sexta-feira, julho 30, 2021

Saab RBS 70NG

China aumenta seu orçamento militar em 10,1% para 2015

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Helicóptero de ataque Z-10
Helicóptero de ataque Z-10

País asiático é o segundo do mundo em gastos com defesa. China realizará desfile militar em Pequim pelos 70 anos do fim da 2ª Guerra

ClippingA China vai aumentar seus gastos de defesa em 10,1% neste ano, até situá-lo em 886,9 bilhões de iuanes (US$ 144,2 bilhões), segundo o orçamento para 2015 apresentado durante a abertura nesta quinta-feira (5) da Assembleia Nacional Popular (ANP), o principal órgão Legislativo do país.

O aumento das despesas, divulgado oficialmente pouco antes do discurso do primeiro-ministro Li Keqiang na ANP, é sensivelmente superior ao crescimento do PIB (em torno de 7%), assim como vem acontecendo nos últimos anos.

Esse aumento mantém a China como o segundo maior país do mundo em relação aos gastos com defesa, atrás apenas dos Estados Unidos. No entanto, trata-se do menor aumento dos cinco últimos anos. No ano passado, o país incrementou seu orçamento de defesa em 12,2%, até 808,2 bilhões de iuanes (US$ 128 bilhões).

O esperado aumento já tinha sido antecipado na quarta (4) pela porta-voz da ANP, Fu Ying, que havia dito que os gastos em defesa seriam incrementados ‘em cerca de 10%’.
De acordo com o orçamento de 2015, a China ‘deve reformar as Forças Armadas para que sejam mais revolucionárias e modernas’, assim como para ‘salvaguardar a soberania, a segurança e a integridade territorial, e garantir o desenvolvimento pacífico’.

china_pla_0219

O documento não oferece muitos detalhes sobre como serão utilizados os recursos do orçamento militar de 2015, mas indica que as Forças Armadas do país asiático, as maiores do mundo em número de efetivos, com mais de 2 milhões de soldados, ‘vão aumentar as pesquisas e o desenvolvimento de novos armamentos, de novas tecnologias’.
Os gastos progressivos da China em defesa geram receios em países como EUA e Japão. Este último mantém crescentes conflitos territoriais e históricos com os chineses, que poderiam se agravar neste ano pela comemoração dos 70º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial, na qual Pequim e Tóquio estavam em lados opostos.

A China adiantou esta semana que vai realizar um grande desfile militar em Pequim para comemorar essa data e que convidará líderes internacionais, um gesto que os observadores acreditam representar um novo desafio a Tóquio.

Até agora, o regime comunista só tinha realizado desfiles militares para comemorar certos aniversários da fundação da República Popular, o último deles foi em 2009, para o 60º aniversário desse acontecimento histórico.

FONTE: G1/EFE

- Advertisement -

4 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
wwolf22
wwolf22
6 anos atrás

Bom dia,

o que vcs acham do Brasil comprar equipamentos militares chineses nos mesmos moldes da compra dos subs com os franceses ?!?!?!
compra-se algumas unidades da China e frabrica o resto aqui, com conteúdo nacional/ocidental…
acho que nao seria uma ma ideia, não sei…
o que vcs acham ?

Leonardo Pessoa Dias
Leonardo Pessoa Dias
6 anos atrás

Caro wwolf22

Uma das premissas para negociar com os chineses é não solicitar transferência de tecnologia ou construção local.

Em troca de não colocar estes assuntos na mesa, vende-se bem mais barato.

Só haverá fábrica chinesa aqui, se for operada por chineses. Como na África. Eles abrem as fábricas lá, e enviam chineses para trabalhar, com os mesmos sub-salários já conhecidos.

wwolf22
wwolf22
6 anos atrás

Leonardo,

grato pela informacao a respeito da fabricação de produtos chinês fora da China…

Soldat
Soldat
6 anos atrás

Se o Japão fosse livre já teria tomado a China de novo, mas os Japas hoje necessitam dos Âmis para protege-los o que acarreta-rá no futuro seu fim.

Infelizmente.

Últimas Notícias

Rússia e China realizarão treinamento conjunto no exercício Zapad/Interaction 2021

A Rússia deve se juntar a um exercício militar no noroeste da China em agosto com o tema de...
- Advertisement -
- Advertisement -