Home Artigo American Sniper: lobos e ovelhas

American Sniper: lobos e ovelhas

1511
48

americansniper11

Thiago Cortês

Todos admiram, mesmo que secretamente, pessoas que recusam o cinismo predominante e brindam os seus próximos com uma amostra do que é a virtude em ação.

O novo filme de Clint Eastwood começa com o sermão de um pastor sobre o apóstolo Paulo. O que Paulo ensinava e fazia, explica o ministro, era motivo de escândalo para a maioria dos seus contemporâneos. Mas Paulo tinha dentro de si a convicção de estar fazendo a coisa certa.

Chris Kyle está no culto com sua família. Ele ainda é uma criança, mas ouve atento o pastor explicar que somos incapazes de decifrar o padrão de Deus nos eventos que ocorrem na nossa vida. Só podemos considerar real e verdadeiro o que podemos enxergar?

Não se engane pelo cenário da história ou seu contexto histórico. American Sniper não é sobre a Guerra do Iraque – nem contra e nem a favor – ou sobre qualquer aspecto da vida militar.

O drama de Clint Eastwood é sobre os dilemas morais enfrentados por homens de convicção em um mundo no qual a defesa de qualquer princípio – por mais óbvio que seja – é vista como uma atitude fundamentalista. A convicção é uma anomalia. O mundo jaz do relativismo.

Se você quiser defender uma visão moral, prepare-se para enfrentar dilemas terríveis. Se você quiser se sacrificar por algo maior, prepare-se para a solidão. Sim, solidão: ao dizer que está disposto a morrer pelo seu país, Kyle ouve da futura esposa: “você é um egocêntrico!”.

Chris Kyle é filho de um diácono e de uma professora de escola bíblica dominical. Desde cedo ele aprendeu que a defesa dos princípios básicos de certo e errado o colocaria em conflito com a maioria que há muito abandonou o “preto-no-branco” por mil tons de cinza.

Ainda menino, Kyle intervém em uma briga para defender seu irmão mais novo de um típico valentão. Ao ver seu irmão apanhando, ele não tem dúvidas: soca o garoto maior até lhe tirar sangue. Ao invés de lhe repreender, o seu pai lhe explica que as pessoas são divididas em três grupos: ovelhas, predadores e cães pastores que protegem as ovelhas “do Mal”.

“Algumas pessoas preferem acreditar que o Mal não existe. Mas se algum dia ele aparecer na sua porta, não saberão como se proteger. Essas são as ovelhas. E então existem os predadores. Eu e sua mãe não estamos criando ovelhas ou predadores”, adverte o diácono.

Kyle cresce como um típico jovem dos nossos dias. É um beberrão e mulherengo. Mas ele enxerga o que os outros não enxergam. Em certo dia, o noticiário que para seu irmão é entediante, para Chris Kyle é perturbador. E, como Saulo, ele caí do cavalo.

Como a luz do dia
As escolhas daquele que se tornaria o atirador de elite mais letal da história militar dos Estados Unidos são pautadas por um antiquado senso de moralidade. Não há espaço para o cinismo ou a meia-verdade no horizonte de Chris Kyle. Ele enxerga o Mal tão claro como a luz do dia. É essa característica singular que irá definir o seu destino para sempre.

Quando poderia se arriscar menos, Kyle desce às profundezas do labirinto infernal de Ramadi para ensinar soldados novatos sobreviverem um dia a mais. Quando sua esposa grávida pede que ele fique em casa, Chris Kyle volta ao Iraque para proteger seus amigos.

Em pouco tempo a insurgência iraquiana apelida Kyle de “o Diabo de Ramadi”- em referência a uma das cidades em que combateu – e coloca a sua cabeça a prêmio. Ele é temido por sua eficiência em matar. 160 mortes “oficiais”: tudo indica que o número seja maior (255).

O maior mérito de Chris Kyle, contudo, não reside no número de inimigos que ele abateu. Mas na quantidade de garotos que ele salvou com sua mira certeira. O filme faz um sutil e brilhante paralelo entre a visão moral distinta e a pontaria acima da média de Kyle.

Além do inimigo que espreita em cada janela e porta, o jovem texano é obrigado a enfrentar as dúvidas crescentes e o medo paralisante dos seus colegas de farda.

