terça-feira, março 2, 2021

Saab RBS 70NG

Espiões já navegam em nossas redes militares, admitem experts dos EUA

Destaques

Gastos da China em pesquisa e desenvolvimento atingem um recorde de US$ 378 bilhões

O Escritório Nacional de Estatísticas da China disse que os gastos com P&D, que visam desenvolver novos serviços...

Rafael conclui o desenvolvimento da versão superfície-ar do míssil I-Derby ER

A Rafael Advanced Defense Systems Ltd. concluiu o desenvolvimento da versão de defesa aérea baseada em solo do míssil...

Exército Russo recebe novo lote de tanques de batalha T-90M atualizados

O Exército Russo recebeu o novo lote do tanque de batalha principal T-90M Proryv-3 (Avanço), de acordo com um...
Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

Em sessão no Senado, vários especialistas disseram ser inútil os esforços para evitar a invasão – o ideal é controlar a segurança dos dados

 

Especialistas em segurança disseram, em depoimento a uma comissão no Senado americano, que é tão provável que redes militares dos EUA já tenham sido invadidas por ciberespiões que as tentativas de impedi-las devem parar.

Em vez disso, eles argumentam que a ciberdefesa do país deve ter foco em proteção de dados, não em controle do acesso.
“Nosso modelo mental está errado”, disse James Peery, chefe do Centro de Análise de Sistemas de Informação do Sandia National Laboratories. “Temos de assumir que o adversário está dentro de nossas redes.”

Na prática, isso significa gastar menos tempo e esforço erguendo firewalls e gateways e mais tempo garantindo que os dados estão seguros, afirmou.

Kaigham Gabriel, atual chefe da Agência de Pesquisa Avançada da Defesa, comparou os esforços atuais de cibersegurança do Departamento de Defesa dos EUA (DoD) a “jogar água no oceano”.

“Tudo o que conseguimos foi atrasar um pouco o dia em que o DoD sucumbiu ao peso de manter as defesas de sua rede”, disse. O DoD supervisiona nada menos que 15 mil redes, que conectam cerca de sete milhões de dispositivos.

“Não é que estejamos fazendo coisas erradas – é a natureza de jogar na defesa no mundo cibernético”, disse.

Os experts também disseram que o processo de contratação do governo atrapalhou. Eles citaram baixos salários e demora em promoções como fatores negativos para atrair e manter talentos na área.

FONTE: IDGNow, via resenha do Exército

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Advertisement -

Guerras Modernas

Armênia, Azerbaijão e Rússia fecham um acordo para acabar com o conflito de Nagorno-Karabakh

YEREVAN/BAKU (ARMENIA/AZERBAIJÃO) — Armênia, Azerbaijão e Rússia disseram que assinaram um acordo para encerrar o conflito militar na região...
- Advertisement -
- Advertisement -