Home Artilharia Antiaérea Fogo nada amigo

Fogo nada amigo

238
29

RBS 70 NG 01b

vinheta-clipping-forte1O clima está quente no Ministério da Defesa, em Brasília, devido à necessidade de comprar artilharia antiaérea para proteger os estádios durante a Copa e a Olimpíada. Após a aquisição de canhões alemães e mísseis pesados russos, chegou a vez de mísseis leves. E há uma verdadeira guerra de bastidores, com direito a rasteiras mútuas, pelo contrato de dezenas de milhões de dólares. Estão na disputa o Igla, da russa KBM, já operado pelo Brasil, e o sueco RBS-70, da Saab.

FONTE: Revista Época Negócios  nº76, junho 2013

29
Deixe um comentário

avatar
29 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors
VaderHans SchommerRequenajoseboscojrjoubertfreire Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
roberto bozzo
Visitante
roberto bozzo

Acho o sistema RBS mais vantajoso ao Brasil, principalmente se puder ser integrado ao Guarani, conferindo grande mobilidade. No site da SAAB a uma imagem do RBS 70NG montado sobre um veículo 8×8 (acho que é o Boxer).
http://www.saabgroup.com/rbs70ng

Bosco, você que é o expert no assunto, qual o melhor para o EB ??

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

São sistemas complementares, pois cada um tem um sistema de guiagem diverso, com vantagens e desvantagens. Conforme uma entrevista do general Haise quando comandava a 1 BAAEX, ambos estavam em estudo de aquisição por conta disso. A melhor solução é empregar simultaneamente ambos os sistemas, o que aumenta muito a letalidade da defesa. Quanto a montar em um veiculo blindado, a rigor não seria algo muito útil, pois são armas que serão empregadas em defesa de pontos estratégicos e não como defesa tática de tropa. Logo, não carecem de mobilidade instantênea a tampuco de proteção blindada, até pooque são extremamente… Read more »

wwolf22
Visitante
Member
wwolf22

O Igla pode ser disparado do ombro, e o RBS ?!?!

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

WWolf22 Como é pra defesa de ponto esta capacidade não faria grande diferença. Ela faz em cenário de emprego tático em proveito de forças em movimento, ou seja, como AA orgânica das brigadas de cavalaria e infantaria. Como defesa de ponto, o disparo é feito de posição estática e o disparo por pedestal ou no ombro não faz muita diferença. Aliás, no caso do RBS é de todo conveniente que exista pedestal, pois ele tem que ficar apontando o laser permanentemente para o alvo,o que requer uma plataforma estável. Ambos os sistemas podem ser operados convenientemente de uma viatura 3/4… Read more »

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Roberto,
Sem nada a acrescentar ao comentário do Colombelli.
Como ele disse os sistemas são complementares.
Eu defendo que existam os dois, o Igla como um sistema altamente compacto e portátil, ideal para uma série de cenários; e um míssil com maior capacidade (alcance e ogiva), o que obriga o lançamento por pedestal, e de preferência com orientação CLOS (LBR ou via rádio)
Sempre fui fã do RBS-70, principalmente para substituir os canhões 40L60.

joubertfreire
Visitante
joubertfreire

Acredito que em terreno urbano,o Igla é prático e de facil manuseo! em terreno de costa,mata leve , floresta,base em montanha o RBS-70 é magnifico. deveriamos adquirir os 2 , rssss

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

O RBS-70 tem um diferencial bem interessante que é sua capacidade contra alvos em terra.
Ele tem uma ogiva HEAT (anti-tanque) envolta por pré-fragmentos, que é tão boa contra aeronave como contra pessoal desmontado, veículos não blidados e blindados, etc.

Requena
Visitante
Member
Requena

Qual dos dois pode ser utilizado nos Gepard?
Acho que a resposta indica o escolhido…

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

So o Igla teria esta possivel utilização se for possivel adaptá-lo como é feito com os Stingers. Mas isso não é ideal. Os misseis são complementares ao canhão. É bem melhor usá-los separados, aumentando a dispersão e a cobertura.

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Requena,
Isso não deve ocorrer, mas teoricamente o Igla, por ser “fire-and-forget” e ser completamente autônomo é mais fácil de ser adaptado ao Gepard.
Já o RBS-70 exige adaptações mais abrangentes, como por exemplo a instalação do sistema eletroóptico de aquisição de alvo e de geração do feixe laser.
Mas como disse o Colombelli, isso não deve estar nos planos do EB.

wwolf22
Visitante
Member
wwolf22

ta com cara de que os Iglas serao usados pelas forcas especias e o RBS sera usado pela infantaria.

joubertfreire
Visitante
joubertfreire

Ambos são Armas de Artilharia, outras Armas como Infantaria podem treinar e usar muito bem,pricipalmente o Igla, mas colocar em blindados não é o caso. é muita adaptação nada a ver.o Gepard já é uma Arma antiga…bom pra quem não tem nada …vá lá..