O agnóstico Eastwood fala no filme por meio de um jovem soldado que quase foi padre e é assaltado pela dúvida: Será que eles fazem a coisa certa? E será que vale a pena?

“O Mal existe. Nós já o vimos por aqui”, responde, serenamente, Chris Kyle. Eastwood mostra que o sniper mais admirado e temido da história dos EUA permaneceu até o fim com as convicções simples de um menino dedicado a proteger os inocentes dos bandidos.

A virtude em ação
Há muitos sub-dramas terríveis contidos nas decisões de Kyle, mas não vou abordá-los para que o leitor assista ao filme e possa se surpreender com cada dilema que surge na história.

Ao contrário do que se poderia imaginar, Eastwood não manifesta aprovação diante da moralidade “preto-no-branco” de Chris Kyle. Diante disso ele é novamente agnóstico.

Mas o velho mestre americano não deixa de mostrar que são de homens como Kyle que a sociedade precisa nos momentos mais tenebrosos, quando os lobos aparecem e recuamos como ovelhas confusas e apavoradas. Sem visão moral, sem senso de direção.

Hoje em dia os homens estão mais preocupados em ser queridos por todos e não conseguem defender qualquer princípio por mais de 5 minutos. Eles não acreditam mais em certo e errado. São cínicos. Para os quais “honra” e “sacrifico” são como peças de museu.

São bem poucos os que ainda enxergam o mundo como o apóstolo Paulo e Chris Kyle enxergavam. Mas todos admiram, mesmo que secretamente, pessoas que recusam o cinismo predominante e brindam os seus próximos com uma amostra do que é a virtude em ação. Clint Eastwood faz um elogio desses homens ilustres. Assista American Sniper.

Thiago Cortês escreve no blog Descortês.

FONTE: Mídia em Máscara

48
Deixe um comentário

avatar
48 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
14 Comment authors
OganzaJTnunes netoFernando "Nunão" De Martinitadeumar Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
eduardo.pereira1
Visitante
Member
eduardo.pereira1

Excelentíssimo texto ,já queria ver o filme ,agora então.

Sds.

jfabio.almeida
Visitante
jfabio.almeida

Alguem sabe qual arma é usada pelas nossas forças armadas pra esta modalide?

Achei em pesquisa a baret .50, alguem confirma?

Sds
GC

Claudio Moreno
Visitante
Member
Claudio Moreno

Boa tarde Senhores! Pois então…pessoalmente não vejo a menor diferença entre uma criança de qualquer idade que seja armada com granada ou pistola, de um adulto em igual condições. Ambos tem a intenção ou não de ferir e matar, fizeram sua escolha…não podem reclamar da sentença. Jovens do mundo inteiro, sabem mesmo que virtualmente usar uma pistola, fuzil, RPG, a esfaquear entre as costelas e torcer o cabo em sentido anti horário…então sabem também as conseqüências. Se hoje fosse reconvocado para um TO quente, meu desejo é cumprir minha missão e voltar o melhor possível para minha familia e amigos,… Read more »

JT
Visitante
JT

@jfabio.almeida: Nunca ouvi falar de Barret ou .50 no EB. Os Caçadores atualmente utilizam o Imbel AGLC (7,62×51).

Na foto abaixo vê-se o um Caçador com o AGLC.

http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2014/05/conheca-as-armas-e-equipamentos-a-disposicao-do-exercito-brasileiro/militar-cacador-sniper-do-exercito-brasileiro/view

http://pt.wikipedia.org/wiki/IMBEL_AGLC

JT
Visitante
JT

P.S.: Eu quis dizer .50 em rifles.

Rafael Bastos
Visitante
Rafael Bastos
Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Fábio, O Barret e assemelhados em calibre .50 pode até ser usado como rifle antipessoal a partir de grandes distâncias (acima de 1200 metros), mas em geral sua aplicação é antimaterial (veículos não blindados, veículos levemente blindados, lançadores de mísseis, etc). Especificamente como arma antipessoal o EB usa rifles diversos, em calibre 7,62 x 51 mm, tanto semi-automáticos quanto de ferrolho, nacionais e estrangeiros. O que eu sei que é muito usado é um rifle de ação por ferrolho da Imbel em calibre 7,62 x 51 mm, e o salvo engano, o semi-automático HK PSG-1, alemão, no mesmo calibre. Hoje… Read more »

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Ah! No EB “sniper” é “caçador”.

