quinta-feira, outubro 28, 2021

Saab RBS 70NG

Batalha retórica marca início da ofensiva antiarmas nos EUA

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

guns-56a

vinheta-clipping-forte1A “briga do século” prometida pelo vice-presidente executivo da Associação Nacional do Rifle (NRA, na sigla em inglês), Wayne Lapierre, antes mesmo do anúncio formal, anteontem, do pacote de medidas para controlar o acesso a armas de fogo nos EUA começa a se desenhar. Ontem, a organização procurou desqualificar as medidas e propostas divulgadas pelo presidente Barack Obama. Do outro lado, o vice-presidente Joe Biden anunciou que ele e Obama viajarão pelo país para defender suas ações sobre o tema, em mais uma demonstração de que o Executivo confia na pressão popular sobre o Congresso, majoritariamente pró-armas, para a aprovação das mais importantes mudanças propostas pela Casa Branca.

Em entrevista concedida ontem à emissora americana CBS, o presidente da NRA, David Keene, disse que a associação não se opõe à checagem de antecedentes de compradores de armamento – uma das principais propostas de Obama e que exige votação no Congresso. Por outro lado, mesmo sem se colocar explicitamente contra o fim da venda de armas de combate, como fuzis e metralhadoras, e pentes de alta capacidade, medidas também defendidas pelo presidente e pendentes de debate no Legislativo, Keene buscou desmerecer tais ideias:

– A maioria das propostas relativas a armas de fogo são propostas já tentadas no passado e não darão certo ou terão qualquer impacto real.

Keene também saiu em defesa do polêmico anúncio veiculado pela NRA que questiona a segurança armada dada às filhas do presidente, Malia e Sasha, chamado de “repugnante” e “covarde” pela Casa Branca.

– Também mostramos outras pessoas que mandam seus filhos para escolas protegidas e não levam a sério o fato de que os filhos do cidadão comum também merecem proteção.

Em paralelo, o Executivo americano dá sinais de que também se mobiliza para o debate.

– Vamos levar essa luta para o Congresso. Vamos levá-la ao povo americano. Vamos viajar pelo país para defender nosso ponto de vista e ouvir o povo americano – disse o vice Joe Biden, em alusão a ele e a Obama, durante um evento com prefeitos de todo o país.

Mas no principal palco da batalha, por enquanto, predomina o silêncio: nada de novo surgiu no Congresso ontem. As únicas pressões claras contra o pacote presidencial vieram de estados conservadores, que consideram inclusive não aceitar as ordens baixadas pelo Executivo federal.

– Se alguém invade minha casa, eu quero poder ter quantas balas eu puder para proteger meus filhos – disse o governador do Mississippi, o republicano Phil Bryant, em alusão ao pedido de Obama para que o Congresso permita só a venda de pentes com até dez balas. – O que fazemos agora é dizer que estamos contra o governo federal tomar nossas liberdades civis.

FONTE: O Globo via Resenha do Exército

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Últimas Notícias

Forças Armadas da Ucrânia usam drone turco Bayraktar TB2 em Donbass

As Forças Armadas da Ucrânia usaram drones de ataque de média altitude Bayraktar TB2 em Donbass. Os drones de ataque...
- Advertisement -
- Advertisement -