sexta-feira, dezembro 3, 2021

Saab RBS 70NG

SAM russos para a Síria

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

misseis russos para a siria - JN

Reportagem do Jornal Nacional sobre o anúncio feito pela Rússia para enviar mísseis para o governo sírio. Clique na imagem acima para assistir à reportagem.

- Advertisement -

13 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Colombelli
Colombelli
8 anos atrás

Obstam a ação dos europeus, não dos americanos. São os alvos da primeira leva de ataques stealth. Mas era este mesmo o objetivo deles, impedir os europeus de intervir com aviação como foi feito na Líbia. So o ponto de vista político, não tiro a razão dos russos. A União Européia ou deveria se abster de agir ou agir em bloco pela ação. A liberação da ação individual realmente so vai jogar lenha na fogueira. Enquanto isso, os russoa poiam Assad por conta da sua base e vantagens, e os demais apoiam os rebeldes. Esta se gerando um nova espécie… Read more »

Almeida
Almeida
8 anos atrás

Agora fedeu.

Bosco Jr
Bosco Jr(@joseboscojr)
8 anos atrás

Os russos apostam alto. Se os S-300 forem eliminados estarão em maus lenções.
Os Pantsir já não lograram êxito no ataque israelense.
Os sistemas antiaéreos evoluíram, mas os sistemas de ataque evoluíram muito mais.

Bravoone
Bravoone
8 anos atrás

Eu não acho, em minha opnião ambos evoluíram na mesma proporção, a única diferença é que os SAMs necessitam de vários sistemas e camadas para serem eficientes contra um possível invasor, o que passa essa impressão de seres atrasados e vulneráveis, algo que parece estar mudando com a chegada de novos sistemas como o MEADS, SAMP/T e etc.

Flavio
Flavio
8 anos atrás

Se acham que isto irá parar Israel, ou EUA… bom, sonhar não custa nada.

Não serão meia duzia de S300 que vão negar espaço aéreo as melhores forças aéreas do mundo.

Concordo com o Bosco. Se Israel decidir destruí-los quando estiverem operando, pegará mal pra “mamãe” Russia.

Bravoone
Bravoone
8 anos atrás

A Síria já está ai há um bom tempo, cade essa macheza toda? se não o fizeram antes, agora é que não terão coragem mesmo, Flavio, negar o espaço aéreo nem é inclusive tarefa do S-300, a função desse sistema é forçar principalmente o inimigo a voar baixo, colocando o mesmo ao alcance de outros sistemas menores, portanto o único impacto que o S-300 terá na Síria, será emocional, porque prático mesmo…

Rustam
Rustam
8 anos atrás

Carapaça 1c não se mostra na Síria?

como ele mesmo pode se proevit greve foi a uma distância de 80 milhas não está indo para o espaço aéreo da Síria, do Líbano

carapaça 20km! a única questão é porque saba rakets não interceptado quando se aproxima das metas?

Carlos Peçanha
Carlos Peçanha
8 anos atrás

Os russos são isso aí mesmo, vendem armas a quem pagar mais, mesmo alimentando ditadores e terroristas, aliás, nem é tão mau fortalecer a Síria com a ditadura atual, pois os que viriam são fundamentalistas xiitas, muito piores para o ocidente. No final, prestaram um grande favor ao ocidente.

Bravoone
Bravoone
8 anos atrás

Carlos, isso é livre direito deles, afinal capitalismo é isso mesmo, o que importa é $$$

Bosco
Bosco
8 anos atrás

Pessoal,
Pra quem não conhece o Rustam é russo e é um grande frequentador e colaborador de blogs de defesa aqui no Brasil. E grande amigo de nós brasileiros!
O que me parece ele quis nos dizer em seu comentário foi que na verdade os Pantsir C1 (Carapaça C1) não foram realmente testados na Síria já que os israelenses atacaram com armas stand-off e permaneceram a mais de 80 km de distância, portanto, fora do alcance dos sistemas antiaéreos Pantsir C1 que tem alcance de 20 km.

Grande abraço amigo Rustam!

Bravoone
Bravoone
8 anos atrás

Grato pela informação Bosco 😉

Ivan
Ivan(@ivan)
8 anos atrás

Bravoone, O conceito de defesa aérea russo é compor uma IADS (Integrated Air Defence Systems) em camadas e em profundidade. Armas de longo alcance obrigam as aeronaves inimigas a manter distância enquanto as de curto alcance protegem as primeiras dos atacantes que voam baixo usando o terreno. Uma IADS não é projetada para resistir eternamente, pois os atacantes vão destruíndo sistematicamente seus radares e lançadores. Sua missão é resistir por tempo suficiente para que forças em terra atinjam determinados objetivos. É uma corrida dupla contra o tempo. Nesta luta vale tudo. Inclusive o uso maciço de decoys pelos dois lados.… Read more »

Bravoone
Bravoone
8 anos atrás

Caro Ivan, sim, eu sei disso, grato pela explicação 😉

Últimas Notícias

Alltec apresenta suas inovações tecnológicas na 6ª Mostra BID Brasil

Alltec desenvolveu uma blindagem adicional do Guarani, veículo para transporte de tropas, do Exército Brasileiro A Alltec, empresa de Pesquisa...
- Advertisement -
- Advertisement -