jfabio.almeida
Visitante
jfabio.almeida

Bosco, obrigado pela resposta, perguntei pois fui pesquisar e encontrei este sitio e la realmente diz sobre ser utilizado como vc disse, antimaterial. http://www.ebah.com.br/content/ABAAAfPiQAJ/armas-que-exercito-brasileiro-usa,

mas vi um video no youtube, tentei até procurar mas nao encontrei mais, onde um atirador usa um deste para acertar uns alvos humanos do outro lado de uma colina, mas pelo que vc disse imagino que seja pela distancia.

sds
GC

jfabio.almeida
Visitante
jfabio.almeida

Bosco

Veja o video achei.

https://www.youtube.com/watch?v=Vj_y0KRpbl4

sds
GC

Melky Le Faucheur
Visitante
Member
Melky Le Faucheur

“O” Sniper Americano: Carlos Hathcock

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Fábio,
No caso de forças especiais, que usam armas que não são padrão, fica difícil a gente saber o que o EB adota, sem uma fonte oficial.
Esse site que você indicou deve ser confiável, mas salvo engano, o fuzil de precisão que o EB usa como “padrão”, se é que um fuzil de precisão pode ser classificado como “padrão” é um de ferrolho da Imbel, em calibre 7,62 mm, que não é citado no site.
Também não adianta ter um ou dois exemplares e dizer que é de dotação do EB. rsrsss

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

O Collombeli é que seria a pessoa ideal pra falar sobre esse tipo de arma, mas ele não tem aparecido.

Lyw
Visitante
Member
Lyw

Isto levando em consideração que o rapaz só fala a verdade, que todos os que ele matou mereciam morrer, se realmente ele tinha algum dilema moral na cabeça antes de explodir a cabeça de uma criança.

De acordo com o texto, o rapaz é quase um anjo.

Mas por favor, sei que todos aqui pensam diferente e acham o cara o máximo, então, nem se dêm o trabalho de me xingar. Só quis me expressar.

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Lyw, Mas você está falando do Kyle de verdade ou o Kyle do filme? O artigo analisa o Kyle do filme! Filme não cabe extrapolações morais como você colocou. A verdade é a que é mostrada no drama e no roteiro. O Kyle do filme jamais mataria um inocente e menos ainda, uma criança inocente. Já o Kyle na vida real, ninguém sequer citou. Até eu que citei o rifle, citei o usado pelo “Kyle”, do filme. Pelo menos, o Kyle real, se não era santo, disse que era, e foi inclusive inspiração para um filme épico. Ou seja, se… Read more »

Kojak
Visitante
Kojak

Armas não matam pessoas.

Pessoas matam pessoas.

Militares de carreira são preparados para cumprir missões e ponto.

Quem tem um militar de carreira em Família sabe do que estou falando.

Sargento Infante PQD.

Missão dada, missão cumprida.

Cada Força tem seu preparo, isso varia muito de pais para pais.

Pelo que percebi ao meu lado, não estamos mal “na fita”.

Vou ver se consigo alguma informação dos caçadores.

COLOMBELLI cadê você Amigo ?

Kojak
Visitante
Kojak

“isso varia muito de país para país.” Melhor ……..

Kojak
Visitante
Kojak
Kojak
Visitante
Kojak
Kojak
Visitante
Kojak
Kojak
Visitante
Kojak
Kojak
Visitante
Kojak

Informações dos Fuzis do atiradores de elite do BOPE

https://www.youtube.com/watch?v=Iqig39ET3Aw

Requena
Visitante
Member
Requena

Assisti o filme ontem.

Filmaço! Grande história, grande direção do Clint Eastwood e excelente interpretação do Bradley Cooper.

Pra quem gosta de temas militares, como 100% do pessoal aqui da Trilogia, é imperdível.

Galeão Cumbica
Visitante
Galeão Cumbica

Kojak

valeu por compartilhar os videos!