Hans Schommer
Visitante

@ joubertfreire
Informações exclusivas para você:
A GEPARD (versão 1A2) e RBS 70 (versão NG) foram modernizados em 2010. A última IGLA (versão 9K338) desenvolvimento em 2002.
Hans Schommer

joubertfreire
Visitante
joubertfreire

P/ Hans Schommer, informações exclusivas para você: Essa Gepard ai que vc está defendendo não foi aprovado pelo Exercito Chileno, estes mesmo Gepard (modelo) foi apresentado em um Programa de TV como Sucatas na Alemanha. continuo com o mesmo pensamento é uma arma absoleta, JÁ FOI, e o assunto aqui é o Igla e o RBS. minha critica é que o E.B. sempre pega as Sucatas, veja o Chile foi de Leopard2 , o Brasil Leopard 1, Chile recusa o Gepard por ser Arma absoleta, o Brasil compra a Sucata Gepard, foi mostrado na TV da Alemanha, bem ! vc… Read more »

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Joubert Equivocado seu comentário. O Gepard que o Chile devolveu não tinham sofrido modernização na eletrônica e estavam obsoletos. Os adquiridos pelo Brasil sofreram modernização e tinham previsão de utilização no Exercito Alemão até 2030. Sua desativação se deu por motivos doutrinários, com concentração da defesa aérea na arma aérea. Se o programa onde eles apareceram como sucatas é um sobre um ferro-velho, o fato de eles estarem lá também não tem nada a ver com serem obsoletos, inapropriados ou ineficientes. Deve-se também à alterações doutrinárias no âmbito da OTAN no que concerne à defesa aérea, de forma que os… Read more »

Hans Schommer
Visitante

@ joubertfreire
Na mídia brasileira informou que, na Alemanha, os blindados Gepard são desmantelada. Isto é verdade. Mas é o tipo 1A1 B2. Ele foi aposentado em 2000 e armazenado no depósito.
O Gepard 1A2 foi modernizado em 2010. A Gepard pode ser apenas uma parte do sistema de defesa aérea. Seus pontos fortes são a armadura, mobilidade e reação rapida.
E o tanque foi dado para o Brasil – ?
Hans Schommer

Vader
Membro
Trusted Member

Caro joubertfreire, na boa, porque que o Gepard seria obsoleto? Qual é a sua função? R: proteção antiaérea de uma COLUNA BLINDADA! Porque isso? Porque ele se utiliza de sua mobilidade para acompanhar e proteger a coluna blindada de ameaças aéreas, notadamente aeronaves de baixa performance e, principalmente, helicópteros. O Gepard não é para proteger ponto estratégico, embora possa cumprir razoavelmente esta função, embora para tal missão há sistemas estáticos muito mais baratos e eficazes. O Gepard não é para proteger espaço aéreo de um bombardeio. O Gepard não é para derrubar um F-35 ou um Su-34. O Gepard não… Read more »

joubertfreire
Visitante
joubertfreire

Porra, a discução aqui não é o Gepard! e sim o Igla e o RBS, rsss…mas viraram a .50 para o meu lado,rsss…clubinho fechado esse ai heinnn…vcs todos com pensamento atrasados em questão de segurança Nacional…”proteção antiaérea de unidades blindadas” tá mas para abater qual caça! ou para abater os T27 que vendemos a alguns vizinhos , pois pois nem o Miragelll retirados de serviço da Fab ele abate este Vetor… se uma arma Antiaérea não serve para abter caças para que ela serve??? talves numa Artilharia de campanha quem sabe pode até ser rsss…Gosto do Igla e do RBS… Read more »

joubertfreire
Visitante
joubertfreire

Bom Hans vc disse ” Esse tanque foi dado ao Brasil?”
bom tanque que eu conheça é tanque de combustivel,Tanque de água, Isso ai é uma Peça de Artilharia Antiaérea,montada sobre um blindado de lagartas com chassi do Leopard 1, com bindagem 8 vezes menos que o Leopard 2, denominado Gepard 1. abraço.

