Home Conflitos em andamento ‘Se eu quiser, ocupo Kiev em duas semanas’, diz Putin

‘Se eu quiser, ocupo Kiev em duas semanas’, diz Putin

279
35

Putin 2

Após declaração do presidente russo, líderes europeus o comparam a Hitler e temem que seu plano de expansão possa ir além da Ucrânia

Gabriela Ruic

ClippingSão Paulo – A tensão entre Rússia e União Europeia (EU) segue aumentando. Em conversa telefônica com o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, o presidente russo, Vladimir Putin, teria dito que suas forças militares podem ocupar Kiev, capital da Ucrânia, em apenas duas semanas. Portanto, a UE não deveria “provocá-lo” com a ampliação das sanções impostas à Rússia.

De acordo com o jornal italiano La Reppublica, que primeiro divulgou a informação, a declaração foi recebida como uma ameaça e foi repassada por Barroso aos outros líderes da UE em uma reunião que aconteceu no último final de semana em Bruxelas (Bélgica). O episódio foi também confirmado por um diplomata que estava presente na reunião ao site da revista alemã Der Spiegel.

Clima tenso

Tal encontro, relatou o periódico, tinha justamente o objetivo de discutir novos embargos aos russos e acabou sendo tomado por um clima de nervosismo. O primeiro-ministro britânico, David Cameron, e a chanceler alemã, Angela Merkel, logo após a fala de Barroso, teriam se manifestado em tom de preocupação.

Cameron trouxe o passado à tona, lembrando que a UE não deveria repetir o erro cometido por líderes europeus em 1938. Na ocasião, tais líderes aceitaram ceder porções da então Tchecoslováquia para a Alemanha, desde que Hitler se comprometesse a não reivindicar novos territórios. No ano seguinte, apesar do acordo, os alemães invadiram a Polônia e iniciava-se a 2ª Guerra Mundial.

Merkel, por sua vez, prosseguiu o La Reppublica, afirmou que é necessário levar em conta que os planos russos podem ir além da Ucrânia. Segundo ela, é possível que Putin esteja de olho em outros países da região, como Letônia e Estônia, por exemplo.

Expectativa

A reunião concluiu que é necessário que a UE continue firme em seu posicionamento, endurecendo ainda mais as sanções contra a Rússia. Uma nova reunião está marcada para esta sexta-feira e a expectativa é que um novo pacote de medidas seja aprovado pelos líderes europeus.

De acordo com a agência de notícias Reuters, este pacote terá como alvo setores como o da defesa e finanças. Uma das possibilidades, explicou a agência, é que seja incluída uma proibição de que cidadãos europeus comprem títulos da dívida russa.

FONTE: Exame.com

Subscribe
Notify of
guest
35 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Colombelli
Colombelli
5 anos atrás

Eu teria respondido: se tu quer enroscar o pala arrumou com quem. Ocupe e tu vai ver o que te espera!

Mas os eurobambis…..

Este elemento so conhece a linguagem do aço e do fogo, smente parará quando alguem o peitar.

juarezmartinez
juarezmartinez
5 anos atrás

Colombelli, esperar algo da Eurobambilândia além de dizerem que vão “dar uma unhada” no Adolf Putin é esperar demais, pois quando eles acordarem, seu mundo encantado estará fedendo a cadaver e os Russos estarão as margens do Danubio..

Parece que o Tio Sam vai ter que adiar a aposentadoria do A 10.

Grande abraço

Ivan
Ivan
5 anos atrás

Vou abusar um pouco (talvez um pouco demais) da paciência dos amigos e reproduzir um texto de um cronista português. As «hemorroidas» de Putin por João Pedro Bráz. Frederico II foi um imperador germânico, que governou o Sacro Império romano-germânico durante 30 anos, entre 1220 e 1150. Frederico, via-se como o sucessor dos imperadores romanos da antiguidade e pretendia reconstituir um império que pudesse reconstituir o esplendor de Roma. Coroado Rei da Alemanha, da Itália, da Borgonha, da Sicília, e até rei de Jerusalém, a ambição de Frederico II inevitavelmente colidiu com o poder religioso, os Papas de Roma. Foram… Read more »