Este ultimo do BOP estas duas armas que aparecem no começo, uma americana e a segunda nacional, a nacional é a identica a Americana, será quem copiou de quem?

sds
GC

tadeumar
Visitante
tadeumar

Uma crianca e tao letal em um conflito, quanto um soldado adulto. Os americanos tiveram baixas (talvez algumas centenas), por causa dos guerrilheiros (meninos e meninas) norte vietnamitas (Viet Cong), Demorou muito para que os americanos se ajustassem a realidade. Israel tambem sofre um dilema persistente pelo uso de criancas bombas que o Hamas envia para fazer atentados. Eu penso exatamente como o Kojak, ou seja, voce tem uma missao e dentro de uma etica possivel , voce tem que cumprir a sua missao. No caso dos snipers americanos que operam em ambientes urbanos no Iraque, ou nas montanhas do… Read more »

Oganza
Visitante
Member
Oganza

O texto é muito bom e como o Nunão lembrou, o texto fala do personagem Chris Kyle assim como o filme fala sobre a visão que Clint Eastwood teve do personagem Chris Kyle e seus dilemas a partir de sua pesquisa, muito dela obtida do livro Auto biográfico de Chris Kyle – American Sniper: The Autobiography of the Most Lethal Sniper in U.S.. O livro mostra muito da visão Preto-no-Branco, no meio de um cenário com muitos tons de cinza, que norteia as decisões e ações de Chris Kyle… para quem não está “preparado” ou de mente aberta para entender… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

“O texto é muito bom e como o Nunão lembrou, o texto fala…”

Oganza,

Não fui eu não. Foi o Bosco.

De qualquer forma, vi o filme e concordo com o que o Bosco escreveu.

Oganza
Visitante
Member
Oganza

Nunão… ups…

foi mal Bosco… 🙂

Oganza
Visitante
Member
Oganza

Curiosamente alguns dos maiores feitos de snipers não são de Chris Kyle, mas sim do Sargento Carlos Hathcock, tb do USMC, durante o tempo em que serviu no Vietnã e quem detinha o kill record das FFAA Americanas, com 93 kills confirmados (segundo ele, foram de 300 a 400). 1 – Missão solo mais longa: 3 semanas (“A caça ao Apache” que eliminava e torturava Marines… o “Apache” na verdade era uma mulher sniper). 2 – Primeira missão com múltiplos kills noturnos – 6(?) (com a primitiva mira Star Light montada em rifle M14 semiautomático) 3 – Kill de maior… Read more »

tadeumar
Visitante
tadeumar

Caro Oganza, Gostei do seu comentario, e eu ja havia visto a historia de Carlos no History Channel. Sao ambientes totalmente diferentes, e eu sei que voce concorda comigo nisso. Iraque e um tremendo de um complicado conflito urbano. O sniper nao esta muito distante do alvo, e muitos “civis” espalhados no TO. Afeganistao, montanhas e muita distancia entre o sniper e o alvo. Talvez o ambiente mais facil para um sniper. Mas no Vietnam, o bicho pegava. O ambiente muito mais hostil, nao somente por causa do inimigo, mas tambe por causa da vegetacao e da vida animal. O… Read more »

Lyw
Visitante
Member
Lyw

joseboscojr 27 de fevereiro de 2015 at 21:08 Bosco, o Kyle do filme representa o Kylo real, ou pelo menos uma versão do Kylo real. No texto, embora o autor se basea-se no que foi apresentado no filme, não fica claro se o mesmo se refere exclusivamente ao personagem do filme ou ao próprio Kyle, na verdade seria até estranho fazê-lo, já que o personagem se baseia numa pessoa real, é parte da história da mesma contada em um filme. Quanto à comparação com EI, concordo com você, só não nos esqueçamos que o Kyle não conseguiu tais “façanhas” lutando… Read more »

Galeão Cumbica
Visitante
Galeão Cumbica

E o Vassili?

Sds
GC

Lyw
Visitante
Member
Lyw

Correção, onde estiver escrito “Kylo” leia-se “Kyle”.

tadeumar
Visitante
tadeumar

Os insurgentes eram dividos em dois grupos. Os sunitas, que fizeram parte do exercito iraquiano, e que ao perceberem a chegada do exercito Americano em Bagda, trocaram a farda pela ropa de civil. O segundo grupo sao os xiitas, fianciados, treinados e equipados pelo Iran. Como reza a filosofia occidental: Divide and Conquer. Os EUA deveriam sair deste territoro e deixar que eles se eliminem uns aos outros. Haviam armas de destruicao em massa no Iraque. So nao os que nao sabem ou fingem nao saber, o Iraque sim tinha varias delas. O Saddam Husseim usou armas quimicas contra a… Read more »

Kojak
Visitante
Kojak

“Galeão Cumbica
28 de fevereiro de 2015 at 16:42 #

E o Vassili?”

