Home Guerra Cibernética Empresa detecta supervírus espião e ‘indício de guerra cibernética’

Empresa detecta supervírus espião e ‘indício de guerra cibernética’

200
5

141124104200_symantec_abre_624x351_getty

A Symantec, uma das principais empresas de segurança da informação do mundo, anunciou no domingo ter descoberto um vírus de computador que pode ter sido desenvolvido para ataques cibernéticos contra servidores de governos.

Batizado de Regin, o vírus é, segundo a Symantec, o mais sofisticado programa invasor já visto. A empresa disse ainda que o Regin foi usado para ataques nos últimos anos contra uma variedade de alvos ao redor do mundo, entre organizações governamentais, empresas e usuários comuns.
Computadores na Rússia, Arábia Saudita, México, Irlanda e Índia foram os mais afetados, ao lado de Irã e Paquistão.

Usuários privados e pequenas empresas corresponderam a 48% dos ataques detectados, à frente de empresas de telecomunicações (28%).

Pesquisadores da Symantec disseram que o vírus pode ter levado anos para ser desenvolvido. Isso sugere que tenha sido “encomendado” por algum governo.
“O vírus parece ter vindo de alguma organização do Ocidente, em função do nível de habilidade requerido para o seu desenvolvimento em termos de investimento de tempo e recursos”, afirmou à BBC Sian Jenkins, especialista da Symantec.

Ele disse acreditar que o Regin foi usado “de forma sistemática para coletar informações e em operações de vigilância”.

A Symantec viu no Regin paralelos com o Stuxnet, vírus descoberto em junho de 2010 e supostamente criado a mando de autoridades americanas e israelenses para sabotar o programa nuclear do Irã.

Mas enquanto o Stuxnet atuava danificando equipamentos, o Regin parece ter sido criado para coletar informações: segundo a Symantec, o vírus pode capturar imagens de telas, roubar senhas ou mesmo recuperar arquivos apagados.

Segundo a Symantec, a principal faceta da sofisticação do Regin é a dificuldade de detecção mesmo com alguns dos mais sofisticados programas antivírus do mercado. Outro problema é que ainda não se conhece toda a capacidade do vírus.

FONTE: BBC

5
Deixe um comentário

avatar
5 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
juarezmartinezOganzaSoldatwwolf22 Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
wwolf22
Visitante
Member
wwolf22

ainda bem que nao vazaram as fotos intimas da Dilma…
isso sim seria um belo “bug”…
e vcs acham que os equipamentos oriundos dos EUA não vem chipados ????
nada me tira da cabeca que os americanos sabem exatamente onde estão todos os aviões, radares, … adquiridos daquele pais pelo Brasil….
ai vem a lembraca do nosso foguete que explodiu e matou todo nosso corpo de engenharia mais qualificado…

Soldat
Visitante
Soldat

Ih………

Prepare-se para ser crucificado…..os Walking Americanizados vão te pegar!!!!

Concordo contigo rsrs……

Oganza
Visitante
Active Member
Oganza

A industria farmaceutica sempre teve o anbiente natural, a natureza, para prove-la de doenças que atingem seres humanos que por sua vez sempre precisarão de remédios. No mundo digital sempre foi diferente, os maiores fabricantes de remédios sempre foram os maiores fabricantes das doenças tb. Hj não precisa chipar nada, o monitoramento está no software… na verdade, façam o seguinte: Abram seus computadores e procurem em suas motherboards uma etiqueta acinzentada e de bordas boleadas, depois peguem uma lupa e vc’s veram a inscrição – COTS 1394-B, pois bem, o “B” em questão é a reserva para mercados digamos não… Read more »

juarezmartinez
Visitante
juarezmartinez

Oganza, cuidado vão te enviar para o Gulag após o julgamento pelas ligas camponesas e mártires de Guevara, serás acusado de lambe botas e agente do grande Satã.

Grande abraço .

Oganza
Visitante
Active Member
Oganza

Juarez, é meu caro… complicado. Mas olha só que interessante. Estamos fazendo um levantamento sobre startups no Brasil e nos deparamos com uma em SP que criou um aplicativo inédito no mundo. Pois bem, no vai e vem na busca por verba e profissionais para o desenvolvimento em escala do software eles simplesmente desistiram dos profissionais brasileiros. Todas as empresas e equipes nacionais que analisaram o projeto para dar um cronograma e orçamento simplesmente estavam fora da realidade mundial. O menor prazo dado no Brasil para conclusão da versão Beta foi 18 meses. Solução: a equipe da startup viajou para… Read more »