Ivan
Ivan
5 anos atrás

Um episódio curioso e esclarecedor. Há um certo tempo um dos principais responsáveis militares do exército vermelho, chegou afirmou que a Rússia atacaria a Polónia com armas atómicas, entre outras bravatas, além Dimitri Medvedev, em entrevistas, afirmando que a Rússia se reservava o direito de invadir qualquer país onde existissem cidadãos russos, no sentido de os proteger. Na época Dimitri era o Presidente da Rússia e o ano era 2008. A Geórgia havia sido invadida e a Ossétia do Sul tomada para defender os ‘russos étnicos’. O mapa, é claro: https://4.bp.blogspot.com/-B-tosBfNlXY/UCLIF006-jI/AAAAAAAAFjs/ByGA804jLtA/s1600/Georgia_high_detail_map.png No conflito a Geórgia perdeu a Ossétia do Sul… Read more »

Ivan
Ivan
5 anos atrás

Ainda sobre a arma demográfica.

Em números aproximados, o percentual da população dos países bálticos ex soviéticos:
* Estónia (o mais ao norte) tem 25.6%;
* Letónia (Latvia) 29.6%; e
* Lituânia (o mais ao sul) apenas 6.4%.

Estes números podem mudar de uma fonte para outra.

Sds.,
Ivan.

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
5 anos atrás

Ivan,
Da uma olhada nesse link…
Ele é do dia 11/08.

http://englishrussia.com/2014/08/11/some-empty-shelves/

Ivan
Ivan
5 anos atrás

O mapa dos ex soviéticos bálticos:
http://images.nationmaster.com/images/motw/commonwealth/dfnsindust-baltics.jpg

Seriam eles a ‘bola da vez’?

Ivan
Ivan
5 anos atrás

A Wikipédia trás os seguintes números para ‘russos’ espalhados pelas ex repúblicas soviéticas:

Armenia 11.862 ou 0,4%;
Azerbaijan 119.300 ou 1,35%;
Belarus 785.084 ou 8,3%;
Estonia 326.235 ou 25.2%;
Georgia 67.671 ou 1,5% (depois que perderam a Ossétia);
Kazakhstan 3.793,764 ou 23,7%;
Kyrgyzstan 369.939 ou 6,4%;
Latvia 590.029 ou 27,8%;
Lithuania 176.913 ou 5,8%;
Moldova 369.896 ou 9,4%;
Tajikistan 34.838 ou 0,5%;
Turkmenistan 297.319 ou 6,7%;
Ukraine 8.334.141 ou 17,2%;
Uzbekistan 1.653.478 ou 8,4%.

Curiosamente deve haver quase 3.000.000 (três milhões) de emigrantes russos nos Estados Unidos da América. Será que o Vladimir vai querer invadir os ‘states’ pra proteger ‘russos étnicos’ que moram por lá?

Sds.,
Ivan Ivanovich.

Ivan
Ivan
5 anos atrás

Alfredo,

A corte russa, aquela que orbita em torno do poder central (Czar ou Kremlin), não faz compras nos mercados. Quem sofre é o povo, enganado e conduzido como massa de manobra.

Prateleiras vazias é uma tendência, que provavelmente será suprida por chineses em troca de petróleo e tecnologia bélica, mas no preço de Pequim, é claro.

Outro ponto.
Há soldados russos mortos que não estão voltando para casa. As mães começam a perguntar pelos filhos.

Sds.,
Ivan.

juarezmartinez
juarezmartinez
5 anos atrás

Caro Ivan, não esqueça, o grande aliado russo de todas as batalhas está chegando as porta da Europa, chama-se general inverno, o Vlad vai cortar o gás dos bambis, eles vão literalmente congelar e aí, bom aí a coisa ficar osca como diz o gaucho.

Grande abraço

ernani
ernani
5 anos atrás

Pelo amor de Deus, não pensem que eu apóio a atitude da Rússia, mas entendo o por quê da invasão da Criméia e da Ucrânia: SOBREVIVÊNCIA.

Soldat
Soldat
5 anos atrás

Eu não disse quero ver se os Âmis vão fazer alguma cosa se o Urso chegar a Kiev?

Eu DUVIDO……………………!!!!!!!!!