Tá de sacanagem né GC ?

Daqui a pouco aparece aqui o Pytandorov Bostonovisk. (rs)

Coloquei algo imparcial. (rs)

http://russiapedia.rt.com/prominent-russians/military/vasily-zaitsev/

Oganza
Visitante
Member
Oganza

tadeumar, sim… sim… são ambientes com desafios e necessitam de táticas completamente diferentes, praticamente fica difícil fazer uma comparação “justa”. Lá nos EU, na comunidade de tiro desportivo, a maioria elege Hathcock como melhor até como uma certa passionalidade rsrs… eu prefiro ficar em cima do muro…rsrsrs ambos foram grandes atiradores. Mas vc está certo, o Afeganistão e os últimos conflitos em ambientes desérticos foram o “paraíso” para os tiros ultra longos, assim como a “popularização” dos rifles em calibre .50, que permitiu/facilitou tais disparos com êxito. E as distância continuam aumentando. Mas tem um disparo digno de nota que… Read more »

nunes neto
Visitante
nunes neto

JT, uma busca rápida no google imagens você verifica que o EB, possui Barrte e .50.Abçs

JT
Visitante
JT

@nunes neto: alguma fonte confiável? Não encontrei nenhuma.

JT
Visitante
JT

Achei uma que parece real. Como o Bosco disse, são forças especiais e não é a arma padrão dos “snipers” do EB (Caçadores).

https://i98.photobucket.com/albums/l272/comandos9/bda_op_eps-20.jpg

Kojak
Visitante
Kojak

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/03/1596352-fuzil-da-ditadura-da-lugar-a-modelo-nacional.shtml

Perguntem a um Infante de carreira, Sgto PQD por exemplo que treina e instrui em vários ambientes:

556 ou 762 ?

O que eles acham do FAL ?

Surpresa !

Kojak
Visitante
Kojak

“JT
2 de março de 2015 at 9:41 #”

Seu link está com vírus.

Segundo meu sobrinho ou é foto montagem ou o Barret foi cedido para “apreciação” (rs).

Analise bem a foto.

JT
Visitante
JT

@Kojak: o link da foto? É do Photobucket, será que está mesmo? Se sim, me desculpem.

Quanto à foto, realmente, não posso afirmar o Barret é oficialmente adotado. Eu, como já disse, nunca ouvi falar de rifle .50 no EB.

Não achei que é montagem, mas grandes chances de ser somente uma “apreciação” mesmo! Ou uma brincadeira de Airsoft que enganou muita gente kkkk

nunes neto
Visitante
nunes neto

JT, esse vídeo aqui dos fuzuleiros: https://www.youtube.com/watch?v=cJ-Pwmue3L4

Kojak
Visitante
Kojak

COLEGAS FORISTAS

Informação oficial:

Fuzil padrão no EB para caçadores:

Imbel AGLC .308

http://pt.wikipedia.org/wiki/IMBEL_AGLC

Abs

Oganza
Visitante
Member
Oganza

nunes neto,

Esse vídeo é de um amadorismo sem noção…

O dia que akele gordo souber atirar, Puthenfia será um país de respeito…

os caras estão brincando… ridículo.

O CFN pode até ter a arma… mas acho muito difíciu eles terem alguma doutrina para seu emprego… Lamentável

afffff.

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Lyw,
Em momento algum eu chamei os insurgentes iraquianos de terroristas.
E se os americanos estavam certos ou não, fato é q

Bosco Jr
Membro
Trusted Member
Bosco Jr

Lyw, Em momento algum eu chamei os insurgentes iraquianos de terroristas. E se os americanos estavam certos ou não, fato é que o militar Kyle achava, naquele momento, que estavam certos e que ele estava fazendo algo certo. Condenar ou demonizar os americanos sem levar em conta um longo contexto histórico é complicado. No mundo de faz de contas, idealizado, onde o amor é a mola propulsora dos acontecimentos, sequer haveria fronteiras nacionais e países, mas forçando um pouco, nesse mundo imaginário, um país não teria nada a fazer em um outro país situado a 5000 km de distância. Isso… Read more »

nunes neto
Visitante
nunes neto

Oganza, a questão era se temos ou não, pelo que vimos tanto o EB como a MB têm, com certeza têm doutrina , não tire por um vídeo infeliz toda uma instituição.Abç