omnisys, estando totalmente em linha com a estratégia do governo brasileiro no que se refere ao desenvolvimento da indústria de defesa no Brasil”

Transferência de tecnologia da mão esquerda para a mão direita.