Enfim (SE) eu disse (SE) o Urso marcha em direção a Paris para para-lo somente com armas nucleares e digo mais nenhum país vai fazer frente somente os Franceses,ingleses e Americanos e olhe lá…..na verdade a Otan é somente 3 pases e + 1

WAR III a caminho…..

costamarques
costamarques
5 anos atrás

Sim! se ele quiser ele invade a Ucrânia de forma rápida e ainda não teria resistência quanto a isso! O problema atualmente é que ao invés de buscar formas amigáveis e diplomáticas para as coisas, os EUA lá no cantinho deles protegidos geograficamente em um continente distante da Europa, comanda um cerco a Russia desde os primórdios da guerra fria, e a Russia, como qualquer outro urso acuado, busca meios geográficos para se defender. Se nos colocarmos no lugar deles, veremos que estão em busca de seus interesses, agora se uma nova guerra estourar, espero que os que sobreviverem saibam… Read more »

ernani
ernani
5 anos atrás

“WAR III a caminho…”

E seja de lado for que o Brasil fique, só tem a perder.

“Haverá guerras e rumores de guerra mas ainda não será o fim”

Pangloss
Pangloss
5 anos atrás

Podem anotar aí: a Rússia não ocupará Kiev. Basta observar o que o Putin disse: “Se eu quiser, ocupo Kiev em duas semanas”. Mas ele não quer isso. O que lhe interessa é fazer discurso ufanista para o público interno. Só faltou bater no peito, como o King Kong. O que interessa à Rússia é manter um cordão de isolamento de suas fronteiras, tal como a URSS fazia durante a Guerra Fria, usando os países-satélite do Pacto de Varsóvia, ou como a Rússia passou a fazer, após 1991, com as ex-repúblicas soviéticas (falhando no Báltico e em Kaliningrado – que… Read more »

Ivan
Ivan
5 anos atrás

Costa Marques, “…se ele quiser ele invade a Ucrânia de forma rápida e ainda não teria resistência quanto a isso!” Penso diferente. A resistência dos ucranianos seria dura, pois é um povo valente e não teme a luta, assim com o russo. Putin pode chegar a Kiev, mas o Exército Vermelho iria sangrar pelo caminho, um custo que talvez a ‘Mãe Rússia’ não aceite para supostamente “defender” outros tantos ucranianos de origem russa que estaria ameaçados pelos ucranianos de origem ucraniana… principalmente considerando que a origem de russos e ucranianos é praticamente a mesma. É meio confuso… mas a guerra… Read more »

Pangloss
Pangloss
5 anos atrás

Só para complementar, se eu pudesse dar um conselho à UE, seria para que o Berlusconi fosse nomeado Alto Comissário para Relações Bilaterais UE-Rússia (ele gosta dessa liturgia do poder). Então, ele demonstraria ao Putin como uma das sociedades mais democráticas da Europa – e uma de suas maiores economias – consegue conviver com práticas mafiosas em suas forças prodtivas e políticas. Isso poderia aproximar o Putin da Europa, abrindo-lhe os olhos para a verdadeira ameaça à Rússia: a China. Aliás, ainda bem que o costamarques colocou a aliança entre a Rússia e a China como hipótese. Chineses não são… Read more »

Colombelli
Colombelli
5 anos atrás

Análises todas muito corretas. Putin, ignorante e burro, não enxerga o seu verdadeiro inimigo a leste e fica criando problemas para aqueles com que deveria se aliar.

Bem coisa de politico de quinta querendo ganhar apoio interno. Justamente por conta disso, é tudo bravata, conversa fiada. Ele sabe que há um ponto onde não há mais volta, e sabe que em um conflito convencional contra o ocidente seria esmagado.

Chineses, estão são o verdadeiro inimigo de todos.

Ivan
Ivan
5 anos atrás

Colombelli, É bravata, mas a conversa não é tão fiada assim. Vlademir e as demais lideranças russas ainda sonham com uma Grande Rússia, com os olhos voltados para o ocidente, justamente o leste europeu. O problema é que a Rússia já é grande, na verdade é enorme, só que na Ásia. E é lá, na Ásia, que mora o perigo, que mora o Dragão, como estamos (eu e vc) sempre alertando. Os estategistas russos são obcecados pela ‘ameaça’ européia, mesmo que não mais exista, ou pela perigo de um ataque norte americano, quando este estão de olho na Ásia. Existe… Read more »

Soldat
Soldat
5 anos atrás

Grande coluna de armamento russo chegando a Lugansk.
Acabou já era a Ucraina não tem mas como recuperar esses territórios:

https://www.youtube.com/watch?v=lz3Fwf0DYDw&list=UUjX58COleIWwvc0_e9r_oMA

juarezmartinez
juarezmartinez
5 anos atrás

Eu penso que o russos vão aguardar a chegada do inverno e apartir dái iniciar uma campanha de desestabilização total da Ucrânia, momento no qual ols olcidente estará de calças na mão por causa do fornecimento de gás russo vital para os europeus.