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Joubertfreire, Embora no jargão estritamente militar o termo correto seja “carro de combate”, já que é a denominação oficial do EB de um “tanque de guerra”, para todos os efeitos práticos e na “esfera” não militar tanque é sim sinônimo de carro de combate. Nas publicações oficiais do EB pode até ser errado o termo “tanque” como sinônimo de carro de combate, mas os militares são apenas parte da “equação” em que o termo está envolvido e no mundo não militar não existe a obrigatoriedade de seguir o jargão militar. Os dicionários da língua portuguesa corroboram a validade do termo… Read more »

Hans Schommer
Visitante

Um outro aspecto:
A venda inclui 37 blindados antiaerea, 300 toneladas de peças de reposição e cerca de 500.000 cartuchos de munição. O valor médio de um cartucho 35mmx228 é de 180 euros. O valor total da munição é, portanto, com 90 milhões €. Estes cartuchos podem ser usadas por canhões antiaerea GDF. O preço para toda a pacote GEPARD será 30 € milhões.
General Marcio Roland Heise é um gênio!
Um abraço
Hans Schommer

Hans Schommer
Visitante

@ joubertfreire
Existe uma regra simples: Onde está a Gepard, existe dentro de um raio de 5.500 metros nenhum avião inimigo.
Ele foi projetado para esta finalidade. E para este fim temos apresentado em 2011, em Formosa.
Hans Schommer

joubertfreire
Visitante
joubertfreire

O que é 5.500 metros ?? para um vetor de alta performance isso não é nada…facilmente um vetor lança um missil a mais distância do que isso Hans,é essa jaca que o E.B comprou infelizmente.comprar bateria antiaérea para proteger blindados de cavalaria de Helicopteros para meu…essa jaca ai não abate nem um velhinho como a Mike-5 atualizado, como vc disse Bosco “ele agrega muito a capacidade combalida do E.B.” então pra quem não tem nada essa jaca serve… foi isso que os Chucrutes mostraram em Formosa…sabe estou mostrando a vcs que precisamos comprar coisas boas para o nosso E.B ,chega… Read more »

joubertfreire
Visitante
joubertfreire

Sim mostraram em Formosa o Gepard, mas só tinha ele lá …rsss não tinha concorrente,rsss e os velhos Generais ficaram encantados com essa Jaca, não ouviram a Oficialidade Moderna, que mostraram outras opções bem mais interessantes,novo poder de fogo…coisa melhor…mas não…a estrela manda e jovens oficiais aceitam…fazer o que que venha o Gepard…aliás já veio…..mais um “GARIBADO” chegou…Brasil.

joubertfreire
Visitante
joubertfreire

Bateria Antiaérea…AA S-300 PMU 2- Russo, muito bom,
Crotalle de Laucheers DSC-00866-Francês, excelente,
AA-MIM-104- Patriot-USA-Excepcional…é qualquer um desses seria Maravilhoso…mas recebemos a JACA…BRASIL…

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Jouber, Há sistemas antiaéreos V-SHORAD (alcance muito curto), SHORAD (curto alcance) e HIMAD (alta e média altitude). É certo que precisamos de sistemas que atuem nos níveis médio e alto, mas isso não exclui que tenhamos cobertura dos níveis baixo e ultra baixo. Os sistemas citados por você atuam no nível SHORAD e HIMAD,mas não exclui a necessidade de se ter sistemas de canhões e/ou mísseis e radares que atuam no nível V-SHORAD. Alguém pode até argumentar que para a cobertura do nível V-SHORAD há sistemas mais modernos, mais leves, com maior mobilidade tática e estratégica, com maior discrição, etc.… Read more »

joubertfreire
Visitante
joubertfreire

Parabêns Jose bosco Jr.!!!perfeito seu comentário!! minha opinião era para termos adquirido baterias mais modernas como as que vc citou em seu texto, muito bom mesmo meus respeitos, é isso ai que o nosso E.B. merece…vc entendeu meu raciocinio.obrigado.
abraço.

joubertfreire
Visitante
joubertfreire

E quanto aos Generais, dia 03/07/2013 a três dias atras foram promovidos 3 Coroneis ao Generalato,rsss, sendo 2 Coroneis de Engenharia que trabalhavam o Gab. do Comandante do Exercito e um Coronel Médico…sendo que estes futuros Generais de Engenharia irão comandar Brigadas de Cavalarianos…”Engenheiro faz ponte, picada na mata, estrada”. não sabe nada de Blindado ou de Cavalo,rsss..Brasil

Hans Schommer
Visitante

Ele não entende.
Eu desisto.
Hans Schommer