sexta-feira, julho 23, 2021

Saab RBS 70NG

Exército investiga pedido de propina de oficiais, diz revista

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

vinheta-clipping-forte1Uma empresa do Paraná afirma que oficiais do Exército pediram propina para referendar a vitória numa licitação. Segundo reportagem da revista “Veja”, a cobrança de dinheiro foi feita ao Grupo Mascarello, fabricante de ônibus.

Os oficiais exigiram dinheiro em troca da assinatura do contrato para a venda de 65 ônibus ao custo de R$ 17,8 milhões para o Batalhão da Guarda Presidencial. A empresa fez chegar o problema ao senador Roberto Requião (PMDB-PR), que falou com ministro Aloizio Mercadante (Educação).

Após isso, a licitação foi referendada sem o pagamento de propina e o Exército abriu uma investigação ainda não concluída, segundo a revista.

À Folha, Requião disse recebeu a acusação no fim do ano passado. Segundo ele, um integrante da diretoria da Mascarello falou com ele sobre o assunto e ele repassou o problema a Mercadante.

A assessoria do ministro, por sua vez, afirmou à reportagem que recebeu a suspeita e a comunicou ao Comando do Exército.

“[Após falar com Requião] o ministro [Mercadante] ligou imediatamente ao Comandante do Exército, general Enzo Martins Peri, relatando o ocorrido”, afirmou.

“Posteriormente, o comandante informou ao ministro que a empresa assinou o contrato sem qualquer dificuldade, dentro das regras da licitação, e que todas as pessoas citadas foram ouvidas. Posteriormente, a presidenta foi comunicada do fato, das providências tomadas e da pronta resposta do comandante do Exército.”

A “Veja” não informa os nomes dos oficiais investigados. A Folha tentou, sem sucesso, ouvir o Exército sobre a suspeita.

A compra dos ônibus para o Batalhão da Guarda Presidencial está inserida num dos projetos do governo do ano passado para aquecer a economia, o chamado PAC Equipamentos.

No total, o governo tinha a intenção de gastar R$ 8,4 bilhões com a compra de equipamentos em vários ministérios.

FONTE: Folha de São Paulo

- Advertisement -

8 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
aldoghisolfi
aldoghisolfi
8 anos atrás

Evidentemente que a empresa não iria apresentar denúncia desse quilate sem as devidas provas comprovadas. Bueno… aí as côsas desandam todas… e a credibilidade vai p’ro saco.

Requena
Requena
8 anos atrás

Se ficar provado alguma falcatrua, todos serão punidos.
Simples assim.

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Qual o problema? Todo mundo não faz? E segundo o deus-Sol, urna é Tribunal.

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Vamos lá:

Todo esse empresariado ai, todos muitos ingênuos, de repente chegam lá no governo e… pá! Os milicos pedem a grana, a bufunfa, etc e tal. Bom, dai os caras vão reclamar para quem? Para o Requião!!

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Vão aproveitar e investigar os helicópteros Super Puma, aquele que cada um custou US$ 60 milhões?

E o tal contrato de submarinos, onde a DCNS EXIGIU que a parte brasileira fosse quem mesmo?

Marcos
Marcos
8 anos atrás

A noticia completa informa que nossa amada Presidenta deu DOZE horas para que o Comandante do Exército resolvesse o caso.

MAD DOG
MAD DOG
8 anos atrás

SUN TZU já escreveu que as atitudes do Comandante Supremo reflete em toda Tropa, seja elas positivas ou negativas.

O PT é o comandante supremo das FAAs, hoje. Logo, ….

Vader
8 anos atrás

É a degenração das instituições finalmente chegando ao Exército. Ora, se todos fazem, porque os militares também não o fariam?

E o PT assim consegue destruir a última instituição mais ou menos impoluta da República.

O plano está assim completo.

Últimas Notícias

VÍDEO: Defesa russa mostra pela 1ª vez teste do sistema antiaéreo S-500 contra alvo balístico

No polígono de Kapustin Yar, na região russa de Astrakhan, um sistema de defesa antiaérea de última geração S-500...
- Advertisement -
- Advertisement -