Grande abraço

Colombelli
Colombelli
5 anos atrás

Eu se fosse ele, estaria transferindo tudo pra fronteira chinesa, quando ele menos esperar será engolido.

Na Ucrânia ele vai testar e ver até onde deixam ir. Não irá além do limite comprometedor para não passar por agressor, pois tem a perder muito economicamente. Tudo isso ai é fruto da leniência dos EUA e europa.

Carlos Soares
Carlos Soares
5 anos atrás

Putz, li tudo.

Preciso pensar.

Carlos Soares
Carlos Soares
5 anos atrás

Já pensei:

A culpa é dos Judeus !

Carlos Soares
Carlos Soares
5 anos atrás

Esse Adolf Putin não é fácil, deem corda e verão.

Concordo:

O verdadeiro inimigo está no outro lado da Ásia:

Dinastia han ou chamem do que quiserem.

Rafael M. F.
Rafael M. F.
5 anos atrás

Há uma outra pressão em cima dos russos, essa de ordem demográfica: de 1992 até 2009, a população russa encolheu incríveis 7%, uma taxa de perda que não se via desde a IIGM.

Duas guerras mundiais, fome e expurgos cobraram seu preço: há menos homens que mulheres na Rússia, e os primeiros vivem, em média, apenas 55 anos.

Eles estão se voltando para ex-repúblicas porque também precisam aliviar a pressão demográfica.

Recomendo esse excelente artigo:

http://www.nybooks.com/blogs/nyrblog/2014/sep/02/dying-russians/

Rafael M. F.
Rafael M. F.
5 anos atrás

Quanto a ocupar a Ucrânia em duas semanas:

Stalin previa um desfile da vitória em Helsinki sete dias após a invasão da Finlândia. Deu no que deu…

Carlos Soares
Carlos Soares
5 anos atrás

“…. há menos homens que mulheres na Rússia,”

Oba, vou mudar pra lá….rs.

Iväny Junior
5 anos atrás

Eurobambilândia? Eu imagino que Juarez e outros americanófilos estejam brincando. Pra ganhar duas guerras de um país apenas, tiveram que chamar o mundo. Este mesmo país compartilhou a expertise e o desenvolvimento de todas as armas de ponta utilizadas hoje. Este país estava sob um regime hipnótico e racista (e ainda bem que foi vencido, a duras penas), e só agora liberou-se totalmente do estigma racista. Este país está presente filosoficamente e cientificamente em todos os aspectos da construção de sociedade no mundo ocidental de forma fundamental. Depois que rompeu-se o conhecimento do mito na Grécia, foi na Alemanha que… Read more »

juarezmartinez
juarezmartinez
5 anos atrás

Ivany, não sou americanófilo, sou pragmático.
A Europa, e principalmente a Alemanha ainda tem grande dependência do gás russo no inverno, é ele ou congelam. Ivany eu estive lá e ouvi isto deles. Estão trabalhando em outras fontes mas vai demorar e até lá o Putin tem a chave de grifo para fechar a válvula.

Grande abraço

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás
Iväny Junior
5 anos atrás

Juarez A Alemanha tem tanta dependência do gás russo quanto nós tinhamos do boliviano. Eles usam porque, primeiramente é mais barato. Mas eles estão liderando várias tecnologias de geração de energia. Já existem parques industriais e residenciais movidos exclusivamente à energia eólica e solar. Eles acabam de tornar operacional o primeiro carro movido à agua (na realidade, tem um separador de hidrogênio dentro), utilizado para alimentar um gerador interno. A BMW anteriormente, já tem um modelo operacional de utilização da força calorífica do hidrogênio. O negócio é que com a Rússia ninguém pode partir logo para a ignorância, porque, essa… Read more »

Carlos Soares
Carlos Soares
5 anos atrás